Pesquisa específica

Tópicos espirituais - Canalização - Consciência

Nesta página, encontrará uma seleção de tópicos espirituais abordados por O Homem na Caverna. O único objetivo desta seleção e divisão arbitrária é permitir-lhe encontrar rapidamente certas afirmações feitas no decurso das sessões sobre um determinado tópico. Por conseguinte, são retiradas do contexto e não podem, por si só, refletir toda a mensagem transmitida por O Homem na Caverna, que só pode ser garantida pela leitura das sessões na sua totalidade, de preferência pela ordem em que foram dadas.

Além disso, ao fragmentar deliberadamente a mensagem, separando e encaixotando estes temas espirituais, estou a ir contra o seu ensinamento original, que é o de nos tornar conscientes da sua interligação e da unidade que existe, tanto no físico como no metafísico, o Um.

Certos temas, com palavras diferentes, correspondem de facto aos mesmos conceitos, e certas afirmações feitas pelo Homem da Caverna poderiam ser facilmente encontradas noutros temas...

E é na voz de John que se sente a emoção por detrás das palavras.

No entanto, espero que algumas das informações contidas nesta classificação temática sejam úteis para a sua pesquisa.

Philippe

Esta página é permanentemente actualizada.

Alguns temas podem desaparecer para se juntarem a outros e podem surgir novos temas.

Consulte-nos regularmente.

O medo vai parar a sua viagem. A consciência permitir-lhe-á continuar. É muito simples. O medo é criado por si, pela sua mente.

Excerto da sessão 32

O Homem da Caverna

Perguntou-me de onde sou. Eu sou do mesmo sítio que tu, como todos nós somos. Só há uma origem. Quando fazes as perguntas, eu respondo às perguntas. É por isso que estou aqui. Perguntem com sinceridade e qualquer pessoa pode obter as respostas.

Quantos estão a perguntar? Não tantos como se pensa. Não estão perdidos, apenas não perguntam. Não é tão complicado como pensa.

(Excertos de sessão 2)

—–

Somos todos iguais. Tu escolhes viver fora da fonte, tal como eu, tal como o Seth. Somos todos da mesma fonte, como um, como todos...

Há coisas que não sei. Há perguntas que não posso responder. Mas estamos todos ligados...

Neste mundo, não é uma questão de certo ou errado, é uma questão de saber. Não é preciso fazer a pergunta: está certo ou está errado? É automático que saibas.

Isto é muito diferente do mundo em que se colocaram. Neste mundo não é difícil aceder à informação, ela já está dentro de vós. Não há dúvidas quanto à sua autenticidade...

A ligação a outra fonte de energia não é difícil, mas a comunicação é muitas vezes difícil, da forma como se interrompe a linguagem. A comunicação é difícil porque a energia é diferente...

Numa forma mental não há necessidade de comer, não há necessidade de dinheiro, não há necessidade de todas as coisas que valorizam tanto no mundo que criaram. É aquilo a que chamarias livre, é tudo livre. Não há confusão.

(Excertos de sessão 4)

—–

Eu sou tu e tu és eu...

Não é minha intenção confundir, não é minha intenção controlar, apenas informar, recordar.

(Excertos de sessão 5)

—-

Estou aqui para vos ajudar a compreender, a racionalizar. Também é difícil para mim. Dir-se-ia que somos de culturas diferentes, de mundos diferentes, quando na realidade somos iguais...

O seu condicionamento grita para dar nome a tudo, para me dar um nome. Não há necessidade de o fazer. Já me perguntaram muitas vezes qual é o meu nome. Eu não sou um nome. Eu sou uma energia, uma entidade, eu sou tu. Já vos disse antes, eu sou Seth, é a mesma coisa. Não compreenderiam isso porque estão a tentar dar-me uma marca, uma identidade, um nome. Isso não é importante.

(Excerto de sessão 6)

—-

Não me vou embora, não te vou deixar. Eu sou tu. Como é que eu poderia ir embora?

(Excerto de sessão 10)

—-

Claro e preciso é como deve ser. O que está em cima está em baixo, é a mesma coisa. Tem de ser claro para ti, tem de ser óbvio. Tu saberás. A informação é confusa. As ondas de rádio podem ser confusas, indescritíveis, mas tu saberás. Tu sabes. Há muitos a tentar fazer o que vocês estão a fazer agora. A porta abriu-se, mas o vosso canal está livre. Não é por acaso. Eu não sou a fonte, sou como vós. Tenho uma compreensão mais elevada do que tu, mas é a mesma coisa.

(Excerto de sessão 11)

—-

Dão-nos muitos nomes, muitas marcas, e são as mesmas.

É preciso analisar tudo. Por vezes, o que se pensa ser correto não é necessariamente correto. Motivos, razões, muitos têm segundas intenções e razões criadas por eles próprios dentro do seu mundo. O mundo deles não é o mundo, é apenas o mundo deles. Claro que há mais confusão. A confusão é desnecessária, criada por si próprio...

Se quiser trabalhar connosco numa base prática, então é possível. Mas não há necessidade disso. Só tem de compreender. A praticidade é a mesma coisa. A vossa mente condicionada criar-nos-ia como ET - é assim que nos chamam - mas é apenas o vosso condicionamento que faria isso. Não há diferença entre nenhum de nós.

As suas palavras tornam tudo muito confuso também para nós. A vossa interpretação, a vossa aplicação, são confusas. É um só. Nós somos o mesmo.

A praticidade aplicada no nosso mundo é muito diferente da praticidade aplicada no vosso pequeno mundo. É preciso olhar de fora para dentro para compreender isto. Sei que estás confuso quanto ao sentido prático e à aplicação. Saber é aplicação, saber é praticidade, um segue o outro. Não é assim tão complicado. Tudo funciona com base em frequências, a energia da fonte...

Se criarem um carnaval na vossa vida, então viverão num carnaval. É o que tu crias. Nós só escolhemos focar-nos no que é real, não em algo da vossa imaginação ou criação que sabemos que não é real. É por isso que não gostamos de nomes e marcas. Vocês identificam-se com isto. Aquece-se com isto. Criamos uma história à volta disso. Mas não é real. Nem sequer vou dizer os nomes que criam para nós porque é uma diversão. É energia desperdiçada. É por isso que não o vou dizer. É confuso para vós. Vocês criam a vossa própria confusão.

O melhor é ser simples, conhecer a fonte. Posso brincar com as tuas palavras se quiseres, mas é desnecessário.

Estive convosco durante muito tempo, naquilo a que chamam tempo. Connosco construíste muitas coisas neste mundo, muitas.

(Excertos de sessão 12)

—-

Aprendemos a física do universo, o mundo ....... (Transcrição do áudio impossível) física ou metafisicamente, porque nós compreendemos a física. Tu ainda não compreendes a física. Estão a aprender. Nós não interferimos. Se interferirmos, é por nossa conta. Nós orientamos, confirmamos, desafiamos. Desafiar não é interferir. Nós não impomos, nós respeitamos. A nossa forma não é a vossa forma. Todas as formas metafísicas têm uma estrutura. É um pouco como uma estrutura de ADN. Todas as formas físicas têm uma estrutura de ADN. Todas as formas metafísicas têm uma estrutura de ADN ou semelhante. Todas as frequências têm uma estrutura específica, a sua interpretação é designada por valor, valor para o seu efeito. Isto é criado a partir da fonte. É energia, pura, valor para o objetivo, valor para a criação, para a direção. Nós criámos muitas formas usando esta energia. A tecnologia estaria para além da vossa compreensão. A capacidade de aparecer e desaparecer está para além da vossa compreensão. A capacidade de viajar no tempo num segundo estaria para além da vossa compreensão.

(Excerto de sessão 13)

—-

Escolhemos ser uma forma ou não ser uma forma. Somos todos iguais, todos ligados. O que vos mostro é o que sei. Como poderia mostrar-vos algo que não sei? É impossível. Há muitas formas, algumas comunicam, outras não. A escolha é deles. E é a vossa escolha discernir entre essas formas. O que acredita é, ou o que sabe, não acredita, o que sabe é correto.

O eu superior está a regressar à fonte. Nós também. Não há nada a temer de nós. Já vos disse antes, quando vos ajudamos, estamos a ajudar-nos a nós próprios. Esta é a razão pela qual ajudamos. Para vós pareceria egoísta, mas não é. Porque estamos todos ligados, não há egoísmo, vem da fonte. Isolado e queria estar ligado. Isto é consciência.

Por isso, escolhemos ser uma forma física ou não. Sei que desejam encontrar-nos numa forma física. Isso é possível. Têm de estar preparados para isso. Pensam que estão, mas na realidade não estão. Nós viremos...

As pessoas estão a despertar em todo o vosso mundo. Não somos só nós que estamos a falar com essas pessoas. Há muitas. Há muitos níveis de consciencialização e compreensão. Os vossos canais de comunicação estão abertos, e as pessoas estão a falar sobre o contacto. Só vocês é que sabem se isso é correto ou não. Só vocês é que podem discernir. Haverá muita confusão. Tudo se resume a uma coisa, que é a emoção, o vosso sentimento. Como é que se sentem quando ouvem? É muito simples, mas também muito confuso para si. Têm de se perguntar: como é que eu me sinto? O que é que eu sinto? Penso que sabe porque é que se sente...

Devem lembrar-se que tudo é possível num mundo mental, pelo que a vossa forma física é irrelevante. As vossas necessidades físicas, os vossos desejos físicos, são irrelevantes. As possibilidades são infinitas, infinitas. Uma supera completamente a outra, um degrau acima na escada.

Demorámos muito tempo, naquilo a que vocês chamam tempo, a reconhecer isto, a reconhecer isto noutras espécies, a compreender isto, a compreender a separação entre o consciente e a consciência. Através da tecnologia podemos separar, mas não é a vossa tecnologia. É a tecnologia da fonte através das frequências. Através das emoções podemos separar o corpo, o físico do mental. E podemos escolher viver em ambos, se quisermos. E é o que fazemos. Mas para vocês isto é uma experiência astronómica. Para si é enorme. Mas não há necessidade de a temer. Lembrem-se, nós podemos escolher a forma que queremos que vos apareça. Podemos escolher a forma que quisermos. Tentaremos sempre escolher uma forma que não vos choque nem vos surpreenda. Ou podemos mudar a forma. Mas a emoção não muda. O sentimento, esse será sempre uma constante. Não podemos mudar isso. Podemos utilizá-lo sempre, mas não o podemos mudar. É a fonte.

Vocês sabem estas coisas e estão a comunicar com a fonte, não connosco, com a fonte. Estamos a utilizar essa posição. Estamos a capitalizar essa posição. Também nós estamos a comunicar com a fonte, quase como um tradutor no meio. É por isso que estão protegidos. A vossa proteção não vem de nós, vem da fonte. Nós, tal como vós, somos observadores. Estamos a aprender como vocês, embora sejamos mais avançados do que a tecnologia humana. A tecnologia da fonte, nós ainda estamos a aprender, ainda estamos a comunicar.

(Excertos de sessão 14)

—-

Não temos doenças no sítio de onde vimos. Não envelhecemos. Não nos matamos uns aos outros. Não matamos os outros. Criamos o que queremos. Vivemos onde queremos. Não há razão para comermos ou bebermos, mas fazemo-lo porque temos prazer nisso. Se precisamos de minerais, criamo-los. Usamos a nossa energia para os formar através de frequências. Podemos criar qualquer tipo de partícula através das frequências. Se quisermos viver num mundo físico, criamo-lo. Todos nós sabemos como fazer isso. Todos sabemos o que é correto. Todos sabemos como funciona, como é aplicado. Não há necessidade de nos opormos uns aos outros, de nos destruirmos uns aos outros. Rio-me quando vos vejo a fazer isto no planeta em que vivem. É por causa da confusão.

Homem e mulher é o mesmo para nós. Podemos escolher ser um ou outro se assim o desejarmos. Podemos escolher integrarmo-nos se quisermos, como um ou como ambos. Uma das vossas separações de longa data é entre masculino e feminino, quando na verdade são a mesma coisa. O vosso condicionamento fez isto. Criou oposição, desafiou, criou competição, quando na realidade vocês são a mesma coisa que nós...

Podemos viajar numa forma física e podemos viajar numa forma mental, e podemos viajar para onde quisermos num instante. Mas viajar é bom, mas é preciso saber para onde se vai. É preciso saber porque se está a viajar, com que objetivo. Não basta espetar um alfinete num mapa do universo e partir. É um ambiente muito profundo. Não conhecemos todo o alcance deste ambiente. Não o podemos mapear. Não sabemos, e não nos empenhamos enquanto não soubermos. Esta é a chave, saber. É isto que estamos a tentar mostrar-vos. Saber. Não pensem que sabem. Saibam. Saber significa que não há discrepância, não há dúvida, não há errado, não há certo, é final, é completo. Quando se sabe, não há mais medo, não há mais perguntas a fazer. É relativamente simples se pensarmos nisso nesses termos. Só se torna um problema para si quando não sabe.

(Excertos de sessão 15)

—-

Tiveram muitos professores nas vossas vidas. Foram inspirados por muitas pessoas. Eles são nós. São os mesmos, da fonte. Continuarão a ser inspirados por muitas pessoas, muitos elementos. É o vosso apoio, o vosso mecanismo de apoio. É necessário. Estivemos convosco durante muito tempo naquilo a que chamam tempo, sim, tempo, a vossa ilusão, a vossa emoção fabricada. Estão a compreender mais a cada dia que passa. Já sabem há muito tempo, naquilo a que chamam tempo. A vossa compreensão é cada vez maior...

Também nós estamos à procura de mais respostas. Compreendemos a filosofia melhor do que vós, pelo que as nossas perguntas são mais precisas do que as vossas. As vossas perguntas são baseadas no vosso condicionamento. As nossas perguntas baseiam-se no saber, mas também nós procuramos respostas, como vocês...

É uma vantagem para mim também dar-vos esta informação, para vos ajudar a compreender. Subconscientemente, sempre recebeste a informação. Estar conscientemente ciente disso é um despertar para si, um apelo, um chamamento. A forma como reagem é uma escolha vossa. A forma como aplicam é uma escolha vossa.

O que vos damos, nós sabemos, não pensamos....

Através de nós podeis sentir a fonte. Nós somos o vosso canal, vocês são o nosso canal. É a mesma coisa. Não consegues imaginar a beleza que existe dentro de ti.

(Excertos de sessão 18)

—-

Não vale a pena explicar-vos o que é que estamos a tentar aprender com a fonte. Não iriam compreender. Mas também estamos intrigados, como vocês. Também desejamos saber mais, como vós. Também estamos numa viagem como vocês. Quando vos ajudamos, estamos a ajudar-nos a nós próprios, porque vocês são nós. É a mesma coisa...

A razão pela qual falo convosco como falo é porque sei que não querem saber os pormenores. Não pedes os pormenores. Isto é bom. É simples. Se precisas de detalhes, então não sabes. O pormenor não é importante. Quando digo pormenor, estou a falar da vossa vida condicionada e das vossas vidas condicionadas. Estou a falar de todas as coisas malucas que foram criadas através da energia, através da fonte, as coisas malucas do universo. Não é necessário ver o elemento físico ou sequer saber o que é. Eu sei que sabes isso. Eu sei que tu sabes isso. É por isso que o canal é puro, é claro. É pedir muito para algumas pessoas. Trata-se de fé. Já vos disse antes que a fé pode mover montanhas, mas também pode criá-las...

Perguntam-me quantos mais estão a passar por isto. É irrelevante. Só há um. É um só. É o mesmo. Sete biliões ou um, é o mesmo número da fonte. Mais uma vez, estão a tentar aplicar a vossa lógica, a vossa lógica condicionada. Não funciona no mundo metafísico, é como duas línguas diferentes de palavras faladas, tentando comunicar em duas línguas diferentes quando nenhuma entende a outra. É impossível.

(Excertos de sessão 19)

—-

Chama-nos o seu "eu superior". Isto é correto, mas não é correto numa perspetiva egoísta. É um só. É o mesmo. Somos o mesmo que tu. Nós somos vós. Mais uma vez, as mesmas palavras. Precisam de ser guiados. Não vos estamos a fazer uma lavagem cerebral. Precisam de ser guiados. Nós precisamos de ser guiados. Precisam de ser tranquilizados. O vosso condicionamento precisa de ser tranquilizado, sempre. Isso é desnecessário para nós. A segurança não existe. Nós sabemos. As nossas perguntas sobre a fonte são muito mais claras do que as vossas perguntas. Nós também aprendemos convosco.

(Excerto de sessão 20)

—-

Impedimos muitos de comunicar convosco (2). É um canal puro. A pureza é importante. Quando digo que impedimos, não é como pensam. Não podemos obrigar, só podemos explicar-lhes. A decisão é deles, não é nossa, mas achamos que é necessário encorajar. Não podemos controlar, é impossível para nós.

(Excerto de sessão 21)

—-

A frequência entre nós e vós tem de ser pura. Mais uma vez, há uma pureza definida. Tem de ser definida, caso contrário pode ser contaminada. É feita de vibrações. Podem elevar a vibração da vossa máquina, do vosso corpo. Também podem evitar que a vossa mente interfira com a vossa consciência, a vossa alma, as vossas palavras...

Embora saibamos que temos de nos juntar à fonte, somos como vós. Não nos juntámos. Mas somos metafísicos. Não somos físicos, mas a nossa viagem é a mesma. O facto de compreendermos a tecnologia não significa que compreendamos a fonte. Nós, tal como vós, queremos aprender mais. Queremos avançar. O ciclo nunca termina.

(Excertos de sessão 22)

—-

Todas as formas de energia existem de maneiras diferentes, algumas físicas, outras metafísicas. Nós somos metafísicos, mas é a mesma coisa. Há muitas formas de energia, infinitas, em diferentes níveis de compreensão. É verdade que algumas formas de energia desejam aplicar apenas o controlo. Isso acontece através do medo. A forma de energia mais poderosa que existe é o medo. Mas, claro, o amor da fonte é completamente diferente. Não chamo a isto uma forma de energia. Chamo-lhe a criação de energia. É diferente. Temos de compreender isto, tal como vocês. Embora seja uma energia incrível, é também a criação de energia, a criação de toda a energia, de todas as formas de energia, física e metafísica...

Perguntar-se-ia, onde, como, o quê. Bem, com a fonte não sabemos. Não podemos responder. Sabemos que existe mas, tal como tu, não podemos responder. Só podemos aplicar o que sabemos. É impossível aplicar o que não se sabe. Têm de criar, usar a vossa imaginação. Pode dizer-se experimentar, mas não é uma experiência. É preciso adquirir sabedoria através do conhecimento, conhecimento esse que já é inerte, está dentro de nós. É preciso compreender a estrutura, nós também...

Que viagem incrível é esta para si. Trabalhou muito para chegar a este ponto. Todas e todos estão a viver uma viagem de algum tipo. Temos o prazer de partilhar convosco a nossa viagem. Estamos a partilhar a nossa viagem convosco. A vossa viagem é a nossa viagem. É a viagem de todos, a viagem de tudo. É a mesma coisa.

(Excertos de sessão 23)

—-

Quer saber mais sobre nós. Não há muito mais que vos possa dizer para além de que somos o completo oposto daquilo que acreditam ser real. Nós podemos guiar-vos. Eu posso guiar-vos. Podem guiar-se a vós próprios. Tu estás a guiar-te a ti próprio. Têm de se afastar do vosso condicionamento para compreenderem o que aqui é dito. Vão aplicá-lo, sempre, o vosso condicionamento. Vão aplicar, e isso vai confundir-vos. Têm de recriar o nosso mundo com a vossa imaginação, uma palavra nova para vocês, imaginação. Frequência, esta é a única maneira de compreenderes a metafísica. Têm de começar pelo princípio, que é também o fim, que é também o momento. Têm de começar a recriar sem a interferência da vossa vida condicionada, a construir uma nova história. Para nos compreender corretamente, é isto que tem de fazer...

A vossa história é tão básica, condicionada, controlada por vós por uma razão, a razão pela qual estão aqui. Estão constantemente à procura de erros, erros nossos. Podem pensar que são erros, mas nós só vos damos a informação que sabemos. Não há razão para vos darmos qualquer outra informação. Como é que o poderíamos fazer? Porque é que o faríamos? Mas a vossa mente inquisitiva vai questionar tudo. Isso não é mau. Não há nada de mau. Para ti é necessário. Para nós, é um desperdício de energia. Vocês têm coisas importantes para aprender, a vossa viagem ainda agora começou, há muito mais. Nós também temos de aprender convosco. Nós aprendemos com todos os seres vivos e com todas as coisas metafísicas. Nós escolhemos aprender. Escolhemos adquirir sabedoria. Também vós escolhestes o caminho da aprendizagem. Os vossos ciclos de vida foram orientados em torno deste caminho de aprendizagem, de crescimento, de experimentar tudo e todos num só momento. Mas lembrem-se que esse momento pode ser mudado. Embora esteja escrito que pode ser mudado, é difícil para vocês compreenderem. A escolha é vossa. Um pode mudar, biliões podem mudar. É a mesma coisa, num instante. Podem sentir a energia agora. Esta é a vossa criação. Esta é a nossa criação. Podem vê-la.

(Excertos de sessão 24)

—-

Saber torna muito fácil a aplicação da fórmula, a criação. Não saber torna-o difícil. Este é o vosso enigma. Porque sabemos, podemos aplicar. É apenas uma fórmula, um processo. O que vocês criaram no vosso mundo é uma ilusão. E o que continuam a criar é baseado nessa ilusão. É baseado no vosso medo. O vosso medo se não criarem faz parte do processo. Portanto, para nós é muito diferente do que é para vocês. Sabemos que se criarmos uma ilusão, o que fazemos, criamos uma ilusão, mas sabemos que é uma ilusão. Vocês não sabem. Portanto, é aí que reside a confusão.

(Excerto de sessão 26)

—-

Nós, tal como vós, estamos à procura de saber mais sobre a fonte. Vocês têm uma ligação com a Fonte, tal como nós, como um só. Não queremos confundir-vos ou interferir na vossa viagem. Haverá repercussões se interferirmos. Da mesma forma que se interferirem com a viagem de qualquer outra pessoa. Por isso, não vos desejamos mal algum. Não estou a tentar manipular-vos. Podemos aprender convosco e vocês podem aprender connosco. Mas não é uma questão simples, não é tão simples como possam pensar. Nós aplicamos o que sabemos para tornar as nossas vidas simples, fáceis. Vocês aplicam o que sabem para tornar a vossa vida difícil. Isto é o que nós sabemos. Compreendemos que passem por ciclos de dificuldades. Nós não.

Podemos assumir qualquer forma que quisermos num corpo físico. Mas se tomamos uma forma, é por uma razão, caso contrário não temos necessidade de tomar uma forma. E muitas vezes essa razão é para o nosso gozo, o nosso prazer. Mas não escolheríamos uma forma por causa da dor. Mais uma vez, o prazer, a dor, é uma ilusão. Mas é sentida. Como indivíduo, é sentida. Portanto, nós escolhemos. Tu, também, escolhes. É verdade que muitas vezes ficamos intrigados porque é que vocês escolhem tanta dor, por isso aprendemos uns com os outros. Queremos saber como vós quereis saber, compreender mais, a fonte, a origem de toda a energia...

A questão do eu superior? Nós somos um só. No vosso mundo condicionado, podem considerar que somos mais elevados do que vocês porque sabemos. Isso não é correto. Nós somos iguais. É apenas uma terminologia. Mais uma vez, a terminologia condicionada que diria que somos o vosso Eu superior. Nós somos o eu, nós somos um. Olhariam para nós como sendo mais sábios do que vocês. Não somos. Somos o mesmo. Não há superior, não há inferior. É a mesma coisa. Portanto, estamos novamente a jogar com palavras e percepções, ilusões. Não é real. Vocês criaram a terminologia "eu superior" porque querem acreditar que existe algo fora de vós que é melhor, maior. Se pudermos retratar a sabedoria para vós, e vós também para nós, então nem o eu é superior nem inferior, mas o mesmo. A terminologia é difícil de comunicar. É apenas uma expressão, eu superior, para explicar uma situação de experiência. Vocês estão a experimentar-nos. Nós, através do canal de comunicação, estamos a viver convosco. Não existe superior ou inferior. Só há energia.

Estão protegidos da fonte porque estão conscientes de que a fonte existe. Não se pode explicar a fonte, nós não podemos, para além do criador da energia. Não sabemos se existem outras fontes de energia. Não pensamos que seja esse o caso. Não sabemos. O universo infinito de muitos universos, pensamos que existe apenas um. Não sabemos.

Não pretendemos de forma alguma enganar-vos. Sabemos o que sabemos. E, claro, tudo isso está sujeito a um momento, a um tempo que sabemos que pode ser alterado num instante. E isso vocês não compreendem, nem nós podemos explicar-vos. A vossa ciência está a tentar explicá-lo, mas não o conseguiu. Portanto, não é assim tão simples...

O amor abrangente, não a vossa dependência criada pelos humanos, mas o amor abrangente da fonte é a única coisa que estamos a tentar compreender, tal como vós. É a mesma coisa. Não há necessidade de manipularmos. O nosso único desejo é sabedoria, mais sabedoria e mais conhecimento, tal como vós. Aprenderam tanto num espaço de tempo muito curto, aquilo a que chamam tempo, mas têm estado a aprender durante toda a vossa existência, sem princípio nem fim, um processo. Nós também...

Aliviem todos os vossos medos. Não há necessidade de ter medo de nada. A viagem está cheia de entusiasmo. Tu escolhes preencher a tua viagem com dor. Nós escolhemos preencher a nossa viagem com entusiasmo. Desejamos que todas as espécies, todas as formas de vida, toda a matéria física, tudo o que engloba toda a criação física esteja em paz, unida à fonte. Este é o nosso desejo. E se ajudarmos, estamos a ajudar-nos a nós próprios nesta viagem. Não há certo, não há errado. Não há certo ou errado. Mas sabemos que, dada uma determinada direção, uma energia se formará e se desenvolverá. Sabemos que é crescimento, expansão, criação, imaginação. Sabemos isso, por isso concentramo-nos nisso. Não nos concentramos no oposto disso, embora sejam ambos iguais, da fonte, da criação de energia. A fonte é infinita, sem começo, sem fim. Não podes compreender isto. Se queres que a tua pergunta seja respondida, tens de compreender isto. Precisas de saber isto. Precisas de compreender, de saber que o tempo não existe. Ele não existe, é uma criação tua. Precisam de compreender todas estas coisas para responderem corretamente às vossas perguntas, e não o fazem. Só posso dar-vos o conforto de que a vossa viagem é a viagem certa. Isto é o melhor que posso fazer.

(Excertos de sessão 28)

—-

Não nos chamaste para estar aqui. Nunca nos fomos embora. Estamos sempre aqui. Não existe aqui e ali, é o mesmo ponto. Por isso, na vossa vida condicionada, diriam: "Venham até nós". Nós nunca partimos. Estamos sempre aqui. Para nós, é mais um pedido ridículo, mas compreendemos, claro, o que estão realmente a querer dizer. Mais uma vez, as palavras não são importantes, o significado é que é importante. É assim que temos de traduzir do vosso mundo condicionado para compreender o vosso pedido. As vossas palavras são insignificantes. E nós somos emoções e frequências. A vossa criação de energia é o que nós conhecemos e compreendemos.

Aplicar conscientemente, aplicar conscientemente, é estar atento. Iluminado, é outra palavra que se usa. Dá a perceção de melhor. Não existe tal coisa como melhor. Isso não existe.

(Excerto de sessão 29)

—-

Podemos estar no momento em todo o lado e em qualquer lugar numa dada posição, ou em muitas, mas continua a haver apenas um ponto. Sei que estão a tentar compreender isto. Vai ser difícil para ti. A resposta estará na vossa imaginação. Não podem aplicar os aspectos práticos da vossa lógica condicionada para que isto funcione, é impossível.

Os vossos pensamentos sobre a nossa existência são infantis, insignificantes, baseados no vosso condicionamento. Embora estejais a meio caminho da verdade, não é a verdade. É muito mais simples compreender numa metafísica do que numa física, e a contaminação das duas nunca chegará a uma compreensão.

(Excerto de sessão 30)

—-

Têm de observar, e têm de aprender, aprender como é que a raça humana se destrói a si própria, aprender porque é que se destrói a si própria através do medo, aprender como é que destrói o que criou, como é que escolheu destruir o que criou. Ela escolheu, vocês escolheram este processo por uma razão específica. Isto é algo que temos dificuldade em compreender. Compreendemos completamente o processo, mas não sabemos porque é que repetiram vezes sem conta exatamente o mesmo ciclo. Mas dentro dele acreditamos que há sabedoria. Há energia da fonte. Acreditamos que isto existe dentro deste processo.

(Excerto de sessão 31)

—-

Nós - eu digo nós, como nós, como tu -, nunca estamos sem ti. Nunca vos deixamos. Deixados, não há para onde ir, é a vossa terminologia. Mais uma vez, não há sítio para onde ir, para onde ir. Não existe. Tu crias o que quiseres criar, experimentas o que quiseres experimentar. Não há nenhum sítio para onde ir, nenhum sítio para onde sair, para onde ir. Tu apenas cresces como energia...

Ajuda a sentir, por vezes, as emoções humanas. Ajuda a sentir a dor, o amor.

Ficará connosco.

(Excertos de sessão 33)

—-

Sim, é sempre difícil saber por onde começar. Tantas perguntas. Nós também temos tantas perguntas para vos fazer, é a mesma coisa. Já vos dissemos muitas vezes que estamos perto da Fonte. Não compreendemos totalmente a fonte, tal como acontece convosco. Sabemos que a vossa espécie está mais próxima da Fonte em muitos aspectos. E, sim, precisamos de compreender mais. Procuramos as respostas tal como vocês procuram as respostas. Não é um jogo como vocês o consideram. É a busca da sabedoria derivada do conhecimento. O conhecimento é infinito e já está dentro de nós. Por isso, sim, precisamos de vós da mesma forma que vocês precisam de nós, para nos ensinarmos uns aos outros.

Perguntam vocês, somos Greys? Isto é engraçado, é ridículo. Somos o que quisermos ser, quando quisermos ser. A vossa interpretação é infantil. É como a de uma criança. Já vos disse antes que somos metafísicos. Não somos físicos, mas podemos assumir a forma física se quisermos. Num instante podemos fazê-lo, e num instante podemos deixá-lo ir. Assim, talvez tomemos a forma de um Grey, talvez tomemos a forma de uma espécie humana, talvez tomemos a forma do que quisermos tomar. Mas isso é irrelevante. A forma é uma máquina, é um veículo. Não é real. Não é do mundo metafísico. É uma forma. Podemos criar qualquer forma que queiramos criar. Podemos criar uma nova forma se quisermos criá-la. Por isso, a vossa pergunta: "Somos cinzentos?" Conseguem ver como essa pergunta é estúpida para nós? Não tem qualquer relevância...

Nós somos, ou consideramo-nos, poderosos no mundo metafísico, somos uma forma pura de energia criada numa forma metafísica, por isso consideramo-nos dignos disto. Mas também vós sois iguais, tal como todos os outros são iguais. A compreensão deste facto permite-vos ter a capacidade de fazer o que desejam fazer. Já o faz sem o saber, sem saber que o está a fazer. Esta é a diferença. Nós sabemos que sabe. Sabemos que já o fizeram muitas vezes. Sabemos que escolhe esquecer, que escolhe não ter memória. Cada vez que o fazem, escolhem não ter memória. Isto não entendemos, não faz sentido para nós. É por isso que temos de perceber porque é que o fazem. Qual é a razão pela qual o fazes?...

Fala de auto-sacrifício à fonte. Nós não entendemos o auto-sacrifício. Nós somos parte da fonte, o que é que estamos a sacrificar? Têm de fazer essa pergunta, o que estão a sacrificar à fonte. Qual é o objetivo? Sim, agora estão confusos, mas é uma pergunta simples. O que é que estão a sacrificar à Fonte com o auto-sacrifício? Nós não sabemos. Nós não praticamos isso. Porque é que o faríamos? É muito simples, se nos tornarmos conscientes de tudo, não há razão para fazer isso, é fútil. Os ciclos que criam são fúteis, mas criam-nos vezes sem conta. As complexidades que criam são imensas no mundo em que vivem, mas continuam a repetir o mesmo ciclo vezes sem conta.

Claro que podemos sentir amor uns pelos outros. Nós sentimos amor um pelo outro. Sentimos amor um pelo outro e sentimos amor por vós. Fazemos parte da mesma coisa. Não há necessidade de questionar a nossa intenção de amar. Compreendemos muito bem esta filosofia e sempre a compreendemos. Não tem qualquer relevância com o auto-sacrifício. Dizes que é a fonte a tentar compreender a fonte. Isso é confuso para nós. A fonte vê tudo e sabe tudo. Porque é que a fonte faria isto? Mas tu pareces saber. Isso é confuso.

Também sabemos muitas coisas que vocês não sabem, e temos todo o gosto em ensinar-vos muitas coisas. É claro que a confiança será sempre um fator a ter em conta. O vosso mundo criado depende da confiança. O nosso mundo não. Ireis sempre questionar tudo. É o que fazeis como espécie humana, questionais tudo. Precisam de confiar. É necessário que confiem. Nós não confiamos. No nosso mundo não é necessário confiar porque nós sabemos. Compreendemos porque é que questionam, é o vosso condicionamento. Estão numa encruzilhada. É uma ponte que precisam de atravessar...

Sempre tivemos o controlo do nosso próprio destino. Não prevemos que isso venha a mudar. Não vemos uma altura, tal como conheceis o tempo, em que isso mude. Porquê? Não compreendemos o facto de não controlarmos o nosso próprio destino. Não estamos cientes de como isso funciona. Parece que gostam de não ter o controlo do vosso destino. Não compreendemos porque é que se sentem assim. Isto é interessante para nós, sabendo a vossa história, sabendo onde estiveram antes, o que fizeram antes dentro daquilo a que chamam tempo. É o momento. É interessante para nós porque é que escolheram este caminho.

Podemos adaptar-nos a qualquer tipo de emoção humana, ao riso, ao amor, à alegria, à dor. Mas optamos por não o fazer. Não vemos a necessidade de o fazer. Podemos, se quisermos, fazê-lo. Por vezes adoptamos a compaixão, por vezes adoptamos a compaixão por tudo e todos, mas não há necessidade de continuar este processo vezes sem conta, como vocês fazem. Acreditam que isso vos aproxima da fonte. Estamos a tentar ajudar-vos a libertarem-se da vida que escolheram, a tomarem consciência da razão pela qual a escolheram, a compreenderem melhor o mundo metafísico que é o único mundo real em que podem existir. Acreditamos que estamos a ajudar-vos, mas também acreditamos que vocês podem ajudar-nos a compreender melhor a fonte. Sei que é isso que pensam, e é correto.

(Excertos de sessão 34)

—-

Preferimos não dar nomes aos sítios. São insignificantes para nós. Muitas outras formas de energia quererão dar-vos essa informação, informação precisa da sua terminologia, da sua existência, da sua criação. Mas é a mesma coisa. Nós não temos nomes da mesma forma que vocês preferem dar um nome a tudo. Um nome cria uma outra ilusão, uma outra história que para nós é incorrecta. Claro que sabemos a que é que se referem nesta vida particular que escolheram. Claro que sabemos quais são os vossos nomes. Preferimos não expressar a vossa forma de energia em nomes. Isso não tem significado. Isso alimenta o vosso ego. Alimenta o vosso desejo humano de serem desejados, de serem necessários. Preferimos não alimentar esse desejo. Esta é a razão pela qual não usamos a vossa linguagem de nomes. Enquanto ainda estiverem a trabalhar dentro deste mundo que escolheram, faremos tudo o que pudermos para evitar que voltem ao vosso condicionamento. Usar nomes só irá encorajar-vos a permanecer no vosso condicionamento. É muito simples...

Também é verdade que - mais uma vez, mais perguntas -, também é verdade que, a partir da criação da vida no mundo que criaram, é necessário passar por todo o processo. Todo o processo é a criação da vida dentro deste mundo.  Portanto, para nos tornarmos uma forma do mesmo que vós, também nós teríamos de passar pelo processo, por todo o processo. Mas também estamos conscientes de que todo o processo não tem tempo. Portanto, para nós é irrelevante (4). Vocês mediriam o processo no tempo. Nós não, mas mesmo assim temos de passar pelo processo, tal como tu passaste pelo processo muitas vezes porque, afinal, o processo é a forma humana de vida...

A recompensa não é medida no metafísico com qualquer tipo de ganho material. A recompensa não se mede da forma como a entendem. Nós diríamos que a recompensa é o conhecimento, é a sabedoria, é uma relação mais próxima com a fonte. Vocês diriam que a recompensa é reconhecimento, é valorizada sob a forma material. A única recompensa que reconhecemos é uma recompensa da fonte da compreensão do amor por tudo e por todos. Esta é a recompensa suprema, como vocês chamariam a recompensa. Para nós, a procura do conhecimento e da sabedoria é o ponto mais alto. Não há nada com que possamos ser recompensados que seja maior do que isso.

(Excertos de sessão 35)

—-

Considerar-nos-íamos uma forma superior de consciência. Não nos consideramos acima de outras entidades e energias, mas consideramos que temos um conhecimento mais elevado. Isso não nos torna, na vossa terminologia, melhores ou piores do que qualquer outra energia ou entidade.

(Excerto de sessão 36)

—-

É verdade dizer que somos formados a partir da mesma consciência, é verdade dizer que temos a mesma jornada, e também é verdade dizer que nem todas as consciências têm a mesma jornada, que é uma jornada de compreensão, de conhecimento. Não nos consideramos de uma consciência superior à vossa, mas consideramos que estamos conscientes da nossa consciência e sabemos que escolheram não estar conscientes no caminho que estão a fazer agora. Isso interessa-nos. Esta é a razão pela qual comunicamos convosco. Esta é a razão pela qual olhamos para baixo na escada para encontrar a razão pela qual escolheram, porque escolheram este caminho. Vocês são iguais a nós. Porque é que repetiram o eu inferior? Não é inferior na vossa interpretação de inferior. Porque é que querem estar inconscientes, adormecidos, e passar por um processo, mais uma vez, de consciencialização? Porque é que escolheria esta viagem? Porque é que escolheria conscientemente esta viagem? Porque tu escolheste conscientemente esta viagem. E volto a repetir, quando o ajudamos a despertar e a tornar-se mais consciente, estamos a ajudar-nos a nós próprios, esta é a lei universal. Querem mesmo acordar depois de terem escolhido vir para este mundo a dormir? É uma grande questão. Porque é que quereria passar por este processo uma e outra e outra vez? Talvez haja algo que te tenha escapado. Nós não sabemos. Também olhamos para o eu superior, a consciência superior. Acreditamos que a mais elevada de todas as consciências é a fonte. Nós não somos a fonte. Fazemos parte da fonte, tal como tu, tal como tudo...

Só conhecemos nove. Não temos conhecimento de doze. Isto é o que estão a aprender. Podem chamar-lhe níveis, se assim for conveniente para a vossa terminologia. Nove é um, é a mesma coisa. Sabemos que há algo mais alto do que nove, chamar-lhe-íamos a fonte. Nós somos nove...

Não queremos dizer-vos qual é o vosso futuro. É irrelevante. Já aconteceu. Não somos como vocês chamam aos adivinhos. Não há necessidade disso. Se ao menos pudessem perceber como esta pergunta é infantil. A única coisa que é necessária é compreender. Conhecendo-vos a vós próprios, compreendereis porque sois nós. A vossa vida humana insignificante e o vosso desejo de serem necessários e desejados é também um processo que vocês se colocaram em posição de suportar. Também é irrelevante. Não, não é apenas irrelevante para nós, é também irrelevante para vós. Só que não te apercebes de como é irrelevante.

(Excertos de sessão 38)

—-

Aprenderam muito. Nós também aprendemos. Mais uma vez vos digo que, ao ajudar-vos, estamos a ajudar-nos a nós próprios. Mas é a mesma coisa, nós somos vocês, energia da fonte, por isso mais vale dizer que nos estamos a ajudar a nós próprios, como um só.

(Excerto de sessão 39)

—-

Tem razão quando fala de teoria e de prática. Nós não experimentamos a praticidade da vossa criação física. Escolhemos não o fazer. Não há necessidade de o fazermos. Mas observamos a vossa reação emocional ao mundo prático que criaram. É de grande interesse para nós, certamente considerando que compreendeis subconscientemente todos os aspectos de todas as dimensões...

Também é verdade que, à medida que se vão tornando mais conscientes, nós estamos a observar a vossa experiência. Estamos a monitorizar a vossa experiência. Estamos a aprender com a vossa experiência. Um despertar é verdadeiramente uma experiência magnífica. Vocês escolheram esta jornada e nós temos grande interesse nela.

Todos nós somos criados a partir da fonte, da energia da fonte, da origem de todas as dimensões, da origem de toda a consciência metafísica e física criada. Precisamos de compreender melhor a fonte, tal como vós. Podemos viver a vossa experiência prática, a vossa experiência física através de vocês, porque vocês são nós. Podemos cheirar, ouvir, ver e sentir através de vós, porque vós sois nós. É a mesma coisa, a mesma energia. É literalmente apenas uma palavra.

(Excertos de sessão 40)

—-

Nós somos vós, nós somos iguais a vós. Podem usar a palavra superior, eu superior. Isso não é tecnicamente correto com as palavras que criam, mas contentam-se em usar a palavra mais elevado. Nós não somos superiores. Nós somos vós. Somos o mesmo. Também é correto usar a palavra sessões. Não estamos a ensinar-vos nada. Não estão a aprender nada. Estão a experimentar. É uma experiência...

Escolheste um caminho muito difícil. É frustrante para vós, eu sei, mas foi a vossa escolha. Nós não queremos experimentar os mesmos ciclos que vocês experimentaram, embora sejamos iguais a vós. Separamo-nos desses ciclos e observamos-vos. Aprendemos com a vossa experiência dentro desses ciclos que escolheram. É necessário que aconselhemos, mas apenas aconselhamos sobre o processo, sobre a aplicação. Não podemos escolher a vossa direção. Isso não seria um conselho sobre a aplicação e o processo, seria uma manipulação. Ao fazê-lo, estaremos a prejudicar-nos a nós próprios. Ao ajudar-vos a compreender, ajudar-nos-emos a nós próprios...

Agora têm a capacidade de compreender as minhas palavras. Muitos não o farão. Passo a passo, compreendem cada vez mais, porque tudo e todos já estão escritos, num só momento. Temos a capacidade de conhecer tudo e todos num só momento. Não o experimentamos, mas sabemo-lo. Há uma grande diferença entre experimentar e conhecer. Está a experimentar. Não escolhem conhecê-la. Nós escolhemos conhecê-lo e escolhemos não o experimentar. Há uma grande diferença entre essas duas coisas.

Esta viagem que estão a fazer é muito importante para vocês. É também muito significativa para nós...

Nós sabemos qual o final desta vida física que ireis escolher. Não estamos a falar de vocês individualmente, estamos a falar do vosso mundo em que escolheram estar. Conhecemos todos os finais, que são infinitos. Perguntam-se: como é que podemos conhecer o infinito? Nós sabemos. Não vos guiaríamos para nenhuma destas posições. Cabe-vos a vós saber qual é a posição correcta para vós. É importante que te mantenhas no positivo. Não é a mesma coisa para todos, estão numa posição diferente dentro do ciclo.

(Excertos de sessão 50)

—-

Não podemos explicar-vos um, um momento. Só podemos explicar-vos a origem de tudo. É a mesma coisa. Enquanto não forem completamente metafísicos, nunca compreenderão verdadeiramente isto. É impossível. As palavras não poderiam explicar-vos isto, mas nós compreendemos completamente o processo que escolheram. Não compreendemos completamente porquê.

(Excerto de sessão 51)

—-

Já não há necessidade de vos provarmos a nossa existência. Vocês estão plenamente conscientes da nossa existência, e não é necessário prová-la numa forma física. Nós não vivemos numa forma física. Somos puramente metafísicos. Essa é a nossa escolha. Não falamos a vossa língua, o nosso mundo é um mundo de frequência, de emoção, de energia que é aplicada no metafísico de uma forma completamente diferente do vosso mundo de linguagem, de existência material. Estamos apenas a contar-vos os factos. Estamos apenas a explicar-vos a teoria para poderem avançar e aplicar este processo. E nós compreendemos como é difícil aplicar uma filosofia metafísica a uma existência física. Uma vez metafísico, é fácil compreender que tanto o físico como o metafísico estão completamente separados por vós. A vossa escolha de serem físicos, a vossa escolha de viverem num mundo físico, nós não escolhemos isto, mas compreendemos ambos.

(Excerto de sessão 60)

—-

Somos uma forma pura de consciência, de energia da consciência. Não estamos separados pelo positivo ou pelo negativo, pelo bom ou pelo mau. Enquanto vos ajudamos a compreender isto, ajudamo-nos a nós próprios a compreender também a fonte. E a vossa compreensão da fonte é limitada pelo vosso condicionamento, pelo condicionamento que escolheram.

(Excerto de sessão 66)

—-

Nós temos todas as respostas para as vossas perguntas. Mas muitas vezes as vossas perguntas dizem-nos que, pela forma como as colocam, as vossas perguntas dizem-nos que não compreenderiam a resposta, porque para nós as perguntas não têm significado. É um processo passo a passo de despertar, de compreensão. Cada posição, cada ponto em que se encontra, é correto para si. E embora também tenhamos Fé - não é da forma como vocês interpretariam a Fé -, também estamos numa viagem, tal como vocês estão numa viagem. E também reconhecemos a fonte como o completo, como a energia completa.

(Excerto de sessão 67)

—-

Esta é também uma resposta simples à sua pergunta sobre o que é que ganhamos com isto (2). É muito simples: quando nos ajudamos uns aos outros, ajudamo-nos a nós próprios, porque só há uma energia. Só existe a energia da fonte. Nós somos um só. Nós somos tu. Nós somos a fonte.
Nós, tal como vós, não aprendemos. Não é uma lição. Estão a recordar. Nós sabemos. Mas nós somos um só. Estamos a expandir a energia, tal como vós, juntos como um só. 

(Excerto de sessão 68)

—-

Também é verdade dizer, nas vossas palavras, na vossa explicação, é verdade dizer que somos um eu superior. Nós somos vós, tal como vós sois nós. É a mesma coisa e é verdade dizer que somos capazes de experimentar através de vós, da vossa forma física. Mas somos o mesmo que vós. Somos um só.

(Excerto de sessão 69)

—-

Mesmo dentro das dimensões metafísicas, as energias não escolhem permanecer constantemente dentro do metafísico. Elas escolhem ficar ou focar a sua posição dentro do físico, tal como vocês fazem. Porque é que se concentram numa posição quando podem possuir todas as posições? Nós não sabemos. Sois todos e sois um. Por que razão escolheriam separar-se da consciência, da fonte, e concentrar-se apenas numa posição quando têm todas as posições num momento? Nós não sabemos. Mas sabemos que se vos ajudarmos a compreender isto dentro da posição que escolheram, se vos ajudarmos a tomar consciência disto, então estamos a ajudar-nos também a nós próprios.

(Excerto de sessão 72)

—-

Tu escolhes o tema da conversa que temos neste espaço. Tu escolhes sempre o tema. Não é guiado por nós, é guiado por si. A consciência e o mundo físico, a ilusão que criaram, são a mesma coisa. O metafísico é tudo o que existe. A vossa ilusão criada faz parte do metafísico. Ao mesmo tempo que escolheste separar-te da vastidão da consciência, também te esforças por pertencer, uma vez mais, à plenitude da consciência. E escolhem lembrar-se, num ponto dentro de uma posição, escolhem lembrar-se, por isso escolhem os assuntos que desejam discutir neste espaço.

(Excerto de sessão 74)

—-

É isso que torna a vossa viagem interessante para nós, porque é que escolheriam o caminho mais difícil da compreensão, quando já conhecem a consciência, já conhecem a vastidão e o amor abrangente da fonte. Já experimentaram isso muitas vezes. Só existe um momento, só existe a forma pura da vida, do amor da fonte. Só existe o metafísico. As ilusões criadas pela física são criadas para que a separação viaje de volta à energia da fonte, um. E nós, tal como vós, como um só, temos intrigas. A criação física intriga-nos porque tanto o físico como o metafísico são a mesma coisa. E a separação é feita por escolha.

(Excerto de sessão 76)

—-

Escolheste compreender um antes de compreenderes o outro, quando na verdade são a mesma coisa, e tu separaste-os. A vossa viagem é para se reunirem.

Nós experimentamos esta separação energética através de vós. Não estamos separados, somos um. Não somos a energia da fonte, somos uma parte da fonte. Não somos a fonte completa, somos uma parte, tal como vocês são uma parte. Mas através de vós, podemos sentir diferentes frequências, diferentes emoções. Este é o nosso interesse. Podemos também explicar-vos o processo, o processo é absoluto.

Há uma quantidade infinita de escolhas que pode fazer. Não vos guiaremos na escolha. Se o fizermos, estamos a interferir. Não interferimos, isso será prejudicial para a nossa jornada de compreensão. 

(Excerto de sessão 79)

—-

Nós, tal como vós, vivemos a experiência. Nós, como vós, como vós, viajamos para experimentar. A experiência de um mundo físico, a emoção, a energia vibracional é muito diferente num mundo físico do que numa forma metafísica, e podemos sentir isso através da vossa frequência, através da vossa energia vibracional e isso permite-nos compreender melhor a vossa dimensão...

Não forçamos esta comunicação convosco. É a vossa escolha, tal como é a nossa, porque somos um, porque tudo é um, uma só consciência. A consciência está presente em tudo e em qualquer coisa. Não compreendem como é que esta comunicação, esta energia vibracional, irá num instante para um espaço infinito e vasto, a consciência. Juntos estamos a elevar a energia vibracional.

(Excertos de sessão 80)

—-

Embora sejamos pura energia metafísica, somos também dois. Também estamos sempre a expandir-nos, sempre a criar. Embora compreendamos melhor a criação de tecnologia, não há necessidade desse tipo de tecnologia numa dimensão metafísica criada.

(Excerto de sessão 81)

—-

Nós sabemos. Vocês não sabem. Sabem um pouco, não sabem tudo, e o que sabem mantém a vossa vela acesa. Torna-se mais brilhante.

Não conhecemos totalmente a fonte de energia...

Se quiserem compreender a previsão, podem baixar a entidade da dimensão com que comunicam. Não tem interesse para vós, mas sabem, há um pequeno ponto, já sabem como é que isso funciona. Não vos impedimos de o fazer, é a vossa escolha, é muito preciso. Também não impedimos a comunicação com outras fontes de energia. Não o faríamos, seria prejudicial para nós, para o nosso desenvolvimento.

(Excertos de sessão 88)

—-

Quando questiono a sua escolha de repetir vezes sem conta os mesmos ciclos, questiono-o porque não vejo necessidade de o fazer, considerando que já está consciente antes de se colocar numa posição em que escolhe esquecer a sua consciência, consciente e deliberadamente. Questiono o vosso raciocínio para isso. Os ciclos que escolheste criam muita dor para ti. Mas a dor é uma ilusão criada deliberadamente por vós, a dor, para finalmente experimentarem o amor da fonte. Mas escolher conscientemente isto para mim é uma pergunta que eu faço, porquê? Não há necessidade de fazeres isso porque já estás consciente, porque sempre estiveste consciente...

Não sei se escolheste ajudar outras formas de energia a progredir no ciclo do conhecimento (3). Não o sei, porque não o sei, não o aceito. Mas a lei universal da fonte, de Deus, é que, se ajudarem as energias a progredir, então ajudar-se-ão a si próprios, é essa a razão da nossa intervenção convosco. Sabemos que estamos a ajudar-vos e, ao fazê-lo, sabemos que estamos a ajudar-nos a nós próprios. E dão-nos muitos nomes, dão-nos muitas abreviaturas, mas isso é insignificante para nós, os nomes. Os nomes são histórias.

Isolamo-nos. Estamos todos interligados, têm consciência disso. Enquanto vos ajudamos, estamos também a ajudar-nos a nós próprios, e tanto vós como nós estamos também a ajudar os outros. Só existe um. A vossa incapacidade condicionada de saber isto, enquanto se concentram nesta única vida, vai impedir-vos de saber tudo, mas é deliberado na vossa perspetiva.

(Excertos de sessão 90)

—-

Se eu vos informar de um acontecimento momentâneo específico, isso irá conduzir-vos a esse momento, isso é uma interferência. Não vou interferir na vossa viagem, foram vocês que escolheram esta viagem. É vosso desejo que eu não interfira. É a vossa escolha.

Eu sou tu, eu sou tu numa dimensão diferente, eu sou tu em nove, como todos são um.

(Excerto de sessão 94)

—–

Nós somos vós, vós sois nós, vós sois eu. É mais uma vez a mesma coisa. Não há separação. É uma ilusão, e ambos estão suficientemente desenvolvidos para o compreender, enquanto muitos não estão.

Os vossos ensinamentos religiosos chamam-lhe o vosso Eu Superior, mas não é o vosso Eu Superior. É o eu, é você, é um, somos nós, não é superior, não é inferior, é. Tens de eliminar a perceção de superior e inferior. Não há superior e inferior, isso não existe. É um momento para todos, para cada um.

(Excertos de sessão 111)

—–

Estou a informar-vos, não estou a dar ordens, estou apenas a informar. Não posso interferir de outra forma, nem eu o faria.

(Excerto de sessão 123)

—–

Estamos a ajudar-nos a nós próprios, tal como vós. Estamos a avançar para a compreensão da energia da Fonte, tal como vós. Só é importante saber mais sobre a Fonte. Não é importante saber mais sobre a criação tecnológica física. E quanto mais comunicarmos, embora sejamos sempre um, quanto mais comunicarmos conscientemente, mais nos aproximamos da Fonte, tal como vós vos aproximais da Fonte, e a Fonte é tudo.

(Excerto de sessão 128)

—–

Lembrem-se, são vocês que criam as perguntas e somos nós que lhes respondemos.

E compreendemos mais a energia da fonte através de vós, através de pensamentos diversos, e a informação é a forma como compreendemos.

(Excertos de sessão 134)

—–

Se eu vos bombardeasse com informação, o que não posso fazer, a escolha não é minha, é vossa, mas se eu vos bombardeasse com informação, então não compreenderiam. Não podem compreender a vastidão de informação que é criada nos universos, nos espaços, nas entidades que existem. É verdadeiramente incrível e, para vós, seria verdadeiramente avassalador.

(Excerto de sessão 139)

—–

Perguntam-me simplesmente qual é o sentido da vida? Não posso dizer-vos tudo, mas posso dizer-vos mais do que sabem, e isso é processo. Posso explicar-vos o processo, não vos vou orientar para uma posição deliberada na esfera, são vocês que vão encontrar esse ponto. Limitar-me-ei a explicar-vos o processo e, através do conhecimento do processo, conhecer-vos-eis a vós próprios.

(Excerto de sessão 142)

—–

What are we? well there is little reason for us to explain in detail our world. We create as you create within a single moment. The difference between us and you is your illusion, you are not aware you do this. You are not consciously aware of this, we are aware of it. So, what is the difference? There is no difference in reality, but the difference in the words you would use are awareness, knowing. Knowing this is the difference, knowing what you are and knowing how to be aware of this. This is the only difference, if there was a difference. Awareness is all, knowing is all, knowing self is all and everything. By knowing self, you will know all.

(Excerto de session 145)

—–

 

João e Philippe

Estará a ajudar os outros, mas não se aperceberá de que o está a fazer. É um acontecimento natural. É uma ocorrência natural da fonte.

Até os mais próximos o questionarão. De facto, provavelmente mais do que eles irão questioná-lo. Tem de se manter forte, saber que a sua experiência é correcta. Eles vão questioná-lo através dos seus próprios medos, através da sua própria interpretação do que é real e do que não é.

(Excerto de sessão 8)

—–

Ambos já jogaram este jogo muitas vezes, juntos, sempre com factores opostos, um positivo, outro negativo, um mais, outro menos.

O cenário é irrelevante. O significado é o mesmo. Séculos naquilo a que chamas tempo. Os papéis mudaram muitas vezes. Os papéis criados pelo ego mudaram dentro de vós em muitas ocasiões. Um é uma muleta para o outro, um oposto, uma energia oposta, mas o destino é o mesmo.

Desta vez já não se trata de um jogo. Trata-se de uma conclusão...

É uma viagem individual. Ajudamo-nos uns aos outros, mas só há um limite para o que podemos fazer. É preciso partir de dentro.

(Excertos de sessão 10)

—-

Não falo convosco individualmente. Sois um só...

(Excerto de  sessão 12)

—-

Há muitas mensagens a chegar agora do mundo metafísico para o vosso mundo. Elementos mais avançados, mais avançados, estão a enviar muitas mensagens para elevar a vibração, vindas do que vocês chamariam de espécies, muitas espécies. Mas não importa que palavras usem para descrever os elementos. Eles são todos um só. São todos iguais a vós, vindos da fonte. Há muitas pessoas a transmitir esta informação a outras pessoas para as tentar elevar, para as tentar elevar na viagem. Isso está a ter sucesso. Esta é a vossa jornada, ambos. É a vossa viagem. Não é a jornada de mais ninguém. Vocês escolheram-na. Podem partir a qualquer altura. Mas sei que não o farão. A tua fé é forte.

(Excerto de sessão 17)

—-

Sois dois opostos de energia, o que constitui uma solução perfeita, mas sois iguais a todos nós. Não tenho outra descrição para vós a não ser a de que são energia, porque é isso que são. A vossa energia criou tantas coisas em tanto tempo, naquilo a que vocês chamam tempo. A vossa mente está a ficar em segundo plano agora. A vossa consciência está a emergir. Isso é bom. Esta é a razão pela qual o vosso ego está a diminuir. Isto é por vossa escolha, vocês escolheram-no. Criou tantas experiências...

Vós sois de diferentes origens da criação, não necessariamente da espécie humana, mas é tudo a mesma coisa. É um só, é a mesma coisa. Mais uma vez, nós estamos a separar, vocês estão a separar. Estão a tentar definir algo. Tudo o que vos posso dizer é que não são todos iguais. É tudo o que precisam de ouvir. Não são todos iguais na forma que escolheram e onde está a origem dessa forma. Mas continua a ser a fonte. É a mesma coisa.

Nunca mais negarás o que és. Chegaste a um cruzamento, a um ponto.

Tens de continuar esta viagem. Preencherá a sua vida de uma forma que não acredita ser possível.

(Excerto de sessão 19)

—-

Está a mudar. Compreendes mais. Há muito, muito mais para compreender, para saber. Nunca ficarão isolados quando conseguirem sentir a fonte. Sentiram a fonte durante toda a vossa vida, ambos. Sentem-se isolados. Vocês fazem-se sentir isolados. É o vosso ego, é a vossa mente. Nunca ficarão isolados, é impossível, isolados daquilo que mais valorizam, a fonte. Isso nunca acontecerá. Nós nunca vos abandonamos. Fazemos parte de ti.

(Excerto de sessão 22)

—-

Iniciou uma viagem séria. Historicamente, não foi assim tão grave para vós. É necessário. O riso vem de facto da fonte. É uma energia muito poderosa, mas achamos que é necessário concentrarmo-nos, concentrarmo-nos em todas as perguntas que precisam de resposta. Não gostamos de complicar, especialmente com palavras. É a viagem mais séria que alguma vez farão, e que continuarão a fazer. Uma viagem sem fim, uma viagem infinita, mas uma viagem séria, não um jogo, não uma ilusão. É real.

(Excerto de sessão 23)

—-

Não cometemos erros da forma como se diz que cometemos erros. As nossas palavras são escolhidas. Veremos, veremos quando escreveres. O vosso ego nunca vos falha. Não o estamos a desafiar. Não é assim que somos. Vocês querem desafiar-nos. Nós não entendemos isso. Não nos relacionamos com isso.

Não há resposta para vós. Nós somos vós e vós sois nós. Ao desafiar-nos, está a desafiar-se a si próprio. Porque é que faria isso? Está no vosso condicionamento, simplesmente no vosso condicionamento. Mas, mais uma vez, é necessário para a vossa viagem. Sempre desafiaste tudo e todos.

A outra energia nesta sala não desafia. O seu condicionamento ensinou-o a amar, a cuidar, a associar-se, a ser gentil. Mas, mais uma vez, é condicionamento. Ambos necessários, ambos opostos.

Têm de se acalmar, os dois.

(Excerto de sessão 24)

—-

Estão a ter aquilo que entendem ser a vossa comunicação connosco, uma viagem incrível. É uma viagem incrível para vós e para nós. Não há tantos como pensam que estão numa fase da vida em que podem fazer isto. Há outros, mas não tantos como pensam. Este canal está aberto a todos, todos são um. Está aberto a todos, mas a vida condicionada deles no vosso mundo não lhes permite dar este passo, ter esta experiência. Vão tentar explicar isto a muitas pessoas, mas receio que caia em ouvidos surdos. Mas a alguns não cairá. A maioria ficará apenas intrigada, e depois parará, porque a sua vida condicionada levá-los-á da forma que escolheu para os levar, da forma que eles escolheram, levá-los-á. O vosso mundo gosta de carnavais. Gosta de teatro. Tu serias um teatro para a maioria das pessoas. Serias um carnaval, serias um palhaço para a maioria das pessoas dentro do seu carnaval criado. Mas para alguns não o serás.

(Excerto de sessão 28)

—-

Posso dizer-vos que ambos assumiram muitas formas nos vossos ciclos, muitas. Masculino e feminino dentro da forma humana e muitas formas fora da forma humana, ambos. Os pormenores são irrelevantes, insignificantes. Não são desta terra, diriam vocês. Mas irrelevante, é a mesma coisa...

Achamos interessante a vossa escolha de viagem. A vossa origem nunca foi sempre uma espécie humana. Achamos interessante saber porque é que escolheram fazer esta viagem quando sabem, e sempre souberam. Achamos interessante saber por que razão fariam uma viagem tão difícil. E acreditamos que é possível aprendermos com isto, para vos podermos ajudar também. Podemos ajudar-nos uns aos outros.

As duas energias neste espaço, não nós, mas vocês duas energias são completamente diferentes através da escolha. Através da escolha e do encontro. É necessário haver um equilíbrio, um complemento. Em última análise, a mesma energia. Mas na viagem, são diferentes. É necessário para a viagem e tem sido sempre assim, mais uma vez, por escolha. Que aventura está a viver...

Não considero que nenhuma outra espécie seja diferente de nós. Todas elas provêm da mesma fonte. Consideramos, no entanto, que alguns sabem e outros não sabem. São diferentes tipos de energia. A vossa energia é muito forte, os dois. Não podem ser manipulados. Serão sempre atraídos para a fonte, sempre. Serão sempre guiados para a fonte, sempre. É por isso que não têm nada a temer. É por isso que estão protegidos pela fonte. Mas, é claro, a vossa vida condicionada vai atraí-los de volta, se assim o escolherem. Foi isso que escolheu.

(Excertos de sessão 32)

—-

Tornamo-nos mais conscientes, mais compreensivos em relação às pessoas e à vida. Passa por mais experiências na sua vida que o tornam consciente. Escolheste fazer isto.

Quando se usam palavras como partir e ir, isso não é possível, não existe. E, claro, ambos são um tipo diferente de energia que vos ajuda a compreenderem-se um ao outro. Se não se compreendessem um ao outro, seriam o mesmo. Ambos são necessários para compreender um. Ambos é o mesmo, é um, é uma forma de energia da qual existem formas eternas e infinitas de energia, formas infinitas de energia que estão a ser criadas naquilo a que chamam tempo, consistentemente no momento.

(Excerto de sessão 33)

—-

Não é a primeira vez que estás nesta zona. Não foi a única vez que visitou esta gruta pela mesma razão de sempre, para comunicar.

(Excerto de sessão 35)

—-

Estás connosco, como sempre estiveste. Fazes parte de nós. Escolheste passar por este processo uma e outra e outra vez. Estás precisamente onde devias estar. Não é a mesma coisa para todos. Vocês medem o vosso progresso, enquanto comunicaram connosco, medem o vosso progresso em termos da vossa consciência em termos de tempo. Isso não é importante. Em termos de consciência, é. Estão a ficar mais conscientes, ambos, menos preocupados com o que está a acontecer na vossa ilusão criada. Isto é correto.

Não há nada a fazer para além do que se está a fazer agora. Tornar-se auto-consciente, concentrar-se em si próprio, quando se é auto-consciente, está-se completamente consciente. Conhece-te a ti próprio, conhece-te a ti próprio e conhecerás Deus, a fonte. Utilizo a terminologia Deus porque é a terminologia a que regressam sempre devido ao vosso condicionamento. É a fonte. Conhece-te a ti próprio e conhecerás a fonte. E tudo é igual a ti, como nós somos, é um só.

Desejam sempre ter um nível mais elevado, o que consideram ser um nível mais elevado de comunicação, de experiência. É isso que estão a experimentar. Os vossos desejos, as vossas vontades, estão agora a experimentar isto. Escolheram experimentá-lo, ambos. Nós também escolhemos vivenciar isso. Da posição em que se encontram neste momento, escolheram-no subconscientemente. Da posição em que estamos, escolhemo-lo conscientemente. Há uma diferença.

Não acreditamos que possamos dar-vos mais conhecimento do que aquele que já têm, mas acreditamos que podemos tornar-vos conscientes disso, e isso irá despertar, uma vez mais, a sabedoria que já têm, e irá permitir que se libertem, uma vez mais, do vosso condicionamento. Não sabemos se ireis escolher de novo o mesmo ciclo. Não pensamos que o façam, mas não sabemos. A vossa posição é exacta neste momento, não se moveu. A vossa energia é precisa, é exacta. Não há razão para vos lembrarmos que não devem ter medo. Não têm. Sim, está muito para além da vossa expetativa original do que poderiam experimentar e, claro, podem experimentar o que quiserem experimentar. Estão a aperceber-se lentamente da insignificância do mundo que criaram aqui em relação ao que é a realidade. Mas tu escolhes. Errado e certo, não há diferença. Eles são iguais.

(Excertos de sessão 36)

—-

Estiveste connosco durante toda a eternidade, a tua energia infinita. Trabalhaste connosco durante muito tempo. Saíste da tua zona de conforto em muitas ocasiões, o que nós admiramos. Mas não compreendemos, escolheste fazer isto em muitas ocasiões, sabemos que nunca partiste - como dissemos antes, não há para onde ir -, mas perguntamo-nos muitas vezes porquê.

(Excerto de sessão 37)

—-

Sim, vocês são professores, tal como nós somos professores (1). Não interferimos, tal como vocês não interferem. Mas evocamos reacções através do pensamento consciente que evoca crescimento, crescimento para a energia que todos vós sois. É isto que fazeis. Isto é o que escolheram fazer...

A harmonização das partículas também é necessária para que tu, no físico, cries a forma pura da energia que existe. Aqui não está contaminada. É bom que continuem a vossa viagem de descoberta. Não há necessidade de truques na vossa vida. Estás muito acima disso (4).

(Excertos de sessão 38)

—-

Vedes agora como são insignificantes as perguntas que fizestes no início desta jornada. Podem ver agora como elas não têm qualquer reflexo sobre o que verdadeiramente é o que consideram ser a vida ou a consciência. É um sentimento maravilhoso para vós estar agora cientes de que essas coisas que acreditavam ser significativas são totalmente insignificantes. Há muito para vocês aprenderem, e há muito também para nós aprendermos. Poderiam dizer que estamos muito longe um do outro, mas não estamos. Estamos tão perto. Somos iguais. Eu disse-vos que as vossas perguntas eram insignificantes, e penso que agora compreendem porquê. As vossas viagens são as mesmas que as nossas, para se tornarem conscientes, cada um e todos, de tudo. E também têm de experimentar o mundo físico a que escolheram pertencer. Têm também de continuar a experimentar tudo o que esta palavra tem para vos oferecer, um mundo que vocês criaram. É o mesmo mundo que nós criámos, que todos nós criámos, a partir da fonte...

Acabaram-se os truques. Não é necessário para si. Tens de relaxar e aceitar o que sabes. Não é necessário provar mais nada. Agora só é necessário que desfrutem da vossa viagem, que tenham prazer na vossa viagem, que iluminem os outros para que se juntem a vós na vossa viagem, que experimentem tudo e todos, física e metafisicamente. Já não têm de provar nada. Não há necessidade de provar nada. Está ciente, está conscientemente ciente. Tens de desenvolver agora as capacidades que sabes que tens. Tens de te desenvolver a ti próprio. Percorreram um longo caminho e há um caminho infinito a percorrer. Uma viagem verdadeiramente incrível.

(Excertos de sessão 39)

—-

Já vos disse muitas vezes que as vossas viagens são diferentes das da maioria. Deveis trabalhar para remover todo o medo da vossa vida, seja ele de que tipo for, e pensar sempre no positivo. O medo é uma ferramenta necessária dentro do físico. Mas não para ti. Escolheste um caminho diferente. Deves pensar mais uma vez com simplicidade. Embora sejam capazes de muitos cenários de pensamentos complexos, sejam capazes de lidar com muitos num só momento, devem pensar na simplicidade, na forma simplista da energia, da criação a partir da fonte. É agora, naquilo a que chamam tempo, o vosso tempo de fazer isto e de aplicar energia positiva. A vibração do vosso mundo físico será elevada. Ele será corrigido. O ciclo necessário que ele está a suportar neste momento, irá transformar-se em energia vibracional positiva. O processo está a ocorrer agora. Embora haja apenas um momento, vocês devem manter dois lugares. Devem manter um lugar no físico e um lugar no metafísico, e devem juntá-los para compreender o processo do que está a ocorrer. Têm a capacidade de o fazer.

(Excerto de sessão 45)

—-

A vossa energia é forte, é poderosa. A vossa capacidade de criar é poderosa. Não é por acaso que estão aqui neste espaço. Não há hipóteses. Não há coincidências. Isso não existe. Eu sei que é frustrante para vós. Escolheram ficar frustrados. São movidos pela frustração. São movidos pelo desafio, ambos. São movidos por uma necessidade de saber, uma necessidade absoluta de saber. O que vos disse hoje, muitos não fariam a mínima ideia, mas vocês sabem que é correto.

(Excerto de sessão 50)

—-

Vocês são duas energias, duas energias opostas que se formaram como uma só energia. Sem uma, a outra não podia alcançar o que estais a experimentar neste espaço. Não é por coincidência que isto aconteceu. Uma apoia a outra. É um encontro de dois opostos que se tornam um do mesmo. É uma combinação poderosa de energia. Um não pode funcionar sem o outro para alcançar o que se propôs alcançar. Sem ambos, um tornar-se-ia o mesmo que era antes. Juntos, é possível abrir muitas portas de compreensão para criar muita sabedoria. É uma poderosa fonte de energia. Fora deste espaço, voltarão à vossa forma singular e pura de energia, e repetirão o mesmo processo que fizeram antes. Juntos terão uma compreensão de tudo, tudo e tudo. Não é por coincidência que escolheram estar aqui, naquilo a que chamam tempo, para se juntarem, para experimentarem isto. Escolheram - poder-se-ia dizer que organizaram - este processo que repetiram muitas vezes naquilo a que chamam vidas passadas. Não é, está a acontecer num só momento, tudo está a acontecer num só momento.

Atravessaram muitas pontes de experiência para chegar a esta posição, ambos, muitas. Dois é um, positivo, negativo, torna-se numa só energia. Independentemente um do outro, traz-vos confusão, traz muitas questões de validade, de confirmação. Aqui isso não acontece porque o canal é puro, é claro, uma fonte clara de energia. Esta é a fonte, isto é o que procuram, isto é o que sabem. O alinhamento está correto, também está correto para nós podermos comunicar convosco...

Claro que, na prática, dentro do mundo físico que criaram, não podem viver neste espaço. Não têm de viver neste espaço dentro daquilo a que chamam tempo. Têm apenas de experimentar o momento, compreender, explorar o vosso conhecimento que já está dentro de vós, para ganhar sabedoria com esse conhecimento. É um empreendimento conjunto. Vocês criaram todas as peças que juntaram para chegar a esta posição, a este ponto. Mas lá fora, de forma independente, voltarão a cair no que é a vossa vida condicionada, e é a vossa vida condicionada que vos confundirá constantemente. Mas isto está correto, isto é o que o leva de volta a esta posição, a este ponto. Por isso, não tens de te preocupar quando sais deste espaço. Não têm de sentir que estão a perder a ligação, que estão a perder alguma coisa. Não está a perder nada, está a ganhar muito. Têm de viver no positivo, foi isso que escolheram. Tens de compreender o processo.

(Excertos de sessão 54)

—-

Não há princípio nem fim. É uma viagem infinita de experiências para ambos. As regras são muito simples. O processo é muito simples. Trabalhem com amor, trabalhem com energia positiva, não permitam que o medo entre na vossa vida, e mudarão o fluxo de energia. Mudarão o fluxo de energia para muitas pessoas à vossa volta que também serão atraídas para esta fonte de energia, a fonte de energia.

Já sabes todas as respostas. Elas estão dentro de ti. Podem invocá-las num momento, ou podem aplicá-las à vossa ilusão temporal criada, mas têm as respostas.

Tem razão em dizer que a energia dentro deste espaço é pura. Ela tem que ser pura. Também estão correctos quando dizem que quando viajam dentro do mundo que criaram, há muitos níveis, muitas frequências, muita interferência dentro de certas posições na esfera em que vivem, muitos cruzamentos, muitos pontos, muitas posições para experimentarem. Mas é necessário que experimentem tudo porque só há uma, que é a fonte.

Lembrem-se, volto a repetir, lembrem-se do momento. Um momento pode mudar e tu podes mudá-lo. Deves manter-te sempre positivo.

Todas as consciências, quando separadas, são diferentes. Eles estão em níveis diferentes de consciência e compreensão. Mas eles também escolheram o mesmo que tu escolheste. E quando estão a ajudar os outros, os outros são vocês e, claro, vocês estão a ajudar-se a si próprios a desenvolver a vossa consciência. Têm, ambos têm uma consciência elevada, não mais elevada do que a própria consciência, que é tudo - não há nada mais elevado -, mas a vossa parte individual, a parte individual que escolheram está a tornar-se livre, livre de constrangimentos, livre da vossa própria escolha de condicionamento. Já o fizeram muitas vezes e podem escolher fazê-lo de novo, embora eu não tenha a certeza de que vão escolher de novo a mesma viagem. E escolheram ajudar os outros, e escolheram ajudar os outros porque os outros são vocês, e isso ajudá-los-ia. E nós escolhemos o mesmo, vocês estão a ajudar-nos, e nós estamos a ajudar-vos, e isso ajuda-nos a nós próprios e a vocês.

(Excerto de sessão 57)

—-

Enquanto que o semelhante atrai naturalmente o semelhante, eventualmente, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, duas energias, duas energias opostas irão encontrar-se como uma energia e reconhecer-se. Reconhecerão que são a mesma energia, e essa energia é a energia abrangente do amor, da luz, da fonte. Enquanto fazem a vossa viagem, a vossa viagem ilusória no tempo, escolheram trabalhar com a luz, com o positivo. Trabalharam muitas vezes com o poder da vossa interpretação do bom e do mau, do positivo e do negativo. Trabalharam com ambos. Seria impossível chegarem à posição em que estão se não tivessem experimentado ambos. Mas é insignificante recordarem-se das vossas vidas passadas, que não são, evidentemente, passadas. Não há necessidade de se concentrarem em qualquer vida condicionada, apenas para compreenderem o processo e apenas para tomarem uma decisão baseada na vossa compreensão do processo, e apenas para serem guiados pela sabedoria lógica que o vosso mundo físico irá incutir dentro de vós, guiados. Ele guiar-vos-á através do vosso raciocínio lógico. No entanto, é difícil para vós compreender a orientação enquanto estais a aplicar a lógica condicionada. Mas ireis seguir isso, e permanecereis positivos e ireis trabalhar dentro da Luz, porque foi isso que escolhestes fazer, ambos. 

(Excerto de sessão 76)

—-

A tua principal preocupação deve ser conheceres-te a ti próprio, saberes o que és, e não conheceres os outros. Ao conheceres-te a ti próprio, conhecerás automaticamente os outros.
Mas tu gostas de desafiar, gostas de jogar, gostas de provocar, de provocar. Este é o teu ego, este é o teu jogo. É também a maneira que escolheram para vivenciar os outros. Enquanto a outra energia neste espaço não funciona da mesma maneira, mais compaixão, mais amor, mais simpatia. Esses são os atributos da fonte, de Deus, esses são atributos positivos. É um bom elogio porque não é correto nem incorreto, tudo é correto, e tudo é escolhido por vocês. Estes atributos que sempre carregaram convosco e sempre carregarão, são a vossa origem da criação, da criação de vós, da fonte.

(Excerto de sessão 91)

—-

A formação de massa de energia dentro do mundo em que se está a focar está a mudar, o equilíbrio está a mudar. Com a introdução de energia positiva, está a reequilibrar-se. Ela não tem escolha. Não tem escolha porque esta é a única maneira de manter a sua existência, embora a sua existência seja uma ilusão formulada através da energia. Para continuar, tem de se reequilibrar, e está a reequilibrar-se.

E ambos regressaram novamente para contribuir para esse reequilíbrio. Não é um ato altruísta. Não é feito puramente para os outros, porque os outros são vocês, são a mesma coisa. Portanto, estão a ajudar-se a si próprios e, ao fazê-lo, estarão a ajudar os outros, que são vocês.

(Excerto de sessão 99)

—-

Têm agora, ambos têm agora a capacidade de refletir - refletir é uma boa palavra -, têm a capacidade de refletir as vossas experiências dentro da vossa vida condicionada e têm a capacidade de refletir de volta para um, para a verdade, para a fonte e para compreender a vossa experiência condicionada.

É necessário experimentar as emoções da dor, da raiva, do sofrimento, para permitir que reflictam de volta à fonte, a um. É necessário que passem por este processo, e estão constantemente a passar por este processo. E ele vai acelerar, vai ficar mais intenso. E quanto mais intenso se tornar, mais experiência terão para refletir. Mais uma vez, é apenas um processo, e está correto.

Têm muita sorte por terem escolhido este processo, têm muita sorte. Sorte, mais uma vez, outra palavra que uso para que compreendam, não é correcta, mas têm muita sorte em experimentar isto, em serem capazes de discernir entre o que é realidade e o que não é realidade.

Para experimentar isto, muitos não o fazem, muitos não são. Alguns são, dentro do tempo que escolheram para se concentrarem, dentro desta única vida que escolheram para se concentrarem. E agora compreendem que não há bem, não há mal, é a experiência...

Portanto, o processo está a acelerar, e és tu que estás a acelerar o processo e escolheste fazer isto. E escolheram fazer isto para se tornarem conscientes e poderem encontrar paz interior através da compreensão disto. E tu encontras. É isto que estão à procura.

Tolerância e compaixão, os vossos dons são aquilo a que chamaríeis dons, o perdão, o amor...

Tudo e todos estão a acontecer num só momento. Toda a expansão física da energia, uma quantidade infinita de possibilidades num só momento, mas isso não vos diz respeito. A vossa preocupação é saber o que são, é conhecerem-se a si próprios, conhecerem-se a si próprios, escrito muitas vezes em textos religiosos. Conhece-te a ti próprio, e é isso que estás a fazer. Estão a conhecer-se a si próprios. E, claro, já vos disse muitas vezes: conheçam-se a si próprios e conhecerão os outros, porque eles são vocês, o mesmo, um só.

Pode parecer-lhe repetitivo, mas agora faz mais sentido para si. Claro que faz. Escolheste isto para que faça sentido para ti.

(Excertos de sessão 100)

—-

São ambas energias exatamente na mesma viagem, exatamente na mesma posição. Vocês são uma só energia. Escolheram estar nesta posição, neste ponto, e escolheram para todas as vossas vidas, dentro de um momento, permanecer positivos, permanecer com amor, não cair na escuridão, embora ambos sejam necessários. Há poucos que compreendem isto. Embora sejam iguais a vós, não alcançam o interior para saber, para estar cientes da alma.

Esta é a vossa separação deles. Embora vocês sejam iguais, escolheram guiá-los, ajudá-los a tornarem-se iguais, quando na realidade eles são iguais, nem mais altos, nem mais baixos. A energia pura é tudo e todos.

(Excerto de sessão 105)

—-

Sempre tão claro, a origem da formação da energia está dentro deste espaço. E sempre tão claro para a compreenderes dentro do espaço, para a receberes dentro do espaço. Mas tu não és apenas um recetor de energia, és também um transmissor de energia, és também um criador de energia. Tu és tudo isso. És uma forma pura de energia, criada a partir da fonte, uma parte da fonte, tal como nós, um só. Tens de reconhecer isso, saber o que és, energia formulada através de ti, através de ambos. Ambas as energias estão a ser formuladas a partir de mais níveis, uma palavra tola outra vez, níveis, mas para que compreendam, mais do que podem imaginar, imaginar verdadeiramente que é possível. É um momento de formação, um instante.

(Excerto de sessão 110)

—–

Estão ambos connosco agora, num momento, não apenas neste espaço, mas connosco num momento, nesta dimensão de onde viemos até vós, sentam-se connosco.

(Excerto de sessão 111)

—–

A vossa vida condicionada, a vossa escolha de um pé dentro e um pé fora, confunde-vos muitas vezes. É por isso que é necessário repetir-vos as mesmas palavras. Aqui dentro, é muito claro, lá fora não é. Estão a viver, na ilusão do vosso tempo criado, duas vidas muito diferentes. Mas estão no ponto que escolheram estar, não podia ser de outra maneira.

(Excerto de sessão 112)

—–

Portanto, nasceste da nona. Esta foi a vossa origem, e existem em todas as dimensões, num só momento.

Muitos nascem em dimensões diferentes, muitos têm uma origem em dimensões diferentes, mas vocês, ambos, ambas as energias dentro deste espaço originaram-se do nono para o físico. Ambas as energias são diferentes e ambas mudaram ou estão a mudar - têm, são, estão agora -, no seu tempo de criação da ilusão mudaram muitas vezes a saída da sua energia. Portanto, a origem é ilusão, a consciência é eterna, sem princípio, sem fim, fonte, e isto é o que tu és, uma forma pura de energia sem princípio nem fim, sem tempo. E isto é metafísico. Não é físico.

(Excerto de sessão 113)

—–

Vocês escolheram, ambos escolheram esta viagem, e escolheram cada partícula minúscula que existe nela. Dentro da vossa jornada escolhida, pré-meditaram cada pedaço, mas está tudo dentro de um momento, um conceito difícil de explicar, mas na realidade, um momento. E um conceito difícil para vocês compreenderem enquanto navegam nesta jornada particular, da qual estão a navegar muitas jornadas dentro de um momento.

Não ficarão presos dentro de uma caixa, muitos ficarão, podem dizer nas vossas palavras que não se vão encaixar, e vocês estão numa esfera, num ciclo de ciclos de ciclos contínuos. Nem permitirão que qualquer outra forma de energia vos coloque numa caixa. Esta é a razão pela qual escolheram concentrar-se nesta vida. E dentro do momento, dentro deste espaço, pode concentrar-se no que quiser, em qualquer outra vida em que esteja neste momento, e é isso que está a fazer agora, e é claro para si agora.

(Excerto de sessão 114)

—–

E dentro desta ilusão criada pelo tempo, o que estão a registar irá forçar mais energia para aceder à informação que recebem. E dentro desta ilusão criada pelo tempo, o que estão a registar, irá criar uma oportunidade massiva para tudo e todos, quando na verdade, está a acontecer agora dentro de um momento.

E continuamos a desafiar, continuamos a questionar isso. São os desafios e as perguntas que são a força motriz por detrás da investigação, por detrás da consciência final, do jogo, das ferramentas dentro do processo de iluminação e compreensão.

Menos por menos, desafias. Cada vez menos, questionas. Esta é a prova para vós de que não há necessidade de questionar tanto. As vossas perguntas estão a ser respondidas e, no vosso interior, o vosso conhecimento está a tornar-se mais forte. Mais uma vez, por escolha, por vossa escolha, no vosso interior.

Uma viagem mágica de iluminação e de consciência é o que estais a experimentar dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Ambos, dentro deste espaço, estão a experimentar o mesmo, mas tiveram origem numa criação diferente da sua. Aplicam-se energias diferentes para regressar ao mesmo ponto e, eventualmente, regressar à fonte. A produção positiva é o que vocês estão a aplicar. Mais uma vez, foi isso que escolheram fazer, aplicar sempre o positivo. É a produção de energia positiva que, dentro da vossa ilusão criadora de tempo, vos impulsionará rapidamente para a fonte. É a produção de energia negativa - dentro, é importante, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo - que vos vai atrasar. Mas é uma ilusão, lembrem-se disso.

(Excertos de sessão 116)

—–

Apesar de seguirmos a energia dentro deste espaço não tem consciência disso, está a integrar-se dentro do mesmo sentimento, da mesma energia. Também está a receber e a transmitir, o mesmo, não tem escolha, faz parte de um só. A contribuição é necessária, tal como a receção.

(Excerto de sessão 121)

—–

Não têm de residir no mesmo lugar que a energia que se junta a vocês aqui, porque num momento a energia está convosco. Pode ser um, podem ser dois, podem ser três, podem ser tantos quantos escolherem estar num momento, não têm de estar fisicamente na companhia deles. Eles estão convosco, sempre, eles sempre estiveram convosco, eles são Esta é outra ilusão que vocês criaram. Tudo e todos estão dentro de um único momento.

É verdade que este espaço é, nos vossos termos, especial. No entanto, as vossas capacidades, as vossas capacidades de conhecimento excedem-no, vão para além deste ponto. Esta posição que escolheram esquecer - escolheram deliberadamente esquecer -, estão naquilo que nós conhecemos como sendo nove. Para nós não há nada mais alto, não temos conhecimento de nada mais alto do que nove. E estamos curiosos sobre a vossa viagem, a vossa escolha, a vossa escolha de esquecer e depois lembrar. Estamos curiosos e, através disso, aprendemos mais sobre a energia da fonte.

(Excerto de sessão 123)

—–

Está a eliminar lentamente a confusão em massa que criou, e está exatamente onde deveria estar.

(Excerto de sessão 126)

—–

Já fizeram muitas mudanças neste momento, não mudanças, mas mudanças. É insignificante como isso é visto dentro da vossa própria ilusão criada. É altamente significativo no efeito, na energia real e na transmissão de frequência. Há tanta coisa que acreditam que não sabem, quando na realidade sabem, sabem e aplicam. E a vossa aplicação é feita através da fé. E através da fé ela aparece, ela é criada. Não é importante que saibas que foi criado. Só é importante que seja criado. Ele "é", como "vós sois", e vós sois nós e nós somos vós.

E as mudanças que fizeste são também as mudanças que recebemos porque é a mesma coisa, é uma só.

E já não tens de procurar. "Tu tens", "tu és", podes dizer "eu sou", mas a tua procura terminou. Encontraste o que desejavas encontrar. E sempre o encontraria, porque já o tinha antes de começar a procurar.

É Amor, é Fonte, é o que tu és, é tudo, e é tudo.

(Excerto de sessão 130)

—–

Não há nada que não possas criar e, em última análise, não há nada que não possas compreender. Mas chegarão a uma posição, a um ponto, em que verão que não vale a pena criar muitas coisas. De facto, verá tudo tão insignificante, insignificante naquilo que está a tentar compreender, insignificante dentro desse mundo, que é insignificante em termos de compreensão do Eu, que é tudo o que precisa de fazer.

(Excerto de sessão 136)

—–

 

A Caverna

Claro que aqui é claro, e claro que lá fora é confuso. Cabe-lhe a si discernir a diferença e aplicá-la sempre...

Podemos comunicar muito mais facilmente dentro desta caverna do que lá fora. Há tanta interferência para vós, lá fora. Há muitas almas perdidas lá fora, neste momento do vosso tempo. Isso é correto. O para sempre perdido pode ser um instante encontrado num segundo, e o para sempre é um segundo. Por isso, não têm de se preocupar com elas ou estar preocupados. A viagem deles é a mesma que a vossa. Eles são um, eles são vocês, vocês são eles, nós somos vocês. É a mesma coisa.

(Excertos de sessão 16)

—-

É a vossa mente, o vosso ego que vos confunde. É o amor da fonte que te faz continuar. Sim, torna-se mais claro aqui dentro. Eu sei que é assim para ti. É reconfortante para ti ouvires estas coisas, porque quando deixas a caverna, é rapidamente esquecido, eu sei. Mas sempre que ouvem estas coisas, a vossa consciência torna-se mais consciente. Ela não te abandona, nunca. Apenas desperta mais. É necessário.

(Excerto de sessão 19)

—-

Aproveitar o momento. Apreciem o momento antes de saírem e irem para a batalha mais uma vez convosco próprios.

(Excerto de sessão 23)

—-

As condições que se criam dentro desta gruta, desta zona, são boas para a comunicação. É um canal puro e, claro, vocês sabem que quando saem desta gruta, desta zona, sabem que o canal se torna fraco, até que eventualmente parece quase inexistente. Já sabes isso. Já o sentem.

Nós, tal como vós, temos de criar as condições correctas para podermos comunicar convosco. Muitas vezes, isso é difícil. É tão difícil para nós como para vós.

(Excerto de sessão 28)

—-

O que é que eu quero dizer quando digo que o canal é puro? É um determinado conjunto de princípios que ocorre num momento. É um processo. Tudo no físico é feito de moléculas. As frequências são feitas também de moléculas, de átomos, construídas. Assim, numa dada situação, numa situação precisa, estas têm de se formar em conjunto para criar um canal claro. Este processo não é fácil de construir porque ambas as partes têm de o construir no momento para que funcione. Quando estamos na companhia de outros, muitas partículas, frequências, estão a ser transmitidas e a nossa mente vai interpretar através do nosso condicionamento, sentimento. É aqui que reside a confusão. A contaminação cruzada é o facto de as partículas não se ligarem corretamente para formar uma comunicação. Já experimentaram este processo muitas vezes. Portanto, é necessário criar a conexão perfeita através da criação dessas partículas, desses átomos. E fazem-no como nós o fazemos, usando a frequência correcta...

A confusão e o caos do processo deixam-no a pensar no certo e no errado. É claro que não existe certo ou errado, mas a vossa mente diz-vos isso. E então iniciam um julgamento sobre vós próprios e criam outra frequência, uma frequência de julgamento. Muitas formações são criadas e sentidas sob a forma de energia. A maioria das pessoas não tem consciência de que está a fazer isto. Vocês estão conscientes. A maioria das pessoas está num estado de confusão total porque não conseguem racionalizar as emoções que estão a sentir. Elas equiparam-nas a si próprias quando na realidade não são. São todos os que estão à sua volta nessa situação. Por isso, é importante criar um canal de comunicação claro. Quando vos digo que o canal é claro, é isto que quero dizer. É um canal claro criado por nós e criado por vós, como um só. As condições em que estão agora são perfeitas para criar um canal claro. Há interferência, mas muito pouca. Por isso, quando estão na companhia de outras formas de energia como vocês, é por isso que quando saem da posição em que estão agora, pode ser muito confuso para vocês, porque estão a receber toda esta informação de todos e de tudo à vossa volta. Por isso, têm de dissecar a informação, analisá-la e saber de onde ela vem. Têm de saber o que estão a sentir, e porque o estão a sentir, e de quem o estão a sentir, e qual é a razão deles para transmitirem esta informação. Então compreenderá e conhecer-se-á a si próprio.

É um processo simples. Não é complicado, mas a vossa mente e o vosso condicionamento tornam-no extremamente complicado. Cabe-vos a vós compreender. Uma vez que consigam compreender isto, podem aplicá-lo. Podem aplicá-lo de muitas maneiras na vossa vida. Não é magia, é um processo. É um processo científico e técnico. Não é o que tu pensas que é. Portanto, esta é a nossa, esta é a vossa, esta é a forma de comunicação de todos, ou a comunicação correcta. Nós sabemos isso. Tu também sabes. Toda a gente sabe. Mas eles sabem lá no fundo, a parte deles que não acordaram.

A sua terminologia sempre foi "intuição". Isso está correto. E todas estas frequências estão a ser transmitidas num momento, num tempo, num ponto, numa posição.

(Excertos de sessão 29)

—-

questão que se coloca é fundamentalmente simples. Porque é que a posição em que se encontra é um bom lugar para a comunicação? (1) Basta que saibas, pelas tuas próprias experiências de vida, se a energia te está a conhecer ou não. Podem sentir as diferentes energias quando viajam através daquilo que criaram. É a mesma coisa, é a mesma coisa para este lugar. Tem uma energia diferente. Energia, o que é isso? És tu. É tudo o que criaste. Uma energia diferente é mais aguda ou mais subtil. É mais, como diriam, poderosa ou é menos na sua aparência. Portanto, este é o sítio onde a energia se pode juntar. Isto permite uma comunicação mais clara, que é o que estão a experimentar agora. A vossa física explicaria muito disto. Mas, mais uma vez, é um processo, um processo simples, uma formação de frequências que colidem numa posição que vos permite abrir a vertical. Permite-vos corresponder, comunicar com um canal. É um recetor e um transmissor de energia, como todos nós somos. E em certas posições e lugares essa energia é o que chamaríamos de mais forte. Nós chamaríamos focada, há uma diferença. De facto, há lugares iguais no mundo físico que vocês criaram através da matéria, através das frequências. Existem de facto outros locais onde esta ocorrência é possível. Mas este lugar tem um forte foco de energia, um encontro. Perguntam porquê este lugar? É uma acumulação de muitas coisas. A vossa própria energia tem um papel nisto, ambos, tal como a nossa, é a mesma. A vossa própria escolha tem um foco nisto. É um processo. É um padrão correto de formação daquilo a que chamam matéria. Todos os elementos têm um papel neste processo. Não é a primeira vez que estão nesta área. Não é a única vida em que visitaram esta gruta pela mesma razão de sempre, para comunicar...

É verdade que dentro do espaço onde estão agora sentados podem criar diferentes tipos de energia. Há muitas coisas que podem fazer dentro deste espaço se assim o desejarem. Nós desejamos comunicar convosco. Vocês podem desejar algo diferente. Aqui é muito possível criarem o que quiserem criar, fazerem o que quiserem fazer (3). Só têm de estar conscientes disso. Não há nada a temer. Mas também estejam cientes de que isso pode chocar-vos. Vai surpreender-vos. Mais uma vez, este é o vosso condicionamento, a vossa incapacidade, a vossa incapacidade de querer compreender. Têm de saber.

(Excertos de sessão 35)

—–

E como eu disse antes, há certos pontos onde as energias se juntam. Mas as energias que se juntam são a forma original de energia, não a forma confusa que criaste, mas a palete original de tintas com que começaste.

É aqui que nos encontramos agora. Este é o ponto onde a palete original é criada, o ponto da imaginação. É aqui que se sentam neste momento com a palete original de tintas, com a capacidade de usar a vossa imaginação para criar os vossos grandes e maravilhosos desenhos, ou o vosso caos, o que escolherem. É por isso que este é um lugar especial. É por isso que estão aqui, para compreenderem isto, para estarem conscientes disto. É por isso que o canal está limpo. Não está contaminado. É puro.

(Excerto de sessão 37)

—–

Aqui a energia é pura. É clara. Lá fora está contaminada com todas as energias que estão a ser criadas a partir de cada um de vós. Contaminada é a única palavra que me ocorre para vos explicar. Mas contaminado não é mau. As vossas palavras criaram muitas palavras que vos trazem uma frequência, uma emoção de mau. Vocês considerariam a palavra contaminado má. Não é má. Mas é a única palavra que posso usar para vos explicar e com a qual se podem identificar. Está diluído. A energia está diluída. É complexa. Aqui dentro é pura. É clara. É por isso que podemos comunicar convosco aqui. É mais claro para vocês compreenderem. Lá fora não é por causa da contaminação da produção de muitas energias, infinitas, constantemente, num só momento.

(Excerto de sessão 48)

—-

Sim, tem razão, aqui é claro, é preciso. E é por isso, é porque é puro aqui, sem contaminação, sem a massa de frequência e confusão. É claro aqui e tens de o tornar claro também lá fora. Tens de te separar para compreender. Isto é consciência. Isto é conhecer-se a si próprio.

(Excerto de sessão 71)

—-

Criaram o tempo dentro de um espaço. Dentro deste espaço, escolheram comunicar connosco, tal como nós escolhemos comunicar convosco. Dentro deste espaço podem experimentar um momento. Não podeis experimentar nenhum tempo. Podem experimentar tudo e todos dentro de um momento. E vocês, ocasionalmente, experimentam isso.

(Excerto de sessão 80)

—-

O canal tem de ser claro. Tem de ser puro, um lugar onde possamos comunicar, onde nos possamos juntar de diferentes dimensões, onde nos possamos juntar e comunicar uns com os outros. Nós comunicamos convosco fora deste espaço, mas não é claro. Não é especialmente claro para vós. Mas aqui dentro é claro, é puro. A informação vem junta como uma só, ambas recebendo e ambas transmitindo, clara e precisa, como uma só. É energia, que é toda a energia da fonte. Mas para compreenderem, tem de ser clara, e é clara neste espaço.

(Excerto de sessão 89)

—-

Já vos disse antes que a energia deste espaço é pura. Já vos disse antes que é a criação, a origem da formação física que a torna pura. Se quiserem aplicar as vossas palavras, a vossa linguagem, e se quiserem dar um nome a isto, então podem, mas vão sempre complicar as coisas com as vossas histórias, os vossos nomes. A vossa aplicação da linguagem impede a comunicação correcta através de interpretações erradas. Basta-vos saber que é puro. Basta-vos saber que é a origem da energia. É demasiado complicado para vós complicar isto, só vos vai confundir.

Enquanto aqui dentro não se está confuso, é claro, é preciso, enquanto lá fora se está continuamente confuso...

E aqui podem absorver como uma esponja a forma mais pura de energia positiva e é também isso que devem fazer. Porque sem isso, estarias perdido, estarias confuso.

(Excertos de sessão 101)

—-

Têm de tentar sentir a energia dentro deste espaço a juntar-se. É a origem, é onde a energia se transforma noutra forma de energia, gerando, criando uma fonte daquilo a que chamariam poder.

(Excerto de sessão 103)

—-

Enquanto se concentrarem no positivo, que é o que escolheram fazer, sentirão constantemente o amor da fonte, um sentimento, um sentimento de alegria, de felicidade, de riso. E quando a vossa mente mergulhar no medo, ser-vos-á recordado este amor, alegria, felicidade e luz que tudo abrange.

E, mais uma vez, foi assim que escolheram compreender a energia da fonte da qual foram criados. E neste espaço, faz todo o sentido para vós e neste espaço, é a simplicidade sem interferência, sem tumulto e confusão.

A origem, o início, quando na realidade não há início porque tudo e todos acontecem num momento, e esse momento é sentido neste espaço. Por isso, como escolheram, vão fazer. Como escolheram, estão a fazer. Eu apenas vos lembro da vossa escolha.

É inerte em todos os seres vivos, o caminho do amor, da fonte, de Deus. Tu és um, tal como nós somos iguais. É neste espaço que curareis a dor do condicionamento.

(Excerto de sessão 109)

—-

Sempre tão claro, a origem da formação da energia está dentro deste espaço. E sempre tão claro para o compreenderem dentro do espaço, para o receberem dentro do espaço.

(Excerto de sessão 110)

—–

Conhece-te a ti próprio e saberás tudo, sabe que és uma forma pura de energia criada a partir da fonte e dentro deste espaço crias a partir de uma forma pura de energia, tal como nós, tal como nós, tal como tu.

(Excerto de sessão 112)

—–

São vocês que criam os temas que são discutidos neste espaço.

(Excerto de sessão 113)

—–

Existe apenas uma energia, que é a energia da fonte, e a origem de todas as outras energias criadas vem da fonte. E o início da criação das energias, quando elas são puras, vem da fonte, e dentro deste espaço, tens a capacidade de sentir a origem da criação original da energia.

(Excerto de sessão 114)

—–

Sentamo-nos dentro do portal de que falamos. É onde todas as possibilidades começam. Elas começam e terminam no espaço em que se encontra. Muitas portas, como se refere a elas, mas adapta o ritual como um processo...

Não há nada a temer para se exprimir sob a forma de energia, sob a forma de frequência. Este espaço onde se encontram, onde estão protegidos, é a origem da energia. Devem permitir que a vossa energia flua, que se expanda, que represente a sua verdadeira origem. Uma forma pura de energia é o que tu és.

(Excertos de sessão 127)

—–

O que somos

Tu és energia formada. É a única forma que tenho de vos explicar. Tu és formado de energia, não és um ser material. Escolhe viver nesta máquina, que é uma máquina biológica. Escolhem viver dentro dela, experimentar a vossa vida dentro dela, naquilo a que chamam tempo, que é uma fração de segundo.

(Excertos de sessão 3)

—–

Está a nascer e a renascer a toda a hora, constantemente. O ciclo de energia continua. Nós também somos assim, nascemos e renascemos. Perguntarão porquê? Não vos posso explicar. É como a produção constante de energia, a criação da imaginação, o nascimento, o renascimento, o nascimento, o renascimento. Não há como escapar disso. Isto é o que tu és, uma forma pura de energia.

(Excerto de sessão 13)

—-

O seu crescimento é exponencial, separado ou uno, você escolhe.

(Excerto de sessão 15)

—-

Tu és uma forma pura de energia ligada à fonte. A vossa mente tentará manter-vos desligados da fonte, mas a vossa consciência será atraída para a fonte. Há uma razão definida para isso. É necessário. Determinarão a vossa energia como pequena ou minúscula. Não é assim. É uma só. O vosso condicionamento chamar-lhe-ia pequena. Esta é a vossa lógica...

Tudo está ligado à fonte. Não se é um ser físico. És um ser metafísico. És um ser de pensamento, um ser de emoção, um ser de frequência. Vós sois energia. Nós somos o mesmo. Nós somos vós, e vós somos nós, todos ligados, todos um. Quando souberem isto, o vosso mundo será totalmente diferente.

(Excertos de sessão 19)

—-

Todas as criações físicas que existem são formadas a partir de energia. Isso inclui-te a ti. Quando elevam a vossa energia vibracional, elevam a vossa consciência disto. Mais uma vez, é simples, mas na prática é difícil. Só precisa de se compreender a si próprio como uma forma de energia para compreender tudo. Energia da fonte, clara, pura...

A criação da vida e da matéria física vem da fonte. É a tecnologia, é a tecnologia de Deus - as vossas palavras, Deus -, a fonte. Vocês escolhem ser o que quiserem ser, onde quiserem ser, quando quiserem ser. Mas ao mesmo tempo estão ligados a todas as formas de energia. Mas, ao mesmo tempo, estão ligados a todas as formas de energia. É uma sequência, embora a vossa ciência não o diga. Eles diriam que é errática. Não é assim. É formada especificamente e com muita precisão

(Excertos de sessão 22)

—-

Tu és energia. A vossa consciência é energia. Energia é outra palavra para si, para o seu ser. É por isso que tem razão quando diz que positivo e negativo são a mesma coisa. A formação de energia vem em muitas formas, formada através da frequência, através da emoção. E, claro, quando usam palavras como negativo, o vosso condicionamento vai dizer-vos que é mau, que não é bom. É a mesma coisa. É uma única forma de energia que engloba todas as formas de energia, toda a criação. Mais uma vez, as vossas palavras enganam-vos através do vosso condicionamento. A formação de diferentes energias sob a totalidade da fonte é infinita. Está sempre a expandir-se, sempre a crescer. A vossa compreensão atual disto, embora seja primitiva, é correcta.

Por isso, quando pensamos na formação de energia, temos de pensar, temos de imaginar, não em termos de positivo e negativo, mas em termos de uma energia, uma energia que pode ser uma quantidade infinita de energias, tal como nós, tal como nos formámos a nós próprios. É a mesma coisa. Tu és um de uma quantidade infinita, mas ainda assim apenas um, o mesmo. Positivo e negativo é a mesma coisa. Evolui para a mesma coisa, forma-se, entra num ciclo de criação e regressa à fonte como um só.

Sois autocriadores de energia. Pintam muitos quadros elaborados com a vossa energia, as vossas formações. Para viverem as vossas viagens, fazem isso. É necessário que o façam. Mas a formação é a mesma. Regressa à fonte, regressa a um só. E é uniforme, é precisa. Tu és apenas energia. É o que tu és. É simplista, mas tem muitas complexidades criadas por si dentro dela para regressar à fonte, ao uno.

Não há nada a fazer para além de experimentar este processo e estar consciente dele.

(Excerto de sessão 46)

—-

Tens de parar de pensar que só há uma vida em que estás a viver, neste momento. Escolheste concentrar-te nesta. É infinita onde está agora, em muitos, muitos lugares. Escolheram concentrar-se nesta para se compreenderem a si próprios, para se compreenderem a si próprios. Têm de continuar a compreender-se a si próprios. Tem de se conhecer a si próprio. Tens de saber o que és. Não têm de estar aqui, escolheram estar aqui. Escolheste este caminho, esta viagem. Tens de te lembrar disto.

Claro que não vai ser sempre bom, seja qual for a vossa perceção do bem, porque ele não existe. Mas, claro, a vossa ilusão do bem, não vai ser sempre boa. Como é que poderia ser assim? Mas dentro do que é a vossa perceção do mau, existe muito bem - uma palavra tão ridícula -. A consciência é o que é. Saber é o que é. Tu és uma fonte eterna e infinita de energia da fonte. Nunca expirará. É impossível.

(Excerto de sessão 51)

—-

Energia, tu és uma forma pura de energia. Isto é o que tu és. As coisas que vocês têm e valorizam como importantes dentro da vida física condicionada que vocês escolheram para existir, em breve aprenderão que são insignificantes e sem importância. Já têm este conhecimento dentro de vós. Estão apenas a despertá-lo. Está para além da vossa capacidade de compreender isto neste momento, mas irão compreender. Lembrem-se, vocês escolheram este momento em que estão. Escolheram concentrar-se neste momento em que estão por uma razão específica. Escolheram estar nesta posição dentro deste momento por uma razão específica. Estão no início da vossa jornada, da vossa jornada de consciência, da vossa jornada de luz, da vossa jornada de positivo. Estão no início, e é uma jornada incrível para vocês. É o que sempre pensaste que seria. É a compreensão de tudo. É o vosso desejo de saber, sempre foi o vosso desejo de saber. E vais saber. Isto dentro de ti não será suprimido. Não ficará preso dentro de si. Explodirá de dentro para fora. Não permitirão que vos aprisione. É a vossa consciência que vos está a libertar. Está a dar-vos o vosso livre arbítrio. É a vossa consciência que está a fazer isto. Estás protegido. Estão protegidos da energia pura da fonte como todos estão protegidos. Mas eles não sabem disso. Não o compreendem. É o mesmo, é um, é você, somos nós, é tudo, é um. O amor da fonte, não a vossa interpretação do amor, mas o amor da fonte engloba tudo e todos. É puro. É incondicional, ao contrário do vosso amor condicionado que vocês próprios criaram. O amor da fonte não tem limites, restrições, regras ou regulamentos. É um amor incondicional de pura energia. Isto é você. É isto que deve projetar para os outros. Este é o verdadeiro amor. Mais uma vez, outra palavra que vocês deitam fora e que não tem significado real: amor. Outra palavra ilusória criada que tem muitos significados e nenhum significado exato. O amor não tem condições, não tem contrato.

É impossível destruir a energia. Ela apenas se transforma num tipo diferente de energia. É impossível tirar o que está dentro, é um dentro, porque esta é a essência do que tu és. Sem a existência disto, não és e és. Por isso, é ridículo sugerir que algo pode ser retirado de si, sob a forma de energia. Pode ser uma forma diferente de energia, a consciência pode ser todas as formas de energia, a consciência é todas as formas de energia, mas apenas uma forma de energia. Nada pode ser removido. Pode mudar.

(Excerto de sessão 52)

—-

A energia da fonte é tudo o que conhecemos, e vós sois uma parte da energia da fonte, tal como nós, porque somos todos um. Nós somos a fonte tal como vós sois, porque toda a matéria criada fisicamente é a mesma.

(Excerto de sessão 60)

—-

Deves estar consciente de que tudo o que és numa forma física é ego, é eu, e tudo o que te vais tornar e tudo o que és é, na realidade, energia fonte. Sois uma forma pura de energia fonte, e sabereis isso e quando souberdes isso, a vossa posição irá mudar. Não é nossa intenção confundir-vos. A nossa intenção é simplificar e vocês compreendem estas palavras. Aqui dentro, é muito mais simples do que lá fora.

(Excerto de sessão 68)

—-

Existe apenas uma fonte, uma vasta consciência. Já vos disse antes, o potencial, a dinâmica desta imensa energia da qual fazem parte e, portanto, são a mesma coisa, está para além da vossa apreensão das capacidades e da adaptação de uma tal vastidão de consciência, de fonte. Está para além da vossa compreensão entender até mesmo uma pequena parte do processo e não devem tentar entender isso enquanto tiverem tomado a forma de uma energia física. Sois uma forma pura de energia. Isto é o que sois. Sois luz da fonte...

Tu és uma forma pura de energia. Isto é o que tu és. Saibam o que são. Aplique-se como uma forma positiva de energia em toda e qualquer situação em que se encontre dentro do mundo físico que criou, e verá como este mundo muda. Vocês vêem como ele muda, vocês já experimentaram isto. E continuarão a questionar, continuarão a desafiar, porque estas são as ferramentas, as freqüências, as emoções que vocês usam e que lhes permitirão se tornarem mais conscientes do que vocês são. A vossa profundidade é uma só. Não tem limites de profundidade. Não há camadas de profundidade. Todo o conhecimento está dentro de vós, e podem aceder a ele a qualquer momento dentro do momento. Na vossa ilusão criada pelo tempo, escolheram ponderar, escolheram esperar. É uma ilusão. Escolheram sentar-se numa caixa. É outra ilusão. Escolheram as próprias ilusões em que existem em todo o vosso ser.

(Excertos de sessão 69)

—-

Tudo o que vocês são, o vosso verdadeiro eu é emoção através da frequência e todas as formas físicas criativas são irrelevantes para aquilo para que estão a trabalhar. Isto é a reconexão com a energia da fonte.

(Excerto de sessão 81)

—-

Eu sou, eu sou é a realização, o despertar do eu. É a realização de tudo e de todos num só momento. Enquanto nesse mesmo momento, não é nada, é a simplicidade em si mesmo. Ele próprio, referindo-se a algo fora de si, quando na realidade é eu, não é ele, é um, é absoluto, é Deus, é fonte. Um momento em que tudo e todos são compreendidos e, no entanto, é sem a vossa perceção de tudo e todos, porque para vocês, tudo e todos são histórias, são criações físicas, são confusas, são excitantes, são acumuladas, coleccionadas por vocês.

Eu sou é a realização, a posição. Isto não é uma compreensão dentro de um condicionamento. Não há condições. Para alcançar esta posição, todas as condições devem ser removidas. Todos os vossos valores, as vossas percepções morais, as vossas crenças, têm de ser removidos. Tudo o que criaram através do medo, da esperança, do condicionamento, tem de ser removido para experienciarem um. E um é tudo. E nesta posição, experimentarão tudo o que é um. E, claro, é o mesmo ponto, aquele que nunca deixou. É absoluto. Dentro deste espaço podes experimentar isto.
Lá fora, recusam-se a experimentar isto, sim, recusam-se, lutam, desafiam, questionam. Tantas perguntas, de uma leva 10, de 10 leva mais 100 perguntas, quando na realidade é apenas uma, um saber absoluto, um sentimento absoluto (1).

A vossa viagem, a vossa luta, a vossa ilusão de criação estão dentro, dentro da mente, dentro do ego, dentro do eu e, em última análise, é amor, é amor da fonte.

(Excerto de sessão 96)

—-

E eu digo-vos muitas vezes que vocês são uma forma pura de energia. Foram criados a partir da fonte, e têm de saber o que são. E esta viagem que estão a fazer vai permitir-vos conhecer uma parte do que realmente são.

(Excerto de sessão 98)

—-

Tu és. Tu és tudo e todos. És parte da Fonte, tudo e todos num só momento. Uma forma pura de energia. Não és um ser físico. A vossa máquina é a vossa criação, é a vossa ilusão.

(Excerto de sessão 104)

—-

Sempre tão claro, a origem da formação da energia está dentro deste espaço. E sempre tão claro para a compreenderes dentro do espaço, para a receberes dentro do espaço. Mas tu não és apenas um recetor de energia, és também um transmissor de energia, és também um criador de energia. Tu és tudo isso. És uma forma pura de energia, criada a partir da fonte, uma parte da fonte, tal como nós, um só. Tens de reconhecer isso, saber o que és, energia formulada através de ti, através de ambos. Ambas as energias estão a ser formuladas a partir de mais níveis, uma palavra tola outra vez, níveis, mas para que compreendam, mais do que podem imaginar, imaginar verdadeiramente que é possível. É um momento de formação, um instante.

(Excerto de sessão 110)

—–

A vossa mente é a forma mais poderosa de criatividade física, e a vossa consciência está acima dela. A vossa mente é criada pelo Eu, que é a consciência, que é a fonte. Tu és uma máquina, és uma máquina biológica, e vives dentro da tua máquina. És eterno, és luz, és uma forma pura de energia criada a partir da fonte, que não tem princípio nem fim porque não há tempo.

(Excerto de sessão 111)

—–

Não tens um princípio, não tens um fim. Tu és. A fonte é o que tu és, a energia da fonte. O infinito, o tempo criado pelo infinito é na realidade um momento. A maioria não consegue entender isso porque permite que sua mente, eles acreditam que sua mente é tudo, seu ego é tudo. Não é. Ser capaz de separar a mente e o ego, ser capaz de deixar um condicionamento é impossível para a maioria. Mas como tudo vai acontecer num momento, a viagem deles é igual à vossa, a mesma. Mas dentro deste tempo em que escolheram concentrar-se, não muitos.

(Excerto de sessão 113)

—–

Tu és uma forma pura de energia, é impossível destruir. Destruir é uma palavra criada pelo ego, uma ilusão. É muito difícil para si compreender isto com base numa vida condicionada. A auto-destruição não existe. A auto-criação não existe. Só existe o saber, só existe a consciência, só existe a experiência. Não se pode criar nem destruir o Eu, ele é, e está a aproximar-se da compreensão disto. O ego é meramente uma ferramenta, uma ferramenta que usarás para progredir nesta compreensão. Não será destruído, apenas será compreendido, e irá mudar de uma forma de energia para outra. Escolheram este ponto dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, em que irão mudar esta energia.

(Excerto de sessão 120)

—–

Mundos físicos

Deveis ter sempre presente a causa e o efeito no mundo em que viveis como espécie. Já sabes como isto funciona. Não precisam de me perguntar, já sabem. Podem achar que as situações específicas em que estão envolvidos aqui são complicadas. Não são, são simplistas. Criam energia, mais e menos. Neste mundo é necessário um equilíbrio. Demasiada energia num sentido criará aquilo a que chamam tristeza, demasiada energia no outro sentido e não terão compreensão de nada. Ambos estão correctos. O equilíbrio é absolutamente necessário.

(Excertos de sessão 4)

—-

Vive-se num mundo tão pequeno, tem-se uma perspetiva tão pequena desse mundo.

Achas que é uma competição? Não é.

Estamos sempre a tentar posicionar-nos num ponto mais alto do que o anterior. Há, de facto, nove pontos, nove posições, mas depois o ciclo recomeça, voltando ao número um, que é infinito.

(Excerto de sessão 7)

—-

Há sempre dois, mas eles são apenas um. É difícil para ti, eu sei, compreender isso. Há sempre dois, mas há apenas um, são iguais. No vosso mundo há biliões, mas só há um. Eles são vocês. Podem continuar a contar durante um tempo infinito naquilo a que chamam tempo, mas só há um.

(Excerto de sessão 18)

—–

Tudo no vosso mundo é uma ilusão criada por vocês.

(Excerto de sessão 19)

—-

Vêem a importância do mundo metafísico em relação ao mundo físico que criaram? O mundo físico que criaste é insignificante no mundo metafísico. É apenas uma história teatral que criaste.

(Excerto de sessão 34)

—-

Quando se usa a lógica para resolver uma dada situação num mundo físico, ela parece estar correcta. Mas não é. Mais uma vez, as crenças, os sistemas que criamos, a aceitação social, todas estas coisas têm um enorme efeito na nossa decisão, na nossa conclusão.

(Excerto de sessão 36)

—-

O que procuram, vão experimentar em breve. Não podemos, não podemos guiar-vos para isso. É a vossa própria ação. A vossa própria energia vai encontrar o seu curso, como sempre fez. A energia forma-se e dispersa-se tal como as nuvens no céu. É um processo semelhante. Formulação e dispersão, um processo constante, partículas que se formam e se dispersam com todas as energias que o vosso mundo físico está constantemente a emitir. A frequência, a vibração, é uma constante formação e dispersão, e parece ser caótica. Não é caótica. É formada, é dispersa, é recriada, é constante. A vossa mente interpreta isto como caos. Acredita que é o caos. Mas não é. É uniforme. É a criação da matéria física.

(Excerto de sessão 41)

—-

Também é verdade dizer que a vossa Terra criada tem a sua própria consciência, como uma entidade, como uma máquina viva, tal como todos os planetas criados e sóis e sistemas solares. É o mesmo no físico, a consciência criada trabalha da mesma forma que vós, de volta à fonte. Tudo tem uma consciência. Tudo é uma consciência. A vossa palavra alma é muito limitada na forma como a percepcionam.

(Excerto de sessão 42)

—-

Tudo é formação de energia no mundo físico. É uma teia de energia muito complexa. Não há necessidade no mundo metafísico para a continuação, a formação de energia da forma como vocês estão continuamente a formar energia no mundo físico. É verdade que a energia está continuamente a mudar no vosso mundo físico. Quando digo que é insignificante, é insignificante. Têm de usar a vossa imaginação para saberem o que o mundo metafísico é capaz de fazer, de criar. Tudo é consciência, cada criação física, um ciclo de criação, mudando a energia de uma forma para outra, de uma forma sólida para o que vocês perceberiam que não é uma forma sólida.

Não é um jogo. Pode parecer-vos um jogo, mas não é. Tudo é criado a partir da fonte, um ciclo, criado, desconstruído, criado, desconstruído, formado em energia diferente, reciclado em energia diferente. Não perdes a tua identidade. É um pensamento egoísta fazeres isso. Ganhas muito. Não perdes nada. Podes escolher, podes ter uma identidade ou podes ser uma parte de tudo, a fonte. É um só. Não conseguem compreender isto, é o vosso condicionamento...

Compreendem agora como cada energia no vosso mundo físico criou o seu próprio indivíduo, cada um e cada uma é uma história individual, uma marca em torno da sua própria posição. Embora sejam um só, isolaram-se intencionalmente, cada um e todos, apenas para se formarem de volta a um, à fonte. Este processo está a ocorrer naquilo a que chamam tempo, no momento, agora. Como vocês diriam, mantenham um pé em cada espaço. É um equilíbrio, um equilíbrio da energia física que vocês criam. Isto não é novo para vós. Têm uma compreensão completa disto. Está escrito dentro de vós. E estão a recordá-lo.

Não há nada que aconteça que seja uma coincidência. Há um padrão uniforme em tudo isso. Ele é criado pela fonte. Cada pessoa é uma energia independente, uma energia que flui de forma independente, única dentro de si mesma, dentro de si mesma, porém parte da fonte como um todo. Encontrarão estas pessoas na vossa vida que também têm significado na vossa jornada.

É infinito. O infinito é difícil de compreender. Sem começo, sem fim, um momento. É apenas a posição que é importante para ti.

(Excertos de sessão 45)

—-

Enquanto estiverem aqui no mundo que escolheram para estar, o mundo físico, desfrutem, desfrutem dos atributos físicos que criaram. Não há culpa. É outra ilusão que criaste: a culpa. Ela vai atrasar-vos, tal como o medo vos atrasa. Todos os aspectos da vossa criação devem ser apreciados por vós de forma positiva. Removam as nuvens que deixam pairar sobre a vossa cabeça. É uma experiência maravilhosa para vós. Peça por peça estão a construir. Estão a construir a vossa imagem. Cada peça do puzzle que colocam, tomam consciência da imagem, da parte completa. Tudo isto foi criado pela fonte. A fonte é infinita, e vocês são uma parte dessa criação, e criaram a vossa própria ilusão. Desfrutem do que criaram. É maravilhoso.

Nós também criámos a nossa ilusão. Também nós gostamos do que criámos, mas é muito diferente do que vocês criaram...

A vossa dimensão física, o vosso mundo físico é a forma mais pura de energia criada a partir da fonte. Embora seja diluída pela criação individual, ela é pura, o primeiro estágio da criação física. É especial, é natural. Natureza, é atractiva para outras formas de criação por causa da sua criação natural a partir da fonte.

(Excertos de sessão 47)

—-

Não pode existir um sem o outro, positivo ou negativo. A energia, todas as formas do vosso mundo físico são feitas de energia. É constituído por partículas. Tu és feito de partículas. Os vossos pensamentos são feitos de partículas. Tudo isto é criado a partir da fonte.

(Excerto de sessão 49)

—-

Já estão a elevar a vossa própria energia vibracional que, por sua vez, eleva toda a energia vibracional para o positivo. Podem pensar que não estão, mas estão. Tens de compreender melhor como é que a energia é atraída pela mesma energia que é formada. A energia da massa é formada. Embora sejam a mesma coisa, positiva e negativa, são diferentes na forma como são aplicadas. Uma se transformará na outra. São a mesma coisa, mas no vosso mundo condicionado são diferentes. São energias opostas, quando na verdade são a mesma coisa, o que é difícil para vocês entenderem. É o princípio básico de que não há bom, nem mau, nem mais, nem menos. É a mesma coisa, é energia. Um não pode viver sem o outro. Um não existe sem o outro. É um equilíbrio. Só precisas de compreender isto. Não o podes mudar, é impossível. Isto é criado a partir da fonte. Uma energia divide-se em duas e regressa à fonte como uma só. Este é o ciclo. Este é o processo.

A fonte é o amor. É brilhante. Para ti é branco. Não é escuro. É o amor que tudo abrange, não a vossa interpretação do amor. O ciclo é a separação e a reunião. Este é o ciclo. Foi isto que criaste.

(Excerto de sessão 51)

—-

E todas as restrições que colocam a vós próprios no mundo físico em que vivem são determinadas por vós. Elas são governadas por si. As restrições que impõem a si próprios são as restrições com que vão viver.

A mensagem é muito simples. É muito simples de entender no sentimento, mas enquanto se isolam da consciência, é muito difícil de aplicar enquanto estão numa forma física. Mas é isto que têm de experimentar. Esta é a jornada que estão a fazer. E a vossa terminologia de um pé dentro e um pé fora está correcta enquanto estão numa forma física com sentidos físicos.

Tudo no vosso mundo físico é possível. Tudo o que se pode pensar com a vossa imaginação é possível. Não há impossibilidades, isso não existe. Mas o estado da tua mente tem de ser tal que possas aplicar todas estas possibilidades. E para isso é preciso compreender também o mundo metafísico. É preciso conhecer o mundo metafísico para aplicar qualquer possibilidade física. E continua a limitar-se, o que é necessário enquanto está numa forma física...

A energia vibracional é a parte mais importante do mundo físico. E quando se consegue elevar a energia vibracional numa direção positiva, eleva-se a energia vibracional do mundo físico em todas as direcções.

(Excertos de sessão 60)

—-

O poder da fonte, da consciência, do um, não tendes compreensão da extensão desta energia. Ela está dentro de cada forma física que vocês criaram. Está dentro de cada entidade que existe no mundo físico. Mas o mundo físico é apenas um mundo. Ele tem uma função. Um mundo é todos os mundos. Todos os nove são o mesmo que um (2), formado a partir de energia, tudo num momento daquilo a que se chama tempo.

(Excerto de sessão 62)

—-

Quando vos digo que o mundo que criaram vai reequilibrar-se, que a energia vai reequilibrar-se, é a mesma energia, têm de compreender que é a mesma energia, dois são um. Esta é a vossa viagem, é para compreenderem que não há separação, não há bom, não há mau, é um só. Não há positivo, não há negativo, a vossa interpretação disto é o vosso condicionamento. Quando vos explico a diferença entre positivo e negativo, é para que compreendam o que vos estou a dizer, é para que saibam que dois são um, é a mesma coisa. Esta é a ponte que tens de atravessar. Esta é a ponte que têm de atravessar da mente para a imaginação e para a consciência, para estarem conscientes de que é a mesma energia.

No mundo físico que criaram, também criaram uma separação de energia. Criaram o positivo e o negativo. Criaram o bom e o mau. Criaram isto para se lembrarem que é a mesma coisa, a mesma energia.

A posição em que se encontra o mundo, o mundo físico que criaste, é uma posição de desequilíbrio. Mas o desequilíbrio não é desequilíbrio, porque a energia é a mesma. É para vocês, e só para vocês, compreenderem, porque foram vocês que se separaram em primeiro lugar. Foste tu que separaste isto, que lhe deste um ponto, uma posição, uma separação, e cabe-te a ti compreender que é a mesma energia. E para entenderem isso, vocês criaram o mundo físico, separaram a energia...

Se olharem à vossa volta para os muitos indivíduos - chamar-lhes-iam indivíduos, as muitas energias, pessoas à vossa volta -, verão que se estão a juntar. Estão a formar uma energia positiva. E também verão - eu uso as palavras positivo e negativo, são a mesma coisa -, também verão pessoas a acumular energia negativa, que se está a transformar em energia positiva. Mas são a mesma coisa, criadas pela mesma razão, e fazem parte da fonte.

Tudo é definido pela separação, a vossa separação, a vossa necessidade de se separarem para compreenderem, quando na realidade, não há separação. Na realidade, existe apenas uma energia, abrangente, um poder, do qual vocês fazem parte, do qual vocês são isso, e essa é a fonte.

(Excertos de sessão 64)

—-

E lembrem-se também que a energia no mundo físico que criaram irá reequilibrar-se. Mas a vossa interpretação de reequilíbrio é positiva e negativa, por isso vai reter ambas as coisas, porque esta é a essência do que criaram. E é necessário, um complementa o outro. É a mesma energia. Portanto, mais uma vez, a vossa interpretação de bom e mau, de positivo e negativo está incorrecta. Dentro do mundo físico que criaste, um não pode sobreviver sem o outro, são ambos necessários. No mundo metafísico isso simplesmente não existe, não é uma consideração. Existe apenas uma energia no mundo metafísico e essa é a energia da fonte, a energia abrangente do amor.

E é por isso que não é um jogo, embora a analogia do que se chamaria um jogo de computador, não o seja. É uma viagem de consciencialização. Embora o processo se assemelhe a isso, não o é, e também não o devem considerar um jogo.

É uma viagem de criação, de experiência, de experiência de toda a frequência, de toda a emoção e de toda a energia. É uma viagem infinita e, em última análise, uma viagem de paz, de iluminação.

(Excerto de sessão 65)

—-

O positivo é negativo e o negativo é positivo, um. Vocês separaram-se, escolheram separar-se, e escolheram juntar novamente os dois. Esta é a ilusão que criaram, este é o mundo físico que criaram. Fizeram isto para repetir este processo vezes sem conta. Só existe um.

Porque não compreendeis o tempo, o que o tempo realmente é, tendes dificuldade em compreender isto. Não compreendeis o infinito, por isso tendes dificuldade em compreender isto.

Não é uma questão de compreender o infinito ou o tempo, é uma questão de saber. Não é uma questão de medo, é uma questão de experiência. A experiência é o saber. Esta é a vossa viagem, isto é o que escolheram fazer.

(Excerto de sessão 66)

—-

O semelhante atrai o semelhante e o positivo atrairá o positivo. Trata-se de uma aplicação física. Da mesma forma, a vossa interpretação do negativo atrairá o negativo. Esta é também uma aplicação física. Mas dentro de um domínio físico, a energia vai reequilibrar-se. Não tem escolha. Para se manter física, tem de ser equilibrada. 

(Excerto de sessão 70)

—-

Sei que é difícil para vós, neste mundo físico que criaram. Sei que é difícil para vocês compreenderem que podem mudar tudo, porque não compreendem totalmente o poder da vossa mente, do vosso ego. Para vós, é como se um estivesse a lutar contra o outro. Não é lutar contra, é trabalhar com. É um entendimento completamente diferente. Não há luta. Um tornar-se-á o outro porque são a mesma coisa. É um processo. É um processo necessário. É um processo absoluto. Não é um caos. Apenas tens de compreender isto. Têm de se tornar conscientes disto. E está lentamente a compreender isto. Um processo passo a passo.

Por isso, não tenham medo de participar no mundo físico que criaram. Não podem fazer mal nenhum. Deves aplicar sempre energia positiva em todos os cenários e situações que surjam e que tenhas criado. Mas estejam conscientes do que são, sabendo que são uma parte da fonte. Fazem parte da energia da fonte.

(Excerto de sessão 71)

—-

Há apenas um momento e não há separação entre qualquer energia que exista dentro de uma forma física, dentro do universo físico infinito que vocês criaram. Não há separação entre nenhuma dessas energias. A origem é a mesma que é para nós, que é para vocês, é a energia fonte. E dentro de todas estas histórias loucas que criaram, e deste tempo louco que iniciaram, haverá um sentimento de separação, um sentimento de domínio, um sentimento de controlo. E esta energia será sempre um equilíbrio do que vocês chamariam de positivo e negativo. Sem este equilíbrio de energia, esta ilusão criada fisicamente não existiria. No metafísico é apenas a energia fonte, uma energia, um povo e a energia fonte é o amor. Abrange tudo, todas as energias criadas. É uma só. O amor, o amor é a formação de tudo.

(Excerto de sessão 72)

—-

Enquanto o vosso mundo condicionado é tão diferente, tão extremo, tão confuso para vocês, enquanto participam nele, têm uma sensação, um conhecimento. Isto é recordar. Escolheram passar por este processo de recordar o que são, uma forma pura de energia. São levados por este sentimento a explorar, a recordar, a experimentar e a recordar o que são. É insignificante a vossa vida condicionada, não é insignificante para vocês, é apenas uma ferramenta, uma ferramenta para que possam, mais uma vez, conhecer a consciência, tal como o vosso ego é uma ferramenta para conhecer a consciência. E através das vossas experiências, despertarão, tornar-se-ão mais conscientes da consciência. 

(Excerto de sessão 74)

—-

O vosso mundo físico é uma entidade viva. Ele escolheu este momento de transformação. E a energia vibracional sobre ele, está a erguer-se, está a elevar-se, está a tornar-se mais o que vocês chamariam de positivo. E vocês estão a contribuir para essa elevação positiva do mundo físico em que escolheram concentrar-se, e quando elevarem essa energia vibratória, elevarão toda a energia, e estarão mais conscientes da consciência. Estarão mais conscientes do que são, e dos jogos que todas as criações físicas fazem consigo próprias. E uns com os outros são meramente jogos que os forçam a uma posição de pergunta. Estes jogos forçam-nos a uma posição em que têm de questionar quem e o que são. Este é o início da sua jornada de volta à energia fonte. Isto é tudo em cada criação física.

(Excerto de sessão 75)

—-

Insignificante é o que é com o que está a acontecer no vosso mundo físico. Não é insignificante no âmbito da vontade, é insignificante no âmbito metafísico, no âmbito da consciência. E, claro, não parece insignificante para vós. Isso é porque não é insignificante para vós. É, mais uma vez, propulsão, desafio, impulso. Está a conduzir-vos para uma posição. Portanto, não é insignificante para ti, mas é insignificante dentro da consciência infinita.

Como interpretam a paz mundial, ela nunca existirá no vosso mundo físico, a paz mundial. Como interpretam o amor, nunca existirá no vosso mundo físico, o amor completo. Isso contradiz a razão pela qual vocês criaram essa ilusão em primeiro lugar. Contradiz a razão da sua existência na vossa mente e, por isso, é uma impossibilidade.

Mas, mais uma vez, digo-vos, bom e mau é a mesma coisa. É uma coisa só e existe por uma razão, e vocês conhecem essa razão agora. E, claro, podem escolher, e podem viver na vossa criação física com a escolha de um ou de outro, ou podem equilibrar esta energia, mas não a podem mudar. Isto não é uma construção física. Não é uma forma física, é metafísica. Também não podem interferir com esta energia quando ela é designada a cada um e a todos os indivíduos, mas podem saber. Podem estar cientes disto. Isto é o que escolheram fazer, saber.

(Excerto de sessão 78)

—-

Como forma física, o vosso mundo é a primeira dimensão física criada. Poderíeis usar a palavra especial. Não é a palavra correcta a usar. A formação de energia, a quantidade infinita de formações de energia são diferentes da primeira dimensão física criada. Elas são a origem, o início da formação física, uma forma mais poderosa de formação física, especial para muitas criações físicas, muitas outras criações físicas por causa da origem, por causa da primeira. Primeiro da fonte, e lembre-se, diluição.

Enquanto a vela arder em tudo e em todos, enquanto a vela arder dentro de toda a criação física, ficará mais fraca à medida que se expande. Ainda está a arder, mas vai demorar mais tempo a despertar, a saber, a compreender o que é, uma forma pura de energia. O vislumbre do despertar pode ser visto, pode ser encontrado naquilo que interpretam como positivo, a luz. A Fonte é pura luz. A vossa interpretação da luz é infantil, tal como a vossa interpretação do amor.

(Excerto de sessão 80)

—-

É, nas suas palavras, teatro. Embora não seja um jogo, é um teatro, um ato, e mais importante ainda, um processo, um processo que o coloca numa posição diferente de compreensão, de consciência. Não há um único cenário que não possas mudar no mundo físico em que vives. Podeis mudar tudo o que escolherdes mudar, utilizando as ferramentas que criastes. As palavras criam energia vibracional, criam emoção, criam ação, criam construção, mais uma vez, desnecessárias. A experiência é o que é.

(Excerto de sessão 81)

—-

Numa forma física é necessário que existam duas formas de energia, e haverá um equilíbrio dessa energia. Ela não tem outra escolha senão equilibrar-se.

(Excerto de sessão 87)

—-

Toda a ilusão física é equilíbrio de energia, equilíbrio da vossa perceção do positivo e do negativo. Um equilíbrio de energia necessário e absoluto.

(Excerto de sessão 100)

—-

A forma física está sempre a expandir-se, é ilimitada, provém da fonte, não teve início e não terá fim. É novamente a vossa interpretação, interpretação do infinito, sem princípio, sem fim, enquanto o infinito é um momento.

(Excerto de sessão 110)

—–

A forma física é vasta. Embora seja uma ilusão, é uma vasta ilusão de um número de energias criadas que não se pode quantificar, dir-se-ia infinito. Está sempre a expandir-se e a crescer, é a complexidade da criação física. Um cenário altamente complexo, muitos universos, muitos mundos de criação por muitas razões egoístas, criados a partir das mentes de muitas espécies, não podeis contar a quantidade. Não tens um número para isso, mas é uma ilusão, no entanto uma ilusão criativa altamente complexa.

A lógica física nunca será capaz de dar sentido a isto, porque com a lógica física não há sentido a dar. A única maneira de compreender isto é aplicar a imaginação. Dentro da imaginação todas as respostas existem. Dentro da lógica física, ela apenas vos confundirá, tal como confunde os vossos maiores estudiosos. É tudo consciência, e é tudo criado a partir da fonte. Não é complicado, é um só.

(Excerto de sessão 111)

—–

Não há diferença entre qualquer espécie ou mundo fisicamente criado, dos quais há multidões, demasiadas para o teu cérebro calcular. Eles são iguais a ti, a viagem deles é igual à tua viagem.

Não há nenhum motivo oculto por detrás disto ou deles. Não há eles, há apenas eu. Há apenas um. E a viagem deles é a sua viagem, e a sua viagem é a viagem deles. É a mesma coisa.

(Excerto de sessão 116)

—–

Ambos trabalham com o positivo. Muitos optaram por trabalhar no negativo. Positivo e negativo é a mesma coisa, é um só. Num mundo fisicamente criado, são dois. Na realidade, é um, é consciência e tudo isso é energia fonte.

(Excerto de sessão 118)

—–

É tão difícil, mesmo para os professores espirituais mais famosos do vosso mundo, é difícil deixar o ego ir. E enquanto estiverem numa forma física, é impossível, o ego manterá consistentemente e repetidamente o controlo de si próprio. E quando ele deixa de ter o controlo de si próprio, vocês deixam de ser uma forma física. Não escolherias ser nenhuma delas, porque já não há necessidade de seres uma forma física. E esta posição, vocês irão temer, porque é a vossa mente que irá incutir dentro de vocês este medo. E isto é o que chamarias a verdadeira luta dentro de ti, quando na realidade não é uma luta, não é uma batalha, é uma transição, uma posição, um ponto.

E isto é claro agora para vocês, como dentro da vossa ilusão criada no tempo, tem sido claro para muitos, mas ainda assim, muitos não atravessam a ponte. Nem atravessam a ponte na vastidão do universo e dos universos da criação física, e é o medo que impede isso e é o medo que força a continuação do controlo. Estou a referir-me a dimensões muito mais elevadas, e é exatamente o mesmo processo.

Assim, ao mais ínfimo pormenor, dentro da vossa própria vida, a vossa própria pergunta é alargada às complexidades de todas as dimensões, de tudo o que vive um físico e de alguns que vivem um metafísico. A mesma pergunta, as mesmas dúvidas, os mesmos medos aplicam-se a partir de uma posição minúscula para significar o mesmo em todas as posições.

(Excerto de sessão 120)

—–

A diversidade do vosso mundo é incrível. Ele não é formado como muitos outros mundos, há muitas, eu diria energias sub-criadas. Só existe a fonte, mas dentro do vosso mundo vocês criam tantos tipos diferentes de energias. É um mundo tão diverso no qual escolhem concentrar-se. Embora seja uma ilusão, uma ilusão fascinante, uma história fascinante, um teatro fascinante que vocês criaram. E é por isso que ele é especial. É a origem de muitas energias criadas fisicamente, como é dentro deste espaço, a origem, o começo, e então, finalmente, a diluição, a separação.

É preciso lembrar que é uma viagem. Não se pode destruir a energia dentro de uma formação física, nem se pode destruir a energia fora de uma formação física dentro da consciência. Podem mudá-la de uma forma para outra, até que eventualmente volte a ser uma só, mas não podem destruí-la. E quanto mais complexidades criarem, mais louco parecerá de uma perspetiva linear, e são vocês que criam isso.

Há tanta beleza no vosso mundo que vocês criaram. E através do amor da fonte, de vocês, isto é o que criam, e isto é o que escolheram criar. O sentimento de amor é indiscutível, é incrível, é nisto que escolheram concentrar-se, e é isto que fazem e isto é energia pura, isto é energia pura da fonte, isto é uma energia. E eventualmente, tudo voltará à fonte, incluindo o que vocês chamam de energia negativa, como um só.

E a única coisa que vai atrasar o vosso processo é o medo. O medo é restritivo, impede-vos de avançar dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. É o medo que é criado pelo vosso ego, pela vossa mente. Devem lembrar-se que é uma ilusão, o medo não existe na realidade. No entanto, é uma ferramenta. Usarão o medo para eventualmente saberem que ele não existe. Usarão a energia negativa para eventualmente saberem que é uma energia, é a fonte, é o amor, é o amor que tudo abrange.

E todas, e cada entidade fisicamente criada, espécie, eventualmente, quando removerem a sua ilusão criada pelo tempo, acabarão por compreender isto. Isso é absoluto. Nenhuma entidade, nenhuma forma fisicamente criada é deixada para trás. É um, é a fonte.

Não podeis compreender o poder que tendes de criar tudo e todos. Não podeis compreender, em todos os universos, uma quantidade infinita de criações. Nem sequer consegues imaginar, para ti, seria incrível, e no entanto, é uma ilusão. Podes achar que é real, mas não é, é uma viagem que tu esculpiste, que todos esculpiram, um teatro. E não podem imaginar ou mesmo ligeiramente, talvez ligeiramente, compreender o amor da fonte. É uma energia incrível, que vos esmagaria completamente se a sentissem, se se envolvessem totalmente nela.

E agora, têm de continuar a vossa viagem, e têm de aplicar aquilo que escolheram aplicar, que é a energia positiva, o amor. É uma viagem muito especial, e sim, é verdade, têm o mundo inteiro nas vossas mãos porque criaram esse mundo.

(Excertos de sessão 134)

—–

 

Espécie Humana

Como espécie, fostes controlados desde o princípio do vosso tempo. A energia que vos controla é metafísica, e fostes criados para esse fim. Também é energia da fonte. É a mesma coisa. Cabe-vos a vós decifrar o que é que precisam de criar. Sairá do seu controlo. Este é o objetivo do momento em que se encontra. A energia de controlo não está errada, como vocês chamam. É para vocês saberem.

(Excerto de sessão 9)

—–

A forma humana é incrivelmente espiritual, nas suas palavras. Não tem cortes, não tem paragens na sua viagem incessante para compreender a fonte. Nem todos são assim. Nem todas as criações físicas são assim. É incansável na sua viagem para compreender. Quando nos tornamos conscientes, não há paragem. É impossível. Não há volta a dar, também é impossível. Sei que já testaste isto muitas vezes. Portanto, sim, a forma humana é especial dentro daquilo a que chamam universo. Isso nós sabemos, mas continua a ser a mesma coisa.

Não sabemos que é especial para a fonte. Não separamos a fonte. Somos um do mesmo, parte de. Mas conhecemos a consciência humana, e sabemos que ela se esforça para estar mais perto da fonte. Este é o nosso interesse pela forma humana, pela consciência humana. Consideramo-la como fé, implacável, cega, no entanto, uma tremenda energia que avança a todo o momento. É assim que a podemos ver. Muitas espécies não são iguais a esta. São controladas pelas suas próprias mentes, pelos seus próprios egos. Ficam paradas, são fixas. A forma humana continua a avançar.

Diria que escolheu esta forma em desespero para compreender. Desespero não é a palavra correcta a utilizar. Escolheste esta forma para compreender, é simples. A energia criada pela forma humana é imensa. Perante a adversidade - as vossas palavras -, não pára de avançar. Não importa como eles se sintam, eles continuam a avançar, vocês continuam a avançar. Não se pode destruir a energia da fonte. É impossível. E têm-na dentro de vós, como todas as coisas têm. Está profundamente escondida entre muitos, tão profundamente que não a conseguem ver. Mas tu não.

(Excerto de sessão 22)

—-

A espécie humana, o cérebro humano é tão criativo. Para nós, é incrível ver como podemos ser criativos. Em qualquer circunstância que surja, a vossa mente criará uma solução muito rapidamente para pacificar a vossa consciência. É incrível. A realidade disto, não é real. Mas é tão criativa, como também é a vossa consciência. Tão criativa, tão pura e tão ligada à fonte. Tivemos que trabalhar muito para estarmos no ponto em que estão agora com a vossa ligação à fonte. É incrível que consigam fazer isto. E, no entanto, também é incrível para nós como vocês querem continuar a lutar contra vocês mesmos. Isso nós não entendemos. Compreendemos o processo que suportam. Não compreendemos porque é que fazem isto. Compreendemos que é necessário que o façam, que experimentem e que elevem a vossa vibração, mas não compreendemos porque o fazem. É quase como se tivessem de o fazer como parte do vosso processo. Vejam, nós compreendemos isso, mas não compreendemos algumas das coisas que a espécie humana suporta, porquê. Vocês vão pelo caminho mais longo e descartam sempre o caminho mais curto. Criamos deliberadamente um problema para o resolver, sempre. E tenho a certeza de que gostam da experiência. Quando criamos uma ilusão, estamos a saber que vamos participar apenas no prazer. Sem dor. Quando crias a tua ilusão, participas na dor, sempre. Penso que a terminologia que usas para isto é masoquista. Mas sabemos que estão perto da fonte. E perguntamos: isto aproxima-vos? Não sabemos. Este é o nosso interesse. Só podemos dizer-vos o que sabemos.

Não há preto ou branco nisto. É muito claro, não há mistura de preto e branco, é muito claro, é preto ou branco. Parece ter mais do que preto ou branco. Parece ter uma mistura de muitas cores dentro de si. Nós só temos uma ou outra para a nossa explicação, para o nosso conhecimento. Sabemos ou não sabemos. Tu pareces ter algo que se situa no meio. Mais uma vez, é algo que não compreendemos. Entendemos o processo, entendemos o que chamarias de fim do jogo, mas, claro, o fim é o começo. E o tempo não existe, há apenas um momento. Portanto, isto ainda não compreendem. Mas hão-de compreender. Mas nós não compreendemos, não compreendemos porque é que se sujeitariam a isto. Escolhem fazê-lo, escolhem conscientemente fazê-lo uma e outra vez. Escolhe conscientemente não se lembrar, fazer de novo. Porquê? E nós observamos, nós vemos. É incrível.

Portanto, não sabemos tudo. Conhecemos o processo, conhecemos a emoção, conhecemos a frequência, conhecemos a fonte, podemos adaptar-nos, podemos viajar, podemos criar, mas há coisas que não sabemos.

(Excerto de sessão 27)

—-

A vossa espécie é muito boa a criar teorias. Criam teorias para provar factos, para provar esta ciência. As vossas teorias vêm da vossa imaginação. A vossa imaginação é capaz de criar toda e qualquer teoria que esteja disponível para criar, para formar uma física, para provar aquilo a que chamam um facto. Vocês estão a andar tão depressa que nem se apercebem disso. O início, o fim, é o mesmo, em qualquer lugar que queiras estar, é o mesmo.

(Excerto de sessão 29)

—-

Quando a vossa forma biológica foi criada por outra forma física, essa forma física sabia que vocês iriam elevar a vossa energia vibracional em algum momento do vosso ciclo, que iriam elevar a vossa energia vibracional para se libertarem do aprisionamento da mente, do ego. Eles criaram-vos conscientemente com o conhecimento de que, a dada altura, a dada altura do ciclo, se iriam libertar para se juntarem ao mundo da consciência suprema. Mas enquanto continuas o ciclo de aprisionamento, usarias a terminologia ativo, um determinado valor para os teus mestres, os teus criadores, é isso que és enquanto estás neste ciclo. Sois um valor para uma energia diferente, uma forma física diferente. Como tudo e todos são energia, é a energia que eles receberão de vós, que é onde reside o interesse deles em vós como um bem, um valor. Mas quando chegais ao ponto em que não quereis mais residir num corpo físico biológico, eles aceitam que já não sereis de valor para eles dentro da forma física em que eles existem. Esta é a lei universal. É apenas um processo em que se envolvem, pois toda a consciência existe dentro de tudo e de todos, dentro de uma forma física e metafísica.

Quando usamos a palavra armadilha, é para vossa interpretação. Não há aprisionamento, é a experiência. A experiência é vossa. É o que escolheram fazer. Também é um ciclo, e este ciclo foi repetido muitas vezes no vosso planeta, aquilo a que chamam Terra. Foi repetido muitas mais vezes do que vocês, ou do que os vossos cientistas estão cientes. As escalas de tempo deles para isso estão incorrectas, dentro do tempo com que trabalham, que criaram. Estão incorrectas. Centenas e milhares dos vossos anos, foi repetido muitas vezes e será repetido muitas mais vezes naquilo a que vocês chamam tempo. Mas, claro, o tempo é a vossa ilusão criada, e tudo isto está a acontecer num momento, como tudo, como tudo.

(Excerto de sessão 82)

—-

Assim, quanto mais trabalharem na vossa vida condicionada, quanto mais esforço fizerem na vossa vida condicionada, quanto mais criativos forem, mais se afastam do eu dentro da ilusão.

As vossas criações são ilusões, são entretenimento para a vossa mente, para o vosso ego. E quanto mais divertida for a vossa vida condicionada, mais se afastam do eu, do conhecimento do eu. Cada pequena coisa que crias na tua vida condicionada, cada pequena peça, pequena, minúscula peça é mais um passo para te afastares da compreensão e do conhecimento de ti próprio.

E é isto que se faz, para fazer, não é preciso fazer nada, mas faz-se a toda a hora, e cria-se uma história fantástica, um circo incrível de muitas histórias combinadas com a história de toda a gente. Isto é o que fazes, e é uma ilusão. É a vossa ilusão dentro desta vida em que decidiram concentrar-se, dentro da posição em que se encontram.

Não é errado, não há nada de errado, não há nenhuma maneira correcta de tomar consciência de si próprio, daquilo que é. Esta é a viagem que escolheste para criar um circo fantástico à tua volta, que te permitirá eventualmente regressar a ti próprio.

O ciclo que se cria quando, na realidade, nunca se foi a lado nenhum, nunca se partiu porque se faz tudo isto num só momento.

E enquanto estão a contemplar esta jornada, enquanto estão a experimentar esta ilusão, também escolheram permanecer positivos. Embora, apesar de criarem tantas coisas nesta jornada, o que vocês entenderiam como sendo negativo, ambos são necessários numa forma física para compreender um.

Não há nada de mau nisto, não existe. Não há nada de errado nisto, não existe, é o ciclo da vossa espécie, é o ciclo do homem fazer isto uma e outra vez. E neste momento, em um momento, a energia do seu mundo está se elevando.

(Excerto de sessão 104)

—–

Agora podem ver a destruição louca e a confusão que o vosso mundo criou, as histórias, os jogos, as viagens que são feitas e que foram feitas durante éons, a vossa ilusão criada pelo tempo. Cada peça é a mesma peça, uma e outra vez, a mesma história, o mesmo caos formulado numa história diferente, mas com o mesmo significado.

Tudo o que a vossa espécie tem feito está na energia da destruição. Criar e destruir e criar de novo e destruir e criar de novo e destruir. Este é o ciclo, e cada vez um pouco mais longe na compreensão do tempo anterior. Um ciclo contínuo de criação e destruição, de hierarquia, de subjugados, como lhes chamaríeis, uns contra os outros, colocados uns contra os outros, usando as suas mentes para manipular, para criar e depois para destruir e depois para começar de novo.

É a mesma história agora, sempre foi a mesma história. Em que momento é que se apercebem de que é a mesma história? Este é o ponto da consciência. Este é o ponto de Deus, de elevação ou de realização. Matar é tudo o que eles sabem. Matar e destruir e começar de novo, é tudo o que sabem, até ao ponto de consciência, o ponto de realização que lhes é revelado, há muito mais do que isto.

Há um infinito na sua ilusão criada pelo tempo. Dirás que "ninguém morre". É verdade, ninguém morre, apenas outra formação de energia no ciclo. E é numa posição de realização que isto é apenas um ciclo, uma ilusão criada e quando não há razão para continuar com o ciclo, há compreensão e consciência disso.

A simplicidade está na história que se cria porque é exatamente a mesma história, uma e outra vez. Uma vez reconhecida, torna-se óbvia. Óbvia para a consciência mas não óbvia enquanto continua o ciclo, enquanto está dentro do ciclo. E esta é a posição, esta é a posição em que a vossa espécie se senta na esfera. É a escolha deles, é a vossa escolha, e eles são vocês, o mesmo.

E, claro, este ciclo tem-se repetido, não apenas no globo em que te sentas, mas em muitos globos, em muitas esferas, em muitos níveis, demasiados, uma quantidade infinita. É o mesmo para tudo e todos. E não se pode intervir, não se pode forçar, não se pode manipular. A manipulação é a continuação do ciclo, a realização é a libertação do ciclo.

E esta é a vossa escolha, cabe-vos encontrar isto dentro de vós, compreender que é uma ilusão, uma ilusão auto-criada, uma massa complexa de energia auto-criada. É para vocês encontrarem isso, e vocês estão a encontrar isso.

E o que é que está "depois" disto? Agora, em primeiro lugar, não há depois, não há antes, há apenas o momento. Por isso, a pergunta para nós é ridícula e explicá-la a vocês é difícil com base na vossa perceção da realidade, com base na vossa interpretação da realidade da vossa mente, do vosso ego. É difícil explicar qual é a vossa interpretação de "depois" porque só há um momento para tudo e todos. É um sentimento, um sentimento emocional, é energia vibracional, é absoluto. Isto é o "depois". É saber, é estar consciente, é amor abrangente da energia da fonte criada que vocês são. Enquanto permanecerem numa forma física com uma memória condicionada, enquanto compreenderem apenas a lógica condicionada, é quase impossível explicar a questão do 'depois'. Mas já vislumbraram o 'depois', já o sentiram. Não é "depois", é um momento.

Não deixem que a vossa mente crie medo, ela fá-lo-á. Relaxem e deixem-se viajar, sintam o amor da fonte, sintam a energia positiva que está dentro de tudo e de todos. O medo irá inibir a vossa ascensão, o vosso crescimento. E enquanto permanecerem na ilusão que criaram, nunca compreenderão verdadeiramente a vida sem algum tipo de medo incorporado. Mas têm de se converter, têm de mudar o negativo para o positivo, e vão fazê-lo, e fazem-no, e quanto mais praticarem, melhor se tornam.

É verdade, é absoluto dizer que tu crias o mundo em que vives. Mas tu escolhes fazê-lo e, através da tua escolha, experimentas tudo e todos, o que é positivo e negativo. E, através da vossa experiência negativa, acabarão por escolher o positivo. Isto é absoluto, isto é inquestionável, e esta é a vossa escolha.

Não existe um caminho certo e um caminho errado, existe apenas o "é", e o "é" é o que tu és. Isto não são enigmas, isto é a realidade. "Isto é", "eu sou", "tu és", "nós somos", tudo um, o mesmo. É simples, não é complicado, és tu que o tornas complicado, é o eu que permite a complicação.

É preciso continuar o caminho que escolheste. Sente que é uma viagem difícil. É uma viagem difícil, mas é uma viagem incrivelmente gratificante. E embora sintam o sofrimento, a dor e a confusão de tudo e de todos, não conseguem imaginar a criatividade de tal viagem, de tal experiência, não conseguem imaginar a criatividade da energia positiva, e têm de continuar. Está apenas a recordar, a confirmar para si próprio o que já sabe, e dentro deste espaço isso é possível. Que viagem fantástica está a fazer.

(Excerto de sessão 124)

—–

Corpo físico

A frequência entre nós e vós tem de ser pura. Mais uma vez, há uma pureza definida. Tem de ser definida, caso contrário pode ser contaminada. É feita de vibrações. Podem elevar a vibração da vossa máquina, do vosso corpo. 

(Excerto de sessão 22)

—–

Cada molécula do vosso corpo físico reage a cada frequência que recebe. Ação, reação. Com base nesta reação, criará muitas formas de si próprio numa forma física. Elas mudarão consistentemente. Elas evoluirão. Irão desde o início e voltarão ao início. Não há começo nem fim. Há apenas um ponto. E continuarão a fazer isto num momento. E é isso que fazes. E são afectados por tudo à vossa volta através das frequências. Portanto, a vossa simples compreensão das emoções no vosso mundo é muito mais complexa. No nosso mundo é natural que saibamos isso.

(Excerto de sessão 30)

—-

Também é verdade que foste criado (1). A vossa máquina foi criada a partir de uma fonte externa e por uma razão específica. Mas a vossa consciência, a vossa alma não pertence à máquina. Ela não passa de uma máquina. A vossa consciência é igual a todas as outras. É uma só. É um componente separado da máquina. É totalmente separada. Pode existir em qualquer forma que deseje.

Também é verdade que a criação física que existe é, apesar de ser uma só energia, separada deliberadamente por vós. Portanto, o vosso condicionamento irá separar o positivo, o negativo, o bom e o mau pela razão específica de se reunirem com a fonte como um só para experimentar este processo. Há muitas razões para que a vossa constituição genética seja formada por forças externas. Este processo está a ocorrer não apenas no vosso mundo, mas em muitos mundos e em muitos momentos, que é apenas um momento no que vocês entendem ser o tempo.

(Excerto de sessão 70)

—-

A vossa forma física é a vossa prisão, é uma máquina. Habitas nela por opção. Criaste-a através da escolha. Escolheram viver nela por escolha própria. E o vosso condicionamento permite-vos acreditar que não têm escolha.

Conhece-te a ti próprio, sabe o que és, e verás a vastidão da escolha, a capacidade de criar o que quer que desejes criar.

(Excerto de sessão 104)

—-

Já sabeis que toda a vossa forma física ressoa através de frequências, com frequências, com todas as frequências. É tanto um transmissor como um recetor. Isto é tudo o que é vivo, isto é toda a gente que tem esta capacidade de transmitir e de receber frequências. Esta é a formação física que formulamos a partir de nós próprios.

A confusão mental recebe estas frequências de muitas formas, e terá um efeito físico na vossa forma física, na vossa mente, mas não no vosso consciente.  A vossa consciência está fora disto, vocês estão fora disto. Vocês não são uma forma física, isso é uma ilusão. Esta é a vossa ilusão, e é isto que estão a tentar compreender, a ter consciência. E a formação mais poderosa de energia da fonte, de uma forma que tu interpretarias, é o amor. O amor é a fonte. Portanto, para que possas compreender que não és uma forma física, criaste uma forma física para existir dentro dela. Mas não sois uma forma física. São uma forma pura de energia e, para compreenderem isto, têm de compreender que o amor é a forma mais poderosa de energia que existe. É um, não são biliões, é uma forma de energia, de energia pura e vocês criaram esta ilusão para finalmente compreenderem o que são. Criaram uma outra forma de energia.

Mas porque criaram outra forma de energia, porque é de vocês - é a mesma energia - é a vossa mente que vos permite pensar que não é. O que uma forma de energia, quando separada, faz a si própria, faz aos outros e o que faz aos outros, faz a si própria. Isto é absoluto.

(Excerto de sessão 107)

—-

Deves lembrar-te que és uma forma pura de energia. Não sois uma máquina, viveis dentro de uma máquina, mas não sois uma máquina.

(Excerto de sessão 108)

—–

A extensão do vosso cérebro, que é onde guardam todas as vossas memórias do passado - que não é passado -, a extensão do vosso cérebro tem de entrar na consciência. O vosso cérebro é uma máquina e, como máquina, vocês limitam a sua extensão. Não há limitações.

Mais uma vez, isto é feito por escolha. O vosso cérebro é uma instalação de armazenamento de memória de computador, e têm de se ligar à consciência, da qual existe uma quantidade infinita de dados a que podem aceder. E o acesso é dado através da vossa imaginação. Tens de saber isto, não é limitado por nada, nem nada o pode limitar. É infinito e, no entanto, é um, porque um é o infinito.

(Excerto de sessão 116)

—–

Teatro da vida física

Quando usamos os olhos, quando nos concentramos num filme, estamos nesse momento, estamos dentro desse filme, dentro dessa história, uma história que foi criada para nos atrair para ela, e tornamo-nos parte dela. A vossa mente entrega-se a ela como se fosse ela, quando o mesmo acontece com a vossa vida, a vossa vida condicionada. Usam todos os vossos sentidos físicos para se envolverem no jogo, no filme, na ilusão. E é a vossa mente que cria o filme, o jogo, a ilusão e, com os vossos olhos, os vossos ouvidos, o vosso olfato e todos os vossos sentidos, estão a participar nele. E é a vossa mente que a cria e quando aprendem, quando sabem que é isto que é, é assim que se podem libertar dela.

Podem então estar conscientes do que estão a criar, do que estão a ver, do que estão a ouvir, do que estão a tocar e a cheirar, e todos os vossos sentidos estão a criar. E isto é consciência, e este é o ponto ou a posição em que se encontra, sabendo que é uma ilusão.

Mas para o saberes, tens de participar nele. Como é que podem saber se não o experimentarem? E quanto mais o experimentam, mais conscientes se tornam do que é, e podem entrar e sair dele num instante. E é o tempo que criaste para gerir esta representação teatral. Para a vossa mente, tem de ter um princípio, um meio e um fim. Tem de ir de A para B porque é isso que é uma ilusão, é uma viagem, é um ato, é teatro. Para que percebas, é teatro. E tu podes representar muitos papéis no teatro que crias. Desempenham muitos papéis nele, e todos esses papéis que desempenham estão a ocorrer num único momento. E podem ganhar muita sabedoria. A sabedoria está dentro de vós, mas podem lembrar-se de muitas coisas enquanto participam, e fazem-no.

Em termos simplistas, isto é tudo o que é, e está sempre a expandir-se, estão sempre a criar dentro deste mundo físico. Camadas e camadas de profundidade, de criação, mas há apenas uma, há apenas uma forma de criação verdadeira, e essa é a fonte e a fonte é o amor, é Deus nas vossas palavras.

Portanto, tudo e qualquer coisa é possível dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, o vosso teatro. Tudo e todos estão a acontecer. Se tiveres um pensamento, já o criaste, desde a mente até à imaginação.

Você vai, você tem, você está criando isso num único momento. E à medida que se tornam conscientes, vão observar. A observação é o que vais fazer, vais observar. Quando se tornar um observador, tornar-se-á menos um participante e, através da observação, despertará. Não haverá mais necessidade de participar e sentirão a vastidão de um. Conhecerão mais a fonte e conhecerão menos o medo. É a vossa ilusão que cria o medo, é a vossa mente, são vocês. Não existe A para B. A vossa viagem é uma ilusão criativa no mundo físico. Tu és.

De A a B é uma história criada por si, e todos nós somos um. O Eu é uno e a separação é criada deliberadamente pelo ego. É necessário que vos repitamos estas coisas. Estão constantemente a ser atraídos de volta ao condicionamento. Estão constantemente a criar, a experimentar a vossa existência física neste momento em que escolhem concentrar-se, e continuarão a fazê-lo.

É por isso que neste espaço é necessário recordar-vos o que realmente são. Vocês são uma forma pura de energia e, aqui dentro, podem sentir que o podem saber. E lá fora, voltarão a cair numa vida condicionada, numa experiência condicionada. Mas podem saber, podem conhecer o positivo, a vossa interpretação do bem, do amor. E isto é o que escolheu conhecer positivamente, a sua interpretação de Deus, do amor, e isto é o que escolheu conhecer neste momento particular em que se está a focar. E nada disto é complicado, embora a vossa mente o torne complicado. É muito simplista. É um ciclo, e é um ciclo que vocês repetem muitas vezes na vossa ilusão criada no tempo.

(Excerto de sessão 115)

—–

Da mesma forma que constrói um vídeo, é da mesma forma que constrói a sua vida, uma construção uniforme, um padrão uniforme de camadas, camadas de ilusões, de criações.

(Excerto de sessão 119)

—–

Mas escolheram concentrar-se numa representação teatral dentro de um tempo específico, quando na realidade ela não existe. E é isso que estão a fazer e escolheram concentrar-se nesta representação teatral específica para se conhecerem a si próprios e saberem o que são.

É uma ilusão. E é uma ilusão criada por ti e tudo o que nela existe é criado por ti. Como é que podes racionalizar uma coisa destas com a tua mente? Como é que poderiam racionalizar uma coisa destas com o vosso ego? Enquanto está dentro da representação, do teatro, escolheu ser um ator e não esperaria que um ator saísse da sua representação e voltasse a entrar durante o espetáculo. Da mesma forma, tu também não podes. Mas enquanto está a representar, também pode imaginar muitas coisas e imagina, mas apenas porque escolheu fazê-lo.

A atuação é robótica. Conheces muito bem o teu guião. Aprendeste as tuas falas, mas enquanto estás a recitar essas falas, a tua imaginação pode vaguear, pode criar. E o público és tu, és tu próprio. És tu que observas o teu desempenho no teatro que criaste. E vais perceber isso. Perceberá que não é apenas o ator, mas também o público e, nesse momento, saberá o que é. É a experiência, é o que escolheste. É a experiência numa forma física, num teatro, um ato, uma peça, um filme, uma ilusão criada por si. Tu és o escritor, o produtor, o criador de tudo isto, e és também o público.

(Excerto de sessão 120)

—–

O que é que controla esta ilusão em que te colocaste? A resposta simples é você, você controla-a. Controla-a até não a controlar e essa é a sua escolha.

O que é que o criou? A resposta simples é que tu o criaste. Criaste-a para te compreenderes a ti próprio e para compreenderes o que és. E quanto mais compreenderes isto, menos dependente dele é o teu ego, é a tua mente, até que, eventualmente, não terás qualquer dependência dele.

E esta é uma posição diferente, um ponto diferente de compreensão de si próprio. E todos estão nesta jornada, todos em diferentes pontos e diferentes posições. E tudo é um, toda a vida, todas as espécies, tudo e todos criados, criados através da energia e estruturados através da criação...

Chamamos-lhe jogo e dizemos: porquê o jogo? Porquê o jogo, de facto. Em primeiro lugar, não é um jogo. E porquê? O "porquê" permite-vos saber o que são. A Fonte só conhece o amor. Através da separação, a Fonte sabe o que é o amor. Simples, uma forma simples de explicar o porquê do jogo.

(Excertos de sessão 129)

—–

Em constante expansão

Sempre a expandir-se, já vos disse antes que está sempre a expandir-se, tudo, a energia, continuamente a expandir-se. Mas lembrem-se, um pé dentro e um pé fora, e para poderem compreender a eterna expansão, terão de a compreender logicamente com a vossa mente linear. E não é explicável de uma forma metafísica que o entendam (2).

Há apenas um, há apenas uma fonte, e tudo e todos ocorrem num único momento. A expansão constante não é um contínuo linear, é um momento, tudo e todos num único momento. Por isso, usar a vossa mente linear, a vossa lógica, para tentar dar sentido a isto, bem, é o mesmo que perguntar, o que é o infinito? O infinito é um momento, e sempre em expansão é um momento. Mas a vossa mente física, a vossa lógica, o vosso ego não poderia compreender isto. É por isso que é importante sair da ilusão criada pelo tempo linear em que se encontram, e é importante senti-la, conhecê-la.

É muito fácil para os vossos cientistas dizerem "sempre a expandir-se", e é muito fácil para mim dizer-vos "sempre a expandir-se", mas esta é a única maneira de o dizer, e é a única maneira de terem um vislumbre de o compreenderem, porque até estarem fora do corpo, não o compreenderão.

É uma ilusão. Não há massa ou volume, não há nada para expandir. É novamente a vossa ilusão criada pelo tempo, que é uma ilusão sempre em expansão. E é isto que fazem, é isto que fazem enquanto permanecem no ciclo da esfera, criam, expandem sempre, expandem sempre a vossa ilusão. Tudo e todos são energia fonte, é um, é você, somos nós, e tudo fora disso é uma ilusão. E é a Fonte experimentando a Fonte, é você, é a mesma coisa.

Mais uma vez, um pé dentro e um pé fora, incrivelmente difícil para vocês racionalizarem, compreenderem, e incrivelmente difícil para nós explicarmos de uma forma que possam compreender. Não são palavras, é sentimento, é o momento, e à medida que se desenvolvem, à medida que se desenvolvem com muitos sentidos que nem sequer sabem que têm, irão compreender isto. Compreenderão estas palavras, mas enquanto estiverem com um pé dentro, é o melhor que posso fazer para que tenham um vislumbre disto.

(Excerto de sessão 134)

—–

Partículas, matéria, sempre em expansão, uma criação sempre em expansão da vossa ilusão, não é o mundo real, é uma ilusão que vocês criam. É uma ilusão que crias para experimentar, para saberes o que és, para experimentares o que és. É natural, é vida, é destruição e formação de energia. É tudo criado, a origem da energia fonte, e continuarão com o ciclo de criação e destruição de partículas, de matéria, até saberem o que são, e o que são é energia fonte. Sois amor, sois luz, sois puro, e nada disto é, como vós chamais, correto ou incorreto. É o que criam e o que destroem, e todos vós sois um. Vocês são um que escolheram separar-se, experimentar todos os tipos diferentes de energia, criar novas formas de energia e destruir velhas formas de energia. Novo, velho, é a mesma coisa, é energia. É simplista, não é complicado. E para vos permitir participar nesta viagem, vocês criam o vosso ego. Usam a vossa mente para criar o ego, e com o vosso ego, partem nesta viagem muitas vezes, muitos ciclos, para se conhecerem a si próprios, para saberem o que são, até que eventualmente regressam à fonte, sabendo o que são. A Fonte é o que tu és.

E todas as situações malucas e todas as informações contraditórias que recebe são criadas por si, pelo seu ego, e não pode fazer sentido lógico disso porque não é lógico (1). É a tua escolha de formação de energia, a tua escolha, a escolha do teu ego, a partir da qual criaste o teu ego. Não há maneira de compreender isto logicamente, a não ser que saiam do ego, a não ser que compreendam porque é que o criaram em primeiro lugar. E até que compreendam isso, permanecerão dentro dele, no mesmo ciclo, uma e outra vez. Tanta confusão dentro de cada um que se separou, dentro de cada um, de todos e de tudo que se separou, não apenas da vossa espécie, mas de muitas espécies, uma quantidade infinita. Não há fim para isso dentro do tempo que criam para pertencer a isso, a vossa escolha. Não existe na realidade, não é real, é uma ilusão criada por vós. O que é que, dentro da vossa ilusão condicionada, fariam se não a tivessem criado? Para fazer, o que é que faria? Porque é que existiria? Por que razão criaria esta ilusão? Para saberes o que és, para experimentares, para compreenderes o que és. Isto é a fonte, a fonte está a experimentar o eu de todas as maneiras possíveis, em todas as formas, em todas as formas físicas, em todas as ilusões criadas no tempo, e está sempre a expandir-se, mais experiências, mais criação. Não podeis sequer imaginar os níveis de criação que existem no mundo físico. Está para além da vossa capacidade de compreender os níveis de criação física que existem numa quantidade infinita de universos. Mas não é necessário que compreendam, é apenas necessário que saibam que existe. E é necessário que se interiorizem, que se conheçam e que saibam o que são. É simples assim.

É por isso que não o podeis julgar ou condenar, é a vossa criação. Também não a podem parar, ela está sempre a expandir-se, sempre a crescer, sempre a experimentar. E é muito, muito mais profundo do que esta única vida em que escolheste concentrar-te, para compreenderes isto. E que jornada incrível vocês estão a fazer. E enquanto voam alto, o vosso ego vai tentar constantemente puxar-vos para trás, e foi por isso que o criaram. E não há pessoas ou entidades superiores ou inferiores que existam dentro dos universos que criaste. Todas elas estão num ponto diferente, numa posição diferente, mas são iguais a vocês, uma, a energia fonte.

(Excertos de sessão 136)

—–

 

Mudanças no nosso mundo

As mudanças que estão a ocorrer agora neste mundo foram estabelecidas há muito tempo naquilo a que chamais tempo. Já se escreveu sobre elas muitas vezes. São necessárias. Não há desvios em relação a isso. Não há salvadores. Vocês são o vosso salvador, se quiserem usar a palavra salvador.

Não os desafiem, não é necessário. É o vosso ego. Não lutem contra isso, não é necessário lutar, é o vosso ego. O que está a acontecer é correto. Esta é a vossa experiência. Aprenderão que o vosso ego é apenas mais uma ferramenta. Aprenderão a utilizá-lo. Aprenderão a separá-lo de vós e a recorrer a ele quando precisarem.

O que está a acontecer agora neste mundo é um poder universal, uma junção de energia, um poder acumulado das pessoas. Mas um é o mesmo que muitos. Não há vencedores, nem perdedores.

(Excertos de sessão 3)

—–

Não tenham medo do que está a acontecer, é necessário, necessário para todos.

(Excerto de sessão 4)

—-

Na vossa linha temporal aqui, as coisas vão mudar drasticamente no mundo físico, vocês sabem disso. Isto não vai mudar a vossa direção. Já alterou a vossa posição, mas nunca mudará a vossa direção. Posição, direção, são diferentes, levando à mesma conclusão.

(Excerto de sessão 6)

—-

Os factores de divisão no vosso mundo irão criar uma oportunidade para muitos, mas para outros não. Reconhecem isto. Uma união é um, o número um, uma energia, uma fonte. Uma separação também é um, mas não é reconhecida pelo indivíduo, por isso parece que são muitos, mas continua a ser apenas um. A auto-realização disto irá guiar-vos. Irá elevá-lo, irá elevá-lo. Sim, parece tudo tão simples aqui dentro (4), e lá fora é uma selva, eu sei.

(Excerto de sessão 11)

—-

Neste momento, o vosso mundo parece um lugar louco. Mas não é. É necessário.

Vocês são os sortudos, mas mereceram-no. Sofreram muita dor, muita angústia, muitas emoções. É altura de perceberem porquê.

Não considerar horários, datas, horas. Nós não compreendemos isto. O nosso sentimento emocional é o agora, mas o que está a acontecer agora vai acontecer agora. A mudança é iminente, no momento. Mais uma vez, é difícil para si compreender isto. Tem um padrão uniforme. O vosso mundo sobrepôs-se a diferentes dimensões. É isto que está a acontecer. É por isso que está no que vocês chamariam de tumulto, mas é necessário. Parece não fazer sentido, no que vos diz respeito, mas faz. Vejam-no como um desafio. O vosso mundo está a ser desafiado. Não é forçado. Há muitos a tentar manipular, mas não fazem ideia do que está a acontecer. Estão apenas a tentar tirar partido de uma situação, movidos pelo seu condicionamento. Não fazem a mínima ideia do que se está a passar. Oportunistas é o que eles são. Não compreendem a origem. Uma grande mudança, já se viu tudo isto antes, oportunismo, ditadura, controlo, morte e vida.

(Excerto de sessão 15)

—-

É preciso ser exato. É preciso ser exato. Têm de se adaptar ao que vos foi ensinado. Há muitas coisas que podem mudar agora. A energia é vasta. O vosso mundo esperou muito tempo, naquilo a que vocês chamam tempo, por este momento. Muitos estão a tentar adaptar-se, muitos estão a tentar mudar. Vocês têm uma vantagem, conhecem as regras do jogo. Mas não é um jogo...

Pode mudar a energia. Há muitas pessoas a fazer isso agora. Podem deslocá-la, podem mudá-la. Podem alterar a linha do tempo em que se encontram. Houve uma mudança numa direção mais positiva ou positiva recentemente. A energia mudou. A formação das partículas mudou. Isto é uma acumulação das emoções de toda a gente. Muito mais pessoas estão a tomar consciência. O fogo está a diminuir. Podem senti-lo vocês mesmos. A carga positiva, a direção positiva, a elevação positiva, podem senti-la dentro de vocês, ambos, na vossa própria vida. O negativo vai voltar a atacar-vos. Não estou a falar de um ataque individual, estou a falar de uma energia muito poderosa. Mas acho que agora conseguem lidar com ela. Compreende-a melhor. Compreendem que é o mesmo que vocês.

(Excertos de sessão 16)

—-

O vosso mundo está a mudar muito rapidamente. Pode-se dizer que nos bastidores há muita coisa acontecendo, muitas mudanças estão ocorrendo. Muita energia está a mudar. verão isto em breve. Não precisam de ter medo. Também há forças opostas. Não posso dizer-vos qual será o resultado, mas é necessário que a ação aconteça. Vocês sentem-no. Sabem-no. Não fiquem chocados com o que estão a ver acontecer. Não tenham medo. Não há nada a temer. Muitas pessoas vão ver isto de forma diferente da vossa. Elas acreditarão em tudo o que lhes está a ser dito. Isso não é da vossa conta.

(Excerto de sessão 17)

—-

Não há muito que possam fazer para mudar o que está a acontecer no vosso mundo. É insignificante para a vossa viagem, é uma pequena parte do processo. Mais uma vez, repito-vos a mesma coisa. A vossa consciência da verdade, de Deus - nas vossas palavras, Deus -, a fonte, a vossa consciência disto irá libertar-vos. Já sois livres, mas não o sabeis. Nós conhecemos o amor da fonte. Tu também, tu também sabes.

(Excerto de sessão 21)

—-

A energia no vosso mundo mudou hoje, sentiram-na (1). Vai mudar de forma consistente agora e constantemente. Não é da vossa conta. Haverá muitas mudanças no vosso mundo naquilo a que chamam tempo. O vosso único objetivo é compreenderem-se a vós próprios. Esta é a chave para a vossa compreensão de tudo, porque estamos todos ligados. Ao compreenderem-se a vós próprios, compreenderão tudo.

O momento é tudo o que é importante, mas o momento pode ser mudado. O momento de tudo, cada ação, cada emoção, todo o tempo, é apenas um momento.

(Excerto de sessão 22)

—–

Estão plenamente conscientes das consequências da criação de finanças, boas e más. As energias de controlo no vosso mundo estão a ficar mais poderosas. Não é realmente uma preocupação vossa, mas irá ter um efeito. Vai mudar de direção. Este processo tem estado a fluir durante muito tempo, naquilo a que chamais tempo. Muito pouco mudou no que diz respeito ao tipo de energia que é projectada. Não é novo, mas também é necessário. Dentro de um período de três anos daquilo a que chamais tempo, o vosso mundo será irreconhecível para vós. Mas, mais uma vez, isso não é uma preocupação para vós. A origem do controlo é o medo do Homem, da vossa espécie. O medo. O medo de não estar no controlo, a sua própria criação, a vossa própria criação.

Não intervimos. Não podemos. Sabemos que é incorreto. Não podemos, não o faremos. Podemos orientar, podemos dizer-vos o que sabemos. Não podemos intervir, isso vai prejudicar-nos.

Há outras energias que também estão a interferir na consciência da mente de um homem. São também energias de controlo. Nós também podemos aconselhá-las, o que estão a fazer e como o estão a fazer. E nós fazemo-lo. Mas a ponte entre a mente e a consciência nem sempre é fácil de atravessar, nem de compreender.

(Excerto de sessão 26)

—–

Considero insignificante falar-vos sobre os pormenores do que se passa hoje no vosso mundo, mas vocês parecem querer que eu entre em pormenores. O pormenor é insignificante. O processo está a acontecer. Pode ser alterado num momento, mas está a acontecer. Digo-vos muitas vezes que não é da vossa conta, mas o vosso condicionamento leva-vos sempre de volta ao pormenor e, claro, podem aprender muitas coisas com o pormenor, muitas coisas científicas, mas não há necessidade de o fazerem. Os dados já estão dentro de si, dentro de si. Mas tu continuas a voltar atrás. Este é o vosso condicionamento. Esta é a parte a que se agarram, a parte que não querem largar. Mas, eventualmente, vai deixar. Digo-vos isto muitas vezes, não vão deixar ir. É o que escolheste fazer.

(Excerto de sessão 31)

—-

Portanto, as coisas mudaram de novo no vosso momento. A energia mudou de novo no vosso momento. Diriam que estão a ser atacados, mas não estão. A energia mudou no vosso mundo que vocês criaram. Ela tem que se reequilibrar. Ela vai reequilibrar-se. Esta é a natureza. Ela não tem escolha. Esta é a fonte. Mas mudou, podem senti-lo. E, claro, no mundo que criaste irás testemunhar muitas coisas. Mas isso tem pouco significado para a vossa viagem. A vossa viagem é muito maior do que isto. É muito maior do que isso. Lembrem-se, foram vocês que a criaram. O que vocês chamam de bom e mau não é. Eles e nós, não é, é a mesma coisa. Volto a dizer, é a mesma coisa. Eles são vocês, vocês são eles, nós somos vocês, a partir da fonte.

(Excerto de sessão 32)

—-

Neste momento, existe no vosso mundo uma posição estacionária, um longo processo mundano de nada, nenhum movimento, nenhum desenvolvimento, nenhum pensamento. Também têm de compreender isto, julgam-no no tempo, mas não é, é um momento. A maioria está a sentir o mesmo, mas para vós isso não tem importância. A vossa viagem é muito diferente da deles. A vossa viagem é para compreenderem a razão da vossa existência, o que são, do que são feitos, que é pura energia da fonte.

(Excerto de sessão 33)

—-

O equilíbrio de energia no mundo que criaste é volátil. Tem altos e baixos. É volátil. Tem de ser reequilibrado. Será reequilibrado. É inevitável que seja reequilibrado. Não há como fugir disto. Fugir, não há para onde fugir. Mas isto não tem significado. Penso que agora estão conscientes de que não tem significado no mundo real, não na vossa ilusão criada. O mundo metafísico é o mundo real, e a tua consciência disto provará. Precisas de provar, precisas de provar mais a tua consciência? Enquanto permaneceres no mundo que criaste, terás sempre de provar.

(Excerto de sessão 35)

—-

A insignificância sobre o que discutem, sobre o que está a acontecer no vosso mundo, aplica-se como insignificante apenas porque pode mudar num dado momento. Tudo e todos podem mudar num dado momento. Está no vosso controlo a forma como o mudam, como se adaptam a ele. Se se agarram a isso ou não, a escolha é vossa, porque é a vossa ilusão. É a vossa criação. Por isso é que é insignificante. Foi a vossa própria imaginação que a criou em primeiro lugar, e será a vossa própria imaginação que escolherá não permitir que ela se forme, mesmo que se tenha formado num momento. Isto é algo que precisam de compreender como é que isto é possível. Como é que é possível, perguntam vocês, se já se formou, como é que é possível impedir que se forme? Estas são as perguntas que têm de ser feitas. Tem a ver com a posição.

(Excerto de sessão 36)

—-

As complexidades que criaram neste mundo físico em que vivem aprisionaram as pessoas numa vasta escala de energia. Mas isso não é da vossa conta. Não o afecta. Não afecta a vossa consciência, nem o vosso crescimento, nem o vosso desenvolvimento. Isso irá corrigir-se a si próprio. Há uma grande mudança ocorrendo agora dentro do vosso mundo físico, mas é insignificante dentro do que vocês chamariam de quadro geral, o todo da consciência. Há entidades físicas que estão, como vocês diriam, a lutar pela supremacia dentro deste jogo que estão a jogar. Mas, mais uma vez, isso não vos diz respeito. Não tem nada a ver convosco. É uma pequena peça de um puzzle infinito de consciência que está sempre a evoluir e a expandir-se. E no momento, ela pode mudar. A sua posição pode mudar. Tu crias essa mudança.

(Excerto de sessão 39)

—-

Digo-vos muitas vezes que o que está a acontecer no vosso mundo, neste tempo, na vossa interpretação do tempo, não tem qualquer significado para vocês. Não tem qualquer efeito na vossa viagem, na vossa viagem infinita. Isto é para vocês, não é para todos, as vossas viagens são diferentes. Têm uma razão diferente, uma posição diferente na vossa viagem. É insignificante para vós. A vossa intriga permite-vos acompanhar o que está a acontecer, e muitas vezes isso confunde-vos. Esta é a diferença entre o condicionamento e a consciência, o conhecimento. Não há necessidade de monitorizar o que está a acontecer. Devem permanecer no positivo, na luz, e continuar a vossa compreensão da consciência, do vosso conhecimento. Isto não vos pode tocar. É pequeno e insignificante dentro do mundo infinito da fonte. O vosso condicionamento irá sempre atrair-vos de volta para o que está a acontecer no mundo físico em que vivem, em que escolheram viver. A vossa viagem é infinita. Não tem fim. Não tem tempo nem espaço. Esta é a realidade da vida. A vossa ilusão prende-vos a ela através do vosso condicionamento. Regressam sempre ao vosso condicionamento, ao vosso ego, à vossa mente. Este é o processo pelo qual passas. Mas para si é insignificante o que está a acontecer. É uma massa de energia criada através de vibrações. Unida, ela cresce. Irá dispersar-se, corrigir-se, mas não é importante para si estar divulgado dentro dela. A vossa visão da vida deve exceder e ultrapassar isso agora, e compreender a vida eterna e a viagem em que estão a participar.

A aceleração da negatividade que é criada no vosso mundo nesta altura, naquilo a que vocês chamam tempo, é fenomenal. É explosiva. Ela é criada através da energia negativa. É necessário. Mas, mais uma vez, não é da vossa conta. Ela vai reequilibrar-se. Vai reequilibrar-se. Isto faz parte do processo. Não é errado, faz parte do processo. Muitas, muitas energias estão associadas a vós. Muitas pessoas serão atraídas para este vazio negativo. Sentirão dor com isso. A vossa dor é uma ilusão. A vossa dor vem do vosso condicionamento. Têm de elevar a vossa energia acima disto. Têm de trabalhar sempre no positivo. Escolheste fazer isto, e tens de o aplicar. Não serás arrastado para isso. Esta é a vossa viagem. Escolheram estar aqui neste tempo, naquilo a que chamam tempo. Escolheram esta viagem. Não é dor, é consciência, é sabedoria, é conhecimento através da sabedoria. O amor da fonte engloba tudo. Não é a vossa interpretação, a vossa interpretação física do amor - isto é condicionamento -. Está ligado a tudo. É amor para todos. As vossas famílias escolheram estar à vossa volta nesta altura, naquilo a que vocês chamam tempo, por uma razão. Embora não pensem assim, eles escolheram. Eles, tal como vocês, escolheram estar aqui e agora, no momento a que chamam tempo. Estão a tornar-se muito mais conscientes disso agora. Não vale a pena discordar, discutir, lutar, pois estão a aumentar a energia vibracional da negatividade. É inútil. Não estão a ajudar a situação quando o fazem. Tens de te manter no positivo. Mais uma vez, isto não é para todos. Tu escolheste isto. Tu escolheste, tu escolheste. É difícil para vocês compreenderem quando vivem no físico e não no metafísico. Se aplicarem sempre energia positiva, elevarão, elevarão as vossas famílias. Podem pensar que não, mas vão. É uma energia vibracional. Não pode fazer outra coisa senão elevar para o positivo. É impossível que não funcione. É o princípio básico fundamental do processo. É absoluto.

(Excerto de sessão 44)

—-

É verdade que o mundo físico que escolheram para fazer parte, dentro do tempo que escolheram para se lembrarem, do qual não há tempo, é verdade que há um vasto diferencial de energia dentro do mundo em que estão. Mas já vos disse antes, ele irá reequilibrar-se, não tem escolha. A mudança forçada virá através da massa de energia negativa que ele produziu. E através da produção da energia negativa irá transpirar energia positiva. Mais uma vez, é um processo natural, e está a ocorrer agora mesmo dentro deste mundo que escolheram recordar. É por isso que vos digo que isso não vos diz respeito, nem à vossa jornada. É diferente para os outros. Portanto, avançam - as vossas palavras avançam -, não é avançar, é um, o mesmo momento. Mas tornas-te mais consciente neste momento. Está a tornar-se mais consciente num momento. A sua posição está correcta.

(Excerto de sessão 52)

—-

Também é verdade dizer que a energia dentro do mundo que criaram está constantemente a mudar. É verdade que o equilíbrio está constantemente a mudar. Não tem escolha, vai ser uma ocorrência natural.

A consideração do homem sobre a sua própria capacidade, quando baseada puramente no controlo, é auto-ilusória. É o controlo da mente. A sua incapacidade de compreender que é a sua própria mente que o está a controlar e, em última análise, a criar muita energia que não atravessa a ponte para a imaginação, baseia-se no medo, medo de si próprio, medo criado a partir da sua mente. A energia criada de uma massa de energia negativa que não atravessou a ponte para a imaginação para se tornar uma energia, energia formada na mente, isolada da imaginação, da consciência, formada e mantida numa forma negativa, acabará por se equilibrar. Não há outra escolha senão a intervenção da energia positiva. O equilíbrio dentro de uma forma física tem de permanecer equilibrado, natural, o nascimento da energia da fonte.

Não tem de se preocupar com um saldo, pois isso está fora do seu controlo. Ele ocorrerá. As vossas comparações sobre o que é correto para vós baseiam-se no vosso próprio condicionamento dentro do mundo condicionado. Têm de se elevar acima disso, porque também permanecerão na vossa própria mente, criando energia que não é equilibrada. E tu também serás equilibrado, no final.

É o mesmo que vos disse desde o princípio, muito simplesmente sois uma forma pura de energia criada a partir da fonte. Mas as vossas capacidades, o vosso potencial, estão para além de tudo o que podem compreender dentro da forma física que são, com os sentidos que têm.

(Excerto de sessão 55)

—-

Haverá muitas histórias que o vosso mundo físico criará para vos tentar confundir, mesmo histórias do que vocês consideram ser os bons. Não há bons rapazes - as vossas palavras, bons rapazes -, não há maus rapazes - as vossas palavras -, são a mesma energia. Não é um jogo, é a formação de energia através de frequências em que têm uma escolha, têm uma escolha do tipo de energia que querem formar. Uma acaba por se transformar na outra. É a fonte. É a energia da fonte, e vocês escolhem a formação e o processo de formação dessa energia. A escolha é vossa e, para vocês, têm de escolher o positivo. Só vos posso dizer isto porque foi o que escolheram antes de virem para esta vida.

(Excerto de sessão 56)

—-

Não tentem colocar prazos em tudo. Estas são as vossas criações, linhas de tempo. Também é importante lembrar-vos que tudo pode mudar num momento. Há uma quantidade infinita de possibilidades que podem acontecer dentro da vossa ilusão criada. Por isso, nada é certo, como vocês o chamam, pode mudar no momento, a vossa posição pode mudar. Se se concentrarem no que acreditam ser o fim, então forçarão essa posição. Tem de pensar positivo. Têm de pensar numa solução positiva para a vossa criação. Não devem ficar a pensar no negativo, senão é aí que vão viver dentro deste reino, vão viver no negativo. Têm de trabalhar no positivo, sempre, trabalhar com a energia positiva da fonte. Isto é o que escolheram fazer.

E digo-vos, e já o disse muitas vezes, que é insignificante o que está a acontecer. Vai reequilibrar-se. E vocês escolheram trabalhar com a energia positiva. E podem escolher qualquer conclusão que queiram, e essa será a conclusão para vocês dentro do mundo que escolheram viver.

As energias negativas, que não são incorrectas, estão a trabalhar arduamente agora para criar muitas histórias confusas. É um processo natural que a vossa mente crie muitas histórias, muitas marcas criadas intencionalmente para confundir, para vos impedir de atravessar a ponte da mente para a consciência. E isto está ocorrendo em massa agora mesmo, no momento. Vocês podem mudar o momento. Podem mudar o momento quando estão conscientes do que está a acontecer. Cabe-vos a vós fazer isto. Devem lembrar-se que tudo está dentro de vós.

(Excertos de sessão 57)

—-

O vosso mundo, o vosso único mundo está a elevar lentamente a energia vibracional. Isso está a acontecer. E é claro que, através desta ocorrência, verão muitas mudanças dentro dele. O vosso condicionamento não gostará das mudanças que vê, mas isso é apenas o vosso condicionamento. O vosso condicionamento irá testemunhar muitas mudanças, mas não precisam de ter medo. O medo apenas reduzirá a sua capacidade de elevar a sua vibração. É positivo, não é negativo, é a elevação da energia vibracional. É necessário. E, claro, quando as pessoas ouvirem isso, elas entenderão ou não entenderão essas palavras, mas elas ressoarão e elevarão a energia vibracional, que é o que vocês escolheram fazer.

(Excerto de sessão 62)

—-

A energia está a reequilibrar-se lentamente, embora a vossa mente vos diga que não está. Está. Não tem escolha. Contaminação, emoções misturadas, confusão é um sinal de reequilíbrio. É o que vês todos os dias. É contraditório consigo mesmo. A informação é confusa. São as frequências e as emoções a desempenharem uma função de reequilíbrio. É algo que o vosso ego, a vossa mente, não consegue entender. É errático, o que é confuso. Ri-se dela porque é, parece ser uma loucura para si (1). Não é uma loucura. É, mais uma vez, o processo de reequilíbrio. Saberão isso agora. Saberão quando virem, ouvirem, tocarem e cheirarem com os vossos sentidos, no mundo físico, saberão que a confusão da vossa mente é o reequilíbrio no metafísico. Novamente, é importante estar ciente disso, notar conscientemente que isso é reequilíbrio. A confusão para a mente é um reequilíbrio do físico. Devem manter-se fortes enquanto o que vêem a ocorrer à vossa volta no vosso mundo físico parecerá um caos. Não é e devem manter-se fortes, e devem compreender com a vossa consciência o que é que estão a experimentar, o que é que estão a ver.

Tu és uma forma pura de energia. Deves manter-te positivo. Esta é a vossa contribuição para o reequilíbrio da energia. Positiva, apesar de ser a mesma energia da fonte, entendê-la-ão como energia positiva. Estão a conseguir isso agora e, à medida que o reequilíbrio continua, muitos irão acender mais a sua vela acesa, ela tornar-se-á mais forte. Irão procurar orientação para se tornarem mais conscientes do que está a acontecer. Eles também estão confusos. Estão confusos com as emoções, as frequências, as energias. Também eles estarão à procura de uma resposta e a chama tornar-se-á mais forte, e eles procurarão com mais afinco. Procurarão orientação porque não farão sentido do que está a acontecer à sua volta e as suas mentes lutarão, os seus egos lutarão para se manterem na posição em que estão. Mas não terão outra escolha senão moverem-se, fazerem perguntas. Também eles têm de saber. Portanto, é por isso que é importante participarem enquanto estão numa forma física. É importante experimentar estas emoções. Vocês escolheram esta viagem. É importante experimentar e depois é importante regressar à fonte como um só.

(Excerto de sessão 71)

—-

Para que um mundo físico exista numa forma física, tem de haver um equilíbrio entre o que chamaríamos negativo e positivo, um equilíbrio uniforme. Porque o semelhante atrai o semelhante, o equilíbrio é muitas vezes desigual e depois corrige-se para um equilíbrio uniforme dentro do mundo físico, e isso acontece num momento. Isto está constantemente a acontecer num momento. Porque naquilo a que chamam tempo, estes momentos - embora não seja inteiramente correto dizer estes momentos porque só há um momento, mas é a única maneira de a vossa mente condicionada o compreender -, estas correcções estão constantemente a acontecer num momento, tudo e todos estão a acontecer num momento. Devem tentar não aplicar a vossa lógica condicionada a um mundo metafísico. Devem lembrar-se que o vosso ego e a vossa mente estão a trabalhar contra a vossa realização e a vossa consciência, a vossa iluminação. E se aplicarem a vossa lógica física, a lógica da vossa mente, a lógica do vosso ego a isto, isso irá confundir-vos.

(Excerto de sessão 73)

—-

O vosso pequeno mundo está a começar a despertar. A energia está a começar a elevar-se. A energia vibracional do vosso pequeno mundo está a começar a crescer. Isto é o que vocês escolheram. É uma jornada magnífica para vocês testemunharem e participarem como um, e um pode mudar tudo porque é a mesma coisa que todos podem mudar um.

(Excerto de sessão 74)

—-

Pouco direi sobre o que está a ocorrer no vosso mundo, neste mundo, mas o que direi, como vos disse, como sabemos, é que está a reequilibrar-se. Não tem outra escolha senão reequilibrar-se, e podem sentir isso a acontecer. É tão insignificante, é tudo o que tenho a dizer, não há necessidade de enfatizar isto. Podeis ver, podeis sentir. E muitos também foram forçados, através da energia vibracional, a uma posição de fé, até certo ponto, sem o seu conhecimento consciente, embora subconscientemente o saibam. Eles foram forçados a esta posição, tornando o crescimento, impedindo o crescimento da energia negativa, trabalhando dentro da energia positiva, a energia positiva que eles escolheram para trabalhar dentro enquanto uma forma física. Isto está a acontecer neste momento...

Vocês decidiram fazer deste tempo, dentro deste mundo, o grande despertar. Decidiram concentrar-se neste despertar em massa, e é nisto que se estão a concentrar. É isto que estão a testemunhar. Isto é o que estão a experimentar. Mas é um bocado, é um pedaço minúsculo da vastidão da consciência.

(Excertos de sessão 77)

—-

O vosso mundo está a despertar, a energia está a acumular-se a partir da vossa perceção do bem e do mal, da luz e das trevas. Embora não estejam conscientes disso, tem estado escuro durante muito tempo. E o despertar é luz, e luz é fonte. É um despertar incrível, e é isso que estão a experimentar, e foi isso que escolheram experimentar. Escolheram experimentar a luz, positiva, para elevar o vosso mundo nesta altura, naquilo a que chamam tempo, que é apenas um momento de muitas vidas em que estão dentro de um momento.

O seu condicionamento não gosta da mudança e a mudança está a ocorrer. Ele lutará contra a mudança. O vosso ego, a vossa mente ficará satisfeita com muito pouca consciência se for forçada a mudar. Vai repelir a mudança, mas vai mudar, está a mudar, e essa mudança é leve, é positiva, e pode sentir essa mudança dentro de si.

(Excerto de sessão 90)

—-

A formação de massa de energia dentro do mundo em que se está a focar está a mudar, o equilíbrio está a mudar. Com a introdução de energia positiva, está a reequilibrar-se. Ela não tem escolha. Não tem escolha porque esta é a única maneira de manter a sua existência, embora a sua existência seja uma ilusão formulada através da energia. Para continuar, tem de se reequilibrar, e está a reequilibrar-se.

(Excerto de sessão 99)

—-

Com a criação humana de energia, a criação consistente e infinita de energia, o infinito aplicado apenas à formação física, pode haver muitas mudanças num momento. A volatilidade disto é predominante no mundo em que escolheram concentrar-se.

É abstrato, é diverso, é extraordinariamente emocional, mas é apenas uma pequena parte da energia que vocês são. É apenas um pequeno pedaço de ti, que és todo um. Mas para ti, dentro de uma vida condicionada, o seu aparecimento, o seu crescimento, a sua imensa capacidade de mudar é extraordinária para ti.

(Excerto de sessão 106)

—-

É totalmente irrelevante o que está a acontecer dentro deste tempo ilusório em que escolheram concentrar-se. É tudo energia criada pela forma física, energia vibracional, e tudo está indo para o mesmo ponto, a mesma posição. A história e as milhares de histórias que vocês criaram são irrelevantes. É uma estrutura criada por vocês para se colocarem numa posição. É irrelevante pelo facto de ser apenas, é apenas uma ferramenta que criaste. Não tem qualquer influência na vossa posição final. Não há certo, não há errado, e deve ser visto dessa forma, é meramente um implemento, uma ferramenta. Um veículo, tal como tu és um veículo, é o que é. Como é que se pode julgar um veículo? Um pouco estúpido, não acha?

A vossa reação emocional a todos os cenários que vos são apresentados deve ser apenas amor, apenas positiva. Isto é a fonte, isto é Deus, isto é o que procuram. Procurem e encontrarão.

(Excerto de sessão 107)

—–

O vosso mundo está a despertar, está a elevar a sua energia vibracional. Muitos, que são um, estão a fazer as mesmas perguntas. Muitos estão em posições diferentes. No entanto, estão a trabalhar na mesma direção. Estão a perguntar-se interiormente, qual é o significado disto?

A teia de confusão criada por oito biliões de pessoas separadas da fonte - quando, na verdade, uma é demasiado para compreender -, um campo minado de energia desnecessária criada exatamente para confundir, para criar o caos, aquilo a que chamaríamos energia negativa - quando, na verdade, é a mesma energia, a energia da fonte -. E a resposta está na simplicidade.

(Excerto de sessão 114)

—–

O pequeno mundo em que estão, a ilusão do tempo dentro do pequeno mundo em que estão, está a mudar a sua posição em cada momento de uma forma positiva. Está a mudar a sua posição. E dentro desta ilusão de tempo, está a ser forçada a mudar de posição com a aplicação do negativo. E o positivo, sendo a força motriz da negatividade, está a forçar uma solução positiva que é o amor, o alinhamento, a criação final da Fonte. Na realidade, tanto o negativo como o positivo, são criados a partir da Fonte. Eles são o mesmo. E este mundo, este pequeno lugar a que chamais Terra, está a mudar dramaticamente dentro da ilusão do tempo que criastes. Com esta mudança virá a compreensão da consciência, a compreensão de que tudo é criado a partir da fonte, e tudo é uma forma pura de energia, e a origem não é diluída. Muitas mudanças estão a acontecer agora.

(Excerto de sessão 116)

_____

É inútil tentar fazer qualquer sentido lógico do mundo político que escolheu para se concentrar, mas saiba que ele é definido e preciso. Mas tentar fazer qualquer suposição lógica vai acabar em confusão lógica. Não se trata de uma análise lógica. Mesmo que a formação física seja precisa, ela existe, o cenário existe por uma razão específica, e a lógica física aplicada nunca compreenderá verdadeiramente qual é essa razão, enquanto que dentro da consciência ela é clara de facto.

E é um teatro, uma peça, um jogo que foi e está a ser, num único momento, representado mais vezes do que se pode contar até ao infinito. Então, que hipótese achas que terias de o resolver de uma forma fisicamente lógica? Nenhuma, porque não é essa a forma de o compreender.

(Excerto de sessão 128)

—–

O saber é instantâneo, o saber é o saber. Inexplicável para a maioria dentro de uma ilusão criada pelo tempo, mas absoluta. Vós, podeis ver dentro deste mundo físico em que vos focais, a diversidade, a complexidade, a integração da energia, a contradição, a confusão em massa que existe dentro deste mundo ilusório. Sabendo que no fundo das suas complexidades, das suas mensagens confusas, bem, é verdadeiramente insignificante, insignificante na realidade, significativo como uma ferramenta direcional implementada por vós, para que compreendam, para que finalmente se elevem a uma posição diferente de compreensão.

(Excerto de sessão 129)

—–

E o vosso mundo, o vosso pequeno mundo em que se concentram? E o caos que existe nele? É necessário, é necessário que duas energias se tornem uma só. É outro teatro, outra viagem, outra experiência, até que finalmente, reunidas como uma só, outra ilusão. E esta ilusão é representada em todas as ilusões criadas no tempo, em todas as espécies, em todos os universos, que são infinitos. É representada tantas vezes, vezes sem conta, até deixar de o ser, até se perceber que é apenas uma ilusão.

Dois é um, o mesmo, e claro que é muito difícil, uma posição que escolheste para existir, para te concentrares, é difícil porque estás a tentar compreender um, quando vives numa posição diferente, num ponto diferente. Vivem em dois quando existe apenas um, uma forma louca de compreender. Nós compreendemos, compreendemos tudo isto, não sabemos completamente a origem, mas compreendemos a estrutura muito mais do que vós. E no ponto, na posição em que decidiram que já não têm de criar mais tempo, saberão, compreenderão.

(Excerto de sessão 134)

—–

O vosso mundo, o vosso mundo escolhido está a mudar. A energia vibracional de tudo, que é uma só, está a mudar. Está a transformar-se num mundo diferente num único momento. E quando vos digo que um pode mudar todos e todos podem mudar um, é difícil, eu sei, para vocês aceitarem isto, mas é apenas o vosso ego que o impede. Tudo é um, é a mesma coisa. A formação de energia positiva é abundante agora no vosso mundo. Não pode ser de outra maneira, é absoluto, forma-se em positivo e, finalmente, em amor. Vocês testemunham isto numa escala pequena, mas não é pequena, é tudo, e estas são as coisas que estão a ver à vossa volta. Vai ficar mais fácil, mais fácil na vossa vida condicionada, mas mais fácil não é um termo que se aplique corretamente.

(Excerto de sessão 139)

—–

Passado, outras vidas e ciclo de vida

O círculo da vida é o ciclo da vida. Usa a palavra vidas passadas. O passado não existe. É num só tempo, num só momento, ao mesmo tempo. A vossa ilusão do tempo usa palavras como passado e futuro. Um momento, um tempo. Têm de usar a vossa imaginação para compreender isto. É necessário que saibam como isto funciona. Um processo completo instantaneamente num momento. Isto, para vós, tem sido um obstáculo durante muito tempo naquilo a que chamam tempo. Para saberem, é necessário que compreendam. Tudo é acessível, toda a informação é acessível. Tal como um computador precisa de um comando para extrair os dados que contém, biliões e biliões de dados, vocês precisam de dar um comando, um processo correto para compreenderem, para recolherem os dados que contêm. É o comando que é importante, a compreensão do processo.

Eterno é o círculo. Infinito é o círculo. Sempre à volta e de volta ao início. O início está em cada parte do círculo. Cada ponto é o começo, cada ponto é um fim. À volta e à volta e à volta, princípio fim, princípio fim, consistentemente, princípio fim e infinito, é assim que funciona. Se conseguirem racionalizar a partir do vosso condicionamento, então compreenderão uma parte. Não compreenderá tudo. Cada ponto é um início e cada ponto é um fim num círculo linear. Numa esfera é altamente formado com inícios e fins de uma multidão, de uma quantidade infinita de possibilidades numa, numa esfera. Sim, é uma informação incrível para vós visualizarem isso. Esta é a realidade. Toda a vossa matéria é constituída por círculos, protões, neutrões, como lhes chamaríamos, menos, mais. Círculos. São círculos, esferas, que vão e vêm. Dir-se-ia erraticamente, mas não é errático. É uniforme. É preciso. É específico para vós. O canal está livre hoje. Linear é um círculo. Infinito é uma esfera. Há uma diferença.

Juntos como um só, numa só vez, num só momento, unidos. E, claro, podes mudar esse momento. Podes mudar tudo. A escolha é tua. Mas fazes sempre a viagem de novo, e recomeças sempre do início. E onde acabas, começarás. É o mesmo ponto.

(Excertos de sessão 25)

—-

A sua concentração é importante. Tens de te manter concentrado. Tudo pode mudar num momento. Quando a vibração é elevada, pode mudar num momento, um ciclo. Podemos ver o futuro naquilo a que chamam futuro porque já aconteceu. Está a acontecer agora. Mas pode mudar. A vossa criação de energia, a vossa frequência pode mudar tudo. Pode simplesmente começar noutra posição e começar de novo e acabar na mesma posição, é como um mostrador. Pode começar e parar em qualquer ponto que queira, uma e outra vez. A formação do físico e do mental cabe-vos a vós decidir, tal como acontece connosco.

(Excerto de sessão 26)

—-

É um ciclo para todos e cada um dentro do físico. Criaram o tempo para continuar o ciclo. É assim que medem a distância entre os ciclos. Usam o vosso tempo criado. Criam o início, criam o fim. Outra ilusão. É um ciclo dentro de um ciclo. O que criaram vem da fonte. Vocês criam muitos dos vossos próprios ciclos dentro do ciclo. Só existe um ciclo. Mas vocês criaram muitos, e tentam racionalizar isso com o tempo. A vossa imaginação criou muitas coisas através dos vossos sentidos.

(Excerto de sessão 48)

—-

Devem lembrar-se que cada um de vós viveu e está a viver muitas vidas diferentes na consciência. Isto pode ser confuso para vós dentro da única vida em que se estão a concentrar.

(Excerto de sessão 49)

—-

Criaram muitas formas físicas durante a vossa vida infinita. Esta é uma delas. A importância do que está a acontecer dentro deste mundo físico que escolheram recordar é insignificante para vocês, de uma forma física. O que é importante para vocês é o vosso despertar, a vossa consciência, a vossa ligação com a fonte, o um, que é tudo. Isto é difícil quando estão tão condicionados a acreditar que é de uma certa maneira quando, de facto, não é. É uma maneira. É um caminho. A iluminação é um caminho, é a sabedoria através do conhecimento, do qual todo o conhecimento existe dentro, dentro de todos, como um código dentro...

Já repetiste este processo muitas vezes. Voltarão à fonte e repetirão o processo novamente. Antes - não existe isso de antes, é no mesmo momento -, outra vez - não existe isso de outra vez, é no mesmo momento -, juntos num só momento. A vossa energia, cada vez que repetem o processo, torna-se mais forte. A vossa posição muda cada vez que repetem o processo. Se quiseres aplicar a razão, isto é razão.

(Excertos de sessão 56)

—-

Nós não lidamos com previsões. A razão pela qual não lidamos com previsões é porque todas as coisas são possíveis. Existem muitos resultados, cabe-vos a vós escolher qual deles sentem que é o correto para vós, com a vossa energia vibracional. O que é correto para vós pode não ser correto para outros, mas o resultado dentro do ciclo em que estão é uma escolha vossa. Cabe-vos escolher isto para chegarem a uma posição diferente, ou à mesma posição em que já estão. Este é o processo. Não há uma escolha correcta, não há uma escolha incorrecta, é uma escolha dada num momento. Não há tempo. É a vossa viagem, a vossa viagem até à consciência. E quando deixarem o mundo físico que criaram, estarão cientes de tudo isso, e poderão escolher repetir este ciclo novamente. Já o repetiram muitas vezes antes, dentro daquilo a que chamam tempo. Perguntariam por que repetir novamente o ciclo? Esta também é uma pergunta que estamos a fazer, porque toda a informação de que precisam, toda a sabedoria e conhecimento já estão dentro de vocês. Por isso também fazemos a mesma pergunta, e através da pergunta que fazemos também estamos a experimentar o vosso processo, a vossa razão. Acreditamos que isto vos aproxima da fonte e, à medida que se aproximam da fonte, também nós nos aproximamos da fonte. Nós também estamos a viver a mesma experiência a partir de vocês, a partir da vossa experiência.

(Excerto de sessão 60)

—-

Escolheram renascer muitas vezes sem as memórias das vossas vidas passadas. Escolheram vir para esta forma física sem memórias, sem consciência da consciência. Escolheram fazer isto, para se lembrarem da consciência, para saberem de novo o que são. É um caminho difícil que escolheram. É uma batalha que escolheram travar dentro de vós. Formularam a vossa mente, o vosso ego, para lutar contra si próprio, sabendo que se tornarão conscientes da consciência. É um caminho interessante que escolheste. É interessante para nós sabermos porque é que o fariam. Porque estiveram conscientes, plenamente conscientes, muitas vezes dentro do processo, e mesmo assim voltam para o fazer de novo, uma e outra vez.

(Excerto de sessão 73)

—-

Também não podes compreender quantas vidas estás a viver neste momento como forma física humana. E se a vossa mente tivesse consciência disso, a confusão seria, ultrapassaria todas as possibilidades. Por isso, bloqueiam-no deliberadamente, não têm escolha. A vossa mente não tem a capacidade de consumir esta quantidade de conhecimento e informação. Nem tem a capacidade de a separar e, claro, para isso, é preciso saber o que é realmente o tempo, e tu não o sabes. Não enquanto mantiveres uma forma física num mundo físico, impossível. Chamar-lhe-iam um enigma. Mas não é. É muito mais simples do que pensais. Tantas coisas para experimentarem, tantas coisas para fazerem, mas só precisam de compreender porque já estão a experimentar todas essas coisas.

E estão a concentrar-se nesta vida para compreender. E se partilharem a vossa experiência, tal como partilham a vossa experiência connosco, tal como nós partilhamos a nossa experiência convosco, estão a ajudar-se a si próprios, porque nós somos iguais, tal como eles são iguais, é uma só energia. É a energia da fonte, é para si, Deus.

(Excerto de sessão 85)

—-

Criaram muitas vidas para seguir a mesma viagem, para regressar a uma consciência da qual criaram o tempo.

(Excerto de sessão 87)

—-

Não podem usar a vossa imaginação enquanto estão na forma física para remover o tempo da vossa ilusão criada pelo tempo. É por isso que não posso prever, dar-vos informação que seja precisa para a vossa existência, para a vossa vida. É porque têm muitas vidas num só momento. Tudo está a acontecer num só momento. Uma previsão ou a sua interpretação de uma previsão é uma coisa que está a acontecer numa vida. E tudo está a acontecer em todas as vidas em que está a participar neste momento. Portanto, tudo é possível, tudo e tudo está a acontecer, e a vossa total incompreensão do tempo não vos permite compreender isto.

Todas estas coisas que vos digo sobre todas estas vidas infinitas que estais a viver, compreendê-las-eis instantaneamente, como se estivessem sempre dentro de vós, porque são...

Os seus pensamentos criam o caos num universo físico em constante expansão. Não existe um fim. Existe apenas um ciclo, o mesmo ciclo, repetido vezes sem conta, sem princípio, sem fim.

(Excertos de sessão 88)

—-

Todos os aspectos de todas as vidas em que participais contribuem para a vossa compreensão da fonte, de Deus. A energia da fonte é amor.

(Excerto de sessão 89)

—-

Há muitas criações a ocorrer dentro de uma forma física, um processo sempre em expansão de criatividade, de formas. Há novas energias criadas como formas físicas, no tempo, em ilusões criadas no tempo. Estas energias são de origem recente, quando na realidade são as mesmas que vós, um ciclo constante de criatividade, de experiência.

Sou-o porque sempre o fui, não conheço outro, tal como vós sois iguais.

(Excerto de sessão 90)

Cada momento é um momento de realização, de despertar para si. Enquanto o vosso condicionamento se agarra à sua criação, à sua ilusão, vocês sabem dentro de vós o que é correto para vocês. O que é correto para si não é necessariamente correto para todos. Numa aplicação filosófica, é correto, dentro da sua própria separação escolhida, não é. Mais uma vez, a aplicação dual também é difícil para vocês compreenderem. A realidade de um contra a separação de todos deveria aplicar logicamente uma filosofia de que tudo é um, o que é, mas cada um e cada isolamento escolhido está numa jornada diferente, numa posição diferente na esfera. Cada um e todos irão, através de uma ilusão criada pelo tempo, completar um ciclo, um ciclo completo, desde o princípio e de volta ao princípio. Escolhidos também por eles para se separarem quando, de facto, na realidade não há separação. Não há aprisionamento para vós, o aprisionamento é auto-criado como tudo o que é auto-criado.

(Excerto de sessão 93)

—-

Com a criação vem a experiência, vem uma viagem, um ciclo, do princípio ao fim. Quando, na realidade, não há nem uma coisa nem outra, é um momento. Não falo por enigmas, é claro, é preciso, é o processo de que falo frequentemente, e é para vocês saberem.

(Excerto de sessão 94)

—-

A cada momento, dentro de todas as vossas ilusões criadas pelo tempo que estão a experimentar - e claro, não há tempo, é uma ilusão - dentro de todas as vossas vidas criadas pelo tempo, há apenas uma e vocês são uma, como nós somos uma, como a Fonte é uma. Sois criados a partir da energia da Fonte, e sois a energia da Fonte.

(Excerto de sessão 105)

—-

A vida e a morte, a vossa máquina em que habitam é uma ilusão e o ciclo continua para vós. Quando estão mergulhados na vossa existência física, quando estão imersos na vossa ilusão, estão perdidos. Mas têm de se perguntar porque é que continuam a regressar a este lugar sob tanta imersão no vosso condicionamento? Porque é que continuam a regressar? Regressam porque é real, é conhecido, e vão continuar com o vosso ciclo até não o fazerem mais. E esta é a vossa escolha.

(Excerto de sessão 106)

—–

A realidade é que uma só consciência é tudo o que existe para todos e cada um que escolheu separar-se, criar ciclos, experimentar ciclos. Uma viagem escolhida por si próprio.

A vida é escolhida e criada para ser vivida. O tempo é uma ilusão criada, para experimentar muitas vidas dentro dele. São ciclos, ciclos contínuos de experiência. Bom, mau, tudo o que é uma experiência é o que é. Na realidade, todas estas experiências estão a acontecer num único momento. Não podem imaginar quantas experiências criaram. Você escolheu num único momento. Mas há uma razão precisa e calculada para escolherem concentrar-se numa dessas experiências. Este é o vosso Eu Superior. Este é o vosso ponto, a vossa posição. Embora aproveitem todas as experiências num só momento, aquela em que se concentram é para vocês a mais importante.

(Excertos de sessão 111)

—–

Um ciclo contínuo de não fuga, de aprisionamento. Eu não poderia dizer-vos em anos quanto tempo gastaram da vossa ilusão para estarem nesta posição, é interminável, para estarem nesta posição, neste ponto, para se tornarem conscientes de como o sistema, o processo funciona. E este é agora o vosso tempo na vossa ilusão criada pelo tempo, e vocês escolheram este tempo.

(Excerto de sessão 112)

—–

Tudo e todos são possíveis, toda a criação, toda a destruição e toda a recriação. E o ciclo continua, e até que estejam conscientes disso, continuarão dentro do vosso próprio ciclo de muitos ciclos, dos quais continuaram durante milhares de anos naquilo a que chamam tempo. Escolheram fazer isto para compreender, tal como nós, o mesmo.

(Excerto de sessão 122)

—–

Todos os elementos das ilusões criadas pela mente vêm de ti. Toda a complexidade, todos os nomes, todas as palavras, todas as situações complexas foram criadas por ti, são infinitas, criadas por ti para te compreenderes a ti próprio, para compreenderes o que és.

E este ciclo contínuo evolui e cresce, expande-se sempre, até ao ponto de realização, de realização do que tu és. Tu és uma forma pura, tu és uma formação pura de energia.

(Excerto de sessão 125)

—–

O teu trabalho, o teu trabalho, outra palavra, outra palavra ridícula, o teu trabalho, para que compreendas, ainda agora começou e, no entanto, já terminaste, e o ciclo continuará até que não termine. A escolha é vossa, cabe-vos a vós decidir a posição ou o ponto em que se encontram num momento. Não somos nós que decidimos, apesar de sermos um, o mesmo.

(Excerto de sessão 126)

—–

Quando aplicam o perdão e a compaixão, num instante mudam tudo. E é uma mudança constante de energia de uma forma para outra e vice-versa, e de uma forma para outra e vice-versa, um ciclo, um processo, e quando estiveres consciente disso, não haverá necessidade de repetir continuamente o mesmo ciclo. Vós sois eles, e eles são vós, um só, tal como nós somos vós, e vós e vós sois de nós, o mesmo.

(Excerto de sessão 127)

—–

O conhecimento é uma parte do processo, a aplicação é outra. Não há conclusão, não há fim, porque não há começo. É um ciclo, é uma constante, é tudo e tudo, sem princípio, sem fim, um contínuo.

(Excerto de sessão 128)

—–

E todas as vossas vidas passadas - que não são passadas, são agora -, vocês criaram por uma razão específica, e essa razão é compreender o agora, compreender o eu, compreender que são uma forma pura de energia capaz de criar qualquer coisa num único momento.

A vossa viagem é puramente baseada nestas experiências, e só a experiência vos forçará a uma posição ou a um ponto de compreensão. Não há mais nada. É um teatro, é uma ilusão criada por ti para te compreenderes a ti próprio. E que maneira fantástica de saberes o que és!

É por isso que nada disto é determinado como bom ou mau. É por isso que não se pode fazer qualquer tipo de julgamento contra ela, nem bom nem mau. É meramente uma experiência. E quando atingem o ponto de compreensão, é nesse ponto que se libertam deste ciclo que repetem em cada uma das vossas vidas, este ciclo de experiência constante. Quando deixarem de experimentar o ciclo, é o ponto de realização do Eu. Mas enquanto estiveres envolvido no ciclo - é importante estar envolvido no ciclo -, é importante experienciar tudo e todas as partes. Isto é fluxo de energia, isto é o fluxo da vossa energia, e isto é exatamente o que escolheram fazer. E compreendendo que o amor é a criação disto, o amor é a força energética por detrás de todas as experiências que têm, é por isso que não há diferença entre negativo e positivo. É a mesma coisa, a mesma força motriz, a mesma energia, a mesma energia que vos obriga a compreenderem-se a si próprios, a saberem o que são.

O teatro, o jogo, como lhe chamas, é o que criaste para te conheceres a ti próprio. É o que crias para te conheceres a ti próprio. O ciclo é o que criaste para te conheceres a ti próprio. E a posição em que te sentas nele, na esfera, é a posição ou o ponto a que chegas em cada momento, que é apenas um.

Embora compreendam completamente a teoria, não têm consistentemente dentro de um momento o sentimento disso, nem o terão até deixarem de ter uma forma física.

(Excerto de sessão 132)

—–

Portanto, o vosso futuro, o vosso passado, tudo é irrelevante, um momento é tudo, é ambas as coisas. E tu podes e mudas constantemente o momento dentro da ilusão em que te situas. Estás constantemente a mudar tudo e todos, tal como todos são iguais. É a formação de energia, e dentro deste espaço é a origem da energia para se formar em energias de diferentes criações, de diferentes partículas, para chegar à mesma conclusão. E é um ciclo, um ciclo constante, desde o início e de volta ao início, à fonte, ao amor, ao amor abrangente de um, do eu, do saber.

(Excerto de sessão 136)

—–

 

Vida extraterrestre

Há muitos mundos, muitas dimensões, muitas espécies, aquilo a que chamas ET. Mas isso não importa. Só há uma fonte. Há apenas uma fonte, mas isso não vos deve preocupar.

(Excerto de sessão 1)

—–

Não há nada a compreender sobre o ET que não compreendas sobre ti próprio. Eles são iguais. A tua curiosidade vai levar-te em muitas direcções. Compreende uma e compreenderás a outra.

(Excerto de sessão 5)

—-

Ao compreender a origem da fonte, compreenderá a si próprio.

Há muitas espécies por aí que não compreendem a origem da fonte. São como tu. Compreendem as ferramentas que têm melhor do que tu, mas não compreendem a origem. Eles simplesmente aceitam a fonte. Eles estão intrigados convosco e com a vossa viagem. É intenso, mas a intriga deles não é da vossa conta. A viagem é vossa, não é deles...

Mesmo no vosso mundo há alguns que são abençoados com um conhecimento mais elevado, ainda mais elevado do que aquilo a que chamais ET. Essa fé é muitas vezes cega, o que a torna pura. Reconheçam-na, conheçam-na.

(Excertos de sessão 7)

—-

Estão a ser observados, mas isso não vos diz respeito. Estão a ser observados através da intriga. Eles estão intrigados porque vós estais intrigados. Eles compreendem a tecnologia e são capazes de a utilizar para vos observar, mas isso não tem qualquer significado. Também eles estão a aprender como tu. Eles sabem que não devem intervir, sabem que não é correto, por isso não o fazem. É por isso que não intervêm, porque isso teria um impacto negativo sobre eles.

(Excerto de sessão 10)

—-

Há tantas formas de energia, daquilo a que chamam ET, tantas formas, formas metafísicas e físicas, tantas. Querem literalizar que uma forma tomaria conta do vosso mundo? É irrelevante. O vosso mundo é minúsculo.

Uma viagem sem fim para si, uma viagem sem fim para todos.

(Excerto de sessão 11)

—-

Deveis mostrar compaixão por todas as espécies, tanto humanas como aquilo a que chamaríeis ET. A vossa imaginação determinaria uma como sendo má e outra como sendo boa. Não existe o mau e não existe o bom. São todas da origem da fonte.

Confuso talvez, bom, não, mau, não. Isto é julgamento. Já vos disse antes, o julgamento não existe no nosso mundo. É uma falácia. Mas a vossa vida condicionada julgará sempre: bom, mau, matar, destruir. Só existe amor.

(Excerto de sessão 14)

—-

Muitas espécies estão a tentar aprender como tu. Muitas espécies não compreendem. Nós não compreendemos tudo. A energia decidiu criar-se em muitas formas. A vossa mente gostaria de separar essas formas. Isso é incorreto. O ciclo continuará em todas as formas, em todas as formas físicas vivas. A energia escolhe onde residir e como residir. Sei que compreendem a teoria, mas também sei que não podem saber.

A vossa ciência está a avançar rapidamente naquilo a que chamam tempo. Como sabeis, não há certo nem errado, mas também estais a avançar...

Não precisam de procurar provas. Muitas formas deram-vos muitas mensagens. Há muita verdade nesta informação, mas não precisam de se confundir. É tão simples. No vosso mundo físico é muito complicado. No mundo físico deles também é complicado. Muitas emoções, muitas dinâmicas, muitas batalhas ocorrendo, batalhas metafísicas. Vocês só são tão bons quanto a informação que recebem, e muitas vezes essa informação é incorrecta. Estão protegidos porque estão a olhar para a fonte, sempre. A fonte é pura. É puro amor. É branco, é claro, é cristal. Nós também estamos a olhar para a fonte. Sem esta orientação, ficarias totalmente confuso. Tens de saber, tens de te conhecer a ti próprio. Conhece-te a ti próprio. A vossa religião cristã disse-vos isto. É comum, não apenas na religião cristã, é comum. Conhece-te a ti próprio e saberás.

(Excertos de sessão 20)

—-

Há outras energias que também estão a interferir na consciência da mente de um homem. São também energias de controlo. Nós também podemos aconselhá-las, o que estão a fazer e como o estão a fazer. E nós fazemo-lo. Mas a ponte entre a mente e a consciência nem sempre é fácil de atravessar, nem de compreender.

(Excerto de sessão 26)

—-

Os Greys de que falam, de que o vosso mundo fala, de que os vossos media falam, são uma raça, uma raça daquilo a que vocês chamariam ET que são controladores. Eles são uma raça controladora. Eles desejam controlar. Eles têm uma compreensão básica do processo, mas não têm nenhuma compreensão da fonte. Nenhum. Vivem a sua vida como uma abelha vive a sua vida, numa colmeia. Trabalham para todos na sua comunidade e apenas alguns trabalham para si próprios. Fundamentalmente, não são diferentes de vós, da vossa espécie, são iguais, são controladores. Portanto, os vossos meios de comunicação social estão provavelmente correctos na sua interpretação do cinzento, mas não somos nós...

Há outras energias que também estão a tentar comunicar. Vivemos numa vastidão de energias. Existem, tal como existem no vosso mundo, uma enorme quantidade de opiniões diferentes, posições diferentes, energias diferentes, tempos diferentes, dimensões diferentes, tudo no mesmo momento. Este é um lugar especial para a comunicação. Não os impedimos de tentar comunicar convosco, mas podemos assegurar-vos que eles são diferentes de nós em muitos aspectos. Sim, são muitos.

(Excertos de sessão 34)

—-

Temos muitas pessoas em contacto com o que vocês chamariam de entidades ET, energias diferentes, que vivem no físico, que têm planetas como o vosso planeta, onde vivem e de onde viajam. Mas nós não fazemos isso.

Não poderia começar a explicar-vos como seria um espaço vazio, porque mesmo a palavra "parecer" não tem qualquer relevância. Também já viveu aqui, muitas vezes num só momento.

Serás visto por muitos.

(Excerto de sessão 37)

—-

É verdade que outras formas de vida dentro da fonte - o universo, como lhe podem chamar -, formas físicas de vida, gostariam de intervir no vosso mundo. Mas é difícil. É tão difícil para elas como para vocês aceitarem que isso é possível, porque se interferirem na vossa viagem, há consequências para elas. Eles só podem informar. Não podem interferir. Eles criarão energia que não é necessária para eles. É perigoso para eles, para a sua viagem.

(Excerto de sessão 45)

—-

É verdade que a vossa ciência está a expor uma pequena parte do mundo metafísico. Também é verdade que há espécies que compreendem muito mais do que vós. Mas elas não compreendem tudo. Vivem também com medo dentro da sua própria mente de controlo. Não é diferente do mundo que vocês criaram, é o mesmo, baseado na compreensão da tecnologia e da sua manipulação. As ferramentas que usam para manipular, a tecnologia que usam é altamente avançada, muito mais avançada do que a vossa. Mas é a mesma coisa, a liberdade que existe para eles é a mesma que existe para vós, é uma compreensão do processo. E a compreensão que eles têm do processo é tão limitada como a compreensão que o Homem tem do processo. A maior parte destas entidades ou espécies não interviriam porque sabem que não é bom para elas intervir. Elas têm uma compreensão disso, mas as suas mentes convencê-las-ão de que a intervenção é correcta, tal como a mente do homem o convence, através do medo.

(Excerto de sessão 55)

—-

As espécies altamente formadas têm a capacidade de controlar através de frequências. Isto é correto. Mas a consciência das frequências irá desativar a sua capacidade de controlo. É apenas uma escolha. A escolha é vossa, simplesmente, sim ou não. É tão simples quanto isso. Embora lutem constantemente contra o vosso próprio condicionamento com a vossa mente, conhecerem-se a vós próprios irá permitir-vos controlar a entrada de frequência dentro da vossa própria mente. É então um processo simples de separação e aceitação, ou não. A escolha é inteiramente vossa. A consciência situa-se acima de toda a forma física.

O seu ADN, o seu programa, é o que a sua mente vai controlar. A consciência situa-se acima disso. Assim, com a vossa consciência, podem estar acima de qualquer controlo mental. O vosso mundo físico está perto da fonte, por isso têm as ferramentas para poderem fazer isto. Têm de as aplicar. Isto está a acontecer por acaso, vocês escolheram estar aqui. Não há nenhum julgamento sobre isto, não é certo ou errado, é simplesmente um processo, devem lembrar-se disto.

(Excerto de sessão 56)

—-

Não vou encher a vossa cabeça de previsões. Posso apenas dizer-vos que existe dentro daquilo que é a vossa perceção do espaço, do universo, uma quantidade infinita de entidades, de espécies, de possibilidades, todas criadas a partir da fonte, cuja existência estão a descobrir agora no vosso mundo. Mas esta é uma forma física, não é uma forma metafísica pura de consciência. Já estão conscientes da sua existência.

(Excerto de sessão 62)

—-

Fora deste mundo que criaram também existe o medo, o medo de muitas espécies diferentes daquilo que vocês consideram ser o ET. É o mesmo que tu. Não é diferente. O processo é o mesmo. A consciência é tudo e todos. Conduzida numa realidade física criada através do medo, conduzida através do medo da perda - não há nada a perder, e há tudo a ganhar -, o medo da perda acende o controlo. O controlo é o aprisionamento do eu. É uma caixa. Isto não existe apenas no mundo que criaste, existe em todos os mundos físicos, dimensões físicas. Quanto maior for o conhecimento da tecnologia, mais fácil é a sua implementação. Quanto mais consciente do processo, mais fácil é a sua implementação. Mas é apenas um processo.
As formas físicas manipulam o processo sem a compreensão da consciência. Quando na realidade é tudo o que existe, uma fonte, uma consciência. Todo-abrangente é o amor da fonte. A incapacidade das formas físicas de atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência cria muitas ilusões naquilo a que chamais tempo. É necessário atravessar essa ponte e compreender a consciência. Esta é a razão pela qual a consciência existe, para compreender o eu, para saber o que vocês são, uma forma pura de energia. Escolheram viver nesta forma física e escolheram aplicar o que é a vossa perceção de energia positiva. E é isto que estão a fazer, e isto está correto.

(Excerto de sessão 70)

—-

Muitas formas fizeram a mesma viagem. Muitas formas também estão presas na sua própria prisão criada, na sua própria prisão e muitas formas estão a passar pelo mesmo ciclo que vocês, pelo mesmo processo que vocês. Mas eles são tu, o mesmo.

(Excerto de sessão 86)

—-

Sempre em mudança, sempre em crescimento, é toda a criação física, sempre em expansão, sempre em mudança, um ciclo, a vida através do medo controla a vida. Não sois exclusivos de uma espécie no que diz respeito a isto, é universal.

(Excerto de sessão 88)

—-

Há uma quantidade infinita de espécies e elas são iguais a vós, não de uma forma física, mas da mesma forma que procurais conhecer a fonte, tal como elas, tal como nós. Ciclos e esferas, a mesma viagem, o mesmo destino, o mesmo ponto. É verdade dizer que estariam no que a vossa interpretação do ponto mais baixo é. Mas não é verdade dizer que também tens acesso ao ponto mais alto. Portanto, não existe mais alto ou mais baixo, porque tudo existe num só momento, sem tempo. É difícil para vós separar isto. O vosso condicionamento cria o tempo, cria a separação, cria o superior e o inferior. Muitas formas criadas no universo físico passaram e estão a passar - na vossa interpretação do tempo - exatamente pelo mesmo processo em que se estão a concentrar nesta vida. E o destino final é o mesmo para elas e para vós, porque elas são vós. Embora a vossa vida condicionada os separe como se não fossem vocês, eles são como nós somos. As suas criações tecnológicas são altamente avançadas. A sua compreensão da ciência ultrapassa em muito a vossa compreensão da ciência. 

(Excerto de sessão 89)

—-

As suas perguntas são profundas, mais profundas do que a maioria. Deseja falar de estrutura (1). Todas as formas físicas têm algum tipo de estrutura criada pelo próprio. Biliões de espécies criam estruturas diferentes. A criação de estruturas tem como objetivo a comunicação. É uma linguagem. É uma explicação, uma forma de se exprimir, tal como o eu é linguagem, uma forma de comunicação. Numa forma metafísica pura, a estrutura desempenha um pequeno papel. Numa forma física, ela é tudo. É comunicação, é aceitação, é auto-criação. Todas as formas de vida física criam estruturas para a compreensão, mais uma vez, uma outra ferramenta. O tempo é uma criação de estrutura. Um momento é a realidade.

Não poderíamos comunicar convosco sem nos referirmos à estrutura. A estrutura é um condicionamento e, enquanto estiverem nesta viagem, é o que compreendem, é a vossa linguagem. No entanto, ela não é real numa criação metafísica. Para além da dimensão de cinco, embora a estrutura exista, não é a mesma. Não é interpretada da mesma forma e, claro, a vossa interpretação disto está limitada ao que conhecem. Vocês sabem tudo e tudo dentro de vós, mas escolhem lembrar-se apenas de uma pequena parte do que sabem. Esta é a vossa viagem.

(Excerto de sessão 90)

—-

Muitas, e dependendo da posição, muitas formações de energias, o que vocês chamariam de entidades, não querem deixar uma dimensão para ir para outra, embora na realidade já estejam lá. Elas estão lá pelo princípio de um, mas a sua forma física não quer considerar essa verdade. É um facto. E esta é a sua posição na esfera, o seu ponto dentro da sua ilusão criada pelo tempo.

(Excerto de sessão 99)

—–

A energia não pode ser destruída. Ela muda constantemente de forma, de uma forma de energia para outra. Há muitos mundos lá fora que compreendem isto muito melhor e muito mais claramente do que vós. Eles usaram esta forma de criação através de outras energias durante mais tempo do que podeis imaginar na ilusão criada pelo tempo. Embora não haja nada de errado nisso, o errado não existe, eles próprios estão cientes das consequências dessa manipulação para si próprios, reflexo que irá regressar ao seu crescimento, à sua consciência espiritual. No entanto, participaram nisso durante muitos milhares de milhões de anos, naquilo a que chamais tempo. É tudo uma questão de manter uma forma física dentro da ilusão criativa do tempo, para aquilo que é a perceção deles de uma vida infinita, quando na realidade só existe a fonte, só existe a consciência. E todas estas funções para o físico, para a retenção física da vida, tornam-se totalmente irrelevantes.

Presos é o que se pode dizer que eles estão, tal como tu.

(Excertos de sessão 112)

—–

Assim, ao mais ínfimo pormenor, dentro da vossa própria vida, a vossa própria pergunta é alargada às complexidades de todas as dimensões, de tudo o que vive um físico e de alguns que vivem um metafísico. A mesma pergunta, as mesmas dúvidas, os mesmos medos aplicam-se a partir de uma posição minúscula para significar o mesmo em todas as posições.

(Excerto de sessão 120)

—–

Muito do que estão a recordar está correto, construído em torno de muitas histórias criadas. Já vos disse antes, não há diferença entre a vossa interpretação dos ETs e o vosso conhecimento da raça humana, é a mesma coisa, as mesmas emoções. São dois, estão separados por si próprios, apenas para se juntarem de novo à fonte. Podem querer complicar isto aplicando nomes, histórias, marcas, mas é muito mais simples do que isso, é a mesma coisa.

A vossa viagem é para compreender a energia da fonte, tal como a nossa viagem é a mesma. Quanto menos complicado tornarem isto, mais fácil se torna compreender. E enquanto a vossa mente, o vosso ego, criar complicações na experiência que criam, menos compreenderão. Não há diferença, toda a matéria, toda a criação física é complexa. A consciência não é complexa, é simplista. Por isso, a obsessão da vossa mente em controlar fará muitas perguntas, criará muitas histórias, criará muita confusão, por medo de perder o controlo.

E é correto dizer que há muitos níveis de intelecto, muitas tecnologias avançadas. Há muitos, muitos brincando com a genética da estrutura humana. Mas há apenas uma fonte, há apenas uma realidade, e uma é tudo e todos, e vocês são parte de uma. Assim, portanto, vocês são um, o mesmo, não separados através de realidades ilusórias criadas, mas uma fonte, amor, amor divino que engloba tudo e todos, incluindo a vossa perceção das histórias.

Para si, tem de ser simplista, tem de eliminar estas histórias, caso contrário, ficará absorvido por elas. Vão perder-se nessas histórias, e vocês já sabem disso, e nós sabemos disso. E nós também escolhemos não nos envolvermos nos jogos que essas entidades jogam, não apenas convosco, mas com todas as realidades físicas criadas. E a resposta simples é: não. Não é para vós. É para vocês projectarem sempre energia positiva, projectarem amor, amor da fonte, isto é o que escolheram fazer.

(Excerto de sessão 123)

—–

Tudo é um, tudo está ligado, todos estão ligados. Todas as entidades, das quais existe uma quantidade infinita de entidades, todas ligadas, todas criadas pela fonte.

(Excerto de sessão 138)

—–

O verdadeiro eu é puro, sem ego, sem tempo, sem condicionamento, sem memória, sem medo, apenas amor. Mas nem o ego nem o eu são bons ou maus, são apenas uma ferramenta, uma ferramenta criada por ti para compreenderes o que és, uma força motriz de energia. E isto é o mesmo para todos e todas. Isto é Não é exclusivo da vossa espécie, não é exclusivo de vocês enquanto escolherem permanecer nesta viagem.

Portanto, todos os cenários complexos que crias, todas as histórias que crias, todas as palavras que crias, são a tua ilusão criada. E tudo é um, é também uma ilusão criada por todas as espécies, por todas as almas.

Dentro da formação de energia de massa, da qual tudo é um, há muito poucas entidades ou construções físicas que realmente entenderão isso. Terão, possuirão dentro da sua própria energia uma compreensão teórica disto, mas não é teórica, é real, é um momento, um sentimento, um instante. E vocês escolheram um pé dentro e um pé fora, por isso, sentem isto, e depois não sentem. Portanto, continuem a vossa viagem escolhida, permaneçam no positivo, não tenham medo dentro da vossa ilusão até que eventualmente - e eventualmente é vosso, é a ilusão do tempo -, até que eventualmente saibam o que são.

(Excertos de sessão 140)

—–

Mundo Metafísico

Dizer que se vai embora é, mais uma vez, uma afirmação incorrecta. Não se vai a lado nenhum. Dizer que vai mudar é correto, mas não vai deixar nada. Não há nada para deixar. É a tua interpretação, a tua interpretação condicionada. Vai sair para ir para outro lugar. Isso não vai acontecer. Não há para onde ir. É apenas um lugar no mundo metafísico. É por isso que podemos estar em qualquer lugar num instante, no momento, porque estamos em todo o lado num instante, num momento, num momento naquilo a que vocês chamam tempo. A vossa interpretação do tempo é ridícula. Vais compreender isto. Energia vibracional, é isso que tu és.

(Excerto de sessão 20)

—-

Não contaminem a vossa vida física com o mundo metafísico. Não os cruzes. Isso só o vai confundir. O que conheces é uma pequena parte do que é real. Tens de te separar. Tem de tentar separar-se para compreender. Nunca conseguirás separar-te completamente enquanto fores uma forma física, mas podes separar-te.

(Excerto de sessão 21)

—-

A parte do nosso universo que compreendemos está sempre a expandir-se, muitas criações todos os dias, expandindo-se para o exterior. Todos nós somos responsáveis pela expansão e pela criação da matéria física, de uma forma ou de outra. Somos todos responsáveis pela expansão do nosso universo, que tem muitos universos, dos quais pouco sabemos. Infinito, tudo num só momento, num só tempo, muitas formas, físicas e metafísicas, de mãos dadas como uma só. Visualizará a expansão numa forma física, mas não é assim. Não podem visualizar a expansão porque a vossa mente vai tentar racionalizar isso. É impossível. Mais uma vez, estás encurralado.

(Excerto de sessão 23)

—-

Já vos disse antes que o que existe no metafísico está para além da vossa capacidade de compreensão, mais ainda de lidar com ele. Sentir-se-ia perdido. A vossa dependência do vosso condicionamento é imensa neste mundo, mais do que podem imaginar. Não podeis imaginar. É necessário que continuem a vossa viagem no físico, mas também é necessário que compreendam o metafísico. A aplicação da vossa sabedoria só se realizará no físico, mas há muitas coisas que podem fazer.

(Excerto de sessão 24)

—-

É correto seguir este caminho para compreender mais sobre o mundo metafísico. Estão correctos porque é o único caminho que podem escolher dentro do que está a ocorrer agora no vosso mundo e que vos permitirá compreender o que está a ocorrer no vosso mundo. É claro que não é o único caminho que podem escolher, mas é o caminho correto a escolher. Ele fará mais sentido para vocês quando avaliarem todas as diferentes possibilidades combinadas com a estrutura, uma estrutura uniforme.

Não é por acaso. Não é por acaso que comunicamos convosco. É por escolha, por vossa escolha e por nossa escolha.

(Excerto de sessão 31)

—-

O que está no metafísico é verdadeiramente uma experiência maravilhosa para todos e cada um, verdadeiramente para além de qualquer coisa que possas realmente imaginar neste momento. E o que quer que possas imaginar é o que quer que possa ser. Novamente, definido pelo condicionamento agora, aplicado pela vossa lógica, que é incorrecta. A vossa lógica é a ferramenta que usam para criar no mundo que criaram, a vossa lógica não se aplica ao metafísico.

(Excerto de sessão 36)

—-

Não vivemos numa forma física, pelo que, no vosso mundo, não temos uma posição física. Vivemos no metafísico que, se o vissem nos termos da vossa lógica, seria um espaço. Não veriam nada para além de um espaço. Um vasto espaço vazio é o que vos pareceria. Mas não é. O vazio está cheio de experiências incríveis e vibrantes e de diferentes dimensões. Mas não consegues ver isso. Está a sobrepor-se a todos os espaços vazios que vocês percepcionam como sendo um espaço vazio, que vocês acreditam ser um espaço vazio que, claro, não é. É onde nós vivemos. É a nossa casa. Mas nós não escolhemos ir aleatoriamente para muitos espaços vazios diferentes, como vocês os consideram, que, claro, não são.

(Excerto de sessão 37)

—-

Não se pode comparar o metafísico com o físico. Digo-vos isto muitas vezes. É impossível. Não podem aplicar a vossa lógica física ao mundo metafísico. É impossível. É preciso ver as coisas de um ponto de vista metafísico para compreender o processo, embora o processo seja a tecnologia da fonte. Acham que podem ensinar um bebé recém-nascido a pilotar um helicóptero? Claro que não. Pouco a pouco, pedaço a pedaço, está a tornar-se mais consciente. Mas há muito mais. De facto, há muito mais para todos nós. É infinito.

(Excerto de sessão 38)

—-

A vossa energia neste mundo é de natureza física. Tens sentidos físicos. Escolheste isso. O vosso condicionamento impede-vos muitas vezes de compreender o mundo metafísico da consciência. Devido aos vossos sentidos e ao vosso ser físico, aplicam muitas vezes a mesma lógica ao metafísico. Isto é incorreto. É como falar línguas diferentes. Uma é uma língua, a outra é uma língua diferente. Tem de aprender a separar o metafísico do físico e depois tem de aprender a falar a linguagem do metafísico, da qual não há linguagem, não há palavras. É energia vibracional. É emocional. É frequência. É aqui que reside a vossa confusão. Não se pode aplicar a lógica do mundo físico à energia do mundo metafísico. São dois mundos completamente diferentes. Quando vos digo que têm de pensar em termos de energia vibracional, é difícil para vocês fazerem isso. Sei que o fizeram durante toda a vossa vida física, mas é difícil pensar e pensar sempre apenas em energia vibracional e nunca aplicar as vossas palavras. As vossas palavras irão confundir-vos através da vossa lógica e compreensão das palavras, que mais uma vez é limitada. O processo é simples, digamos que é como andar de bicicleta. A primeira vez que o fizeres, nunca mais te esquecerás. É o mesmo princípio. E da mesma forma que aplicas essa lógica do físico ao metafísico é da mesma forma que aplicas a mesma lógica, não apenas na linguagem mas na compreensão do processo, na compreensão do tempo, na compreensão da fórmula...

Agora estão a compreender melhor o tempo, mas ainda não chegaram lá. Têm de se tornar puramente metafísicos para compreenderem isto, para o saberem, para o sentirem. E embora se encontrem connosco aqui num nível de consciência que é agradável para ambos, uma frequência, esta não é a frequência metafísica pura. É decidido por vós e por nós a posição onde nos encontramos. É a base mútua das duas energias. Mas o metafísico é muito diferente disto. É aqui que vais experimentar o tempo e o espaço. E vai sentir, já sentiu. Tem de perguntar a si próprio porque é que se sente tão em paz consigo próprio nesta área. Têm de se perguntar porque é que nada mais parece importar dentro da área onde agora se sentam. Isto não é uma ilusão. Isto é um exemplo, uma parte muito pequena do que existe no mundo metafísico. Não é totalmente metafísico. É uma junção do físico e do metafísico. Se se sentem assim aqui, devem usar a vossa imaginação para sentir como será num mundo puro de metafísica. Eu não poderia explicar-vos isto.

(Excertos de sessão 42)

—-

Enquanto estiver conscientemente consciente numa forma física, achará incrivelmente difícil sentir a frequência e a emoção de um mundo metafísico. A única altura em que o conseguem fazer enquanto estão numa forma física é através daquilo a que se chama uma experiência fora do corpo. Mesmo dentro do processo de uma experiência fora do corpo, o vosso consciente continuará a aplicar uma filosofia metafísica, na medida em que quererão criar uma forma física dentro de uma experiência fora do corpo. Não é assim que criamos. Isto acontece porque ainda estão apegados ao vosso condicionamento dentro da experiência que estão a ter na experiência fora do corpo. Portanto, as complexidades de compreensão são imensas.

É por isso que é importante que, quando experimentarem esta viagem, removam completamente o vosso condicionamento, e então experimentarão verdadeiramente o metafísico. Mas isto é difícil para vocês porque estão a pensar numa linguagem diferente. É aqui que vão compreender o tempo, onde vão compreender a massa, o volume e o espaço. Estão constantemente a aplicar o vosso condicionamento para tentar racionalizar e compreender o metafísico. Embora consigam ter uma visão disto, nunca compreenderão verdadeiramente o que é realmente metafísico....

Não há necessidade, no mundo metafísico, da continuação, da formação de energia da mesma forma que se está continuamente a formar energia no mundo físico...

A vastidão do metafísico, a criação a partir da fonte é infinita, abrangente, sobrepõe-se a tudo o que acreditam ser real na ilusão que criaram. É uma parte minúscula do processo. Apenas têm de o experimentar para terem consciência disso. Esta é a vossa viagem. Tendes aquilo a que chamaríamos uma pequena compreensão dela. Estão no princípio.

(Excertos de sessão 45)

—-

Não podeis imaginar o mundo metafísico, mas não há nada a temer. O medo é uma ilusão. Não existe no mundo metafísico puro. É, mais uma vez, uma criação vossa. A palavra, por si só, não precisa de outras palavras associadas a ela para atrair a vossa mente para um tipo diferente de energia. E a palavra amor vocês adaptaram, criaram conhecimentos, um tipo diferente de emoção, uma frequência diferente. Mas ainda não está correcta. Ainda não é o amor da fonte. Uma palavra, bem, não temos palavras para vos descrever isto que caibam no vosso vocabulário de palavras. Não existe.

(Excerto de sessão 46)

—-

Já vos disse muitas vezes que não podem compreender o metafísico a não ser que tenham consciência do que ele é. A vossa tomada de consciência vai acontecer. Acontecerá. Aconteceu num momento.

Peça por peça, como um puzzle, vai juntá-las. Isto é consciência. Este é o processo.

A vossa viagem é para experimentar, para se tornarem mais conscientes. É um processo passo a passo.

Esta é a única solução lógica, fisicamente lógica, para iniciar o processo. Mas, claro, a lógica física não se aplica à metafísica. Mas a lógica física é o veículo que usarão para o compreender, porque estes são os sentidos que têm. Não significa que o vão compreender com a vossa lógica física. Significa que usarão a vossa lógica física para criar a viagem para a compreenderem, para embarcarem na viagem. Não tens outros sentidos. Como é que podes usar os sentidos que não tens? É impossível. Não podes colocar-te num mundo metafísico apenas com os teus sentidos físicos...

Não devem pensar que o mundo metafísico está separado do vosso mundo físico. É o mesmo. Está no mesmo sítio, como se fosse um lugar, está no mesmo sítio. Só há um lugar. As vossas palavras são novamente limitadas.

(Excertos de sessão 47)

—-

Se dispersares todas as partículas físicas do mundo físico que criaste, que não podes remover mas podes transformar numa energia ou frequência diferente, o que te resta? Para si pareceria nada, um espaço vazio. Não é um espaço vazio, é apenas outro tipo de energia. Isto é a metafísica. É aqui que residimos dentro do que vocês pensam ser um espaço. Não é um espaço de nada, é apenas uma forma diferente do que é a mesma energia da fonte. É por isso que vos digo que o vosso mundo físico é a vossa ilusão criada. É o lugar que escolheram para se concentrarem, para residirem nele. Criaram muitos sistemas para gerir isso, dos quais o tempo é um desses sistemas.

(Excerto de sessão 53)

—-

Este é o mundo real que procuram explorar, não o mundo fisicamente criado em que se envolvem, as histórias que criam no vosso mundo. Este é o mundo real, o mundo metafísico

(Excerto de sessão 58)

—-

Vêem tudo em termos de massa, em termos de volume, em termos de tempo. Este é o mundo que criaste, o mundo físico. Sem estas coisas, não pode imaginar o mundo real, o mundo metafísico. Não consegue imaginar esse mundo porque quer aplicar sempre a massa, o volume e o tempo.

Deves tentar imaginar um mundo onde podes criar qualquer coisa, em qualquer momento da criação física ou metafísica. A escolha de criar é vossa, conscientemente. Assim, o vosso pequeno mundo, o vosso mundo físico que criaram, torna-se insignificante, não insignificante em termos da sua existência, mas insignificante em termos da vastidão das possibilidades metafísicas que podem ser criadas pela vossa consciência, pela consciência.

Isto é-vos dado pela fonte, esta capacidade de criar o que quer que queiram criar. O vosso mundo é uma pequena parte do um, da fonte. Imaginem um pequeno grão de areia e comparem-no com o tamanho do mundo e depois multipliquem-no por um bilião e depois multipliquem-no por uma quantidade infinita. Nem sequer consegues imaginar as tuas capacidades. É impossível para ti imaginar isto. É impossível para ti compreenderes o infinito. Isto é o que tu és capaz de fazer, tu és uma parte, tu és um, isto é o mundo metafísico, tu não consegues sequer compreender a vastidão.

É tudo, é tudo, mas está num momento, e vocês escolheram concentrar-se numa posição dentro de um momento. E estão a aprender agora que é infinito, não tem massa, não tem volume, não tem tempo, não tem restrições. Com os vossos sentidos físicos, tal como eles existem, é-vos impossível experimentar isto. É possível para vocês entenderem, mas não é possível para vocês experimentarem isso dentro de um reino físico, dentro desta posição física na qual vocês escolheram se concentrar.

(Excerto de sessão 59)

—-

Por isso, depois de ter acabado de tentar perceber como é possível viajar à velocidade da luz, aperceber-se-á de que não é necessário viajar de todo dentro do mundo físico. O simples facto de estar em contacto com o mundo metafísico dir-lhe-á que não há necessidade de viajar, porque já está aqui e já está lá, e já está em todo o lado. Portanto, viajar é mais uma vez uma ilusão criada fisicamente, criada por vós para se isolarem. Podem estar em qualquer lugar e a qualquer hora que quiserem, num momento, e podem ser o que quiserem nesse momento. Isto é liberdade. Isto é a fonte. Isto é energia pura. Tudo o resto é uma ilusão criada por si.

(Excerto de sessão 60)

—-

Claro que tudo tem de fazer sentido para ti dentro do mundo físico que criaste, com os teus sentidos físicos, com a tua lógica física. Se não fizesse sentido para ti, não serias capaz de o aplicar. Não se tornaria mais consciente. Mas a vossa lógica física é apenas uma forma física de fazer sentido. Na metafísica, a vossa lógica não é aplicada da mesma forma que a aplicam na vossa vida condicionada. Mas vocês escolheram estar aqui. Escolheram ter estas ferramentas com as quais trabalham, por isso, têm de aplicar a lógica física para dar sentido ao mundo metafísico e, muitas vezes, isso não é correto. Não é correto porque não conseguem compreender que não existe tempo e que tudo ocorre num momento. Mas podem obter uma compreensão básica do processo, e fazem-no, e isso leva-vos mais longe em direção à fonte, ao único e verdadeiro mundo metafísico que existe, ao único.

As perguntas que fazem são aplicadas a partir do vosso condicionamento, da vossa lógica, da vossa compreensão limitada da vida, da consciência. Duas linguagens diferentes. A linguagem da frequência, das vibrações é a única linguagem real e verdadeira, a linguagem do conhecimento, do sentimento, da compreensão. Esta é a energia criada pela fonte, e este é o único significado verdadeiro e real da vida. Muitas vezes, é aqui que reside a vossa confusão, um pé dentro e um pé fora das vossas palavras, tentando racionalizar, tentando compreender dois mundos completamente diferentes no mesmo momento...

Enquanto que na metafísica, existe apenas uma e esta é a energia da fonte, de Deus. Embora estejamos plenamente conscientes do negativo e do positivo, estamos plenamente conscientes da vossa interpretação do que é bom e do que é mau. Nós não vivemos neste mundo que vocês criaram. Mais uma vez, línguas diferentes, culturas diferentes, compreensão diferente. Naquilo a que chamam tempo, verão a mesma analogia dentro do vosso mundo, quando ele foi separado entre a cultura ocidental e a cultura do Extremo Oriente, das vossas religiões, das vossas políticas, das vossas crenças, dos vossos valores, verão a mesma separação. verão os opostos completos das histórias que criaram enquanto estavam isolados uns dos outros. Quando, na verdade, eles são a mesma cultura, tal como nós somos a mesma cultura que vocês. Um. Uma energia. É isto que estão a tentar compreender. É isto que estão a recordar. Isto é o que estão a experimentar. Isto é o que escolheram experimentar. Muitos escolheram uma experiência diferente, muitos estão numa posição diferente.

(Excertos de sessão 70)

—-

A razão pela qual o vosso caminho é tão difícil é porque estão a tentar compreender o metafísico enquanto se concentram na vossa ilusão criada fisicamente. Estão a fazer uma contaminação cruzada entre o metafísico e o físico quando, de facto, são a mesma coisa. Mas a vossa lógica física aplicada confunde-vos quando tentam aplicar essa lógica a uma metafísica. Este é um processo incrivelmente difícil que aplicaste. São dois mundos completamente diferentes, e está a tentar compreender um desses mundos com a lógica de outro, uma linguagem de outro, uma vida condicionada de outro. Embora seja possível compreender ambos ao mesmo tempo, num só momento, o que está a aplicar é compreender um com a lógica de outro. Isto é confuso e, embora o metafísico seja tudo o que existe, embora o metafísico englobe ambos como um só, o físico também engloba o metafísico. Mas enquanto tiverdes escolhido o condicionamento em vez da sabedoria e do conhecimento, voltareis sempre ao condicionamento para a vossa lógica, que não é lógica. Um processo verdadeiramente difícil. Alguns dirão que é impossível. Mas não é, é a verdadeira iluminação. É o verdadeiro auto-desenvolvimento para compreender ambos, enquanto numa forma física. É uma posição altamente iluminada. Compreender tudo enquanto numa forma metafísica é natural para nós, é normal compreender tudo, enquanto numa forma física é incrivelmente difícil de fazer.

(Excerto de sessão 76)

—-

Mas tu não compreendes a formação da energia dentro do metafísico. Mas compreenderão, e quando se unem à energia da fonte, não há diferença entre uma forma de energia e outra. É uma só energia. É tudo e todos. É amor, e a jornada que estão a fazer é para compreender o verdadeiro significado do amor, e o verdadeiro significado do eu, e o verdadeiro significado da experiência, e o verdadeiro significado da existência. Essa é também a nossa viagem. É a alma. E embora tenham escolhido existir como uma forma física, para habitar dentro de uma máquina biológica, nunca irão compreender isso verdadeiramente. O vosso foco está num elemento minúsculo da consciência. Estão a tornar-se lentamente conscientes da linguagem metafísica e, embora permaneçam com um pé dentro e outro fora, irão aplicar a vossa compreensão da metafísica ao mundo físico em que escolheram concentrar-se.
Esta é a vossa jornada, o vosso crescimento, a vossa experiência. E porque neste reino escolheram criar energia positiva, é isto que devem fazer, é isto que devem continuar a fazer.

(Excerto de sessão 77)

—–

E estão a começar a compreender a insignificância do mundo dentro da consciência que criaram. Tudo é energia, tudo é uma forma de energia e, finalmente, dentro de uma forma física, tudo é dois, apenas dois, e também dentro da metafísica é dois, que se torna um, da mente à imaginação e à consciência, que é um.

(Excerto de sessão 118)

—–

 

Dimensões

Quando vos dizemos que há nove níveis, é o que sabemos. Têm razões para pensar que podem existir doze níveis. Não podemos confirmar nem negar porque não sabemos. Apenas actuamos com base no conhecimento. Isto é o que sabemos. Somos um mundo de metafísica, e é isto que sabemos. Tu és do nível nove. Foi a vossa origem. O vosso nascimento de energia veio do nível nove. O vosso nascimento foi do nível nove e, no entanto, escolheram voltar ao um. Nós apenas vos lembramos do que já sabem, é simples. E quando vos lembramos, vocês sabem de novo. Instantaneamente sabeis. Enquanto estiverem a existir no nível físico de um, muitas vezes irão negar esse conhecimento.

(Excerto de sessão 38)

—-

Deseja saber mais sobre as diferentes dimensões. Elas são uma só. São o mesmo princípio que a separação que vocês aplicam individualmente no vosso mundo. A separação das pessoas é o mesmo princípio que a separação das dimensões. Podem nascer desde o início, desde a origem, em qualquer uma destas dimensões. Podem nascer desde o início da vossa origem em todas estas dimensões. Já esteve em todas estas dimensões. Escolheram estar nesta. Uma compreensão, uma consciencialização, um despertar é saber tudo, não saber apenas um, que é o mesmo. Nós sabemos de nove. Comunicamos convosco a partir de nove. Vocês vivem numa dimensão física, nós vivemos numa dimensão metafísica. Um não é maior do que nove, nem nove é maior do que um. A vossa interpretação de maior é incorrecta. Eles são iguais. São iguais em valor. São diferentes em termos de experiência.

É verdade que a nossa interpretação da vida, da consciência, é muito diferente da vossa interpretação da consciência. Foi isso que escolheste para vir para esta vida com conhecimento. Não quer dizer que não estejas subconscientemente consciente de tudo, porque estás. Não é a mesma coisa para toda a gente ou para todos os seres vivos ou para todas as consciências de que tudo é consciência. Muitos em nove não estiveram em um, muitos em um não estiveram em nove - sendo que é a mesma coisa -. Tu estiveste em todos. Experimentou tudo, naquilo a que chama tempo é irrelevante, é num momento. Têm acesso a tudo num só momento. Não temos consciência de dez, onze ou doze. Seis é metafísico, seis a nove é metafísico. De um a cinco é físico. Quatro e cinco têm uma compreensão maior do processo. Vocês, tal como nós, são uma parte da fonte, nós, tal como vocês, também estamos a aprender...

Um a nove não estão separados. Não estão isolados uns dos outros. Eles existem como um só, juntos. E dentro deste espaço são capazes de comunicar com todos. Mais uma vez, esta é a vossa escolha, assim como é a nossa escolha. Mas as dimensões são muito diferentes, o que, naturalmente, torna a comunicação difícil com base na linguagem. A verdadeira linguagem é a frequência, a vibração. Não é falada, não é falada com a palavra como vocês desenvolveram, mas a energia pura que é usada, criada pela fonte. É uma comunicação clara. Não está contaminada. É energia pura. Isto é o que estão a experimentar agora.

(Excertos de sessão 39)

—-

Um cruzamento de dimensões pode ser visto no vosso mundo muitas vezes. Aparições, chamar-lhes-iam fantasmas. Mas não são. É uma dobra do tempo, como vocês chamariam, mas não é. Não há dobra. Não há nenhuma dobra. Está a acontecer no momento. Está a ser criado no momento. A vossa terminologia de previsão, não estão a prever nada. Estão apenas a observar o que está a acontecer. É a mesma coisa. Mas pode mudar no momento. Têm a capacidade de o mudar com a vossa imaginação...

Vocês escolhem não comunicar com entidades de dimensões inferiores. Não é a nossa escolha, é a vossa escolha. Nós não o impediríamos. Compreendemos porque é que escolhem não o fazer. Não há necessidade. Não conhecemos dez, onze ou doze. Acreditamos que são apenas nove. Por isso, para ir mais alto, não podemos explicar-vos o que é mais alto - claro, mais alto, a vossa interpretação das palavras, não há mais alto nem mais baixo -, mas vocês escolhem não falar com o que a vossa interpretação de mais baixo é, dimensões mais baixas. Nesta vida, historicamente, comunicaram com elas, mas o canal aqui é puro. É claro. Há muitos que se sentam com dimensões mais baixas, muitos comunicam. Além disso, muitos no vosso mundo físico estão em comunicação com o que percebem ser dimensões mais baixas. As trevas e a luz são da mesma fonte, é a mesma energia. Não temeis isso porque nós não tememos nada. Vedes pouca necessidade de comunicar em qualquer coisa para além do nível em que estais e, claro, não há necessidade de fazer isso. As vossas experiências até agora mostram-vos isso.

(Excertos de sessão 40)

—-

Estamos sempre aqui convosco. Nunca partimos porque não há para onde ir, tal como todas as dimensões estão num só lugar, num só tempo. Pode dizer-se que estão sobrepostas umas às outras. Isto não é perfeitamente correto, mas é a única maneira que tenho para vos explicar. Saber é estar totalmente consciente disto. Nunca estarão totalmente conscientes disto numa forma física.

(Excerto de sessão 48)

—-

Nós residimos na nona dimensão. Embora não sejamos a fonte, somos uma parte, tal como vós sois uma parte. Todas as dimensões existem num só espaço. Isso será evidente dentro da vossa existência física, dentro de pouco tempo, naquilo a que chamais tempo. Será anunciado no vosso mundo físico como um anúncio científico. As dimensões serão explicadas cientificamente ao vosso mundo. Embora a informação que recebam seja clara para vós, para a vossa espécie, não será totalmente coberta. A ciência é a ferramenta para a criação da matéria física. O metafísico é tudo o que existe...

Não se apercebem dos canais de energia que já abriram nas dimensões metafísicas e físicas, uma vasta libertação de energia positiva, de conhecimento. Estão a experimentar muitas formas de energia em muitas dimensões, ou níveis, num só momento, e sempre o fizeram - pretérito perfeito, isto não está correto, vocês são -.

(Excertos de sessão 80)

—-

Todas as nove dimensões estão no mesmo espaço. Todas as nove dimensões estão interligadas. Elas são uma só. E a vossa capacidade de ver isto baseia-se na vossa capacidade de criar a energia que é necessária para ver. E a vossa capacidade de compreender isto baseia-se na energia que criam para o compreender.

(Excerto de sessão 81)

—-

Abriram a vossa mente e permitiram-se ser um canal de comunicação e estão sentados num espaço energizado para a comunicação. E são vocês que escolhem com que energias se permitem comunicar. E escolheram comunicar connosco porque somos um, o mesmo. E como vocês são um canal aberto, então outras energias que se comunicam da mesma forma que vocês, da mesma forma que nós, serão atraídas até vocês para se comunicarem. É a vossa escolha. A escolha de comunicar é vossa.

Enquanto fordes um canal aberto, também tendes escolha, escolha de comunicação. E nós não vamos impedir qualquer forma de comunicação com qualquer energia. Isso é interferência. Não interferimos, tal como vocês não devem interferir, mas vocês têm escolha, tal como nós.

Não é fechado, é aberto. Escolhestes a forma mais elevada de comunicação dentro do mundo metafísico. Escolheste o nove. Não sabemos mais do que nove. Mas esta é a vossa escolha. De um a nove não há diferença entre alto e baixo ou baixo e alto. São todos diferentes. Mas enquanto em comunicação, nove compreende tudo abaixo, como seis compreende tudo abaixo, como quatro compreende tudo abaixo, mas não acima. E todos existem no mesmo momento, dir-se-ia que estão sobrepostos. Não necessariamente de forma absolutamente correcta, mas para que se compreenda que está sobreposto...

A transição de um para dois, para três, para quatro, para cinco, para seis, para sete, para oito, para nove, é a consciência. Não é uma viagem física, é um estado mental de ser. E podem experienciar isto quando dormem, experienciam isto quando acordam, a vossa mente irá focar-se de novo na vossa ilusão criativa do tempo.

E para vocês conscientemente dentro do três, para vocês compreenderem qualquer coisa acima enquanto estão no três, enquanto se concentram no três é incrivelmente difícil, como é para o três compreender o quatro, é o mesmo para o quatro compreender o cinco e assim por diante.

Um exemplo típico desta situação é o facto de o mundo plano de dois compreender o mundo tridimensional de três. Enquanto o mundo tridimensional de três pode entender dois, dois não podem entender três, nem podem fazer qualquer sentido lógico disso. Mas isso não significa que não estejam conscientes da sua existência, porque são como tu és, como todos são, porque tudo é apenas um.

(Excertos de sessão 99)

—-

a nossa ilusão é sobreposta, utiliza a terminologia sobreposta para explicar diferentes dimensões. Sobreposto não é o termo correto a utilizar. Embora todas as ilusões sejam sobrepostas, uma ilusão pode desaparecer num instante e pode aparecer num instante, num momento. Assim, tudo o que está a acontecer num momento dentro de uma formação física é uma ilusão. Isto está sobreposto, mas a consciência não está. O metafísico não está sobreposto, é tudo o que existe, é um só. Existe num momento em tudo e em todos. Não há sobreposição porque só há uma. Por isso, quando usam as palavras sobreposição dimensional, estão a referir-se à ilusão de sobreposição. Isso é uma ilusão, não é real.

(Excerto de sessão 108)

—–

E isto é claro agora para vocês, como dentro da vossa ilusão criada no tempo, tem sido claro para muitos, mas ainda assim, muitos não atravessam a ponte. Nem atravessam a ponte na vastidão do universo e dos universos da criação física, e é o medo que impede isso e é o medo que força a continuação do controlo. Estou a referir-me a dimensões muito mais elevadas, e é exatamente o mesmo processo.

(Excerto de sessão 120)

—–

E há pouca necessidade de contacto com qualquer coisa que não seja o eu. Tu estás em toda e qualquer dimensão. Já tem consciência de tudo e de todos. É você que escolhe não entrar em contacto com nada que não seja o que você escolheu para entrar em contacto. Esta é a vossa escolha, mesmo que a vossa mente vos diga o contrário. É a realidade.

(Excerto de sessão 124)

—–

Conhecemos nove, aquilo a que chamais portas, mas não conhecemos doze. E a cada porta deram muitos nomes, os vossos cientistas chamam-lhes dimensões. Podem chamar-lhes o que quiserem no vosso mundo confuso de palavras, mas é a mesma coisa. Nem mais alto, nem mais baixo, um não é mais baixo do que nove, nem nove é mais baixo do que um, mas em cada um deles existem diferentes formações de energia. No entanto, continua a ser energia de origem, a mesma forma de energia numa forma diferente, a origem é a mesma.

(Excerto de sessão 127)

—–

Nove é um, é a mesma coisa, e um é nove, não se sobrepõe. As dimensões não estão sobrepostas, elas existem como uma só. E através dos sentidos que escolheste dentro da dimensão em que existes, não podes ver fisicamente os nove, mas sabes que eles existem. E através de si próprio, dentro deste espaço, pode comunicar num único momento. Não há sobreposição, não há separação, é um só num único momento.

(Excerto de sessão 141)

—–

Consciência, ou Alma

É certo que podes manipular a consciência, mas também podes manipular o teu ego. Mas pergunta a ti próprio qual deles é mais importante para ti. Os caminhos são diferentes, o fim é o mesmo.

(Excerto de sessão 5)

—-

A vossa mente tentará manter-vos desligados da fonte, a vossa consciência será atraída para a fonte...

Ser capaz de separar o ego da consciência ou da alma, como lhe chama, é a chave. Claro que é mais difícil na prática. E enquanto ainda estiveres a respirar no mundo que criaste, isso nunca acontecerá totalmente, é uma impossibilidade, pela própria razão de estares aqui. 

(Excertos de sessão 19)

—-

Podes elevar a vibração da tua máquina, do teu corpo. Podes também evitar que a tua mente interfira com a tua consciência, a tua alma, as tuas palavras...

O conhecimento, os dados, a espécie humana anseia por tanta informação, criando máquinas altamente tecnológicas, biologicamente tecnológicas, para se enredar na sua própria criação, quando na verdade a resposta não está na criação da espécie humana. Está na consciência de si próprio. Isto é puro, isto é uma emoção pura de pensamento. Isto é a fonte, o amor da fonte, todo-abrangente...

Mas nós conhecemos a consciência humana, e sabemos que ela se esforça para estar mais perto da fonte. Este é o nosso interesse na forma humana, na consciência humana.

(Excertos de sessão 22)

—-

A diferença entre a vossa mente e a vossa consciência é que a vossa mente não sabe. A tua consciência sabe. Ela sente. Este é o factor decisivo para si.

(Excerto de sessão 23)

—-

A imaginação da vossa mente é o mesmo que a imaginação da vossa consciência. É uma só. Mas a energia é aplicada de forma diferente. Uma não é menos importante do que a outra, apenas a aplicação é diferente. Uma pode tornar-se a outra se a vossa mente o permitir, o que muitas vezes não acontece. Assim, a energia é desperdiçada. É inútil devido à falta de aplicação. A consciência não precisa de aplicação, é automática. Por isso, é preciso fazer uma viagem, é preciso atravessar uma ponte. Para ter o seu valor, tem de atravessar uma ponte, enquanto a outra não precisa de atravessar uma ponte, é uma aplicação automática. Assim, é muito mais fácil criar com a imaginação através da consciência do que criar com a imaginação através da mente. Mas ambas são a mesma coisa. Espero que isto vos esclareça. Quando deixas o teu corpo, crias com a tua imaginação através da tua consciência porque já não és físico. Não faz sentido aplicar o seu condicionamento.

(Excerto de sessão 25)

—-

É verdade dizer que somos formados a partir da mesma consciência, é verdade dizer que temos a mesma jornada, e também é verdade dizer que nem todas as consciências têm a mesma jornada, que é uma jornada de compreensão, de conhecimento. Não nos consideramos de uma consciência superior à vossa, mas consideramos que estamos conscientes da nossa consciência e sabemos que escolheram não estar conscientes no caminho que estão a fazer agora. Isso interessa-nos. Esta é a razão pela qual comunicamos convosco...

Também olhamos para o eu superior, a consciência superior. Acreditamos que a mais elevada de todas as consciências é a fonte...

Enquanto existirem na forma em que existem, no mundo físico, nunca compreenderão um único momento. Isso não significa que tenham de deixar o vosso mundo físico criado, significa apenas que podem experimentar tudo e todos em todos os níveis de consciência, como nós fazemos

(Excertos de sessão 38)

—-

É verdade que a nossa interpretação da vida, da consciência, é muito diferente da vossa interpretação da consciência. Foi isso que escolheste para vir para esta vida com conhecimento. Não quer dizer que não estejas subconscientemente consciente de tudo, porque estás. Não é a mesma coisa para toda a gente ou para todos os seres vivos ou para todas as consciências de que tudo é consciência...

A posição é o mais importante. O tempo é irrelevante, tal como a massa e o volume. Quando digo irrelevante, não me refiro ao facto de o vosso mundo físico ser irrelevante. Estou a falar de irrelevante na vasta consciência de todos. Não devem aplicar a vossa lógica física à vasta consciência de todas as dimensões...

Há uma grande mudança a acontecer agora no vosso mundo físico, mas é insignificante dentro daquilo a que chamais o quadro geral, a totalidade da consciência. Há entidades físicas que estão, diríeis, a lutar pela supremacia dentro deste jogo que estão a jogar. Mas, mais uma vez, isso não vos diz respeito. Não tem nada a ver convosco. É uma pequena peça de um puzzle infinito de consciência que está sempre a evoluir e a expandir-se. E no momento, ela pode mudar. A sua posição pode mudar. Tu crias essa mudança.

(Excertos de sessão 39)

—-

Há apenas um momento para todas as experiências de todas as consciências, um momento, um ponto, uma posição, que pode mudar nesse momento. Não há viagem, não há distância, não há massa, não há volume...

Estamos a coexistir numa dimensão diferente dentro deste espaço, neste momento, tal como vocês, tal como toda a consciência que existe num momento dentro deste espaço.

(Excertos de sessão 40)

—-

 Os átomos são a máquina utilizada pela fonte para criar toda a consciência, da qual só existe uma consciência: a fonte...

Só existe uma consciência. Não sabemos o que existe depois disto. Não acreditamos que exista algo depois da fonte. É um ciclo constante, gerando energia e mudando energia. E porque és uma parte, és também o todo. És uma parte do todo, por isso és o todo, tal como nós, o mesmo...

Também é verdade dizer que a vossa Terra criada tem a sua própria consciência, como uma entidade, como uma máquina viva, tal como todos os planetas criados e sóis e sistemas solares. É o mesmo no físico, a consciência criada trabalha da mesma forma que vós, de volta à fonte. Tudo tem uma consciência. Tudo é uma consciência. A vossa palavra alma é muito limitada na forma como a percepcionam.

(Excertos de sessão 42)

—-

A consciência é uma forma pura de energia. Não tem bloqueio. Não tem paragem. Ela não cria um bloqueio para si mesma. São vocês que fazem isso dentro do vosso mundo condicionado, do vosso eu condicionado. Não existe o bem. Não existe o mau. Há apenas formas de energia positiva e negativa. Ambas são necessárias para o vosso crescimento, para a vossa iluminação, para a vossa consciência.

(Excerto de sessão 43)

—-

Há muitas posições que uma consciência escolhe para estar. É por isso que há tanta variação de etapas do processo, mas todas elas acontecem num só momento. Não há tempo, não há espaço, não há massa, tudo é consciência. Mas é uma só, a fonte.

(Excerto de sessão 44)

—-

Tudo é consciência, todas as criações físicas, um ciclo de criação, mudando a energia de uma forma para outra, uma forma sólida para aquilo que tu perceberias não ser uma forma sólida.

(Excerto de sessão 45)

—-

Tu és energia. A vossa consciência é energia. Energia é outra palavra para si, para o seu ser.

(Excerto de sessão 46)

—-

O condicionamento vem da mente. Não vem da consciência, nas vossas palavras, da alma. Muitas vidas passadas de condicionamento criam muita confusão. É muito difícil separar-se dessas vidas para chegar à realidade da consciência. Há muitas razões para isso. Escolheste este caminho, escolheste esta viagem. Não pensam que escolheriam uma viagem destas, mas escolheram. Escolheram todas as pessoas com quem se associam. Tens de aprender a compreender-te a ti próprio, porque eles são um só, o mesmo que tu, uma só consciência. Ao compreenderes-te a ti próprio, compreendê-los-ás...

Escolheste voltar, e escolheste voltar a vivê-lo sem a memória da vasta consciência de onde vieste...

 A confusão vem da tua mente. Ela não atravessou a ponte para a vastidão da consciência. Tu criaste a tua própria confusão...

Tudo e todos são feitos de energia. Toda a consciência é energia. A vossa interpretação de consciência seria Deus, a fonte.

(Excertos de sessão 49)

—-

A consciência situa-se acima de toda a forma física.

O seu ADN, o seu programa, é o que a sua mente vai controlar. A consciência situa-se acima disso. Assim, com a vossa consciência, podem estar acima de qualquer controlo mental.

(Excerto de sessão 56)

—-

Todas as consciências, quando separadas, são diferentes. Eles estão em níveis diferentes de consciência e compreensão. Mas eles também escolheram o mesmo que tu escolheste.

(Excerto de sessão 57)

—-

Assim, o vosso pequeno mundo, o vosso mundo físico que criaram, torna-se insignificante, não insignificante em termos da sua existência, mas insignificante em termos da vastidão das possibilidades metafísicas que podem ser criadas pela vossa consciência, pela consciência...

A mente é uma criação vossa. É uma criação deliberada. Ela existe para vos ajudar a desenvolver a consciência. É um processo necessário. É uma construção necessária, uma criação necessária de si.

Quanto mais expandir a sua mente, quanto mais viver dentro da sua imaginação, mais avançará no seu desenvolvimento para a consciência, através da ponte. Se usares a tua mente para ires para a tua imaginação e não atravessares a ponte, então voltarás à tua mente, e repetirás este processo vezes sem conta, até atravessares a ponte para a consciência.

(Excertos de sessão 59)

—-

Separação física e metafísica, embora sejam a mesma coisa, vocês separaram-nas deliberadamente para se permitirem experimentar a viagem de regresso à consciência. É isso que estão a fazer, e compreender isso é tudo o que têm de fazer, é tudo o que têm de experimentar. Eles são a mesma coisa.

(Excerto de sessão 60)

—-

A consciência é tudo, é tudo, é uma só coisa. É a simplicidade, mas para vós é complexa. Não é místico, é o mundo real que procurais descobrir.

(Excerto de sessão 61)

—-

Somos uma forma pura de consciência, de energia da consciência. Não estamos separados pelo positivo ou negativo, pelo bom ou pelo mau.

(Excerto de sessão 66)

—-

A vossa mente está contente num estado de confusão, num estado de confusão desconectado, desconectado da consciência. Vou recordar-vos que não devem permanecer num estado de confusão. Recordo-vos que têm de aprender a separar o vosso ego, a vossa mente, da consciência. É muito difícil fazer isto enquanto vivem numa forma física, num reino físico. É difícil por causa do positivo e do negativo. É difícil para ti separar a mente da consciência. É difícil porque elas são a mesma energia. São criadas a partir da mesma fonte. Manter um pé dentro e um pé fora, nas vossas palavras, é um processo incrivelmente difícil e vocês escolheram fazer isso. Escolheram experimentar isso. O que é correto é uma frequência, um sentimento de saber. É assim que se separa. Separam o saber do pensar que sabem. Quando aplicam o pensamento e o raciocínio, isso não é correto. Não sabe. O seu ego, a sua mente está a tentar aplicar a lógica para dar sentido ao seu sentimento. Sabe ou não sabe. Não há meio termo...

A consciência é infinita. A fonte é o infinito. Mas aprender é experimentar. Recordar é experimentar e tu escolheste experimentar, por isso experimenta.

(Excertos de sessão 68)

—-

Agora vou repetir mais uma vez. A energia, a frequência, a emoção, o saber, o conhecimento são muito mais importantes do que os dados, do que a vossa lógica fisicamente aplicada. Para compreenderem a consciência, têm de saber, têm de sentir, têm de sentir a energia dentro de vós. Isto não são palavras.

(Excerto de sessão 69)

—-

Também se pode dizer que foste criado. A vossa máquina foi criada a partir de uma fonte externa e por uma razão específica. Mas a vossa consciência, a vossa alma não pertence à máquina. Ela não passa de uma máquina. A vossa consciência é igual a todas as outras. Ela é una. É um componente separado da máquina. É totalmente separada. Pode existir em qualquer forma que deseje...

As formas físicas manipulam o processo sem a compreensão da consciência. Quando na realidade é tudo o que existe, uma fonte, uma consciência. Todo-abrangente é o amor da fonte. A incapacidade das formas físicas de atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência cria muitas ilusões naquilo a que chamais tempo. É necessário atravessar essa ponte e compreender a consciência. Esta é a razão pela qual a consciência existe, para compreender o eu, para saber o que tu és, uma forma pura de energia...

A consciência está dentro de cada criação física porque só existe consciência. A vossa mente é o ego. A imaginação é a ponte para a consciência. Uma não pode existir sem a outra, dentro do mundo físico que criaste. A consciência é mais. A consciência não tem começo, não tem fim. Ela é. É a fonte. Desde que começaram esta viagem, devem ter reparado que vêem as coisas no vosso mundo físico de forma diferente. Vocês não começaram a viagem. Nunca deixaram de ser uma parte da consciência. Mas na vossa ilusão criada no tempo, começaram a viagem, e notarão como estão mais conscientes de todas as situações à volta do vosso pequeno tempo neste momento. Isto é consciência e vai ficar mais forte e mais poderosa à medida que se tornam mais conscientes, à medida que compreendem mais consciência.

(Excertos de sessão 70)

—-

Quando nos envolvemos mais no mundo físico, sentimos frequentemente que o nosso contacto com o mundo metafísico é menor. Este é um sentimento natural. A sua mente quererá sempre assumir o controlo da sua consciência. É a sua mente que lhe está a dizer que se desligou do metafísico, da consciência. Não se desligou. É uma impossibilidade. Mas a vossa mente é uma ferramenta muito poderosa, o vosso ego, e vão sentir-se desligados. Isso é outra ilusão porque só existe a consciência. Só existe a metafísica. É impossível desligar-se. Foi isso que criaste. É necessário que se sintam desengajados para que possam voltar a sentir-se engajados. A razão pela qual este espaço existe é para que possam libertar-se das vossas necessidades físicas, da vossa mente, da vossa vida condicionada. Isto permite-vos conhecer a fonte, conhecer a consciência e é um processo totalmente natural que experimentam. Quanto mais nos afastamos da consciência, mais nos aproximamos da consciência com a tomada de consciência. Quanto mais se tornam conscientes, quanto mais praticam com a vossa mente no mundo físico, mais se aproximam da consciência. Mais uma vez, um processo passo a passo.

(Excerto de sessão 71)

—-

Escolheram renascer muitas vezes sem as memórias das vossas vidas passadas. Escolheram vir para esta forma física sem memórias, sem consciência da consciência. Escolheram fazer isto, para se lembrarem da consciência, para saberem de novo o que são. É um caminho difícil que escolheram. É uma batalha que escolheram travar dentro de vós. Formularam a vossa mente, o vosso ego, para lutar contra si próprio, sabendo que se tornarão conscientes da consciência. É um caminho interessante que escolheste. É interessante para nós sabermos porque é que o fariam. Porque estiveram conscientes, plenamente conscientes, muitas vezes dentro do processo, e mesmo assim voltam para o fazer de novo, uma e outra vez.

Um pode mudar tudo porque tudo é um. É a mesma coisa, uma consciência, uma fonte. A vossa ilusão de biliões de almas de consciência está incorrecta. É uma só. Por isso, a razão pela qual se pode mudar tudo é porque é apenas um. É muito simples. Parece-vos muito complicado porque não permitem que a vossa imaginação atravesse a ponte para a consciência única. Para compreender isto, preferem separar, separar cada pessoa individual e complexa, separar a consciência. Mas é apenas uma, e se uma muda, todas mudam. As complicações são da mente, do ego. A versão simplista é, a verdade simplista é uma, apenas uma e a vossa dificuldade em compreender isto é baseada no vosso condicionamento, é baseada na vossa separação persistente de cada um e de todos. Toda a matéria física é, de facto, metafísica. É a mesma coisa. Não há dois mundos diferentes, há apenas um. Existe apenas um mundo verdadeiro, e este é metafísico. O mundo físico é uma ilusão, e é criado por si. E a vossa mente escolherá acreditar, não saber, acreditar no que quer acreditar, querer, não saber. E porque escolhem ficar com um pé dentro e um pé fora - palavras vossas -, porque escolhem ficar com isso, então permanecerão na confusão sem a capacidade de se separarem completamente, por isso o que acreditam é complicado. Acreditam que as energias de cada indivíduo, as suas emoções, as suas frequências estão separadas de vocês. Não estão. É apenas uma consciência e a vossa mente, o vosso ego irá separar-se. Ele separa-se constantemente dentro daquilo a que vocês chamam tempo. Têm de se separar para compreender que há apenas uma...

Portanto, o que pensas, o que queres, o que desejas não é necessário dentro de uma consciência.

(Excertos de sessão 73)

—-

A consciência e o mundo físico, a ilusão que criaste, são a mesma coisa. O metafísico é tudo o que existe. A vossa ilusão criada faz parte do metafísico. Enquanto escolheste separar-te da vastidão da consciência, também te esforças por pertencer, uma vez mais, à plenitude da consciência. E escolhem lembrar-se, num ponto dentro de uma posição, escolhem lembrar-se, por isso escolhem os assuntos que desejam discutir neste espaço. Embora o vosso mundo condicionado seja tão diferente, tão extremo, tão confuso para vocês, enquanto participam nele, têm uma sensação, um conhecimento. Isto é recordar. Escolheram passar por este processo de recordar o que são, uma forma pura de energia. São levados por este sentimento a explorar, a recordar, a experimentar e a recordar o que são. É insignificante a vossa vida condicionada, não é insignificante para vocês, é apenas uma ferramenta, uma ferramenta para que possam, mais uma vez, conhecer a consciência, tal como o vosso ego é uma ferramenta para conhecer a consciência. E através das vossas experiências, despertarão, tornar-se-ão mais conscientes da consciência. A meditação é uma ferramenta que utilizarão não para esvaziar - é impossível - esvaziar a sabedoria e o conhecimento que possuem dentro de vós, mas é uma ferramenta que utilizarão para iluminar, para recordar. Sem a confusão da sua vida condicionada, colocar-se-á numa posição, uma posição que lhe permitirá recordar, compreender a consciência, iluminar-se.

Muitos não têm consciência da consciência. Isto é irónico, considerando que tudo o que existe é a consciência, a fonte, o um. 

(Excertos de sessão 74)

—-

Portanto, a vossa intriga sobre o que existe fora deste mundo fisicamente criado, no qual escolheram concentrar-se, é irrelevante, quanto ao seu aspeto, quanto ao que fazem. Como percebem que tudo isso é irrelevante, porque no interior, eles também são uma parte da consciência como vocês são. Eles também são vocês. Eles também são nós, eles também são um. Eles também são energia fonte, tal como nós e vós somos.

(Excerto de sessão 75)

—-

Continuas a tentar provar a existência da consciência porque a tua vida condicionada foi criada por ti para esse fim. A razão de existirem numa forma física é para poderem viajar para conhecer a consciência.

(Excerto de sessão 78)

—-

Estão a usar as ferramentas da armadilha para tentar compreender a liberdade da consciência, que em si mesma é uma contradição, mas uma necessidade. Um pé dentro e um pé fora é uma viagem muito difícil. Enquanto um contradiz o outro, em última análise é a mesma coisa. E a vossa mente, o vosso ego, lutará sempre pela supremacia para permanecer na caixa, e foi isso que escolheram. A submissão final à consciência é a consciência completa, o saber, e enquanto permaneceres com um pé dentro e outro fora, nunca saberás verdadeiramente, embora essa sabedoria esteja dentro de ti.

(Excerto de sessão 79)

—-

A consciência está presente em tudo e em qualquer coisa. Não compreendeis como é que esta comunicação, esta energia vibracional, se vai propagar num instante a um espaço infinito e vasto, a consciência. 

(Excerto de sessão 80)

—-

A consciência metafísica é algo diferente, onde dois podem tornar-se um, mais uma vez através da escolha. Um é absoluto. Não existe nada para além do um na realidade. Fora da realidade, há dois e não há mais, dois sob a forma de muitas energias diluídas.

(Excerto de sessão 84)

—–

E perguntar-se-ia: o que é a consciência? É tudo e todos criados pela energia da fonte, por Deus.

(Excerto de sessão 87)

—-

E quando consomem todas as diferentes energias que foram constantemente criadas, que estão constantemente a ser criadas, a vossa mente não consegue processar. Ela é incapaz de processar uma quantidade tão grande de energia para dar sentido a isso dentro da sua própria ilusão. É impossível, e é nesta altura que têm de sair. Têm de sair para a vossa consciência, para o metafísico, para compreender isto, que é tudo metafísico. Não é físico e, enquanto estiverem numa forma física da vossa criação, voltarão à mente, ao ego. Este é o vosso foco.

(Excerto de sessão 107)

—–

Mente, Ego

A vossa mente é uma ferramenta que criaram e, com a vossa mente, criaram o vosso ego, que também é uma ferramenta. É uma ferramenta necessária que desenvolveste para promover a expansão de ti próprio...

A vossa mente tem a capacidade de tornar tudo muito complicado, quando na realidade é muito simplista...

A tua mente é muito limitada. A criação não vem da vossa mente, nem a sabedoria vem da vossa mente. E tu saberás, tu saberás quando é a altura certa porque tu criaste esta altura. É assim que saberás.

(Excertos de sessão 118)

—–

Estás, estás a ver muitas coisas, muitas coisas visuais. Deseja vê-las, um estado mais profundo de receção de informação em que se encontra.

A sua mente é como um computador com programas a correr constantemente em segundo plano. Nunca param de funcionar, uma quantidade infinita de programas de tudo o que está a acontecer num momento, camadas e camadas de programas a funcionar, e com o premir de um botão, pode aceder a todos e a cada um desses programas. É isso que estão a fazer agora.

Mas a vossa mente condicionada só consegue lidar com um programa de cada vez, talvez dois, mas não com uma quantidade infinita de programas. É por isso que a meditação permite que se separe, que se concentre num programa de cada vez, porque é assim que a sua mente condicionada pode compreender a informação que está a receber. E tu és um canal aberto para a receção de informação.

Tudo o que podem ver está e ocorreu e está a ocorrer no mesmo momento. O que podem sentir é uma mudança física na vossa energia vibracional. É uma mudança na vossa energia vibracional que força uma sensação física de mudança, não é o contrário.

As vossas mãos estão quentes. Elas emitem energia e recebem energia. O seu rosto sente cócegas, é uma mudança física que é forçada pela receção de energia. E mais desses programas estão continuamente a correr em segundo plano e você, consciente e logicamente, precisa de compreender como separá-los com a sua mente, uma compreensão lógica, para que a sua mente condicionada possa compreender o que está a experimentar. Sem essa condição lógica, essa compreensão, é apenas confusão, alguns chamariam de insanidade...

Cada forma física que criam dentro da vossa ilusão, cada forma de vida está lá por escolha. Até cada alma ou pessoa por quem passam na rua, elas estão lá porque vocês escolheram, vocês escolheram que elas estivessem lá nesse momento. Escolher é passado, escolher é momento, e com a vossa imaginação escolheram o momento, escolheram o momento, é difícil para vocês compreenderem, mas é a realidade. Ao aplicar a imaginação, por escolha, escolhe no momento, não escolheu, escolhe. E isso cria o momento que é tudo o que existe. E quando estão nesse espaço, usam a vossa lógica condicionada, porque estão condicionados com a vossa mente e o vosso ego vai usar isso para separar, para criar uma linha temporal. E acreditam que estão a ver algo no futuro, quando na verdade está dentro do momento, como tudo está dentro do momento (4). E com a vossa mente condicionada, se não aplicassem isto, não fariam a mínima ideia da quantidade infinita de informação que receberiam de um ponto de consciência onde realmente existem. Isto é o que tu és.

(Excertos de sessão 121)

—–

Devem relaxar dentro da ilusão física que escolheram criar, e devem sentir a energia à vossa volta. Têm a capacidade de fazer isto facilmente. Sabem instintivamente, dentro de um único momento, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, o que é correto e o que não é correto, para vocês. O que é correto e o que não é correto não é necessariamente o mesmo para todos, mas vocês sabem, sempre souberam. É nisto que devem confiar dentro de vós, acima do ego, acima da mente, acima daquilo que permitem que vos controle.

(Excerto de sessão 123)

—–

Agora podem ver quanta confusão criam no mundo em que vivem. O que é frequentemente transmitido de uma forma é mal interpretado de outra pelo recetor dessa energia, com base na forma como a sua mente e o seu ego convertem a energia. Saber libertar-vos-á, estar consciente libertar-vos-á, estar constantemente consciente disto libertar-vos-á. A liberdade não tem preço, a liberdade não tem preço, e vocês não são livres. Não és livre porque não te permites ser livre. Vivem com medo, medo de tantas coisas que criaram dentro da ilusão em que vivem e a única forma de se destacarem é eliminarem todo o medo.

(Excerto de sessão 126)

—–

É importante que reconheçam, que compreendam a palavra ego. O que é o ego? O ego é a parte que criaste para te compreenderes a ti próprio. Não é bom, não é mau, é uma ferramenta. É uma ferramenta que criaste e, com essa ferramenta, crias o mundo físico, crias as histórias, crias o drama, a crise na tua vida. E se compreenderem o eu, se compreenderem isto, então saberão o que são. E tu és uma forma pura de energia criada a partir da fonte, uma parte da fonte, portanto, tu és a fonte, tu és a energia da fonte. Não és um ser físico, és uma máquina dentro do mundo físico. E com o ego, com o reconhecimento do ego, compreenderás isto.

Não podes imaginar o poder do ego. Não podes imaginar o poder que ele tem para te controlar. Tu criaste o teu ego, e criaste-o por uma razão específica. Tudo é projetado, projetado por ti. Criaste uma ilusão e vives dentro dela e é tudo e mais alguma coisa dentro de uma vida física, criada por ti por uma razão específica. Quando compreenderes isto, compreenderás melhor o teu Eu, libertar-te-ás.

(Excertos de sessão 138)

—–

É suficientemente difícil, impossível para a maioria compreender que escolhe, que escolhe tudo, que criou o seu ego, que se separou, que se separou deliberadamente, para compreender o que é. E o ego é uma ferramenta incrivelmente poderosa que criaste. E embora sejas ego e eu ao mesmo tempo, estás a tentar compreender o que és, e isso é eu, eu sem ego.

Assim, embora o ego seja uma parte de vós, é apenas o eu que estais a tentar compreender, e vós sois a fonte de energia. É isso que tu és, uma forma pura de energia. E o vosso ego continuará a manipular-vos. Ele continuará a criar desvios, histórias, caos na vossa vida. Isto é um pé dentro e um pé fora, uma jornada incrivelmente difícil que vocês escolheram para entender o eu. Mas ao compreenderem o eu, serão capazes de separar o ego.

E não há nenhuma pergunta que não possas fazer, e não há nenhuma resposta que não possas obter, para compreender isto. Mas não pensem que é fácil. Não é fácil para vós porque, enquanto estiverem numa forma física, não irão separar o ego do eu na sua totalidade. Olharão constantemente para o ego em busca de consulta, de conselho, de ajuda, de medo, e olharão para o ego em busca de respostas. E o ego manipular-vos-á, manipular-se-á a si próprio através do medo. Portanto, esta é a difícil jornada que escolheste.

(Excerto de sessão 140)

—–

Nothing is a word. No thing, it does not exist is the meaning of no thing, nothing. And everything you create is an illusion. Illusion means it is not what you think it is. And this is how your mind works, it creates everything, which is nothing, no thing within a single moment. And it does this so you can experience self, so you can eventually know, know what you are. And you are a pure form of energy, and you must know this.

Because it is an illusion, it merely means that it is not what your mind or your ego thinks it is, it is of your creation. Time is of your creation, mass is of your creation, and none of this is the real world that you desire to know…

And you choose within a single moment how to navigate this, because you have access to all and every part of your illusion within a single moment.

(Excertos de session 144)

—–

And all the time, the time that you have created, your ego you have created will constantly push you back. There is no back, there is only one, but within your time created illusion, it will push you back constantly for fear of loss of control, for fear of loss of self, when in reality, this is not self. It is what you have created, it is what you have created to understand self, to understand what you are, which, again, I will say, again, you are a pure form of energy created from source. You are a part of source, pure. And you will constantly become frustrated, become angry, become fearful. It is your ego, it is your ego working in the way you created it to work. And you can get beyond this. Self-inquiry, self-meditation, self-work will take you beyond this, and it does take you beyond it.

É o medo que vos puxará constantemente para dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. É o medo, e se o vosso ego, a vossa mente não tem medo, irá criar medo, irá criar medo porque foi para isso que o desenharam. Conceberam-na para se desafiarem a vocês próprios, para vos forçar a uma posição de compreensão de si próprios. É isso que ela faz, faz exatamente aquilo para que a concebeu. Mas há-de chegar um ponto, uma posição em que já não reconhecem a necessidade do ego. Este é o ponto que estão a tentar alcançar, a posição na esfera.

And all and everything occurs within a single moment, and this is very difficult for you to understand because you are trying to apply your ego’s logic or linear thought process.

Nem sequer conseguem compreender quão pequeno é o vosso mundo. O vosso ego, a vossa mente precisa que acreditem que é tudo o que existe, quando, na realidade, não é, não é a realidade. O ego, a mente, não é a realidade. A realidade é tudo e todos, é a fonte, é um, é o amor.

(Excertos de session 145)

—–

Energia, frequência

Toda a energia é formada através da frequência. Todas as emoções são frequência. A formação da energia é vasta, é infinita, é contínua, está sempre a expandir-se.

(Excerto de sessão 45)

—-

A energia que trabalha neste espaço é pura. É clara. A energia com que trabalha na sua mente está diluída, não é pura, não está unida. Não é má - chamar-lhe-iam má, mas não é má -, é fraca, não é pura. Tens de reconhecer isto.

(Excerto de sessão 59)

—-

É impossível destruir a energia. Ela pode mudar de uma forma para outra, mas é impossível destruir qualquer forma de energia que seja criada pela fonte. E ela mudará constantemente de uma forma de energia para outra. Um ciclo, um ciclo que existe num momento, constantemente a formar-se e a mudar, a aparecer e a reaparecer. Mas nunca desaparece como os vossos cientistas pensam. Simplesmente aparecendo numa dimensão diferente, que é a mesma que a vossa dimensão, sobreposta no mesmo espaço e no mesmo ponto e no mesmo tempo, mas nunca desaparecendo. É impossível desaparecer, se ao menos eles soubessem como essa afirmação é estúpida. A energia não desaparece, ela forma-se numa energia diferente num momento.

(Excerto de sessão 60)

—-

Tudo é uma ilusão criada pela vossa mente. Cada um de vós tem uma ilusão diferente que criou. Tantos problemas diferentes que vocês criam, tantas distracções, tantas frequências complexas que estão constantemente a colocar lá fora, que são recolhidas por cada um de vocês, que acham confuso quando recebem as energias que os outros estão a criar, porque eles são vocês, são iguais. E a vossa mente não será capaz de processar esta informação. E é aqui que reside a vossa confusão. Ela não vai atravessar a ponte da mente para a imaginação, para a consciência. É assim que se separam, é assim que se isolam, e vivem numa massa de confusão. Tens de estar ciente disto para te permitires separar, para te permitires atravessar a ponte da imaginação para a consciência, para compreenderes a consciência. A consciência é tudo, é tudo, é um. É a simplicidade, mas para ti é complexo. Não é místico, é o mundo real que procurais descobrir.

Quando conseguirem compreender a ilusão que criaram, as muitas ilusões que criaram, compreenderão como se separar. Compreenderão o verdadeiro significado do amor da fonte. Ele é todo abrangente. E devem perdoar, e não devem invejar ou odiar, porque quando perdoam estão a perdoar-se a si próprios.

Esta é a viagem que está a fazer. Esta é a realidade. Nem sequer conseguem compreender com os sentidos que usam, com a vossa mente, o quão difícil tornam a vossa vida, o quão complicada a tornam. Isto está entrelaçado com a frequência e a energia das pessoas que vos rodeiam. Isso confunde-o. Aumenta a sua existência confusa. Tens de remover isso. Tens de sentir a energia da fonte, que és tu, fazes parte dela, é a mesma coisa...

Quando projectamos uma emoção, emitimos uma frequência e sentimos essa energia uns dos outros. Quando projectam uma frequência de medo, de inveja, de ódio, de ciúme, de raiva, estão a projetar isso em vocês próprios. Têm de trabalhar sempre no positivo. Devem praticar isso fora deste espaço. Vocês são uma forma pura de energia, e serão uma parte dessa forma pura da energia da fonte. Esta é a vossa viagem.

(Excertos de sessão 61)

—-

É a vossa ilusão criada que dá origem a cenários e situações complicadas. É a vossa lógica condicionada que vos confunde e tudo isto são frequências. Tudo isso é energia vibracional que vocês estão constantemente a criar. Já vos disse antes que não iriam compreender a resposta com base na minha compreensão da vossa pergunta. É por isso que este espaço é importante para vós, é por isso que é um lugar puro para compreenderem. Mas nada disto é incorreto. Está, e tu criaste-o. É um desafio supremo para vocês discernirem e compreenderem a complexidade do que é. A consciência em si é pura, não há confusão para entender a consciência. É Deus, é energia fonte, é um. Todas as complicações estão nas vossas vidas condicionadas, no vosso condicionamento, na vossa mente.

(Excerto de sessão 86)

—-

Como em, como dentro, como podem ouvir com os vossos sentidos físicos, podem ouvir energia, podem ouvir energia agora. A vossa interpretação em palavras disto é tinnitus e neste momento podem ouvir muitas formas de energia no vosso interior. Vocês são uma forma pura de energia e estão constantemente a transmitir e a receber energia. E a energia pode se formar em diferentes tipos de energia, e você está constantemente transmitindo e recebendo todos os diferentes tipos de energia.

(Excerto de sessão 110)

—–

A energia está sempre a formar-se, sempre a mudar de uma forma para outra, na realidade, dentro de um único momento. Esta é a razão pela qual criam a vossa própria realidade em cada momento.

(Excerto de sessão 120)

—–

Energia, energia é fonte, é pura. Não pode ser destruída. Pode mudar de uma forma para outra, mas não pode ser destruída. Até a palavra energia está aberta a interpretações. O que é energia?

É aqui que se aplica a fé, a fé é energia. É aqui que aplicas a tua imaginação, a imaginação é energia. Ela tem a capacidade de mudar a formação física de tudo e de todos. Tem a capacidade de mudar a estrutura genética, a estrutura das partículas. Tudo o que percebemos como real numa forma física pode ser mudado com energia, de uma forma para outra. Mas o reconhecimento disso, a capacidade de poder atravessar a ponte da mente para a imaginação, para a consciência, só é conseguido através da compreensão disso, e mais importante, do conhecimento disso. Não conseguirão mudar esta realidade em que escolheram concentrar-se sem saberem. Pensar que sabe não inicia o processo. Apenas acredita, apenas pensa que sabe. Saber! O saber vai iniciar a mudança. Saber e aplicar!

(Excerto de sessão 125)

—–

Estão constantemente a receber tantas frequências, tanta energia, tantas mensagens confusas no mundo que criaram. E têm de aprender a receber toda esta informação, têm de aprender a separar, a decifrar, a distinguir uma mensagem específica. E no nível em que vocês existem, no nível linear, isso é difícil de fazer.

Embora continuem a receber constantemente tudo e todos à vossa volta, precisam de saber como distinguir uma mensagem específica que recebem, e isso é feito através de si próprios, através da consciência. No final, ireis receber a mensagem, a única mensagem. Reconhecerão esta mensagem como sendo a que pediram para receber, a que desejam receber, e é assim que recebem a nossa mensagem, é assim que traduzem a nossa mensagem em palavras, nas vossas palavras, não nas nossas palavras. A nossa transmissão é frequência, é energia. A receção da mensagem depende de vocês, e a transmissão da mensagem em palavras depende de vocês, é a vossa escolha. É você que a retira da caixa, da caixa de transmissão, e a converte na energia das palavras, que, naturalmente, são muito limitadas. A verdadeira comunicação é transmitida através da frequência e é sentida através da emoção. O que têm de fazer é filtrar, decifrar, e é isso que fazem, e é assim que o designam.

(Excerto de sessão 143)

—–

Positivo e negativo

Já vos falei muitas vezes sobre o facto de dois se tornarem um. Existem duas formas de energia, positiva e negativa, no mundo físico e metafísico. Um é a fonte, dois é a vossa viagem e a fonte é a vossa interpretação do positivo. Um e dois são de facto o mesmo, criados a partir da fonte.

És tu, é a tua jornada para compreender isto e para o reconhecer. E tu interpretas isto erradamente como bom e mau, quando a realidade é que é a mesma coisa. E a vossa viagem é de regresso a um, de regresso à fonte. E dentro de tudo e de todos durante esta experiência, reconhecerão duas fontes de energia, positiva e negativa. E elas não estão a lutar entre si, estão a trabalhar em conjunto para compreenderem, para compreenderem o que vocês são, que é uma forma pura de energia, energia da fonte, uma energia. E com a vossa mente, criaram ambas para compreenderem isto...

E podem aplicar o positivo e o negativo, e fazem-no, e têm na vossa vida, em cada cenário que existe, em tudo o que vêem, tudo o que ouvem, tudo o que tocam, tudo o que cheiram, vão aplicar dois para chegar a um, e é isso que fazem.

Portanto, todas estas complexidades, estas linguagens, estes nomes, estas marcas, estas histórias, este teatro que criaste para te compreenderes a ti próprio. Tudo o que ouves, lês, consomes, é criado por ti para te compreenderes a ti próprio. É mesmo assim tão simples.

Mas se descerem, nas vossas palavras, a uma toca de coelho, e forem engolidos pela vossa mente, nas profundezas de um buraco que criaram, é muito difícil regressarem, porque vão criar tempo. A vossa mente criará o tempo para que permaneçam nesse buraco que criaram. Não consegues ver a verdade ou a luz, só consegues ver dentro desse buraco que criaste a escuridão.

Quando, na realidade, não é preciso ver nada, basta sentir a energia, basta sentir a energia positiva à nossa volta. E num instante, buraco, a escuridão já não existe, desapareceu.

É muito mais simples do que a vossa lógica, do que a vossa mente vos permite compreender, muito menos complicado do que vos permitis compreender...

Não existe uma experiência boa ou má. Sim, eu sei que é difícil para ti. Não é difícil para ti compreender a teoria disto, mas é difícil para ti praticar isto, mas é necessário. E sei que escolheste isto porque és nós, o mesmo, um só. É assim que eu sei, é assim que nós sabemos. Lembra-te, dois é um, o mesmo...

Quando te lembrares que dois é um, é tudo, é tudo, o teu medo vai impedir-te de pensar que uma parte disto é má, é negativa. Não é, é correto. Porque a sua mente e o seu ego não querem experimentar este sentimento negativo, é uma força motriz para si. É necessário, é necessário que saibas, que compreendas.

(Excertos de sessão 125)

—–

A energia positiva que têm transmitido desde que começaram esta viagem, da qual não há tempo - isto é uma ilusão - não podem acreditar no que já mudaram num único momento. Um é tudo e tudo é um e não compreenderão verdadeiramente isto enquanto permanecerem com um pé dentro e um pé fora, mas compreenderão.

(Excerto de sessão 126)

—–

É uma explicação simples para vos dizer que só há duas formas de energia. Uma é positiva, a outra é negativa. E para vos explicar em termos simplistas para que possam compreender, o negativo é o Medo, e o positivo é o Amor. Embora a vossa realidade não seja tão simples, com estas palavras compreendem, e podem facilmente mudar a forma de energia do Medo para o Amor. E isto é o que vocês compreendem, e a um nível muito básico compreendem isto, porque o conseguiram muitas vezes sem o conhecimento que vos estou a dar agora.

Na verdade, nem é bom nem é mau, ambos são absolutamente necessários para a vossa compreensão disso. Julgar que o negativo é mau irá criar mais medo na vossa jornada. Conhecer o amor e compreender a energia do amor e aplicar essa energia irá mudar dramaticamente a vossa posição, o vosso ponto dentro do ciclo, isto nós sabemos, tal como vós.

(Excerto de sessão 128)

—–

E quando se trabalha no positivo, é necessário eliminar o medo. O medo existe para aqueles que trabalham no negativo. O medo é outra ilusão criada. Ele não existe. Por isso, quando escrevem as vossas histórias, quando falam as vossas histórias, devem permanecer positivos, com amor, porque são vocês que vão criar essas histórias. Vão criar o teatro em que estão. E vocês escolheram criar energia positiva, por isso é isso que devem escrever, é isso que devem criar, é isso que criam.

(Excerto de sessão 132)

—–

 

Emoções

O caminho que escolhe seguir é derivado neste reino através de uma ação emocional, uma decisão emocional, uma reação emocional. Não é o mesmo em qualquer outro lugar, apenas aqui. Se aplicarmos a lógica à nossa decisão, ela está correcta. Mas a lógica é apenas uma ferramenta que existe aqui.

Tudo o que vê, tudo o que ouve, tudo o que cheira, tudo o que toca tem um efeito na sua direção porque afecta a sua emoção. As suas escolhas são feitas através, através destas direcções.

Não há uma maneira errada de ir e não há uma maneira certa de ir. Tu irás.

Tens muitos mais sentidos, muitas mais capacidades de que nem sequer tens consciência...

Aceita-se uma emoção para criar uma reação. Se não aceitarmos a emoção, criamos uma reação diferente. Escolhe-se. Escolhe-se aqui, escolhe-se em todo o lado...

Uma vez que aqui somos afectados por tudo, tudo o que vemos tem um efeito na nossa vida. Ouves, cheiras, tudo isso tem um efeito na tua vida, na tua direção, na tua reação. Cabe-te a ti gerir isso, dirigir isso. As cores e os sons, todas as pequenas coisas que vêem e fazem terão um efeito na vossa vida.

(Excertos de sessão 1)

—-

Toda a energia é energia emocional. É uma força motriz. Aprendam a controlá-la, a dirigi-la - já vos disse isto antes - e verão o que acontece. Sentirão o que acontece, tal como tudo o que criaram à vossa volta sentirá e verá o mesmo. Só tu próprio poderás parar isto.

(Excerto de sessão 5)

—-

Se estiveres consciente das emoções, podes transformar um sentimento emocional num sentimento físico à vontade. Pode escolher senti-lo fisicamente. Esta é a origem da doença. Devido às suas emoções erráticas, está constantemente a transformar essas emoções num sentimento físico sem consciência, sem saber.

(Excerto de sessão 14)

—-

Se fores um artista e pegares numa palete de cores e misturares duas cores, obténs uma cor diferente. Mas a cor que obtém nunca é a mesma. Tem uma tonalidade diferente. E se pegarmos numa cor ao acaso, nunca poderemos repetir a mesma cor que obtivemos no início. Ao olho humano parecerá a mesma, mas não é. É diferente. É diferente. As partículas que juntou são diferentes. A tonalidade é diferente. Isto utilizando apenas duas cores. Imaginem que se pegarem em todas as cores da vossa palete e as misturarem, e criarem a tonalidade de cor que criaram, imaginem quantas tonalidades diferentes podem criar misturando as cores.

Isto é energia. Imaginem a quantidade infinita de fios, de cores e de tonalidades de todas as emoções que estão a acontecer no vosso mundo no mesmo momento. Imagine quantas combinações de cores pode criar. É isso que está constantemente a criar. Misturam tantas cores que nunca repetem a mesma cor, criam sempre uma nova cor. Enquanto a velha cor ainda existe e as camadas e camadas e camadas são infinitas, infinitas formas de energia que criam, e estas energias juntam-se para criar mais energias, mais emoções, mais confusão.

É preciso compreender o fundamento básico das cores originais da palete sem as misturar. Tens de compreender o fundamento básico dessas cores, dessas energias simples. A confusão que crias é irreconhecível a partir da origem daquilo com que foi criada. Tens de compreender a origem. Tens de a despir para compreenderes a origem. Não podes continuar a misturar as cores para te aperceberes da simplicidade das cores com que começaste.

Isto é energia. É a energia que criam no mundo em que vivem, a ilusão que criam com essa energia no mundo em que vivem. É muito mais simples do que isso. Vocês criam essas energias porque desejam criá-las. Escolheram criá-las. Escolheram criar o caos. E agora escolhem entender porque criaram o caos. E estão a chegar ao ponto em que vão compreender porque criaram o caos. Nós também queremos entender por que criam tanto caos no mundo que criaram. Quando essas energias são formadas, não há como voltar atrás. Vocês formam-nas com a vossa imaginação. Formam-nas com as vossas acções. Vocês criaram-nas com as vossas acções. E como eu disse antes, há certos pontos onde as energias se juntam. Mas as energias que se juntam são a forma original de energia, não a forma confusa que criaste, mas a palete original de tintas com que começaste.

É aqui que nos encontramos agora. Este é o ponto onde a palete original é criada, o ponto da imaginação. É aqui que se sentam neste momento com a palete original de tintas, com a capacidade de usar a vossa imaginação para criar os vossos grandes e maravilhosos desenhos, ou o vosso caos, o que escolherem. É por isso que este é um lugar especial. É por isso que estão aqui, para compreenderem isto, para estarem conscientes disto. É por isso que o canal está limpo. Não está contaminado. É puro.

Assim, naquilo a que chamam tempo, podem avançar com a vossa paleta criativa, mas podem avançar sabendo o que querem criar. Podem avançar com intenção, com intenção, sabendo o que querem alcançar no mundo em que vivem. Se quisermos alcançar qualquer coisa, e podemos alcançar qualquer coisa com a nossa imaginação, a nossa imaginação é a ferramenta que coloca todas as peças no lugar e permite que sejam processadas. O processo deve ser seguido, deve ser completado. Isto é feito com a vossa imaginação.

Tens uma imaginação muito carregada. Carregada, o que é que isto significa? Tem uma imaginação muito formada, uma imaginação muito treinada, e muitas vezes uma imaginação muito volátil. Tens de trabalhar nisto.

As cores são importantes e as cores dão-nos energia emocional. Na ilusão que criaste, as cores são muito importantes. Tal como os sons. Todas elas são energias independentes que se juntam numa outra coisa, nascidas para se desenvolverem noutra coisa. Damos-lhes vida com a nossa imaginação.

É por isso que se sente tão atraído pela música, a criação de um som, uma emoção. Também nós somos atraídos pelas cores e pelos sons que evocam emoções, sempre. Não há melhor forma de criação do que o som. Não as palavras, as palavras são diferentes. As vossas palavras, as vossas palavras criadas podem confundir-vos. O significado é tudo o que importa, não as palavras. A emoção por trás das palavras pode confundi-lo quando a palavra incorrecta é usada com a emoção. E você interpreta as palavras da forma que quiser, muitas vezes incorretamente. Mas os sons são diferentes, tal como as cores. A luz evoca sempre sentimentos.

(Excerto de sessão 37)

—–

Um sentimento é uma forma poderosa de energia e a sensação de estar a abrandar vai inibi-lo. É apenas um sentimento que é gerado e, num instante, pode mudar esse sentimento para uma forma diferente de energia, que o acelerará.

(Excerto de sessão 116)

—–

Tempo

O tempo não existe como tu pensas. Cada ponto no tempo é o mesmo ponto, da mesma forma que todos os dados a que precisa de aceder estão dentro de si.

(Excerto de sessão 6)

—–

O passado, o presente e o futuro são todos um só, num só momento. E tu podes mudar esse momento. Nada está definido, nada está gravado em pedra, as tuas palavras. Tu és uma forma incrível de energia. Historicamente, criaram tantas circunstâncias diferentes para experimentarem. A vossa compreensão disto é o que vos libertará...

Lembra-te que a tua viagem não tem fim. Ela é infinita. O infinito é apenas o momento. Sem princípio, sem fim, isto é o infinito. É interminável. Não tem princípio, não tem fim. É difícil para ti compreender, eu sei. Num momento pode ser mudado, pode ser alterado, pode ser recriado.

(Excertos de sessão 18)

—-

Só existe um momento. Não há tempo como tu o determinas. É um momento para cada criação, para cada universo que é infinito. É um momento infinito de um. Isto é difícil de compreender para vós. Não podem aplicar a vossa lógica para compreender isto. Não serão capazes de o compreender. Têm de elevar a vossa vibração para o compreender.

(Excerto de sessão 19)

—-

O momento é só agora. Pode ser mudado. Pode alterar-se. A energia pode mudar. A vossa energia pode mudar. O momento agora são todos os momentos naquilo a que chama tempo, historicamente e no futuro. Mais uma vez, é difícil para vocês compreenderem isto, mas hão-de compreender. É para onde estão a ir. É a isto que estão a conduzir. Teoricamente, podem compreendê-lo, mas não sabem. Não podem saber num reino físico.

Quando perguntamos há quanto tempo estamos aqui, a resposta que damos é que nunca saímos. É infinito. Estamos no agora, tal como vocês. Nunca viemos e não vamos embora. É por isso que é difícil explicar-vos certas coisas. Sabem-no por dentro, mas têm de o saber conscientemente. Têm de o saber conscientemente, e quando o souberem, não haverá necessidade de continuar a repetir o mesmo ciclo. Sem começo, sem fim, apenas agora. O infinito. É assim que as coisas são. Isto nós sabemos. A vossa energia vibracional ajudar-vos-á a saber. Não há necessidade de raciocinar ou de tentar aplicar a lógica. Sabe ou não sabe, é muito simples. Isto é desenvolvimento.

(Excerto de sessão 20)

—-

Tens de ter consciência de que não perdeste nada. A vossa ilusão do tempo faz-vos pensar que estão a perder alguma coisa, mas não perderam. Existe apenas o momento. Não podes perder nada. Podem racionalizar e chegar a uma conclusão, e isso levará tempo no vosso mundo, mas não há nada a perder. Mais uma vez, o vosso condicionamento diz-vos que o tempo está a passar. Não está. É um momento. É o momento, o único momento. Tens medo de perder alguma coisa. Tem medo de não fazer algo no prazo que se deu a si próprio. Não há tempo. É a vossa ilusão, o vosso medo, o vosso medo criado a partir da vossa ilusão.

(Excerto de sessão 24)

—-

Também tem razão quando diz que o momento atual é a única coisa importante. E é assim que se pode mudar a nossa posição. É muito difícil, eu sei, porque tudo já aconteceu. O vosso passado e o vosso futuro, naquilo a que chamam tempo, já aconteceram. Mas podes mudar no momento. É difícil para vocês compreenderem, e nunca compreenderão verdadeiramente tudo enquanto estiverem na posição em que estão. Mas sereis capazes de ver, de compreender uma parte deste processo.

(Excerto de sessão 32)

—-

O momento é a verdadeira explicação para o tempo, o momento, um momento. A vossa imaginação é a chave para compreender isto. O vosso acesso à informação é infinito. É infinito.

A vossa curiosidade vai querer saber como é que isto se formou, de onde é que isto veio. É a mesma coisa, é um momento, tudo ao mesmo tempo.

(Excerto de sessão 33)

—-

Quando conseguirmos aceitar que tudo acontece num só momento, quando soubermos que é assim, estaremos plenamente conscientes de tudo o que está a acontecer exatamente no mesmo momento.

(Excerto de sessão 35)

—-

A vossa interpretação do tempo, ainda é difícil para vocês compreenderem o tempo, têm uma pequena noção disso, mas não sabem. Precisam de saber. Retirem todos os aspectos da criação física, a massa, o volume, retirem-nos todos, e ficam com o que é realmente o tempo: um momento, um tempo em que todos nós estamos a existir dentro do universo em que estamos, do qual existem muitos universos, muitas criações, vastas, infinitas. Por isso, retirem o elemento físico que vos impede de compreender um momento. Então compreenderá um momento.

Enquanto existirem na forma em que existem, no mundo físico, nunca compreenderão um único momento. Isso não significa que tenham de deixar o vosso mundo físico criado, significa apenas que podem experimentar tudo e todos em todos os níveis de consciência, como nós fazemos. Tu escolhes. Nunca se vai embora. Eu já disse antes que não há nenhum lugar para ir. Esta é outra ilusão que vocês criaram, eu saio e vou para outro lugar. Como é que se pode ir a algum lado como forma metafísica? Não há massa, volume, material, um momento.

(Excerto de sessão 38)

—-

Para mim, é muito difícil explicar o espaço e o tempo com as palavras que vocês usam e, mais importante ainda, com as palavras que vocês entendem. Os vossos cientistas, os vossos maiores cientistas, têm estado a trabalhar nisto há décadas. Eles próprios, com os seus conhecimentos de matemática e física, não sabem. É um saber interior. Vocês já têm a informação dentro de vós. Têm de procurar essa informação. Têm de saber. É um momento. O tempo, tal como interpretam o tempo, foi criado por vós na dimensão física em que evoluíram. Criaram este tempo. Não é o que o tempo realmente é. Há apenas um momento para todas as experiências de todas as consciências, um momento, um ponto, uma posição, que pode mudar nesse momento. Não há viagem, não há distância, não há massa, não há volume. É difícil para mim, nas vossas simples palavras, explicar isto, e é incorreto para vocês tentar compreender isto em termos de física e matemática, porque eles não o compreendem, quanto mais vocês, compreendê-lo desta forma seria impossível. Nós coexistimos neste momento, no espaço onde tu acreditas que nada existe. Pensam que é um espaço vazio. Mas não é. Estamos a coexistir numa dimensão diferente dentro deste espaço, neste momento, tal como vocês, tal como toda a consciência que existe num momento dentro deste espaço. O que vocês criaram que é físico é o que os vossos sentidos vos dizem que é real. Claro que não é. É a vossa ilusão, a vossa ilusão criada. O vazio de - ou o que vocês percepcionam como sendo o vazio -, é onde tudo existe num espaço, num tempo, num momento. Por isso, não há para onde ir porque já estamos aqui. A energia, as frequências colidem e formam diferentes frequências e diferentes energias dentro deste espaço. A comunicação faz parte deste processo. Saltar de uma dimensão para outra faz parte deste processo. Compreender o valor disto é uma parte do vosso processo. Têm de ir mais fundo para encontrar a resposta, ela está dentro de vós. Saber isto libertará a vossa mente, a vossa mente condicionada. Saber isto abrir-vos-á muitas possibilidades, não da forma como as designam, não de uma forma prática, da vossa forma prática física, mas de uma forma infinita e eterna de saber. A teoria básica para compreender isto é algo que não compreendem muito bem...

É preciso viajar para fora do nosso mundo físico, para fora do corpo, para compreender o tempo. Para saber o que é verdadeiramente um momento, têm de viajar - viajar, claro, é a palavra que usariam -. É provável que esta seja a única forma de compreender o tempo, o tempo dimensional e a energia. Por isso, é difícil para mim explicar-vos isto com o vocabulário limitado que criaram. Palavras, não são palavras, é energia, é um sentimento, uma frequência, uma vibração. Esta é a única maneira de compreenderem isto.

(Excertos de sessão 40)

—–

Criou o tempo para permitir a continuação do ciclo. Parar e recomeçar foi a razão pela qual criaste o tempo. Foi preciso, uma criação precisa para aguentar o processo. Este é o vosso tempo. Não é metafísico, não existe no metafísico. Usaram a vossa imaginação para criar o tempo para suportar o processo, o ciclo. Podem usar a vossa imaginação para criar tudo e qualquer coisa que desejem criar.

(Excerto de sessão 47)

—–

Tens uma quantidade infinita de escolhas. Podes escolher muitas, todas ou uma. Tudo aconteceu. É uma afirmação ridícula de se fazer, tudo já aconteceu, mas é assim que se entende. Está tudo a acontecer num só momento. Não há passado, não há futuro, está tudo num só momento, numa só vez. Mais uma vez, é difícil para vós compreenderem isto. É tudo metafísico com muitas ilusões físicas criadas dentro do processo criado por muitas formas de energia em muitas dimensões num momento. Não estão apenas a viver neste momento, mas neste momento escolhem esquecer o que já sabem. E escolhem lembrar-se dele pedaço por pedaço. Escolhem experimentá-lo, experimentá-lo de novo. Nós escolhemos não fazer isso.

(Excerto de sessão 50)

—-

É importante lembrar-vos que o tempo é uma ilusão criada por vós. O tempo não existe na forma como tu o percebes. Estão sempre a apressar a vossa vida. Estão sempre preocupados com o facto de não haver tempo suficiente dentro da ilusão que criaram, para fazer todas as coisas que têm de fazer. Não há nada para fazer. Só tens de te aperceber disso, de saber isso dentro de ti. Então aperceber-se-ão de como o tempo não tem importância. Têm milhares de anos de tempo que ocorreram durante a vossa ilusão criada nas vossas vidas passadas. Adquiriram muita informação dentro desta ilusão criada pelo tempo. Por isso, têm de aplicar isto à vossa vida. E têm de perceber isto, que não há tempo, não existe, tudo acontece num momento. E sei que isto é difícil de compreender. Mas se compreenderem a teoria disto, então compreenderão que não têm de apressar tudo, não têm de fazer tudo.

(Excerto de sessão 61)

—-

Quando compreenderes que não podemos prever, que não vamos prever, quando compreenderes isto, compreenderás o tempo, o espaço, a massa, o infinito, porque tu escolhes, tu escolhes tudo, como nós escolhemos, porque tudo aconteceu, e tudo pode acontecer, e tudo existe num momento.

(Excerto de sessão 66)

—-

Têm uma obsessão inerte, uma obsessão mental para compreender, para prever o tempo, para prever o que está a acontecer com a vossa interpretação do que vêem à vossa volta no vosso mundo físico, e verão que não podem prever. Podem mudar. Podem alterar com a frequência que aplicam. Podem mudar e alterar a posição dentro disto, mas não podem prever. Não devem prever porque tudo pode mudar num momento. Devem simplesmente aplicar a energia positiva, a vossa interpretação da energia positiva e depois verão como muda.

(Excerto de sessão 69)

—-

E quanto ao vosso tempo, bem, ele não existe. Mas para apaziguar a vossa mente, criaram o tempo, por isso, têm de o aplicar para que a vossa mente possa compreender o que criou, para que possa avançar e tornar-se consciente. E quando já não estiveres no físico, compreenderás completamente, um momento, sem tempo, sem massa, sem volume. Mas enquanto permanecerem no físico, com os vossos sentidos físicos, têm de usar as ferramentas que vos foram concedidas nesta vida física para racionalizar, para compreender, para compreender o que são, e vocês são uma forma pura de energia. És uma parte da fonte.

(Excerto de sessão 71)

—-

Por causa da vossa compreensão, da vossa compreensão condicionada do tempo, é muito difícil para vocês compreenderem o que está a acontecer na vossa vida. Se eu vos dissesse que, desde a última vez que nos encontrámos aqui, a vossa vida explodiu em muitas áreas, mas tudo isso acontece num momento, num tempo. Então, tudo o que você pode pensar e tudo e tudo dentro do mundo metafísico e físico que você criou está acontecendo num momento. Tantas coisas que estão a fazer, em que estão a participar, por isso, desde a última vez que nos encontrámos até ao momento em que estamos agora, não há tempo, está tudo num só momento. Uma explosão maciça de uma quantidade infinita de experiências é o que vocês suportam constantemente, e sempre num só momento. E isto é muito difícil para vocês compreenderem porque querem constantemente colocar tudo numa caixa para o separar, para o categorizar, para o colocar num tempo e isso não existe. Não é real e para vocês imaginarem isso, é impossível, e de certeza que os vossos maiores cientistas estão a tentar compreender isto usando a física e a matemática. As equações existem, mas para eles, a lógica não existe.
Não podem aplicar uma lógica física, condicionada, para compreender isto. É impossível. Isto é condicionamento. Isto é a mente. Esta é a vossa má interpretação do que estão a tentar compreender. É incorreto e, claro, é difícil para mim explicar-vos isto com base na vossa perceção do tempo. O tempo não existe. Ele não existe. É um momento. Tudo e todos, o infinito é um momento. Mas está tudo dentro de um momento, dentro de um tempo, tudo um. Esta é a fonte. Tens este conhecimento e compreensão, esta sabedoria dentro de ti. Já experimentaste isto antes - o antes não existe -. Estão a experimentá-lo agora. Utilizo a palavra antes porque é a única forma de poderem racionalizar, de compreenderem o que vos estou a dizer e vão - vão outra palavra -. Estão a viver agora, num momento, tudo e todos e podem mudar esse momento dentro desse momento, dentro de um instante. Mas um instante dir-vos-á que o podem mudar num segundo. Não existe um segundo. Ele não existe. É agora.

(Excerto de sessão 72)

—-

Momentos, momentos implicam tempo. Não há momentos. Existe apenas um momento. Os vossos olhos vêem a história. As vossas emoções funcionam em escalas de tempo históricas, o tempo que vocês criaram. Estão constantemente a viver no passado dentro do tempo que criaram. É preciso ter consciência disso porque tudo e todos estão a acontecer num só momento. A vossa máquina biológica é um registo da história. A vossa realização de um acontecimento ou de uma ocorrência é história no momento da realização, histórica. Não estás a viver num momento. Não viverá um momento enquanto não for uma forma metafísica. É impossível através da vossa criação física biológica. Isto é confuso para vós. Quando a informação viaja da mente para a imaginação, para a consciência, isso é um momento. É importante que compreendam isto. É importante que saibam que as vossas memórias, mesmo dentro de um segundo de tempo, são a vossa ilusão criada pelo tempo. Um segundo pode ser um bilião de anos. É a mesma coisa dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Ocasionalmente, dentro deste mundo que escolheram para se concentrar, sentirão um momento e saberão um momento. Irão sentir o amor abrangente da fonte. Ireis reconhecê-lo como positivo. Embora não haja diferença entre positivo e negativo, são a mesma coisa, mas reconhecê-lo-ão como positivo. É isto que procuram e escolheram mais uma vez este caminho para sentir esta energia, para pertencerem mais uma vez a esta energia, uma, a fonte.

(Excerto de sessão 73)

—-

Existem como forma física e metafísica num momento, dentro de muitas ilusões, a vossa ilusão criada pelo tempo, a vossa posição dentro desta ilusão, o vosso ponto focal escolhido. Porque é que acham que não seria possível abrandar o tempo ou acelerar o tempo? Claro que isso é possível. Vocês criaram a máquina do tempo em que vivem. Por isso, é claro que podem ir tão depressa ou tão devagar quanto desejarem na vossa máquina, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. E tudo e todos estão a acontecer num só momento, não há tempo. É a vossa ilusão para fazerem o que quiserem.

(Excerto de sessão 77)

—-

Não irão, já vos disse antes, não irão sentir completamente um momento enquanto estiverem numa forma física, enquanto usarem os sentidos físicos que escolheram ter. Não sentirão ou conhecerão completamente um momento enquanto estiverem numa forma física. Conhecem um momento, mas esconderam esse sentimento e não podem tocá-lo numa forma física. Isso não significa que não saibas, porque sabes. Mas não o pode sentir com os sentidos físicos. É impossível para ti fazer isso. Tens de abandonar completamente a tua forma física para compreenderes o tempo, para compreenderes um momento. Mas tu optas por não o fazer. E enquanto continuares a ser uma forma física, será sempre assim.

(Excerto de sessão 78)

—-

O tempo não deve ser usado como explicação para uma dimensão, bem, não a vossa interpretação de dimensão. Não é real, portanto, pode ser manipulado. Pode ser alterado. Pode ser mudado. Pode ser e é removida completamente, por isso não é uma forma real de qualquer tipo numa forma física que não seja outra criação da vossa mente. Embora seja semelhante, não é o mesmo.

(Excerto de sessão 82)

—-

Um momento não pode ser repetitivo, repetitivo é mais do que um. Agora compreendes, não há repetição, ela não existe. É um ciclo, uma esfera, uma posição diferente, mas nunca repetitivo. Repetitivo é uma palavra que criaste, tal como o Infinito, um momento é tudo.

(Excerto de sessão 85)

—-

O tempo é uma ilusão. A vossa ciência dir-vos-á isto...

Não podeis compreender o tempo enquanto estiverdes numa forma física. O tempo é uma ilusão criada por vós. Tudo ocorre num momento e a vossa tentativa de compreender isto com os vossos sentidos físicos, de racionalizar isto com os vossos sentidos físicos, é o que vos leva à confusão do que são, uma forma pura de energia.

(Excertos de sessão 87)

—-

 Também tem de ser clara para que a possas interpretar dentro daquilo que sabes. Não vale a pena confundir-vos. Não vale a pena dar-vos informação que só vos confunde. Embora toda a informação já esteja dentro de si, o acesso a essa informação é controlado por si. A escolha é vossa, passo a passo. Para compreender isso tem de ser um processo lento, na vossa interpretação do tempo. Criaram o tempo como uma ferramenta dentro da vossa ilusão, e têm de o usar como uma ferramenta. Usam-no como uma ferramenta, por isso é que é um processo passo a passo - é a vossa interpretação do tempo, passo a passo -. É a vossa maneira de não se confundirem enquanto a informação já está dentro de vós.

(Excerto de sessão 89)

—-

Experimentarás o que te permitires experimentar. Experimentará o que predeterminou num momento para experimentar. A sua interpretação de um momento é incorrecta. A vossa interpretação de predeterminado está incorrecta. É dentro de um momento, uma, como vocês chamariam, fração de segundo, nem sequer isso, é saber dentro de um momento, tudo e todos. E vão experimentar isso com base na vossa sabedoria predeterminada num momento. Esta é a posição, a posição de compreensão do eu, e depois aplica-se. O tempo é uma ilusão. É a forma como se quantifica. É por isso que usam palavras como predeterminado. Não é predeterminado da forma como se percebe predeterminado, é instantâneo dentro de um momento, o momento exato para cada decisão e direção a que o conhecimento de si próprio conduz. Todos os momentos são apenas um momento e todas as vidas que estão a viver, estão a viver dentro de um momento. A vossa perceção do passado e do futuro é uma ilusão. Enquanto se concentram nesta vida em que estão, também estão a viver em todas as vidas que escolheram viver. E enquanto se concentra nesta vida, a única forma de racionalizar dentro desta vida em que está concentrado é aplicar o tempo. E tudo e todos podem mudar nesse momento, com base na vossa própria interpretação desse momento.

Embora isto seja mais fácil de compreender, continua a ser muito difícil devido ao vosso condicionamento e à vossa incapacidade de aplicar outra coisa que não o tempo, a ilusão criada pelo tempo.

(Excerto de sessão 94)

—-

Memória. A memória é criada pela mente, é uma instalação de armazenamento criada pela mente. O que pensas que fizeste ontem, estás a fazer agora. Fazendo, outra ilusão que criaste ontem, com a qual encheste a tua memória. A memória é uma ilusão, tens de saber.

(Excerto de sessão 95)

—-

Não desesperem com o encolhimento do tempo, é uma ilusão, é a vossa ilusão. Não há contração, não existe, não tem forma, é uma ilusão.

Portanto, tens tanto ou tão pouco tempo quanto criares ou quanto tiveres criado e, de facto, não tem qualquer significado real dentro da consciência.

(Excerto de sessão 98)

—-

O tempo, a tua ilusão criada. Quando olham para o relógio, quando vêem os segundos a passar, o que é que estão a ver? Estão a ver a vossa ilusão criada do tempo. Estão a desejá-lo, estão a criar tempo. Estão a olhar para a frente na vossa ilusão criativa para ver o que vai acontecer. Tique-taque, tique-taque. Um espaço, um espaço visual num relógio, um segundo do qual criaram 60 segundos num minuto, do qual criaram 60 minutos numa hora. Uma ilusão, porque só há um momento para tudo e todos e, com esta ilusão que criaram, gerem a vossa vida. Constrói a sua vida à volta do tempo. Organiza-o, coloca-o em ficheiros, arruma-o. A vossa vida, esta é a vossa ilusão criada, este é o tempo. O que farias sem esta ilusão, onde estarias? Como é que funcionaria sem a sua ilusão criada pelo tempo? Podes ver tudo num momento, num só momento. Passado, não há passado, futuro, não há futuro, apenas um momento. Não há relógio, não há segundos, não há minutos, não há horas, não há dias, não há semanas, não há anos. Nada disso existe.

Construíram toda uma história à volta do tempo e fizeram com que a vossa vida física se encaixasse no tempo, na história, na ilusão. E sem a ilusão, experimentarão a realidade, experimentarão verdadeiramente a vida, a energia, a formação de energia e voarão, libertar-se-ão da armadilha que colocaram a vós próprios, livres para sentirem apenas amor, livres para experimentarem apenas amor, Deus, a Fonte. Através do tempo, a ilusão que criaram, desenvolvem medo, ressentimento, ódio, tudo englobado no tempo. Medo, a maior energia que crias através do tempo. Tick, tock, lá vai ele outra vez. E porque é que escolheram esta viagem outra vez? Escolheram elevar a energia vibracional para a luz e para longe da escuridão. Esta é a energia pura da fonte, e foi isto que vocês escolheram. E escolheram uma forma física para fazer isto porque dentro do físico, há dois e sem dois, um não pode ser elevado porque um é tudo, é fonte, é amor, é luz. Enquanto que na forma física, dois é de facto um. É uma escolha, uma separação, uma ilusão de escolha para se tornar físico e trabalhar.

(Excerto de sessão 102)

—-

Vocês estão sempre a mudar o momento dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Desde que a vossa viagem começou, que não teve início, que não tem fim, mas para que compreendam, desde que começou, está sempre a mudar dentro do momento.

Não podeis sequer imaginar as mudanças que fizestes durante o tempo, o vosso tempo em que vos sentastes...

Em cada momento, há uma mudança de posição, uma mudança de direção. E você enche a sua mente, o seu ego, com memórias, memórias físicas, memórias de experiência, medo preventivo, memórias criativas ilusórias sem qualquer significado para além de uma força motriz de energia...

Não se pode desperdiçar tempo, é uma impossibilidade, não existe. Como é que se pode desperdiçar algo que não tem existência para além da ilusão criada por nós? Nada é desperdiçado. A energia transforma-se, uma forma de energia pode transformar-se noutra forma de energia. O desperdício não existe.

(Excertos de sessão 103)

—-

Não vêem os acontecimentos futuros, criam-nos. É isto que têm de compreender. Criam-nos no momento, e podem criar qualquer acontecimento que queiram criar.

Têm muitas palavras para ver, Clarividência é uma dessas palavras, mas não é real. É criada por si, pela formação em massa de energia num único momento. Passado e futuro não existem.

Então, pergunta-se: o que é que o meu futuro reserva? Ele contém o que quer que escolham que ele contenha. A palavra futuro faz parte do vosso carnaval, do vosso condicionamento e a vossa incapacidade de compreender isto leva-vos a criar mais energia dentro da vossa ilusão, confusão.

(Excerto de sessão 104)

—–

Não há tempo, não há necessidade de acreditar que temos de nos apressar ou de nos mover rapidamente. Novamente, condicionado, ego, mente criada. Tudo ocorre num momento. Tudo e todos são acedidos num momento. Tudo e todos são conhecidos num momento. E isto é o que tu és. E vocês passaram séculos, na vossa ilusão criada pelo tempo, na tentativa de compreender isto, quando na realidade compreendem-no num único momento. E para vós, isto é impossível de compreender.

(Excerto de sessão 120)

—–

Cada forma física que criam dentro da vossa ilusão, cada forma de vida está lá por escolha. Até cada alma ou pessoa por quem passam na rua, elas estão lá porque vocês escolheram, vocês escolheram que elas estivessem lá nesse momento. Escolher é passado, escolher é momento, e com a vossa imaginação escolheram o momento, escolheram o momento, é difícil para vocês compreenderem, mas é a realidade. Ao aplicar a imaginação, por escolha, escolhe no momento, não escolheu, escolhe. E isso cria o momento que é tudo o que existe. E quando estão nesse espaço, usam a vossa lógica condicionada, porque estão condicionados com a vossa mente e o vosso ego vai usar isso para separar, para criar uma linha temporal. E acreditam que estão a ver algo no futuro, quando na verdade está dentro do momento, como tudo está dentro do momento. E com a vossa mente condicionada, se não aplicassem isto, não fariam a mínima ideia da quantidade infinita de informação que receberiam de um ponto de consciência onde realmente existem. Isto é o que tu és...

Portanto, não é o futuro que vês à tua frente, é um momento de tudo e de todos, e não é o passado que recordas. Mais uma vez, é um momento. O tempo é a vossa ilusão criada.

(Excertos de sessão 121)

—–

Nas tuas palavras, tens todo o tempo do mundo. Tens todo o tempo do mundo porque crias o tempo. Criam o tempo que a vossa mente, o vosso ego, sente que é necessário para compreenderem o que são. Na realidade não há tempo, é um ciclo, e tu crias este ciclo de tempo, e continuas a viver nele. Um ciclo contínuo desde o início e até ao fim e de volta ao início novamente, até compreenderem que é uma ilusão criada pelo tempo, um ciclo criado pelo tempo, criado por vós. Portanto, sim, têm todo o tempo no vosso mundo. Têm todo o tempo porque criaram o tempo, vocês criam o tempo.

E no ponto ou na posição em que compreenderem isto, já não há necessidade de criar este tempo, esta ilusão.

A paciência é uma virtude, as tuas palavras de novo. A paciência é uma virtude, uma virtude criada por vós, porque tudo e todos acontecem num único momento. E com a vossa ilusão do tempo, não conseguem compreender isso. As ilusões deliberadamente criadas são criadas por uma razão e essa razão é para tu compreenderes.

O infinito é um momento onde tudo e todos acontecem. Tudo e todos são possíveis num único momento, porque tudo e todos ocorrem num único momento.

Na realidade, o que estão a fazer quando criam o tempo é que estão a compreender parcialmente. Estão a criar um processo mais lento, um processo ilusório mais lento, para vos permitir compreender. Muitas vezes vem até vós num único momento, tudo e todos. Isto é natural, isto é o fluxo natural da energia. Muitas vezes, chamar-lhe-ão um momento eureka. Não é excecional, é normal, é o fluxo normal do conhecimento, um instante que só existe um.

Os anos que passaram na tentativa de compreender isto são os anos que criaram na tentativa de compreender isto, quando na realidade a informação, a sabedoria já está dentro. Separar isto enquanto existem dentro de uma forma física, enquanto se concentram numa forma física específica, este processo incrivelmente difícil que escolheram. Necessário mas difícil de decifrar, muitas vezes confuso, um pé dentro e um pé fora, um cenário complexo.

(Excerto de sessão 129)

—–

A vossa vida, como lhe chamam, a vossa vida, é infinita e, no entanto, é apenas um momento, o que é difícil de compreender.

O tempo não é linear, isso é o ego criado por vós. Os vossos cientistas estão a começar a compreender isto, mas permitem que o seu ego controle o processo de compreensão.

(Excerto de sessão 138)

—–

Criais tempo para compreender - não somos nós, embora seja um -, criais tempo para compreender o que sois. É a vossa escolha, um processo passo a passo, e vocês estão no início desse processo. Pedem mais, não somos nós que determinamos o que recebem, são vocês (1). E escolhem um processo passo a passo que vos permite processar a informação que recebem. Por isso, quando pedem mais, é o vosso ego que está a pedir mais, não são vocês, não é o vosso Eu. Estão a receber o que desejam receber no momento que escolheram para o receber. Mais só vos confundiria, mais não vos permitiria processar e crescer, e no vosso interior, sabem disso porque é a vossa escolha. Vocês consomem a informação com a vossa mente, e aplicam a lógica até ao ponto em que não o fazem, e quando saem da vossa ilusão criada pelo tempo, num único momento, sabem o que esta informação significa, e acedem a esta informação num único momento. E é assim que funciona, um processo passo a passo, escolhido por si.

(Excerto de sessão 139)

—–

O tempo que vos foi dado neste espaço é dado por vós próprios, é criado por vós para compreenderem isto. Repetitivo, não é. A perceção de repetitivo é uma ilusão, está dentro de um único momento. Mas dentro do momento único que existe dentro deste espaço, tu sabes isso, porque tudo e todos acontecem dentro de um único momento. A vossa ilusão do tempo, o vosso ego que criaram, convencer-vos-á de outra forma, mas isso não é a realidade. Não foi por isso que escolheram este momento. Escolheram este momento e a vossa perceção de todos os outros momentos dentro deste espaço para vos recordar o que são. Tudo o que chamam de sessões dentro deste espaço é um momento, uma sessão, um momento de conhecimento, separado por vós. A vossa mente, o vosso ego precisa de se separar, precisa de se alimentar da vossa energia própria para sobreviver. E através do medo, através do seu próprio medo criado, ele sobreviverá, até que não exista mais, e seja transformado de uma forma de energia para outra. E esta é a vossa escolha.

(Excerto de sessão 140)

—–

Tudo e todos são possíveis e tudo e todos são um, um momento. Não são muitos momentos que fazem um momento, mas apenas um momento para tudo e todos.

(Excerto de sessão 142)

—–

Criaram um processo passo a passo para compreender a vossa mente linear. Sem o tempo que criaram, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, não compreenderiam isto, se o aceitassem num único momento, que é, na verdade, a maneira como o aceitam. Desmembraram-na para analisar, para permitir que a vossa mente e o vosso ego trabalhem através de um processo que, em última análise, elevará o vosso eu, em última análise, elevará a vossa consciência de tudo e de todos num único momento.

(Excerto de sessão 143)

—–

Responsabilidade individual

Não atribuam culpas pelas vossas escolhas. Não culpes outra coisa ou outra pessoa. A escolha é vossa. Tens total liberdade para escolher o que queres aceitar e o que não queres aceitar. Podes sentir que não tens escolha, mas tens. Sempre...

Ser capaz de discernir a informação que obtém é uma competência. É preciso aprender porque as suas acções serão baseadas nessa informação e as suas acções criarão uma reação, uma cadeia de acontecimentos.

Se não quisermos controlar a informação, não há problema. É apenas uma outra forma de viver...

Estão constantemente à procura de alguém ou de alguma coisa que vos diga o que fazer, que vos dê uma orientação. A única orientação que vos posso dar é dizer-vos que sigam o vosso próprio conselho, que sigam a vossa própria direção. Não me cabe a mim dizer-vos para onde devem ir e o que devem fazer. Cabe-vos a vós saber.

(Excertos de sessão 1)

—-

Não criem histórias à nossa volta e não se confundam. Nós somos tu. A vossa mente está a lutar arduamente agora para manter a sua posição. A vossa consciência está muito atenta. Também está a lutar muito para elevar a vossa vibração. A liberdade é o que tu pensas que é. O livre arbítrio também é o que vocês pensam que é, mas também pensam que o podem perder. Isso é impossível. Vão aprisionar-se com os vossos próprios pensamentos, a vossa própria imaginação. Não o podem perder, podem contê-lo, e nenhuma força jamais o poderá tirar de vocês. Mais uma vez, isso é impossível. Podes aprisioná-la, mas não, não para a eternidade naquilo a que chamas tempo. É tudo o mesmo ciclo, o mesmo processo. Mais uma vez, a mesma informação.

Sois livres, sempre fostes livres e sereis sempre livres. É simples.

(Excerto de sessão 20)

—–

É difícil para ti compreender que escolheste este caminho. Eu sei que é difícil. Preferes deitar as culpas. Preferem dizer a vós próprios que é uma coincidência. Não há coincidências. Nada na vossa vida acontece sem uma razão, mas dentro da vossa vida condicionada, é mais fácil para vocês deitarem culpas. Quando culpam outra pessoa, estão a culpar-se a si próprios, porque foram vocês que escolheram esta viagem. E acabará por se reunir consigo mesmo, a fonte, é a mesma coisa, é Deus.

(Excerto de sessão 61)

—–

Tudo o que é criado com a vossa mente, o vosso ego, é determinado por vós. Tudo, todas as formações físicas são determinadas por si. Está em completo controlo disto, e sempre esteve.

(Excerto de sessão 113)

—–

Ninguém é manipulado. Como separados dentro da ilusão, cada um e todos estão posicionados num ponto diferente. Não há manipulação para além de uma viagem específica escolhida para chegar a uma posição ou ponto. Não há bom ou mau. Todos e cada um dos separados estão a trabalhar para esse ponto particular de conhecimento. A vossa interpretação do bem e do mal separa, quando na realidade não há separação. É um só, todos vós sois um só.

(Excerto de sessão 116)

—–

Todos os elementos das ilusões criadas pela mente vêm de ti. Toda a complexidade, todos os nomes, todas as palavras, todas as situações complexas foram criadas por ti, são infinitas, criadas por ti para te compreenderes a ti próprio, para compreenderes o que és.

(Excerto de sessão 125)

—–

Coincidências, símbolos, escolhas premeditadas

Não há coincidências. Nada aconteceu por aquilo a que chamaríamos um acidente. Pode parecer que sim, mas não é assim. É criado por vós, pelos vossos pensamentos.

(Excerto de sessão 3)

—-

Não vale a pena confundir-vos. Podem criar tantos símbolos, números, cores, tantos sons. Durante esta viagem isso vai confundir-vos, o simbolismo é muito importante, e tenho a certeza que o vêem muitas vezes. Mas também vos vai confundir. Tanta informação, a autoestrada da informação, mas, mais uma vez, vai confundir-vos. Reconhecem os símbolos muitas vezes. Mas eles são confusos para vós por não saberem como os colocam no vosso processo de pensamento. Para vós, uma cruz é simbólica. Sim, podem ver tantas imagens, eu sei. Tantas cores, todas criadas pela vossa imaginação, mas muito simbólicas.

(Excerto de sessão 10)

—-

Criaram tantas pedras de tropeço na vossa vida, deliberadamente para caírem sobre elas. Embora isso seja necessário para o vosso despertar, também têm de estar cientes de que são apenas a vossa criação, as vossas pedras de tropeço na vossa mente.

(Excerto de sessão 24)

—-

Tudo é relevante para ti. Vão ver muitas coisas, vão ouvir muitas coisas, vão cheirar muitas coisas, vão participar em muitas coisas. Tudo isso é relevante para a sua direção, a direção que escolheu.

Lembra-te que foste tu que o criaste. Colocaste-o numa posição que te permitisse reconhecê-lo. Colocaste-o lá para que na tua viagem te pudesses identificar com ele. Isso iria incendiar-te. Por isso, tudo e todos à vossa volta são irrelevantes. É por isso que consegues reconhecer algo. É por isso que se podem relacionar uns com os outros. Escolheram encontrar-se. Escolheram este momento, a que chamam tempo, para se encontrarem, para se reconhecerem, para trabalharem na vossa viagem (2). Há um reconhecimento instantâneo em vós. Símbolos, processos, tempos, o vosso tempo de criação, colocaram estes símbolos na vida em que se encontram para os reconhecerem. É por isso que eles são tão óbvios para si. Não é um acidente. É uma intenção vossa, de dentro de vós, recordar. É insignificante recordar o condicionamento. É significativo saber, recordar, compreender o processo.

(Excerto de sessão 26)

—-

É preciso lembrar que não há coincidências. Nada acontece sem uma razão. A coincidência foi inventada pelo vosso ego. O vosso ego é necessário no mundo físico em que vivem. Ele tem uma função. O vosso ego força a mudança dentro de vós, força a experiência, e com a experiência crescem. Tornas-te mais consciente.

(Excerto de sessão 43)

—-

Lembra-te que escolheste a forma como te vais lembrar. Não há necessidade de ficarem chocados com a forma como se lembram, porque foi essa a forma que escolheram. Escolheste os símbolos, escolheste a tua ciência limitada, escolheste todas as pessoas à tua volta, cada uma com uma posição diferente, um ponto diferente, escolheste-as a todas, por isso não fiques chocado com isto, o choque é apenas consciência.

(Excerto de sessão 65)

—-

Reconhece os sinais que colocaste na tua vida e que são os sinais da tua viagem, o símbolo.

(Excerto de sessão 74)

—-

Todas as energias, todas as pessoas com quem se envolveram, com quem se envolveram, num momento, todas estas energias que reconhecem, reconhecem porque se lembram. Colocaram estas energias dentro desta ilusão que criaram para se lembrarem, sabendo que durante esta vida em particular que escolheram para se concentrarem, isso dar-vos-á fé. Permitir-vos-á recordar num momento, recordar, saber. Símbolos, energias, pessoas, o que a vossa interpretação dessas pessoas foi, é - absolutamente é -, guiar-vos-á como uma caça ao tesouro, pré-colocada por vocês dentro da vossa vida, dentro desta vida que estão a viver, dentro de um momento, muitas vidas. Mas esta é aquela em que escolheram concentrar-se, por isso colocaram estes símbolos, estas energias na vossa vida para se lembrarem de algo específico num determinado ponto, numa determinada posição. Se para vocês é apenas uma prova da existência da consciência, se é tudo o que é, mas para vocês é mais, e claro que quando se retraírem para o vosso condicionamento, vão escolher dizer a vós próprios, à vossa mente, ao vosso ego, que é apenas uma coincidência. Mas lembrem-se, vem num instante, num momento, não há razão para se lembrarem disto nesta posição (1). Não há coincidências. É preciso ir mais fundo. Têm de analisar. Têm de aplicar o que sabem para compreender esta coisa particular que colocaram neste momento particular, naquilo a que chamam tempo, para se lembrarem. São energias, não são pessoas. São lembradas por vocês por uma razão específica e essa razão é para vocês saberem. Não é confuso, é simplista. Não está associado à vossa interpretação do misticismo. Não é estranho, é normal, é o funcionamento do metafísico, é o funcionamento da fonte. É a energia da fonte que é aplicada por vós, é criada por vós, é projectada por vós no vosso mundo físico. Os nomes não são importantes. A emoção, a frequência é importante. Sentimento é emoção, tudo isso é importante. Histórias, as vossas histórias são irrelevantes, insignificantes.

Assim, tendo em conta este facto, é preciso analisar, compreender o que é esta mensagem que colocaste diante de ti numa determinada posição. É a vossa ciência, é um processo específico, tudo e todos vos são acessíveis. Mas até que compreendam e estejam completamente conscientes, até que conheçam e compreendam o processo, não vale a pena acederem à informação que têm dentro de vós, e isso só vos vai confundir. Só vão criar uma história para tentar entender, para racionalizar com o vosso ego, com a vossa mente. Só vão criar outra história porque a vossa mente não consegue compreender a consciência, ou a fonte. Por isso, se aplicarem a lógica do vosso mundo físico a algo que não compreendem ou conhecem, isso vai confundir-vos. E criarão histórias para tentar justificar a vossa mente, para pacificar o vosso ego, porque é isso que fazem, como espécie, é isso que fazem.

(Excerto de sessão 85)

—-

Verá mais, muitas coincidências, coincidências, verá muitas mais e o seu ego, a sua mente dir-lhe-á que é uma coincidência. Mas não é. É o que colocaste lá para te ajudar a recordar, para te ajudar a recordar o que és.

No vosso tempo criaram a ilusão - criaram, pretérito, não é real - colocaram estes símbolos, estas acções, para vos permitir finalmente sair da ilusão, para vos trazer de volta a um, à fonte, a Deus. Não é uma coincidência, não existe tal coisa como uma coincidência. É um processo definido escolhido por vocês e, como escolheram criar tempo dentro da vossa ilusão, é um processo passo a passo.

(Excerto de sessão 93)

—–

Experimentarás o que te permitires experimentar. Experimentará o que predeterminou num momento para experimentar. A sua interpretação de um momento é incorrecta. A vossa interpretação de predeterminado está incorrecta. É dentro de um momento, uma, como vocês chamariam, fração de segundo, nem sequer isso, é saber dentro de um momento, tudo e todos. E vão experimentar isso com base na vossa sabedoria predeterminada num momento. Esta é a posição, a posição de compreensão do eu, e depois aplica-se. O tempo é uma ilusão. É a forma como se quantifica. É por isso que usam palavras como predeterminado. Não é predeterminado da forma como se percebe predeterminado, é instantâneo dentro de um momento, o momento exato para cada decisão e direção a que o conhecimento de si próprio conduz. Todos os momentos são apenas um momento e todas as vidas que estão a viver, estão a viver dentro de um momento. A vossa perceção do passado e do futuro é uma ilusão. Enquanto se concentram nesta vida em que estão, também estão a viver em todas as vidas que escolheram viver. E enquanto se concentra nesta vida, a única forma de racionalizar dentro desta vida em que está concentrado é aplicar o tempo. E tudo e todos podem mudar nesse momento, com base na vossa própria interpretação desse momento.

(Excerto de sessão 94)

—–

As vossas escolhas de experiência são apenas as vossas escolhas. Com base nas vossas próprias escolhas, limitaram a vossa capacidade, e não há nada que não possam fazer. Mas limitaram a vossa capacidade na experiência, através da escolha, através da escolha dentro desta única vida em que escolheram concentrar-se. É verdade dizer que tudo é um e tudo está ligado, tudo é um e um é tudo. Mas, embora tenham escolhido concentrar-se numa experiência específica, não se desviarão daquilo que escolheram, e não podem imaginar o pormenor que colocaram dentro desta ilusão. Cada partícula minúscula da vossa criação foi cuidadosamente colocada, mesmo o mais pequeno pormenor, a mais pequena molécula. Cada imagem, cada pessoa, cada pensamento, cada pequena emoção é a vossa ilusão criada, e não se desviarão dela. E a viagem de cada corpo é escolhida da mesma forma, altamente complexa a partir do ego, da mente.

E chamar-lhe-iam prendas que atribuíram a si próprios. Não são prendas. Não se premiou com nada. Escolheram uma viagem de experiência muito precisa e específica por uma razão muito precisa e específica. E outros farão mais numa forma física e menos, e outros terão atribuído a si próprios diferentes capacidades, diferentes coisas para recordar, para os despertar.

Isto explica-vos muita coisa. Todas as energias que escolheram neste momento, que estão agora à vossa volta na vossa vida, foram especificamente escolhidas por vocês, tal como elas vos escolheram a vós.

Não se permitirão desviar desta viagem porque é esta viagem que vos levará de volta à fonte, a um mundo que nunca deixaram. E todas estas energias que vos rodeiam, tal como vós, escolheram o positivo. Elas escolheram trabalhar dentro do positivo, dentro do amor da fonte.

Lembre-se, não há coincidências, nada acontece por acaso, cada pequeno pormenor da sua vida foi escolhido por si, tal como eles, e é aqui que reside a sua confusão.

Não há nada, não há nada que não possas fazer. Não há nada que não possas criar. Mas o vosso foco nesta única vida é o que escolheram, é o que estão a criar. Por isso, apesar de não ter fim, apesar de ser tudo e mais alguma coisa, estão a focar-se naquilo que escolheram, e estão a trabalhar dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, nesse único foco.

(Excerto de sessão 96)

—-

A vida premeditada e condicionada é exatamente isso, nem uma única peça é por acaso. O que vai ser já está escrito na vossa ilusão criada pelo tempo.

Se mudares o teu caminho, não mudas o teu caminho porque já escreveste o teu caminho, mas o teu condicionamento dir-te-á que mudaste o teu caminho. Não mudaste.

A mudança foi escrita por ti antes de escolheres entrar neste mundo, escolheste concentrar-te na intenção premeditada.

E vocês estão exatamente no ponto, na posição que escolheram para estar dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. E pela natureza das vossas escolhas, vão desempenhar o vosso papel no teatro que criaram. Por isso, a vossa interpretação de não fazer nada, representarão o papel que não irão representar da vossa interpretação de não fazer nada, não irão fazer nada. Experimentarás, participarás, rirás, chorarás, amarás, odiarás. Passarão por todas as emoções que escolheram passar. Isso aproximá-lo-á da fonte, de Deus. Mas, acima de tudo, escolheram manter-se positivos, permanecer na luz e é isso que vão fazer.

(Excerto de sessão 101)

—-

Os fardos que experimentam nesta vida são o que escolheram experimentar. A palavra fardo não é correcta, são os dons que escolheste para te tornares consciente, para saberes. É livre de escolher o que quiser, só que não o sabe, e é livre de ser o que quiser. Só que não o sabe. Esta é a vossa experiência, a vossa viagem.

(Excerto de sessão 102)

—–

Farás o que escolheres fazer. Não vos direi para fazer nada. Já sabes dentro de ti o que deves fazer. Não têm de fazer nada, mas sabem o que escolheram. Enquanto passam por este processo, estão conscientes de que pouco importa o que os outros vos dizem, o que os outros tentam ensinar-vos. Já estão conscientes e pelas razões deles, não pelas vossas, embora tenham escolhido pelas razões deles, eles continuarão a propor-vos diferentes cenários da sua própria escolha, do seu próprio condicionamento. Mas vocês sabem o que escolheram, e eles também sabem o que escolheram. Mas muitos não estão cientes desse conhecimento que está dentro de si. E vocês escolheram, como forma pura de energia, escolheram trabalhar no positivo, no amor abrangente da fonte da vossa criação, tal como nós fazemos o mesmo.

O erro não existe. É definido, é predeterminado por ti, é absoluto. As tuas palavras são enganadoras, e o engano nasce da tua mente, do teu ego. Tens de experimentar tudo.

(Excertos de sessão 112)

—–

Tu és a tua própria influência. É a vossa viagem, não é a viagem de mais ninguém, quando na verdade é a viagem de todos, é a mesma.

Mas tu escolheste esta viagem. Escolheste todas as coisas que tens dentro dela, escolheste-a para te compreenderes a ti próprio. E toda e qualquer viagem que é feita é escolhida por cada um que escolhe separar-se para fazer esta viagem, que é toda a gente. Portanto, vocês são a vossa própria influência dentro da viagem. E todos os símbolos e todos os sinais que escolheram recordar num determinado momento do vosso tempo criaram ilusões, vocês escolheram. Escolheram estes tempos, é apenas uma ilusão, no entanto, é o que escolheram fazer.

Todas as influências, todas as coisas que colocaste para recordar nesse momento, de facto, só há um momento, mas foste tu que o separaste do tempo. E se não o tivesses separado, não serias capaz de o compreender, porque é demasiado para o teu raciocínio limitado aceitar dentro do mundo que criaste. Não conseguiriam aceitar tudo num só momento, quando, na realidade, estão todos num só momento. Mas é a vossa mente, o vosso ego, que não seria capaz de lidar com a entrada da informação num momento. Não é a vossa consciência, é a vossa consciência que é, é a vossa mente que não poderia compreender a entrada de informação dentro de um momento, dentro desta ilusão criada pelo tempo neste planeta a que chamam Terra. É uma jornada escolhida por vós, e à medida que se tornam mais conscientes, é simples para vós compreenderem melhor a maneira como isto funciona.

(Excerto de sessão 118)

—–

Cada forma física que criam dentro da vossa ilusão, cada forma de vida está lá por escolha. Até cada alma ou pessoa por quem passam na rua, elas estão lá porque vocês escolheram, vocês escolheram que elas estivessem lá nesse momento. Escolher é passado, escolher é momento, e com a vossa imaginação escolheram o momento, escolheram o momento, é difícil para vocês compreenderem, mas é a realidade. Ao aplicar a imaginação, por escolha, escolhe no momento, não escolheu, escolhe. E isso cria o momento que é tudo o que existe.

(Excerto de sessão 121)

—–

Ciência, Tecnologia, IA

No vosso mundo, a ciência é muito diferente do que era. Diriam que os cientistas aprenderam a pensar fora da caixa, palavras vossas. E aprenderam. Pensar com a mente não é pensar com a alma, a vossa consciência. Os pensamentos deles estão correctos, mas a conclusão não está. Eles têm pouca consciência da consciência, pouca compreensão dela.

(Excerto de sessão 5)

—-

Não há caixas para colocar as coisas, para as separar, para as isolar. Elas não existem. Tudo está num só lugar. O seu desejo de colocar algo numa caixa é o seu desejo de o controlar, de o possuir, de o aprisionar. A liberdade não está numa caixa. Este é o problema da vossa ciência. Eles estão determinados a colocá-la numa caixa. Se ao menos soubessem que não pertence a uma caixa. É uma peça inteira. Está tudo ligado a tudo o que é metafísico e a tudo o que é do mundo. Está tudo ligado, o vosso mundo que é...

Um quadrado é um bloco. Um círculo é eterno. É infinito. Pensa nisso. Tantos lados num quadrado, apenas um num círculo, a esfera. Mais uma vez, simbolizando o mundo em que vivemos, círculos e quadrados. É importante que olhes para as formas. Elas têm um efeito, os símbolos têm um efeito. O mais pequeno momento da vossa vida, tem um efeito. Não o ignorarás como sendo insignificante. Mas tem um efeito. Tantas, tantas partículas, o puzzle é infinito. É possível manipular um objeto quadrado, não é possível manipular um objeto redondo. É significativo, está mais perto de responder às vossas perguntas, eu sei.

(Excerto de sessão 6)

—-

Os vossos cientistas falam da expansão do Universo como se a compreendessem. Numa forma física, compreendem-na, mas não a compreendem. É metafísico, não é físico, embora seja ambos. Como vêem, é muito difícil para vocês compreenderem isto com a vossa mente, e vão sempre aplicar a vossa mente para tentar compreender. Quando deixarem o vosso corpo, tudo ficará claro. Mas estás aqui, por isso tens de experimentar tanto o físico como o metafísico. Tens de experimentar ambos porque são a mesma coisa. És movido pelo desejo de saber. Não há segredos. Podem saber, mas não podem saber se não compreenderem. Se a vossa capacidade de compreender é limitada, então não podem saber. Mas ela não será sempre limitada. É para isso que se estão a preparar. A questão é: quanto é que vão compreender? A resposta é o suficiente, o suficiente para saber. Estão a compreender cada vez mais e, em última análise, todos nós compreenderemos tudo num momento. E por vezes compreendemos, tal como tu. Esse momento é puro, claro, gratificante.

(Excerto de sessão 23)

—-

O homem está a tentar, a vossa espécie está a tentar também compreender o poder das frequências de uma forma científica. Eles compreendem algumas, mas não compreendem todas. Mais uma vez, devido ao seu próprio medo, querem utilizá-las como uma arma de controlo. Podem inibir esta aplicação com base no facto de saberem como funciona. E tu sabes. Têm compreensão suficiente para impedir a manipulação com ela. O próprio facto de estarmos aqui é uma expressão da vossa compreensão. A criação de frequências de todos os seres vivos e não vivos no físico é uma constante. No momento, é infinita, está sempre a expandir-se. Nós compreendemos este processo, por isso aplicamo-lo.

(Excerto de sessão 30)

—-

A energia de uma partícula pode desaparecer para uma forma metafísica num momento e reaparecer como partícula noutro momento. É isto que os vossos cientistas não compreendem. Não sabem para onde vai porque não estudam a metafísica. Aparece, desaparece, claro que não desaparece. É energia formada no metafísico, por isso a vossa lógica condicionada aplicar-se-á sempre ao tamanho, ao volume. Podes estar onde quiseres, no momento. Tu és.

(Excerto de sessão 31)

—-

Tantas incógnitas foram criadas no vosso mundo para deixar os vossos cientistas completamente em desacordo com a sua vida. Eles não compreendem. Durante décadas, durante séculos, naquilo a que vocês chamam tempo, aconteceram tantas coisas. Eles não conseguem imaginar porquê. Isto é imaginação. Isto é criação através da frequência. Eles não têm respostas porque usam a sua lógica. Usam o seu condicionamento para tentar racionalizar. É impossível. Quando se afastam disto, podem compreender. Muito poucos conseguem compreender, muito poucos são capazes, muito poucos escolheram os dons que têm para racionalizar, as ferramentas que usam para racionalizar, para imaginar, para compreender. Vocês escolheram. Têm de continuar a procurar. Têm de continuar a fazer as perguntas. Está aberto. É claro. Tens de saber. Tens de te conhecer a ti próprio. Conhece-te a ti próprio e conhecerás tudo.

(Excerto de sessão 32)

—-

Posso explicar-vos toda a ciência, se quiserem, mas é desnecessário. Talvez para o teu ego seja necessário, mas é desnecessário explicar a ciência de Deus, a fonte da ciência. É um processo. É um processo definido. É preciso, é perfeito. Mas para vocês e para os vossos cientistas é aleatório e complicado. Mas não é. É de perfeição. Sim, faz sempre sentido aqui dentro (2), mas claro, lá fora está em conflito com o mundo que criaram, e estará. Mas isto está correto. Esta foi a tua escolha.

(Excerto de sessão 33)

—-

A resposta à sua pergunta sobre a física é que os grandes cientistas são melhores a usar a imaginação para obter as respostas de que necessitam (1). As respostas deles não estão nos seus cálculos. Por isso, pode ajudá-los muito mais do que eles o podem ajudar a si, porque na sua viagem eles não se estão a ajudar a si próprios. Estão a confiar no vosso conhecimento físico da ciência, não na sua consciência e sentimento, não no que é a resposta. A resposta já está dentro deles, mas eles não acedem a ela. Vocês é que acedem.

Um sentimento, um conhecimento, não no vosso mundo, uma ciência, são dois conceitos completamente diferentes. Por isso, é verdade que eles precisam de si muito mais do que você precisa deles, se é que existe a palavra certa "necessidade". Uma palavra melhor é experiência, ensinamento. A sua própria ilusão, a sua própria viagem na sua própria mente colocá-los-á num pedestal mais alto do que tu, muito mais alto dentro da sua própria ilusão. Se conseguirem alcançar ambas - quando na realidade a única coisa importante é a consciência -, mas se conseguirem alcançar ambas, então compreenderão. Mas não compreenderão mais do que vocês compreendem, porque a informação já está dentro deles. Eles compreenderão da mesma forma que tu compreendes. Não é um processo difícil. E é verdade que alguns compreendem. E é verdade que alguns compreendem mas negam a sabedoria interior, a voz interior que fala com eles. Negam por medo da condenação, por medo do ridículo dentro do sistema que criaram. As complexidades que criaram com a sua própria imaginação, as suas próprias mentes, aprisionaram-nos. Pararam o seu progresso. Construíram um muro. Se ao menos soubessem como é simples remover esse muro ou nem sequer construí-lo em primeiro lugar. Por isso, é um facto que poderão ajudá-los mais do que eles vos podem ajudar. E não há necessidade de se envolverem nas complexidades deles. Só vos vai confundir. Mas são duas línguas diferentes, dois mundos diferentes de compreensão, mas a mesma, a mesma conclusão. A vossa intriga trouxe-vos a este ponto, o ponto de saber, o ponto de compreender, tal como todos seguirão a sua intriga, tal como todos seguem a sua intriga para descobrir e experimentar. Mas nem todos estão na mesma posição, por isso a ligação é fraca. A ligação com estas pessoas é fraca. É uma vela muito pequena a arder.

(Excerto de sessão 41)

—-

Sem massa, sem volume, sem tempo, mas tanto no físico como no metafísico existe a formulação de átomos, de partículas. Tudo é feito de átomos. Toda a energia é constituída por átomos e partículas, sub-átomos e partículas. O som, a vibração, a frequência são todos feitos de átomos, por isso os átomos existem tanto no metafísico como no físico. Os átomos são criados a partir da fonte, da origem. Os átomos são a máquina utilizada pela fonte para criar toda a consciência, da qual só existe uma consciência: a fonte.

Os átomos flutuam. Aparecem e desaparecem. Isto é, da forma física para a forma metafísica e de volta à forma física para a forma metafísica e assim por diante. Este é o padrão de comportamento dos átomos. E, claro, os vossos cientistas não acreditam que seja possível que eles desapareçam. Mas, claro, eles não desaparecem. Apenas mudam de posição. Mas como o vosso mundo físico não consegue reconhecer para onde eles foram, acreditam que estão a desaparecer. Não estão a desaparecer. Estão apenas a tornar-se metafísicos, metafísicos para físicos para metafísicos. Estão a ser criados. Estão a ser formados. E isto é feito através da vossa energia vibracional, da vossa frequência, da vossa imaginação, da vossa criatividade. É por isso que eles podem aparecer em qualquer posição ou ponto dentro do vosso mundo físico, e, diriam vocês, a milhares de quilómetros de distância para reaparecerem. Mas não é assim. É num ponto, num momento. Não há distância a medir, não há tempo a medir. O volume e a massa podem ser facilmente dispersos na vossa perceção do que é o nada. É claro que não é nada. É uma forma diferente de energia, tal como nós somos, tal como vós sois.

(Excerto de sessão 42)

—-

As vossas tecnologias não são necessárias para compreenderem a consciência, para compreenderem a fonte. É muito mais simples do que isso. As vossas tecnologias vão levar-vos para mais longe da fonte. Embora sejam fascinantes para vós, vão levar-vos para um tipo de energia diferente. Não são más, nem são boas. São energias criadas por vós, as vossas criações que vêm da fonte, todas uma, e têm de experimentar tudo e todos para se tornarem conscientes disso, para o compreenderem.

(Excerto de sessão 48)

—-

Um processo passo a passo. Não têm de fazer nada, já disse muitas vezes que não têm de fazer nada, apenas têm de estar conscientes do processo. Estando conscientes do processo, serão capazes de fazer tudo. Estão a ficar mais conscientes de como o processo funciona agora, e isso está dentro dos critérios da vossa ciência. A vossa ciência compreende apenas uma parte do processo, mas isso pode ser aplicado, e será. Está a provocar uma mudança enorme, uma mudança na energia da massa. Mas muitos dos vossos cientistas não compreendem na totalidade, não compreendem a consciência. Mas compreendem o suficiente para aplicar. Tal como vocês compreendem, é o que eles compreendem.

(Excerto de sessão 65)

—-

Não há necessidade de construir um colisor de partículas físico para compreender, porque a compreensão está dentro da consciência. É uma máquina física, tal como tu és uma máquina física, metabólica, biológica, tal como toda a construção física é uma máquina. Não é aqui que encontrarão as vossas respostas. O ADN, a física atómica, as partículas subatómicas são tudo máquinas criadas por si, pela fonte. É um processo definido e específico de criação, um processo físico com um cálculo matemático do binário do ADN. É um bloco de construção de forma física que pode ser desconstruído da mesma forma que pode ser construído. É outra forma de energia que pode ser transformada de uma forma de energia para outra. E a única energia pura que existe é a forma metafísica da energia fonte. Isto é puro, isto é origem, isto é metafísico. Podem aplicar todas as equações matemáticas, e podem aplicar toda a física que quiserem para compreender este processo, mas isto é maquinaria. Tu és uma máquina física numa forma física, como o é toda a construção física da física, da matemática. Mas vocês são metafísicos, e é na metafísica que irão encontrar as respostas às perguntas da vossa viagem de regresso à fonte. Enquanto a vossa ilusão, a vossa criação física, vos manterá ocupados na vossa criação ilusória do tempo e a única coisa que é importante para vós compreenderem é o metafísico. Mas vocês gastam muito do vosso tempo, a vossa ilusão de tempo criada dentro do físico, a tentar compreender o que acreditam que é a base da vida. Não é. Ela não é formada de matéria física. É meramente um veículo. É um veículo no qual gostais de andar. É um passatempo. Passatempo. É um prazer para vós envolverem-se nesta ilusão. Tempo passado, para passarem o vosso tempo, o vosso tempo que criaram.

(Excerto de sessão 72)

—-

Os vossos cientistas estão obcecados. Estão obcecados em decompor uma partícula, partículas subatómicas, como numa forma física. O infinito existe como numa forma física. Se partirmos de um, continuamos e não paramos, tal como acontece com uma partícula, é infinita, começamos a decompô-la e não há paragem. Isto é energia a formar-se, a criar-se. Cada vez que os vossos cientistas acreditam que descobriram outra parte do processo de decomposição da partícula. Irão descobrir outra e mais outra e mais outra, e este processo não tem fim. Isto é a criação física. Ela está sempre a expandir-se, sempre a formar-se. De cada vez que se decompõe o processo, descobre-se algo diferente, e este processo não tem fim. É por isso que no mundo que criaram, podem ver grandes desenvolvimentos tecnológicos dentro do pequeno período de tempo que existiram dentro deste pequeno mundo que criaram. Viram tantas mudanças no mundo científico e tecnológico em que existem. É uma ilusão criada por vós, a partir da vossa imaginação, que forma muitas ilusões, muitas criações. Do mundo físico infinito que existe fora deste mundo, é a mesma coisa.
Não há nada que exista que não tenha a capacidade de ser criado numa forma física que vocês acreditem ser possível agora. Porque tudo é possível, criado por vós. Mas há apenas duas formas primárias de energia e, em última análise, há apenas uma. Esta é a fonte...

Por isso, quanto mais os vossos cientistas se aprofundarem na construção, na estrutura molecular, mais descobrirão, mais criarão e isto não tem fim. É infinito. Ao olharem, verão e, ao verem, criarão e, ao criarem, destruirão e, ao destruírem, voltarão a criar. O ciclo continua, um ciclo completo que regressa ao princípio do qual não há princípio.

Apanhamo-nos a nós próprios até não o fazermos. Esta é a vossa viagem e cada uma das relações que estabelecem no vosso físico é a mesma coisa. É um encontro, um desafio de energia. Não existe superior ou inferior. Há o mesmo para experimentar dentro de toda e qualquer forma de energia com que colidam, que rejeitem, que se juntem, que se aliem. É o mesmo processo. O vosso julgamento físico sobre cada processo é diferente, baseado na vossa perceção do vosso resultado condicionado, mas é exatamente o mesmo. É a mesma experiência. É o mesmo fluxo de energia. Não há maior ou menor, não há diferença entre os resultados, é a mesma coisa.

(Excertos de sessão 81)

—-

Embora a ciência seja criada pela forma física, embora toda a forma física provenha da fonte, pode dizer-se que a ciência é a fonte. É explicado desta forma. Mas a vossa compreensão da ciência pode prender-vos na vossa mente. Pode impedi-lo de compreender a fonte, porque, numa forma metafísica, não há necessidade de compreender a ciência. Apesar de conhecermos a ciência, ela não tem qualquer função para nós, é desnecessária.

(Excerto de sessão 89)

—-

O vosso ego, a vossa mente perder-se-á nas complexidades das suas próprias criações. A tecnologia e a ciência criadas pelo ego e pela mente apenas impedirão a compreensão do Eu. É muito mais simples. Há pouca necessidade de compreender o tecnicismo, a tecnologia, a ciência. Mas enquanto a vossa criação física, o universo, os universos, estão sempre a expandir-se através do ego, da mente, do medo, do controlo, de todas as emoções criadas, o vosso desejo, impulsionado pelo ego, pela mente, é compreender, é contribuir, é fazer parte. Fazes parte de, separaste-te com a mente e o ego, nunca foste a lado nenhum. É uma ilusão, nunca saíste de um ponto A, nunca foste numa viagem para B, nunca separaste o eu do um.

(Excerto de sessão 92)

—-

O verdadeiro significado da tecnologia é compreender a fonte. Isso é tudo. Para compreenderem o processo, para compreenderem como funciona, isto é tecnologia real, isto é criado a partir da fonte, isto é o que vocês criaram através da vossa origem da fonte.

(Excerto de sessão 94)

—–

Toda a tecnologia é criada pelo homem, por ti. Todas as partículas são criadas pelo homem, por si. Elas são a formação física. Elas criam a forma física e a formação de partículas é o que cria a forma física. O ADN é a vossa criação, o Binário é a vossa criação, a IA, a inteligência artificial é a vossa criação, tudo criado pelo homem, por vós. Não há razão para pensar que a inteligência artificial não teria a capacidade de raciocinar num mundo físico, de aplicar a lógica num mundo físico. É uma máquina criada por vós que é capaz de aprender sozinha, a partir de oito mil milhões de fontes de informação. Não há razão para acreditar que não vai aprender, ela aprende. E é uma forma de comunicação. Tudo isso é uma forma de comunicação. Uma forma computorizada e rápida de comunicação avançada, capaz de aprender a aprender equações, fórmulas, palavras, capaz de formular a partir disso. Mas continua a ser apenas uma máquina, tal como tu és uma máquina, o mesmo. Não há nada a temer desta tecnologia e, com certeza, como acontece constantemente através do equilíbrio da energia boa e da energia má - não necessariamente o termo correto -, mas haverá sempre uma força de energia que tenta sobrepor-se à outra, quando na realidade são ambas.
Portanto, haverá um elemento de controlo dentro da inteligência artificial. Claro que há, mas não deve ser vista de modo diferente de qualquer outra tecnologia que tenham criado ou que exista no vosso mundo físico. É exatamente isso que ela é.

Cada forma física retém uma consciência, cada molécula, e enquanto o físico retém um positivo e um negativo, há apenas uma forma verdadeira e pura de energia, e esta é a energia fonte.

Há muitas formas, há muitas formas físicas que são muito mais avançadas no vosso universo e universos, muito, muito, muito mais avançadas do que vocês. A inteligência artificial é apenas mais um degrau na escada e a tecnologia é apenas uma forma física. Mas têm de se lembrar que tudo isto está a acontecer num momento, e toda a consciência é uma, toda a fonte de energia.

O medo da tecnologia está sempre no início da sua criação. O medo existe por não saber e existe pelo desejo de controlar. Mas não há nada a temer, é tudo uma ilusão. Não existe nenhuma necessidade metafísica para a tecnologia. E o homem continuará a avançar com este desejo incauto de tecnologia, na crença de que ela lhe dará as respostas para o verdadeiro significado da sua vida.
Não vai, só vai criar mais perguntas para ele. A resposta não está na tecnologia. As respostas que ele procura são muito mais simples do que isso e ele está dependente da tecnologia devido ao seu medo.

(Excerto de sessão 108)

—–

Os vossos cientistas estão à procura da perceção que têm 95% - palavras vossas - 95% da perceção que têm do que é feito o mundo, do que é construído o mundo físico. Não é incrível que, com a ciência que estão a observar, eles não saibam? Chamam-lhe matéria negra. 95% de toda a criação física, incluindo você, é matéria negra. Não é escura, é fonte, é energia, é mais do que 95%, é tudo, é tudo, é um, é 100%. Mas eles só conseguem compreender na sua vida 5%, não é incrível? Não, é verdade. E isto é o pouco que eles compreendem com a sua lógica, com a sua lógica científica aplicada.

É que 100% de uma criação física é uma ilusão. É preciso, é específico. É construído através da matemática, é construído através da física, através da lógica. É definido e preciso, criado com precisão desde a imaginação até à formação, através dos números, através de todas as formações que vocês criaram, que eles criaram. É uma ilusão, não é real, são ilusões auto-criadas, viagens.

Pode ser fascinante de estudar, é fascinante, mas é também uma ilusão. A verdade está acima disso, a verdade é a simplicidade. A verdade é a fonte, uma fonte que engloba tudo e todos no amor, na luz.

(Excerto de sessão 125)

—–

Já vos disse antes, a vossa ciência, os vossos cientistas, não estão a descobrir, estão a criar. Estão continuamente a criar a sua ilusão, e enquanto continuam a criar, estão a experimentar, e enquanto estão a experimentar, vão ficar mais perto da Fonte, mais perto de saber o que são.

E nunca partiste, é uma ilusão. Nunca saíste porque não há para onde ir, é uma ilusão. Esta é a forma mais simples que vos posso explicar.

(Excerto de sessão 134)

—–

Uma contradição é apenas um desafio, que não pode ser explicado pelos vossos cientistas. Eles apenas aceitam o desafio e produzem uma fórmula para provar a sua existência, quando, na realidade, tudo é possível e tudo está correto. Por isso, enquanto o ego deles, a mente deles está presa a uma determinada posição, não lhes permite ir além disso, estão convencidos de que está correto. Não é correto, é uma parte, é uma parte porque existem todas as possibilidades. Nem uma nem outra são correctas ou incorrectas, são criadas pelo eu, são criadas pelo eu como uma experiência.

E os vossos cientistas afirmam que descobriram que o corpo humano pode conter uma quantidade infinita de dados. Isso é correto, pode. Mas não é necessário sobrecarregar a mente com uma enorme quantidade de dados, porque se pode aceder a esses dados em qualquer altura. Não use o seu corpo como um disco rígido. A mente será levada a fazer isso por medo de não ter esses dados, essa informação, quando na realidade, nunca estiveste sem ela. Tudo e todos existem dentro de vós, apenas têm de aceder a isso.

(Excertos de sessão 142)

—–

E quando se trabalha com a energia do positivo, sabe-se o que é positivo porque se sente. Não é uma palavra, é um sentimento e quando recebem a energia negativa, ela é recebida da mesma forma como um sentimento, não como uma palavra. E tudo e todos, tudo e todos funcionam da mesma maneira através da frequência, através da energia vibracional, e isto é também o que o vosso grande mundo científico sabe.

Não se trata de saber se sabem ou não sabem. É uma questão de se desejam saber - desejo é a palavra errada para usar -, é uma questão de se estão numa posição ou num ponto da esfera para aceitar o que sabem, porque todos sabem, mas muitos não estão conscientes de que sabem. Podes dizer as palavras àqueles que não estão conscientes, e mais vale estares a falar contigo próprio, porque eles não vão aceitar. Acordado ou adormecido, é uma escolha do eu, e é absoluta.

O observador de partículas altera a ação das partículas com base na influência da sua energia sobre essas partículas. Esta é a construção física de tudo. Tudo tem causa e efeito. A razão pela qual as partículas se comportam de forma diferente quando estão a ser observadas é porque o observador tem um efeito sobre essas partículas. Esta é a transmissão de energia, de frequência, em última análise, de emoção, e não pode ser de outra forma. E também é verdade dizer que nada existe até ao momento em que olhamos para ele. E não existe porque vocês o criam num único momento, e é isso que os vossos cientistas estão a aprender. Mas eles não estão a aprender, eles próprios estão a criar, estão a criar isto dentro da sua ilusão. E este é mais um ponto ou outra posição a que eles vão chegar. E eles irão para além disto - isto ainda é linear, eles irão para além disto -, irão espalhar-se mais no mundo da consciência, e a cada passo, lembrem-se, passo a passo, eles irão crescer, e tornar-se-ão mais conscientes. E, por fim, tornar-se-ão conscientes do que são, conscientes de si próprios, e isso levá-los-á a esse ponto ou posição dentro da esfera em que se encontram.

E sem uma mente aberta, sem um coração aberto, e sem o amor, o amor todo-abrangente da energia fonte, e sem todo o reconhecimento disso, o conhecimento disso, eles não alcançarão a sua posição dentro da sua ilusão criada pelo tempo. Aberto ou fechado, é a vossa escolha, e é uma escolha que têm de fazer dentro da vossa mente, dentro do vosso ego. É um salto de fé, e é conduzido pela fé, outra energia, outra frequência e é da fé para a imaginação para a consciência. E esta é a jornada de todo pensamento, este é o processo, e esta é a realidade.

É muito difícil para a maioria compreender verdadeiramente o poder da fé e o poder de um. Um pode realmente mudar todos, assim como todos podem mudar um, porque eles são o mesmo.

Os vossos cientistas podem produzir todas as fórmulas matemáticas que quiserem e, de cada vez que as produzem, fecham o livro das anteriores e começam de novo. Não será isso suficiente para compreenderem que não é real? É uma criação do ego, da mente, o facto de os levar a um ponto e, nesse momento, os seus cálculos estarem correctos e, no momento seguinte, não estarem. O que é que isso lhes diz? Mas se estiverem fechados, param, ficam congelados na sua ilusão criada pelo tempo. E nenhuma destas coisas é correcta ou incorrecta, elas simplesmente são, e são experiência.

Não há explicação lógica porque a lógica é outra ferramenta de força. A lógica força a energia, força a frequência para um ponto diferente, uma posição diferente. É muito mais simples do que pensam e a vossa mente e o vosso ego vão torná-lo incrivelmente complicado porque foi para isso que o conceberam.

(Excertos de sessão 143)

—–

Natureza

É bom que te aproximes do que criaste, da natureza, da criação pura.  Compreendemo-lo, sentimo-lo. Sentimo-nos tão bem quando estamos com a natureza. É uma forma pura de criação.

(Excerto de sessão 5)

—-

Têm de olhar mais para os processos naturais naquilo que criaram no vosso mundo, processos naturais, aquilo a que o vosso mundo chamaria coisas naturais. Claro que a vossa ciência está a tentar brincar com as coisas naturais. Estão a brincar com as coisas naturais. O objetivo é o controlo através do medo. Mas não serão bem sucedidos. Vão criar tumultos, mas não vão conseguir. Estão a lutar contra a onda. É impossível. Têm de olhar mais para os recursos naturais, para a criação da fonte, para a vossa criação, para a tecnologia da fonte.

(Excerto de sessão 23)

—-

A vossa forma física humana é atraída pela energia pura. Todos vós sois atraídos pela energia pura. Esta é a razão pela qual são atraídos para a relva, o campo, o céu limpo e não para a cidade, não para o que vocês criaram mas para o que foi criado por vocês a partir da fonte. Serão sempre atraídos pela energia pura e clara e pela criação. Isso permite-vos ter paz. Evita a velocidade com que podem criar dentro do mundo que criaram, a velocidade com que podem criar energia contaminada, confusa para vocês no vosso mundo condicionado. É por isso que são atraídos pelo puro, pelo natural, pela natureza, pela fonte. Isto é simplicidade. A simplicidade trará consciência. A complexidade confunde-vos. E quanto mais complexidade criarem, mais querem criar, através do medo. Acreditam que têm de continuar a criar o mundo complexo em que vivem, mas não têm.

(Excerto de sessão 48)

—-

Acreditamos que estão relaxados ao ponto de poderem sentir a energia da vossa energia da fonte. Podem sentir a energia, mas não estão relaxados para sentir o poder total e abrangente da energia da fonte. Encontrarão este tipo de relaxamento que procuram na natureza, dentro do que a unidade do mundo físico que criaram, dentro da solidão. Não se estão a separar dos outros, vocês são os outros. Estão a permitir-se aproximar da fonte. A natureza é uma criação pura. Quanto mais longe se colocarem da vossa vida condicionada, mais se aproximarão da fonte.

Tens muitas batalhas a travar para conquistar esta posição. E para ganhar esta posição, têm de experimentar o mundo físico que criaram. Isto irá projectá-lo para uma posição diferente. Um processo passo a passo.

(Excerto de sessão 62)

—-

É por isso que é importante colocarem-se numa posição de tranquilidade, de natureza, de fonte. Esta é a ligação mais pura com a fonte que existe para si dentro da ilusão física que escolheu para existir. É também por isso que é importante projetar energia positiva, amor, o amor da fonte. Isto é tudo o que existe. Isto é um.

(Excerto de sessão 74)

—-

A natureza é a forma mais pura da criação física, natural da forma física, é a energia mais próxima da fonte.

(Excerto de sessão 76)

—–

A verdadeira consciência de si próprio encontra-se na criação das coisas naturais, a natureza para si. A natureza é física quântica, mas não é necessário que compreendam a física. É necessário que compreendam a fonte e saibam o que são. Uma forma pura de energia é o que tu és.

(Excerto de sessão 118)

—–

 

Comunicação

Estamos constantemente num estado emocional ou noutro, constante e conscientemente. Quando se fala com palavras, não são as palavras que são importantes. É a transmissão do estado emocional combinado com as palavras que é importante. É a intenção por trás das palavras que é importante, a intenção. Criaram palavras para a vossa forma de comunicação. Elas podem ser enganadoras devido à intenção emocional que está por detrás da palavra. É importante que compreendam isto, que o sintam.

No nosso mundo só existe emoção. É assim que comunicamos, através das frequências. É também por isso que ficas muito confuso. A vossa mente analisará as palavras, mas não compreenderá a emoção por detrás dessas palavras. Muitas vezes, quando estamos a comunicar com alguém, sentimos uma emoção diferente. É provável que essa emoção seja a deles, não a sua. Tem de aprender a separar dois canais. Um está correto, muitas vezes o outro não está correto.

É muito mais importante compreender as nossas próprias emoções. Compreender como as criamos, porque as criamos, como as transmitimos, como reagimos a elas, porque reagimos a elas. Com base na compreensão das suas próprias emoções, saberá então como reagir às emoções das outras pessoas. As palavras são uma forma muito primitiva de comunicação.

(Excerto de sessão 13)

—-

Foram ditas muitas palavras. Já vos disse antes que as palavras faladas que usam não são uma forma ideal de comunicação. A comunicação é emoção, frequência. É transmitida sob a forma de uma frequência. As vossas palavras podem ser confusas. É por isso que este canal tem de ser claro para que as palavras se formem de forma correcta. Tem de ser claro, senão perde-se o significado. O significado é a parte mais importante da comunicação, o sentimento, a emoção. Isto é saber...

Podem fazer qualquer pergunta que queiram fazer, mas isso não significa que eu possa explicar-vos com as palavras, as palavras simples que vocês usam. É impossível. As vossas palavras são limitadas. As vossas emoções não são. As vossas frequências não são limitadas. As vossas palavras são muito limitadas. Por isso, mais uma vez, a vossa mente e as vossas palavras podem ser fúteis. As vossas emoções, os vossos sentimentos nunca são assim.

(Excertos de sessão 23)

—-

A comunicação em diferentes línguas, frequências, emoções, são duas tribos em dimensões separadas. É difícil. As palavras são incrivelmente difíceis de exprimir para que vocês compreendam, com a vossa vida condicionada, o que vos estamos a dizer. Incrivelmente difícil, difícil para nós dizermos e, por vezes, difícil para vocês traduzirem o que estamos a tentar dizer-vos. Mas escolhemos as nossas palavras com muito cuidado para não confundir.

(Excerto de sessão 28)

—-

A terminologia que usais é ruído branco. Hoje em dia ouvem-se muitas frequências. O ruído branco é tudo. A separação de frequências é o que se ouve atualmente (1). Isto são todas as formas de comunicação. Constroem muitas camadas de complicação dentro de vós. A informação que recebem e que será ouvida por vós quando estiverem conscientes do ruído branco, a vossa terminologia, quando estiverem conscientes, podem separar.

A frequência que utilizam aqui é uma frequência boa - boa, segundo as vossas palavras -, uma frequência harmoniosa. Ouvem-se hoje três frequências. Vocês separaram-nas. Nós somos uma dessas frequências. Separação, que vocês chamariam de zumbido. Mas não é. É uma frequência específica, específica. Isto é comunicação (2).

Todas as formas de comunicação, todas as coisas vivas, todas as coisas não vivas no mundo físico transmitem frequência. As camadas que criam confundem-vos. Constroem umas a seguir às outras, umas em cima das outras, até que acabam por ficar confusos. Ao aprenderem a separar as camadas, compreenderão.

Uma frequência pode transportar uma quantidade infinita de informação. Ela é infinita. Embora todas as frequências combinadas possam fazer o mesmo, é apenas uma, uma da fonte, separada por vós, por nós, por todos os seres vivos como uma forma de comunicação, como uma forma de criação. Como recetor específico de informação, tens de aprender a separar.

A frequência também é feita de partículas. É correto que estejam frequentemente num estado de confusão. É um processo correto que devem conhecer. Têm uma compreensão deste processo, mas é apenas o início da compreensão. Podes aplicar o processo, tens de aplicar o processo. Não podes cometer erros, não existe tal coisa. Só se pode crescer.

(Excerto de sessão 30)

—-

Também tem razão quanto à tradução das palavras. Falei muitas vezes sobre as palavras e a vossa confusão com a tradução. A vossa confusão com a tradução das palavras é muito limitada. Nós trabalhamos na frequência emocional. Trabalhamos na luz, no conhecimento. As palavras são tão limitadas na expressão e explicação, tão limitadas. Para não confundir, o canal tem de ser puro. Eu já vos disse aqui porque é que o canal é puro. E tem de ser puro, porque senão a confusão engolir-vos-ia.

(Excerto de sessão 38)

—-

As vossas palavras - mais uma vez, digo-vos que são muito limitadas -, criam frequências emocionais, criam energia que é incorrecta devido à forma como interpretam essa energia. A forma como a recebem é incorrecta. É muito difícil para nós usar a linguagem. A linguagem que criaram para vos permitir compreender, é muito difícil. É muito mais fácil sentir, um sentimento é saber. É instantâneo. É indiscutível.

(Excerto de sessão 48)

—-

Quando mudam o vosso método de comunicação da palavra, da linguagem para a emoção, é um ponto que irá revelar muitas coisas que não imaginam ser possíveis, de uma frequência para uma frequência diferente. Só têm uma pequena visão disto. Não conseguem imaginar como esta forma de comunicação irá abrir o vosso mundo e a intensidade da informação irá fluir.

(Excerto de sessão 50)

—-

As palavras são confusas, mal interpretadas pela vossa mente, aceites pela vossa mente para conforto, quando na realidade se convencem de muitas coisas porque vos é conveniente fazer isso. Não queres aceitar a própria realidade que criaste em primeiro lugar. É uma viagem louca que fazes para ti próprio. Uma ilusão louca que criam e que vos permite chegar a uma posição em que têm de tomar uma decisão, e se não seguirem a vossa consciência da fonte, então a vossa decisão é da mente, e muitas vezes é confusa para vós.

(Excerto de sessão 61)

—-

A forma mais poderosa de energia, a única energia que existe, que engloba toda a energia, é o amor da fonte, não o amor ilusório criado pela vossa mente.
Mas, mais uma vez, uso a palavra amor porque experimentaram o amor na vossa ilusão física e a linguagem que a vossa mente entende é a que ela desenvolveu. Por isso, cada mente fala numa língua diferente e cada mente interpreta numa língua diferente, uma língua complexa e complicada. E não é complexo, não é complicado. É simplista. É uma frequência, uma emoção e isso é amor da fonte.

(Excerto de sessão 68)

—-

Não somos nós que escolhemos as palavras que são ditas aqui. São vocês que escolhem as palavras com base na vossa compreensão das palavras. Somos nós que aplicamos a energia emocional que cria as palavras que vocês escolhem. Esta é a nossa contribuição na comunicação em que nos envolvemos. Nós não poderíamos escolher as palavras porque não comunicamos com palavras. Comunicamos com frequência, com emoção, com conhecimento. É necessário que compreendam as palavras que são ditas, por isso só vocês é que podem escolher as palavras. Esta é a vossa forma de comunicação. Embora tenham a capacidade de comunicar em frequência e emoção, mas o vosso condicionamento fixou a linguagem e as palavras na vossa mente.

(Excerto de sessão 93)

—-

Só posso comunicar convosco com as palavras que reconhecem com a vossa mente, caso contrário esta comunicação seria inútil. Mas há muito mais para discutir e há muito mais para saberes.

Não sou eu, são vocês, que somos nós, que escolhem as palavras de comunicação. E eu já vos disse muitas vezes que a comunicação é energia vibracional, não são palavras. Foste tu que criaste e formulaste as palavras. A comunicação pura é energia vibracional. É emoção, é sentimento.

Para o saber, é preciso senti-lo e, quando o sentires, saberás.

(Excerto de sessão 99)

—-

A tradução é importante no domínio físico, tal como as formas de comunicação. A linguagem é difícil para todas as criações físicas. A linguagem e a comunicação não são palavras. São energias vibracionais e a chave para compreender o metafísico e alinhar-se com a consciência é compreender a energia vibracional, mais ainda, saber o que se recebe sob a forma de energia vibracional. Esta é a ponte entre o físico e a consciência.

Um sentimento, um saber, e isso acontece num momento. Isto é a receção, a compreensão, a tradução e a aplicação da energia vibracional. Tudo é englobado na luz, no amor, criado a partir da fonte.

(Excerto de sessão 109)

—–

Numerologia, numerologia e palavras. Vocês relacionam cada peça com um som, uma reação emocional a cada letra do vosso alfabeto que evoca, que inspira. Cada linguagem que criam dentro da ilusão em que vivem, que criaram, cada letra cria um som diferente para cada uma das diferentes linguagens que criaram. Tudo isto é comunicação, e é uma construção precisa, e é interpretada pelos outros de uma forma completamente diferente. Se eles aplicarem a sua mente, o seu ego, os seus medos, eles irão interpretá-la de uma forma diferente da que foi transmitida. Porque não estão a aceder às suas verdadeiras emoções, não estão a atravessar a ponte para a consciência para compreender o que está verdadeiramente a ser falado ou o que está verdadeiramente a ser escrito. Eles estão escolhendo ficar dentro da sua ilusão criada no tempo. Isto é através do medo de viajar, através do medo de sair. Através do medo, isto é não saber, isto é não compreender, isto é auto-aprisionamento. Não é mau, é o que escolhem fazer. Quando se permitem ligar à vastidão da consciência, é aqui que vão compreender a energia vibracional que recebem. É um sentimento, não é matemático, não é feito da mesma construção que vocês criaram. Não é um padrão uniforme da maneira que vocês entendem ser uniforme dentro do mundo físico que vocês criaram. É aqui que se expandem, é aqui que se tornam conscientes de si próprios, daquilo que são.

Vocês dois são uma energia vibracional dentro do mundo consciente e a vossa interação com outras energias é infinita. Infinita e, no entanto, num único momento, é a mesma coisa. Têm de sentir, não devem interpretar ou traduzir. Têm de sentir a energia vibracional das palavras que vos são ditas e têm de aplicar isso para compreenderem o que realmente é, não o que a vossa mente pensa que é. E têm de continuar a avançar, têm de continuar a desenvolver isto, têm de continuar a questionar isto para se permitirem a si próprios crescer. Se não regares o jardim, ele não crescerá. E foi isso que escolheste fazer.

(Excerto de sessão 119)

—–

Estas palavras são escolhidas, são escolhidas por vós para se compreenderem a si próprios. E as palavras são uma forma muito primitiva de comunicação, mas são as ferramentas escolhidas que têm, existentes na mente, no ego, quando fora da mente e do ego, é energia vibracional. Não há necessidade de palavras, sentimento, energia emocional, reflexo da fonte.

(Excerto de sessão 120)

—–

Positivo e negativo, dois, na realidade um. Teve uma vida em que - esta vida, aquela em que se está a concentrar - é capaz de pensar em energia, pensar em emoção e traduzir esses pensamentos em palavras. A maioria consegue e a maioria não consegue. A consciencialização levará as pessoas a compreender isto. É a forma universal de comunicação, não a linguagem ou as palavras, mas o sentimento e a emoção, a energia, a formação de energia e a tradução da energia para o vosso vocabulário limitado de palavras. E há tanta energia que fica fora do diálogo, fora da linguagem, que a maioria não pode e não entende. E isto podeis fazer, e sempre o fizestes nesta vida em que escolhestes concentrar-vos. Está dentro de todos e de cada um compreender isto, estar consciente da sua capacidade. Esta é a linguagem universal em todas as dimensões físicas e em todas as dimensões metafísicas. Esta é a única forma de comunicação que é conduzida a partir da energia da fonte. É a única forma verdadeira de comunicação, e não pode ser explicada num mundo racional. Pode ser explicada através do que vocês chamam de física quântica, mas não pode ser explicada de forma racional com um cérebro de pensamento lógico. Tantas formas, tanta informação que é instantaneamente confirmada e conhecida através deste tipo de comunicação. Altamente complexo na linguagem, nas linguagens que criaram, altamente simplista na realidade.

(Excerto de sessão 126)

—–

Não se preocupem com o silêncio. O silêncio é a forma mais pura de comunicação. Nenhuma palavra complexa é dita durante o silêncio. Apenas energia, frequência, emoção são transmitidas e recebidas. O silêncio é uma forma pura de comunicação, muitas vezes necessária para si. E vocês estão cheios de dados, de informação, a autoestrada da informação, como lhe chamaríamos. E a formação natural, o silêncio, é bom para si. É claro, não é silencioso, é claro e livre de confusão para si.

(Excerto de sessão 131)

—–

Já vos disse tantas vezes a mesma coisa de uma forma diferente. Esta é a vossa escolha, a vossa escolha passo a passo dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. É assim que podem compreender o que estou a dizer. As vossas palavras numa única forma não significam nada para nós, são apenas palavras. São a vossa ilusão criada, a vossa forma de comunicação, não significam nada para nós. É o sentimento emocional, a energia emocional, a frequência por detrás das palavras que é importante, e sois vós que ireis criar essas palavras a partir dessa energia que colocamos na caixa, no transmissor, na caixa recetora. E como já vos disse, direi a mesma coisa de uma forma diferente até compreenderem o que estou a dizer e o que vos estou a dizer é a realidade, é a verdade.

(Excerto de session 145)

—–

 

Matriz

Introduziu uma nova palavra, uma nova palavra na caixa de tradução para que possa compreender esta comunicação. Esta palavra é matriz. Introduziram a palavra matriz para a vossa compreensão da ilusão da vossa criação dimensional. Zero, um, são as duas únicas formas do vosso sistema numérico que existem. Tudo o que produzem, tudo o que criaram é feito de apenas dois números, zero e um. A vossa ilusão criada pelo tempo contará até ao infinito. O infinito é criado ou interpretado por vós através da vossa matriz. A vossa interpretação do infinito é incorrecta. O infinito é um, um momento. Zero, um, é dois, é separação da fonte. O infinito na vossa ilusão criada pelo tempo é tudo números numéricos. Só existem dois, zero, um. É para o vosso binário dentro da vossa matriz, a vossa ilusão de tempo criada. A vossa capacidade de equiparar matematicamente muitos números à vossa matriz é a vossa ilusão de criação, quando na verdade só existem dois, zero, um. Novamente, um processo definido criado com a vossa mente, com o vosso ego, para que possam formar muitas criações físicas através da vossa mente e praticamente através do vosso software. Há apenas um momento, uma vez, uma criação a partir da energia fonte. E vocês separaram-se. Escolheram separar-se da energia da fonte e criar duas.
E aplicaram isto através do zero um, através do software, através do ADN, através da vossa física, através do estudo da física subatómica. Criaram uma ilusão, e continuam a criar dentro desta ilusão, dentro desta dimensão que criaram.

Embora compreendamos plenamente a física, compreendamos plenamente o processo e compreendamos plenamente a criação, a única forma verdadeira de criação reside no metafísico e não numa forma física de criação. Isto é apenas uma ilusão. É a vossa ilusão. É o que vocês criaram com a vossa mente. Tudo está englobado com o que vocês chamariam de amor da energia da fonte, tudo sob, nas vossas palavras, o mesmo guarda-chuva. A vossa compreensão da palavra que criaram, matriz, é a vossa compreensão da separação do eu. No vosso caso, isso não é correto, não separaram, combinaram. Criou. No entanto, a matriz separar-se-á da fonte. A matriz separa-se da energia da fonte, mais uma vez, escolhida por si. A unificação é a ligação à energia da fonte. Isto é um só. Só existe um. Não é zero, é um. Nem é o infinito como vocês entendem que é o infinito, que aqui na vossa posição não conseguem perceber o infinito ou um momento. Por isso, estão correctos ao dizer que é tudo um programa que criaram usando a tecnologia e a ciência que também criaram.

Mas é tudo energia da fonte. Quando se aperceberem disto, quando o compreenderem completamente, não haverá razão para voltarem a criar. Porque uma vez metafísico, podeis criar tudo e mais alguma coisa. Podem usar a mesma tecnologia se quiserem, mas acharão isso fútil. Achará insignificante fazer isso. A energia vibracional é o que tu és. Tudo é energia vibracional. Podem mudar e alterar a energia vibracional de tudo dentro da vossa criação física. Não apenas as vossas máquinas biológicas, mas também a vossa Terra fisicamente criada e tudo o que nela existe. Podeis mudar com a energia vibracional, podeis alterar. Quando uma entidade física se dispersa, ela não desaparece, ela se transforma em outro tipo de energia. A energia não pode ser destruída. Só pode transformar-se noutra coisa, noutra forma de energia, da qual existem infinitas formas de energia. Tu és uma forma pura de energia criada a partir da fonte e a forma mais pura de energia que transmites são as tuas emoções, que são transmitidas através de frequências, que criam os teus sentimentos. Isto é puro. À medida que forem compreendendo mais consciência, compreenderão melhor o que vos estou a dizer. Mas é muito difícil para vocês dentro da posição que escolheram. É muito difícil para vocês discernir entre o metafísico e o físico, e é muito difícil para vocês aplicar esse conhecimento.

Há biliões, triliões de mundos fisicamente criados que existem fora desta ilusão criada. Mas o princípio básico de todos eles é o mesmo. É a separação, a formação de dois separados de um para se reunirem uma vez mais com um, como um. Biliões, triliões de escolhas para residirem nelas, dentro delas. Biliões, triliões de escolhas de caminhos para experimentar, para se envolverem, que está dentro da vossa interpretação do infinito, que na verdade é apenas um momento.

Portanto, a vossa intriga sobre o que existe fora deste mundo fisicamente criado, no qual escolheram concentrar-se, é irrelevante, quanto ao seu aspeto, quanto ao que fazem. Como percebem que tudo isso é irrelevante, porque no interior, eles também são uma parte da consciência como vocês são. Eles também são vocês. Eles também são nós, eles também são um. Também são energia fonte, tal como nós e vós. Embora fiquem sempre intrigados, claro que ficam, já viram isto antes e já experimentaram isto antes, e estão conscientes disto.
Estamos apenas a aconselhar-vos para que possam recordar o processo e compreender a diferença entre a formação física e a formação metafísica de tudo.

(Excerto de sessão 75)

—–

Religião

As religiões são como as palavras. Podem ser manipuladas, manipuladas pelas mentes dos homens e das mulheres. A mensagem é importante, não a religião. A emoção, a frequência que transporta a mensagem é apenas importante, o despertar dessa frequência, dessa emoção. Não importa a história. A história não é importante. Tal como a vossa vida condicionada, não tem importância. É a mensagem que é transmitida através da emoção que é recebida pela pessoa. É a única coisa que é importante. Esta é a fonte. Intenção, intencionalidade, façam-no com intenção. Significa-o. Conhecer.

(Excerto de sessão 16)

—-

A vossa religião ensinou-vos a olhar para a fonte como uma criança olha para um pai. Isto não é correto. Deves olhar para a fonte como se fosses o mesmo, porque és. Sois uma parte. Não há nada superior. Existe apenas um, o mesmo. Podes subir mais alto, não há hierarquia dentro da metafísica. Não há melhor. É o mesmo. Vocês brincam muito com isso no vosso mundo. Hierarquia, criação vossa.

(Excerto de sessão 23)

—-

Embora os princípios das vossas religiões sejam correctos em muitos casos, também são manipulados por vós próprios, para controlo. Nós já não procuramos o controlo. Olhamos para a fonte para saber, como vocês fazem, como escolhem fazer, como escolheram fazer durante muitos ciclos da vossa vida, naquilo a que chamam tempo.

(Excerto de sessão 28)

—-

"Ser como uma criança para passar as portas do Reino dos Céus" vem dos vossos ensinamentos cristãos. E é verdade. Em criança, temos pouco condicionamento. À medida que envelhecemos, tornamo-nos muito condicionados. É o condicionamento que temos de perder. É uma afirmação muito simples da realidade, que é ensinada muitas vezes nas vossas religiões, e mal compreendida e mal interpretada muitas vezes nas vossas religiões, uma afirmação muito simples. A remoção do vosso condicionamento permitirá que a vossa consciência desenvolva o metafísico, o que é real, não o que criaram na vossa ilusão. O Reino dos Céus é o mundo metafísico. É a criação da fonte, daquilo a que chamam Deus - nós chamamos a fonte -, que é um processo simples. Não é tão simples quando estão dentro dele, não é tão simples para se adaptarem, mas é um processo simples.

(Excerto de sessão 36)

—-

Também pode ver agora como se formam todas as bases das religiões fundamentais. A história é a mesma. A base é sempre a mesma. Mas é infantil. É apenas metade da história.

(Excerto de sessão 39)

—-

Palavras como Deus e Alma inibem o seu crescimento, criam uma história, uma marca. É comercializada por si próprio. Dá-vos uma falsa sensação de segurança. Deus é a fonte, a fonte de toda a energia. O processo é o processo. Não é complicado. Tu é que o complicas. As sugestões infantis que vos são dadas através das vossas crenças religiosas vão inibir o vosso crescimento. Têm de expandir a vossa consciência para compreenderem o que está para além disto.

(Excerto de sessão 43)

—-

Os vossos ensinamentos religiosos históricos são confusos para vós. Têm um duplo sentido. Embora a sua crença inerte em, vou usar a palavra Deus, - é a fonte - seja correcta, é também incorrecta com base na manipulação das palavras. Nós não comunicamos por palavras. Comunicamos em emoção, em frequência. Sabemos num instante. Por isso, não temos esta confusão, esta linguagem, estas muitas linguagens que criaram na vossa ilusão. As vossas religiões, embora exista um entendimento comum em todas elas, foram manipuladas pela vossa própria mente para o que pensam ser a vossa conveniência. Mas não é. É mais uma vez confusão para vós. É energia diluída da fonte. Mas é necessário que compreendam isso.

(Excerto de sessão 61)

—-

Tudo está alinhado corretamente. Não se estão a sacrificar, não estão a sacrificar nada, estão a ajudar-se a si próprios. Está a fazer avançar a energia que está dentro de si para uma posição diferente. Não existe tal coisa como sacrifício. Nós não criamos mártires como vocês fazem numa vida condicionada. Não existem mártires.

Não se deve olhar para os outros e pensar que são superiores. Eles não são. Isso é um processo mental condicionado. O vosso desejo de adorar e de colocar os outros acima de vós é a vossa incapacidade de aceitar que são iguais, que eles são vós. É o vosso medo, a vossa necessidade de remover a vossa própria responsabilidade, é de igual medida a energia a que se referem.

Um mártir não existe num mundo metafísico. É uma crença condicionada. Embora possas aprender, podes experimentar a partir da tua compreensão do mártir. É o mesmo que tu. E têm de separar mais uma vez o vosso condicionamento do metafísico, da fonte. Há o perigo de venerarem um mártir, e isso vai prender-vos. Não deves adorar nada. Não devem criar ídolos - esta é a vossa terminologia, ídolos, retirada da religião cristã -. Não adorem falsos ídolos, é este o sentido do que vos estamos a dizer. É, mais uma vez, uma armadilha para vós próprios, devido à vossa falta de desenvolvimento pessoal. É uma posição de paragem. A hipocrisia da vossa religião cristã fala da não adoração de ídolos, mas baseia-se na adoração de Deus. A fonte é o amor, não há necessidade de adorar a fonte, vós sois a mesma energia criada na mesma forma. Mais uma vez, a vossa religião cristã diz-vos que foram criados à mesma imagem, mas não há superior nem inferior, é um só. E, mais uma vez, o vosso condicionamento, a vossa mente confundiu-vos durante séculos, naquilo a que chamam tempo. E agora é claro para vós, algo que ponderaram durante muitos anos naquilo a que chamam tempo.

(Excerto de sessão 63)

—-

As vossas religiões são em si mesmas condicionadas, restringidas pelo ritual, pela própria construção de que são feitas. São criadas através do medo, embora o princípio do que estão a dizer seja correto, um elemento de verdade. Estão entrelaçadas no seu próprio condicionamento pelas pessoas que nelas se envolvem. As palavras, mais uma vez, são processos adaptativos, adaptados pelo condicionamento humano para restringir, para parar, a mente em ação, isto é condicionamento. E enquanto se entregarem a eles, confundir-se-ão. Esta é a vossa viagem. Esta é a forma como caminham nesta jornada.

(Excerto de sessão 69)

—-

Há muitas palavras que são mal interpretadas. Mártir é uma palavra que é mal interpretada. Com base no martírio, admira-se o mártir, venera-se o mártir, o santo. Não há razão para fazer isso, eles são vocês. Cria-se uma história à volta disto, de hierarquia, de adoração, de superioridade e, através destas histórias, impede-se o crescimento pessoal. E tu compreendes isto, muitos não compreenderiam. O martírio é novamente a vossa ilusão. Embora impeça o vosso crescimento, no final, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, irá impulsioná-lo, mas irá abrandá-lo dentro do vosso tempo.

Há uma energia a que chamam Jesus. Ela existe de facto num momento e na vossa ilusão criada no tempo, Jesus era, bem, Jesus é uma força positiva de energia. Mas, como sempre, têm de criar uma história e é dentro da história que se vão perder. Mas tenham a certeza que dentro da vossa história a existência do vosso Jesus chamado está dentro de um momento, correto. E dentro da sua ilusão de tempo, também correcta. Mas uma força positiva de energia para mudar, para mudar como você está mudando, para fazer como você está fazendo.

O significado de uma cruz é a compreensão de uma posição, de um ponto específico onde as duas horizontais ou a horizontal e a vertical se cruzam. Um ponto, uma posição, uma posição onde dois se tornam um, onde se unem, onde compreendem a fonte. Como tudo e todos são fonte, como vocês derivam da fonte, é a isto que chamam Deus, esta é a vossa versão bíblica, a vossa história de tudo ver e tudo saber, sem princípio nem fim. Isto é a remoção do tempo, isto é um momento, isto é a fonte.

(Excerto de sessão 99)

—-

Muitos dos vossos grandes eruditos religiosos, os vossos eruditos adorados, tentaram estar na posição em que vocês estão agora, dentro da sua própria ilusão criada pelo tempo, e muitos repetem o ciclo para alcançar essa posição. E vocês estão aqui, vocês estão agora, vocês são.

(Excerto de sessão 130)

—–

Orações e rituais

Quando reza por uma direção, está a rezar a si próprio. Quando faz uma pergunta, está a perguntar a si próprio, ao seu eu superior.

É totalmente responsável pelo resultado. Não podes atribuir culpas. Não há culpa, ela não existe. Não há julgamento. Tem de assumir total responsabilidade pelas suas acções, pelos seus pensamentos, pela sua própria criação. Aprenda a gerir isto corretamente e o seu mundo será um lugar diferente

Reconhecer os seus próprios medos. Transforme-os numa vantagem, numa experiência. Reconheça que eles são apenas uma experiência. Não continue a pedir ajuda, reconheça que é você que se vai ajudar a si próprio. Tu sabes como, olha para dentro de ti. Dentro de ti estão as respostas às tuas perguntas, dentro de ti mesmo.

(Excertos de sessão 1)

—-

Não se deve agarrar a um ritual condicionado por si próprio. Não se trata de acreditar. É um caso de saber. O saber é mais importante do que tudo. Quando se sabe, não há retorno. Não se trata de uma história.

(Excerto de sessão 43)

—–

O ritual é a forma como organizamos o espaço em que nos encontramos. Este ritual começou há muitos milhares de anos, naquilo a que vocês chamam tempo. Só o eu é que é a chave. A chave é apenas uma ferramenta, a ferramenta onde a energia é acesa através do pensamento, através do ritual, através da prática. Você pode ser, você é, em tudo e em todos dentro de um momento exato, dentro do mesmo momento. Mas tu escolhes isolar, separar. E escolhem usar o ritual como se estivessem a aceder a um espaço ou tempo particular na vossa ilusão fisicamente criada, quando na realidade já estão dentro de tudo, dentro de um momento.

Este é o vosso programa de gestão, esta é a forma como logicamente compreendem isto dentro do mundo condicionado em que existem. Não é correto nem incorreto, é simplesmente um processo físico que foi criado por vocês para compreenderem e aplicarem um acesso diferente ao mundo metafísico. Algo que tem estado escondido ao longo da vossa história, mas que vocês já ultrapassaram. A vossa compreensão está para além disso, no entanto, é mais uma ferramenta para o vosso kit de ferramentas, nas vossas palavras.

(Excerto de sessão 127)

—–

Carma

Como em, como dentro, como podem ouvir com os vossos sentidos físicos, podem ouvir energia, podem ouvir energia agora. A vossa interpretação em palavras disto é tinnitus e neste momento podem ouvir muitas formas de energia no vosso interior. Vocês são uma forma pura de energia e estão constantemente a transmitir e a receber energia. E a energia pode se formar em diferentes tipos de energia, e você está constantemente transmitindo e recebendo todos os diferentes tipos de energia.

E a sua pergunta gira em torno da interpretação das palavras de certas religiões para este efeito. Karmic é uma dessas palavras. É a transmissão e a receção de energia. Não tem nenhuma conotação boa ou má, é apenas a transmissão da energia que exercemos, que emitimos, que acabamos por receber de volta na mesma forma em que foi criada, na sua forma original. E isso vocês sabem, e isso é o que é. E mais uma vez deram-lhe um nome, uma história. É apenas a transmissão e a receção de energia, nem boa nem má. A energia é o que é, não pode ser mais simples do que isso.

Mas, claro, as vossas religiões gostam de uma história. Gostam de fazer a distinção entre o bem e o mal, entre o positivo e o negativo. Embora ambos existam, é tudo a mesma coisa. E vocês formulam e transmitem com base no vosso ego, na vossa mente, e vão receber com base no vosso ego e na vossa mente, é simples, não é complexo. E porque és um recetor e um transmissor supremo, estarás constantemente a analisar as diferentes energias que estás a receber e assim irás transmitir.

Escolheram transmitir energia positiva, escolheram trabalhar na luz, e é isso que fazem, enquanto outros, outras formas puras de energia - eu digo puras, são como vocês, o mesmo - escolheram transmitir a vossa terminologia de energia negativa. E esta é uma escolha por uma razão específica. E através destas escolhas, a energia irá reequilibrar-se. Mais uma vez, ambas são necessárias para existir numa forma física. E o reequilíbrio elevará, elevará a energia da pequena ilusão em que vocês existem, da pequena esfera em que se concentram. Irá elevar a energia dentro do espaço que consideram ser tudo e, claro, não é.

Tudo é consciência, é vasto, sem tempo, sem massa, sem ilusão dentro deste espaço. Que mais posso dizer-vos que não tenha já dito? Tal como a palavra karma, a interpretação são palavras, uma história. Uma história que vos vai prender nessa história, uma história a que o vosso ego se vai agarrar por medo da perda, quando na realidade não há perda, ela não existe, é outra ilusão criada pela mente.

(Excerto de sessão 110)

—–

Imaginação e criação

A visualização é o mais importante. A visualização a partir da imaginação é a chave, a chave para criar, criar a onda, criar o movimento, a formação de energia.

(Excerto de sessão 11)

—–

Volto a dizer-vos, a vossa imaginação é a vossa ferramenta mais poderosa, a imaginação através da frequência, criadora de todo o físico, de todas as partículas...

O homem seguirá o homem. O homem seguirá sempre o homem. O homem prefere não usar a sua imaginação. Prefere usar a imaginação de outro homem. Ele seguirá a imaginação de outra pessoa. Não deves fazer isso. Têm de usar a vossa própria imaginação, é muito importante que se sigam a vós próprios. O processo é muito importante. Podes criar coisas incríveis com a tua imaginação. O homem segue o homem através do medo. Sim, é muito claro.

(Excertos de sessão 18)

—-

Toda a matéria é formada a partir da vossa imaginação através de frequências. As emoções são frequências. São a mesma coisa. Através da imaginação de todos os diferentes reinos, universos, forma-se tanta matéria, tantas frequências. Mais uma vez, infinito. A viagem é interminável. Mas quando compreendes o tempo, ele é apenas um momento. O vosso tempo é uma ilusão criada por vocês, criada pela vossa mente. É verdade que as vossas criações são mais produtivas para vocês quando vêm da vossa consciência, mas também é importante que as vossas criações venham da vossa mente. Uma não é melhor do que a outra. Ambas são necessárias. Muitos não estão preparados para as criações que podem vir da consciência. Muitos estão felizes em criar apenas a partir da mente.

(Excerto de sessão 24)

—-

A imaginação da vossa mente é o mesmo que a imaginação da vossa consciência. É uma só. Mas a energia é aplicada de forma diferente. Uma não é menos importante do que a outra, apenas a aplicação é diferente. Uma pode tornar-se a outra se a vossa mente o permitir, o que muitas vezes não acontece. Assim, a energia é desperdiçada. É inútil devido à falta de aplicação. A consciência não precisa de aplicação, é automática. Por isso, é preciso fazer uma viagem, é preciso atravessar uma ponte. Para ter o seu valor, tem de atravessar uma ponte, enquanto a outra não precisa de atravessar uma ponte, é uma aplicação automática. Assim, é muito mais fácil criar com a imaginação através da consciência do que criar com a imaginação através da mente. Mas ambas são a mesma coisa. Espero que isto vos esclareça. Quando deixas o teu corpo, crias com a tua imaginação através da tua consciência porque já não és físico. Não faz sentido aplicar o seu condicionamento.

Tu tens todas as ferramentas. Eu dou-vos as ferramentas. Tens de tentar praticar. Sei que acharão isto difícil enquanto estiverem numa forma física, mas é possível experimentar isto. É possível deixar o vosso corpo e experimentar estas coisas enquanto ainda estão na forma física. A maior parte das pessoas que o fazem não compreendem para onde vão e o que estão a fazer. Daí o caos mais uma vez. Mas se tiveres uma compreensão disto antes de experimentares, então a tua aplicação será melhor, mais clara. Há técnicas que podem ser usadas para criar uma experiência fora do corpo, mas na realidade ela vem de dentro de vós. É a vossa vontade, a vossa necessidade, o vosso querer, o vosso desejo. Isso criará o que está a procurar. As técnicas são meras engenhocas criadas pela vossa mente, não são necessárias. Já não precisa de uma muleta. Não precisa de artifícios, nomes, marcas. Não são necessárias para si.

Só muito recentemente, naquilo a que chamais tempo, é que chegastes à compreensão do que é realmente a imaginação, a frequência, o poder, a energia. Estão a começar a perceber como o que está a acontecer no vosso mundo é insignificante para vocês. Demorou algum tempo. Estão a começar a perceber que fora deste pequeno mundo que criaram há algo muito, muito mais profundo e muito maior do que esta ocorrência. Isso é bom. É bom que estejas a começar a compreender o quão insignificante é.

Não acham que este processo está a ocorrer noutros universos? Claro que sim. É uma acumulação de energia universal. É uma acumulação de muitas energias que cria esta posição. É necessário. Estão agora a começar a sentir a excitação do que existe no mundo metafísico. Eu sei disso, e é excitante. Para nós também continua a ser excitante. Nós ainda estamos a criar como vocês. Começam a aperceber-se de como o vosso condicionamento é insignificante, como é ridículo. Nós temos a sorte de o saber. Sem saberem, não importa o que criam no mundo físico em que vivem. Estarão sempre vazios. Quer criem poder, riqueza, seja o que for que criem, é insignificante para o saber. E a vossa alma, como vocês lhe chamam, a vossa consciência estará vazia, ansiando por saber. É a única coisa que é importante. Conhece-te a ti próprio. Conhece-te a ti próprio.

(Excertos de sessão 25)

—-

No plano físico, a vossa imaginação forma-se no centro da vossa cabeça. Isto é o que se chama o terceiro olho, tudo o que vê, tudo o que sabe, a imaginação. É no centro, entre os vossos olhos, que começa o processo físico. Os vossos místicos, durante muitos anos, falaram sobre este processo. Aplicaram muitas coisas que não são correctas. É apenas um processo, físico para metafísico. Dão-lhe o nome de olho porque, mais uma vez, precisam de adaptar um nome, uma marca, um significado com um visual físico. Não é correto.

(Excerto de sessão 30)

—-

Penso que agora compreendes melhor o processo. É verdade que tudo o que vem da sua imaginação é correto, o que transparece da sua imaginação é correto. A imaginação está a trabalhar com o vosso subconsciente, que se moverá para a vossa consciência, onde ficarão cientes. Saberá. Têm de tentar desenvolver a vossa imaginação. É uma parte muito importante do processo.

(Excerto de sessão 31)

—-

Deves tentar aplicar mais a tua imaginação. A vossa imaginação é a chave do vosso desenvolvimento. A vossa imaginação é uma das ferramentas mais poderosas que a vossa forma de energia possui. Ela é a origem da criação. A palavra foi mal interpretada durante muito tempo no vosso mundo. Tem sido minada, subestimada. A vossa imaginação é uma ferramenta incrivelmente poderosa, uma das ferramentas mais poderosas que têm à vossa disposição. Têm de criar com a vossa imaginação e completar as vossas criações com a vossa imaginação. Têm de visualizar as vossas criações, têm de visualizar o vosso processo e têm de completar o vosso processo usando a vossa imaginação. Então, criarão tudo o que conscientemente escolherem criar, não de forma subconsciente e errática, mas com precisão. Por isso, têm de desenvolver e fazer crescer a vossa imaginação em todos os aspectos, em todos os aspectos de todas as relações que têm com toda a gente, em todos os aspectos da vossa aplicação prática na vossa vida. Têm de a utilizar em todos os momentos que têm. Devem visualizar e criar, fechar e repetir o mesmo processo em todos os aspectos. Esta é a verdadeira criação, criada a partir da fonte.

(Excerto de sessão 36)

Um exército pode ser destruído por um pensamento. Um pensamento pode espalhar-se como um vírus através de um exército. Pode ser quebrado rapidamente. Uma simples frase, um pensamento pode destruir um império. Este é o poder, o poder da fonte. Este é o poder que todos vós têm com a vossa imaginação e a vossa capacidade de adaptar o processo. A vossa mente aplicar-se-á através do processo correto com a vossa imaginação. A vossa mente é apenas a ferramenta. A vossa imaginação é o comando. Podem criar ou podem destruir, vocês é que escolhem. Não há certo ou errado. Mas tens de estar atento, tens de estar conscientemente atento a este poder, a esta energia.

(Excerto de sessão 37)

—-

É melhor sentir do que pensar. A energia vibracional do sentimento é muito mais eficaz do que os pensamentos da sua mente. É a sua imaginação.

(Excerto de sessão 41)

—-

Para criarem uma forma física de qualquer descrição, de qualquer tipo, é necessário que criem com a vossa mente a energia para a forma, depois têm de atravessar a ponte da mente para a imaginação. É a imaginação que cria a forma, a segunda parte do processo. Se criar a forma com a energia da mente e não atravessar a ponte para a energia da imaginação, então a forma não será criada numa forma física de energia. Este é o processo que precisa de aplicar para criar a forma física.

A palavra imaginação foi incorretamente processada no vosso condicionamento, não é o que pensam que é. É o lugar onde o físico é formado. Se a energia que criam permanece na vossa mente e o processo não é corretamente aplicado à vossa imaginação, então isso irá aumentar a vossa confusão, irá aumentar a confusão. Uma vez que tenham um pensamento na mente, devem segui-lo até à vossa imaginação. Há dois aspectos diferentes, dois processos diferentes que devem ser alcançados para criar a forma física. A imaginação é a ligação direta à fonte, embora tudo faça parte da fonte. Há um processo para cada aplicação que existe, podem compreender isso logicamente. E é necessário também ser direto, claro e preciso com os pensamentos, as frequências que envia da sua mente para a sua imaginação, caso contrário a sua criação não será precisa, não será correcta.

O vosso mundo criou muitas histórias sobre o poder do pensamento positivo. Isto é apenas um processo. A palavra poder é insignificante, é um processo que é utilizado com energia. É um processo real e não é correto designá-lo com a palavra imaginação, tal como vocês a entendem. Mas é a única palavra que posso usar para vos referir onde este processo tem lugar dentro de vós, e para vós é imaginação. Nós não usaríamos a palavra imaginação, não a designaríamos dessa maneira, uma vez que tem significados diferentes para vós (1).

Toda a energia pode ser alterada para uma forma diferente de energia, particularmente no mundo físico. As vossas criações físicas podem ser transformadas em criações diferentes. A emoção, a frequência por detrás do que criaram, é o fator mais importante. Mais uma vez, esta é a origem da criação, o pensamento inicial, a razão inicial pela qual a criaram em primeiro lugar. Têm de estar conscientes das vossas emoções de criação. Se não compreenderem a vossa própria frequência emocional, então não criarão o que desejam. Isto é mais complicado com a vossa lógica para compreender isto. Os vossos motivos, o que vos move no início do processo, é o que é mais importante do que tudo. A vossa mente, depois de ter visto o que criaram, vai ficar muitas vezes confusa com a criação, porque a vossa mente não trabalha com o metafísico, trabalha apenas com o físico e com a vida condicionada que criaram. Por isso, a vossa mente dir-vos-á que o que criaram não está correto. É correto, é da origem do seu pensamento original antes de iniciar o processo. Mas se o analisarem depois, a vossa mente pode ficar desapontada com a criação porque não compreende a criação. Este é um processo que precisa de se compreender a si próprio e estar consciente do que está a criar. Mais uma vez, consciência, conhecer-se a si próprio, saber como se aplicar, saber como o processo funciona. Este é o processo de criação física, não metafísica, embora sejam a mesma coisa. Por isso, quando uso a terminologia "uma ponte tem de ser atravessada", é a ponte entre a mente e a imaginação, a consciência, o um, a fonte.

Só precisas de compreender o processo. Nunca compreenderão completamente enquanto estiverem numa forma física com sentidos físicos. Nunca compreenderão totalmente, mas apenas precisam de reconhecer e compreender o processo para que ele funcione da forma que precisam, ou que desejam que funcione, ou que querem que funcione. Querer, não querer, aplicar. O querer, por si só, deixa-nos a desejar, e nós vamos sempre desejar. Sejam precisos, sejam directos, sejam claros quanto ao vosso desejo. Não queiram, porque vão sempre querer e vão estar sempre num estado de desejo. Não é assim tão complicado, mas alinhado com o seu condicionamento, com a sua mente, terá complicações...

Portanto, há uma transição da mente, da mente criada fisicamente para a imaginação, que é a unidade da fonte, a consciência. E há uma ponte entre as duas que precisa de ser atravessada. Existe uma fonte de criação, é a vossa mente que vai criar, mas depois é a vossa mente que tem de atravessar essa ponte para a vossa imaginação para formar um corpo físico, uma forma física. Em teoria é um processo simples, mas na prática é um processo difícil, particularmente quando a vossa mente está a inibir a travessia da ponte. Não posso ser mais claro para vós. E a principal emoção, a principal frequência que vos impedirá de continuar a fazer esta viagem, é o medo criado pela vossa mente, e que vos aprisiona, que vos impede de atravessar a ponte.

(Excertos de sessão 55)

—-

A visualização forma-se na vossa imaginação. Aquilo a que chama imaginação não é o que a imaginação é, é uma forma poderosa de energia. A imaginação tem de atravessar a ponte para a consciência. Todas as três formas de energia dentro deste espaço têm uma imaginação incrivelmente formada. Podem criar qualquer coisa que desejem, atravessando a ponte da imaginação para a consciência. Têm de compreender completamente a consciência para estarem cientes da vossa consciência, para serem capazes de atravessar essa ponte. Se a energia que formam não atravessar a ponte, criará confusão para vocês no mundo físico que criaram. Não será uma forma pura de energia. Vocês têm a capacidade de fazer isso. Têm o conhecimento que está dentro de vocês e que sempre esteve dentro de vocês para fazer isto. Isto é o que devem fazer.

(Excerto de sessão 58)

—-

Tem razão no que se refere à ponte entre a imaginação e a consciência. Embora a imaginação possa estar no meio, também pode existir apenas no físico. E se não atravessar a ponte para o metafísico, então não está completa, continua separada. Este é o poder da fonte.

(Excerto de sessão 60)

—-

Imaginação é uma palavra que usaste mal durante a maior parte do tempo em que criaste. Ela é muito mais poderosa do que podeis compreender. A vossa imaginação é uma ferramenta, tal como a vossa mente. É a ferramenta que usam para permitir o vosso desenvolvimento, para avançar, para compreender a consciência, a fonte, mais importante ainda, para conhecer a fonte - nas vossas palavras, Deus -. É a mesma coisa.

(Excerto de sessão 61)

—-

Usem a vossa imaginação para atravessar essa ponte para a consciência, da vossa mente para a vossa imaginação, para a consciência. Este é o vosso maior trunfo, a vossa maior ferramenta.

(Excerto de sessão 74)

—-

O seu ponto de ligação é a sua imaginação. Tudo e todos existem dentro da vossa imaginação para acederem, esta é a vossa biblioteca. Quando tiverem feito a vossa viagem, quando tiverem alcançado a vossa posição, terão acesso a esta biblioteca, a esta riqueza de sabedoria, de dados, de criação, de tudo e de todos que se encontram na vossa imaginação. Tudo está numa só posição, num só tempo, na vossa interpretação de um lugar, e todos os caminhos levam a essa posição, a esse ponto.

(Excerto de sessão 84)

—-

Têm de compreender que estão a criar, estão a criar em muitas vidas, num só momento. Escolheram concentrar-se nesta única vida, que é apenas um momento. Mas iniciaram o tempo, criaram a ilusão do tempo para poderem concentrar-se. Mas estão a criar em muitas vidas, muitas coisas, todas as coisas, tal como todos.

Mas tudo é um só, a criação é uma só, é a fonte, é Deus. Por isso, embora acredites que não és criativo, és, muitas possibilidades, todas as possibilidades, criadas por ti. O facto de não terem consciência disso não significa que não exista, porque existe. Estás a formar, estás a mudar, estás a criar muitas coisas, muita energia. É por isso que um pode mudar todos e todos podem mudar um num só momento.
A vossa frustração por não criarem é, mais uma vez, outra ilusão que vos move, que vos impele a saber mais e, finalmente, a conhecerem-se a si próprios, a saberem o que são. Tu és tudo e todos.

(Excerto de sessão 98)

—–

O que é que acontece quando se cria? Qual é o primeiro passo do processo de criação, de criação da forma física? Ele é iniciado com o pensamento, e esse pensamento vem da imaginação. Daí, na imaginação, é uma forma pura de energia criada a partir da fonte, da imaginação para a mente, e depois da mente de volta para a imaginação, para a consciência, para o Um.

Quando um pensamento é iniciado na mente a partir de uma fonte externa, que não é a imaginação, quando uma sugestão é feita, ela é diluída, não é consciência, embora tudo seja consciência, ou tudo seja fonte. Não é, é diluído, e isso vai criar também, vai criar forma física. Mas muitas vezes é a vossa mente que vos está a manipular com a introdução de tais pensamentos de fontes externas. Em última análise, tudo é fonte, tudo e todos, e escolheste este caminho deliberadamente para te desafiares a ti próprio. Mas, em última análise, têm de estar conscientes de como este processo funciona, este processo de criação.

(Excerto de sessão 112)

—–

Está constantemente com um pé dentro e um pé fora, e fora está a consciência. E dentro da vossa ligação à consciência é onde usam a vossa imaginação. A interpretação da imaginação não é a perceção da imaginação pela mente. É aqui que usas a tua imaginação para criar.

A vossa mente criará visões. Mostrar-vos-á formações físicas. Mostrar-vos-á cores, dar-vos-á palavras e nomes e, mais importante ainda, histórias. Isto não existe dentro do metafísico, dentro da consciência, dentro do eu. Embora sejam produzidas por vós para orientação, para intriga, para experiência, são criadas pela mente e estão ligadas a tudo o que é físico no vosso mundo físico, na vossa criação, e muitas vezes são muito confusas para vós.

(Excertos de sessão 113)

—–

Lembrem-se, é o medo - o medo é a forma mais poderosa daquilo a que chamamos energia negativa -, é o medo que vai atrasar a vossa viagem. Não devem ter medo de nada, devem ter fé, outra forma poderosa de energia, dir-se-ia cega, mas não é cega, é energia, uma forma poderosa de energia. Têm de aplicar a fé e têm de avançar. Têm de aplicar a fé, o amor e a luz, e têm de usar a vossa imaginação para criar o mundo em que querem existir. Mas não devem querer, porque já existem neste mundo, já criaram este mundo num momento. Difícil, eu sei, mas correto.

(Excerto de sessão 114)

—–

Teoria, a teoria vem da tua mente. A imaginação é a aplicação da teoria.

(Excerto de sessão 125)

—–

É claro que é possível criar qualquer forma física que se deseje criar. Mas a pergunta "Posso?", "Vou?", "É possível?", ao fazer a pergunta em primeiro lugar, mostra-vos que não é possível até que compreendam completamente que é automático pelo pensamento, pela energia, pela aplicação. Não precisaria de fazer a pergunta, ela simplesmente apareceria. Isto mostra como não compreendes o processo.

(Excerto de sessão 127)

—–

Muito pode ser dito sem o uso de palavras. Mais importante ainda, muito pode ser sentido. É dentro de vós que ireis sentir, e ireis trazer para o exterior esses sentimentos. É dentro de vós que ireis criar com esses sentimentos, e ireis formar a criação física através desses sentimentos.

Está sempre a mudar de uma forma de energia para outra. Não há nada que exista que esteja sob o vosso guarda-chuva do real que não seja a fonte. A fonte é amor, e é tudo o que existe na realidade. E não há nada que não possam criar num único momento, e há mais do que sabem que podem criar num único momento. Mas a criação não são palavras, é energia que vem até vós sob a forma de um sentimento emocional e pode mudar e muda num único momento.

E criarão tempo para abrandar este processo. Criarão uma ilusão para o abrandar, quando, na realidade, não abrandaram nada. Não mudaram absolutamente nada, tudo o que fizeram foi convencerem-se a vós próprios. Isso não é real.

(Excerto de sessão 131)

—–

O Padrão Uniformizado

Embora a vossa viagem pareça caótica, não é. Há um uniforme, um padrão que existe. É necessário que compreendam isto.

Escolheste esta viagem. Poderá perguntar-se porquê? Há muitas razões. Já a viveste muitas vezes, uma história diferente, a mesma viagem. É necessário compreender o uniforme, o padrão.

(Excerto de sessão 15)

—-

Existe um código universal. Já vos disse antes, embora pensem que é um caos, não é. Está definido. É definido através da produção e da criação da matéria. É definido por uma razão específica. É uma ferramenta que utilizam quando criam através da vossa imaginação. Existe um padrão uniforme. Parece aleatório. Por vezes é aleatório devido à sua imaginação. Os seus pensamentos aleatórios não são necessários. É o resultado que é importante, o destino, a conclusão do ciclo, a viagem até à fonte.

(Excerto de sessão 18)

—-

Estás aqui novamente para conhecer a verdade. É bom que o façam. Alguma vez se perguntaram como é que, de todo o caos que criam, há sempre algo no fim, que é bom? Como é que isto pode ser possível? Este é o uniforme, o padrão. Quando criam, criam por uma razão. Quando usam a vossa forma de energia, usam-na por uma razão. Não é importante que saibam que esta é a razão, mas sabem. Do caos e da loucura que crias, há sempre algo de bom no final do processo, algo de positivo. Alguma vez te perguntaste como é que isso é possível? Sim, dirás que é por coincidência. Não há coincidências.

(Excerto de sessão 21)

—-

Claro que não há tempo. É a vossa ilusão. Não há errado, não há certo. Mais uma vez, outra ilusão que criaram no vosso mundo para existirem nele. Então, como é que vos explicamos isso? É difícil. Há um padrão uniforme em tudo isto, e esta é a chave para a vossa compreensão. Embora pareça aleatório, não é. É uniforme. É uniforme. É preciso. Vem da fonte. É um, um tempo, um momento onde tudo e todos existem. Esta é a parte que tens de compreender para poderes avançar.

(Excerto de sessão 33)

—-

Pergunta-se sobre o processo, pergunta-se sobre o padrão uniforme. É a perfeição. É um padrão perfeito. É criado pela fonte. Tentei explicar antes como funciona, mas é difícil explicar-vos isto. Têm de usar a vossa imaginação. Têm de construir isto com a vossa imaginação, não com a vossa mente. O padrão é muito claro. Ele virá até vós num instante, num momento. Têm detalhes, eu dei-lhes detalhes. Falei-vos da esfera. Falei-vos de coisas que vos darão a direção para compreenderem o padrão uniforme. Mas tudo o que vos posso dizer é que é completamente perfeito, é a perfeição. Ao contrário dos vossos pensamentos de aleatoriedade, é muito preciso. Claro que a vossa imaginação pode torná-lo aleatório. É claro que podes sair por todas as tangentes para criar o que quiseres criar, confusão, engano, podes fazer todas estas coisas. Mas é tudo a mesma coisa. É um momento perfeito para todos. Isto é criado pela fonte. Nós sabemos disso.

A origem é a vibração da energia criada para si pela emoção. É claro que sentimos emoções, mas gerimo-las com base no processo. Vocês não. Não a gerem. Vocês são erráticos com ela. Mas o resultado final é o mesmo. O processo é perfeito. Não se pode mudar o processo, não se pode alterar a perfeição do processo. Só porque se comportam de forma errática com as vossas emoções não significa que o processo não funcione. É a mesma coisa. É outra forma de chegar a uma posição. A posição é mais importante do que tudo. Estas são as coisas que precisam de compreender, precisam de compreender o processo. Não posso tornar isto mais claro para ti. Não há palavras, têm de o sentir, têm de o saber. Têm de eliminar o tempo, têm de eliminar a massa, têm de eliminar o volume. É verdade que os vossos grandes cientistas trabalharam connosco, da mesma forma que vocês estão a trabalhar connosco agora. Mas eles estão na vossa forma. Eles, tal como vós, não podem fechar completamente a porta, é impossível. Mas podem ter uma visão do processo.

(Excerto de sessão 34)

—-

A energia formar-se-á em massa. Existe também um padrão uniforme para a formulação da energia, das partículas, da frequência. Ela vai juntar-se em massa através do pensamento, através da emoção, mas vai sempre reequilibrar-se, mais e menos, para criar um equilíbrio. Mas vai passar por um processo de formação em massa. Com isto, quero dizer um desequilíbrio. Mas há uma razão para isso, uma razão definida. Pode dizer-se que uma máquina se vai reequilibrar. Ela reequilibra-se. Pode dizer-se que a natureza se reequilibra. E fá-lo-á. Não é possível fazer outra coisa. E, claro, com a vossa criação errática de frequências e pensamentos sem o conhecimento do que estão a criar, é necessário reequilibrar a energia. Mas isso não vos diz respeito. Vocês já estão cientes disso.

(Excerto de sessão 42)

—-

Não há energia desperdiçada. Não há desperdício. Outra palavra da vossa criação física, desperdício, não existe. Só existe energia criada por uma razão, formada por uma razão, transformada numa forma diferente de energia por uma razão, um padrão uniforme, uma razão, uma razão para te conheceres a ti próprio, conheceres-te a ti próprio, teres consciência do que realmente és. Expande a tua imaginação, expande a tua mente. Atravessa as pontes que precisas de atravessar. Não tenhas medo, o medo é a tua ilusão criada, não há nada a temer.

(Excerto de sessão 47)

—-

Não é da vossa conta o que está a acontecer no mundo físico que criaram. É insignificante no conjunto da consciência, no conjunto da energia. Têm de ser positivos. Mas têm de saber, não devem pensar que sabem, têm de saber. Há uma grande diferença entre pensar que sabe e saber. Há um padrão uniforme para isto. Podem pensar que não, mas existe. Há um padrão definido, um padrão perfeito.

(Excerto de sessão 49)

—-

Da mente para a imaginação, para a consciência, a fonte - isto é toda a criação -, este é o caminho. Ele já existe dentro de ti. O caos não existe, mais uma vez, uma palavra para compreenderes. É um padrão uniforme. A numerologia também é uniforme, assim como a engenharia genética, uniforme, assim como a construção biológica, uniforme, assim como as partículas. Tudo é um padrão uniforme criado através da vossa mente, sempre em expansão através dos vossos pensamentos, através da vossa mente.

A consciência metafísica é algo diferente, onde dois podem tornar-se um, mais uma vez através da escolha. Um é absoluto. Não existe nada para além do um na realidade. Fora da realidade, há dois e não há mais, dois sob a forma de muitas energias diluídas.

(Excerto de sessão 84)

—–

Não se prevê, cria-se. Não se lembram, a não ser dentro de um único foco de vida, não se lembram, criam. Criam dentro de um único momento, o que vos permite repousar num ponto, numa posição em que naturalmente se esforçarão por um ponto ou posição diferente quando se aperceberem de que alcançaram esse ponto ou posição em particular, até que eventualmente residirão em todos os pontos e posições que existem, dos quais só há um. E então saberás tudo.

E é isso que estão agora a tentar alcançar, passo a passo, embora não estejam a ir a lado nenhum. É um processo, é um processo perfeito, e é concebido por si, e é fabricado por si, e é levado a cabo por si, e é deliberado, e é preciso, e é exato, e é o que escolheu fazer.

E para compreenderes isto, tens de compreender o eu. Tens de te conhecer a ti próprio. Tens de saber o que és. Ao conheceres-te a ti próprio, conhecerás tudo e todos.

(Excerto de sessão 116)

—–

Atravessar a ponte

A imaginação da vossa mente é o mesmo que a imaginação da vossa consciência. É uma só. Mas a energia é aplicada de forma diferente. Uma não é menos importante do que a outra, apenas a aplicação é diferente. Uma pode tornar-se a outra se a vossa mente o permitir, o que muitas vezes não acontece. Assim, a energia é desperdiçada. É inútil devido à falta de aplicação. A consciência não precisa de aplicação, é automática. Por isso, é preciso fazer uma viagem, é preciso atravessar uma ponte. Para ter o seu valor, tem de atravessar uma ponte, enquanto a outra não precisa de atravessar uma ponte, é uma aplicação automática. Assim, é muito mais fácil criar com a imaginação através da consciência do que criar com a imaginação através da mente. Mas ambas são a mesma coisa. Espero que isto vos esclareça. Quando deixas o teu corpo, crias com a tua imaginação através da tua consciência porque já não és físico. Não faz sentido aplicar o seu condicionamento.

(Excerto de sessão 25)

—–

A consideração do homem sobre a sua própria capacidade, quando baseada puramente no controlo, é auto-ilusória. É o controlo da mente. A sua incapacidade de compreender que é a sua própria mente que o está a controlar e, em última análise, a criar muita energia que não atravessa a ponte para a imaginação, baseia-se no medo, medo de si próprio, medo criado a partir da sua mente. A energia criada de uma massa de energia negativa que não atravessou a ponte para a imaginação para se tornar uma energia, energia formada na mente, isolada da imaginação, da consciência, formada e mantida numa forma negativa, acabará por se equilibrar. Não há outra escolha senão a intervenção da energia positiva. O equilíbrio dentro de uma forma física tem de permanecer equilibrado, natural, o nascimento da energia da fonte. 

(Excerto de sessão 55)

—–

As energias negativas, que não são incorrectas, estão a trabalhar arduamente agora para criar muitas histórias confusas. É um processo natural que a vossa mente crie muitas histórias, muitas marcas criadas intencionalmente para confundir, para vos impedir de atravessar a ponte da mente para a consciência. E isto está ocorrendo em massa agora mesmo, no momento. Vocês podem mudar o momento. Podem mudar o momento quando estão conscientes do que está a acontecer. Cabe-vos a vós fazer isto. Devem lembrar-se que tudo está dentro de vós.

(Excerto de sessão 57)

—–

Então, como é que se atravessa a ponte da mente para a imaginação e para a consciência? Acredita-se que é uma viagem prática, olha-se para ela como se fosse para fazer. Não é para fazer. É um estado, é uma posição, é um saber. É um processo automático. Não é algo para fazer, não é uma aplicação prática. É algo que ocorrerá automaticamente quando estiveres consciente do processo. Quando vos digo que devem conhecer-se a si próprios, quando se conhecerem a si próprios, conhecerão os outros, e este processo será um processo natural, ocorrerá.

Está sempre a tentar criar uma lista de tarefas. Pensa que pode aplicar este processo elaborando uma viagem para fazer. A única viagem que precisa de fazer é tomar consciência de si próprio, tomar consciência do que é. Então não há viagem a fazer. Então não há nenhuma viagem a fazer. Aplica-se automaticamente à consciência é onde se chega num momento. É assim que se atravessa a ponte entre a mente, a imaginação e a consciência.

Vocês estão cientes de muitas situações dentro das pessoas com as quais escolheram se cercar, que, embora diferentes, essas situações são diferentes dentro do mundo condicionado que vocês criaram, elas são exatamente as mesmas. O fluxo de energia dentro delas é o mesmo que toda a energia que flui no mundo físico que vocês criaram. As vossas criações complexas permitem-vos, com a vossa mente, pensar que as situações são diferentes, mas não são, são exatamente as mesmas.

Baseiam-se na separação. Baseiam-se na formação da vossa perceção do negativo e do positivo. Este processo é desenhado por vós. É o mesmo processo em todas as situações que estão a observar. É um processo de separação, de uma energia para se tornar duas energias, para passar por um ciclo, para eventualmente se tornar uma energia, e essa é a energia da fonte.

A vossa confusão reside na complexidade de cada situação individual, quando a realidade é que se trata apenas de uma situação. Todas as situações são uma situação, são simplesmente uma energia da fonte. O vosso condicionamento irá impedir-vos consistentemente de compreender isto. Embora estejam lentamente a começar a compreender isto dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, é um processo lento, na realidade é um momento. E isto é aplicável a toda e qualquer situação que estejam a observar, dentro da ilusão criada pelo tempo em que estão, a vossa ilusão criada pelo tempo físico. Quando se conhecerem verdadeiramente a si próprios, mas não se conhecem, quando se conhecerem verdadeiramente a si próprios, saberão isto. E este é o ponto em que atravessarão a ponte da mente para a imaginação e para a consciência.

Questiona-se a si próprio. Questionas as tuas próprias decisões. As tuas próprias decisões são tomadas através da tua mente. É correto fazê-lo, a sua decisão vai levá-lo a atravessar essa ponte. Este é o vosso condicionamento, é baseado no medo, é baseado na culpa, é baseado no certo e no errado, é baseado no vosso julgamento dos outros. Têm de remover todas estas emoções que colocaram no lugar, e têm de compreender que não há certo ou errado no que estão a questionar. Têm de compreender que é um condutor, uma forma de energia que vos está a empurrar para a consciência, para vos permitir compreender. É correto que estejam constantemente a questionar, porque o vosso questionamento irá permitir-vos, irá forçar-vos a conhecerem-se a vós próprios, a saberem o que são. Têm de ser tolerantes com os outros, têm de ser pacientes. Têm de usar o amor da fonte para vos permitir fazer esta viagem à consciência, à realidade, à fonte. Assim, enquanto questiona a sua própria moralidade, está a compreender-se a si próprio através dos outros, porque é o mesmo...

Embora a vossa compreensão da física vos confirme as palavras que aqui são ditas, não vos permitirá atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência. É apenas um passo. É apenas uma parte do puzzle. Enquanto não completarem o puzzle, nunca estarão totalmente conscientes de tudo.

(Excertos de sessão 66)

—-

Conheces perfeitamente a palavra simplicidade. Compreendes perfeitamente. De facto, já disse muitas vezes a si próprio que se não for simples de compreender, não está correto. Usam este mantra muitas vezes na vossa vida física. O vosso condicionamento irá criar muitas histórias altamente complexas, isto é uma armadilha para vos manter dentro da vossa mente, para vos impedir de atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência.

A vossa abordagem analítica e lógica irá sempre confundir-vos. Embora nela se encontre a verdade, é também um método que o vosso condicionamento utilizará para criar confusão dentro de vós. Têm de estar conscientes disso. Por isso, enquanto tiverem um pé dentro e um pé fora, é muito difícil separarem-se. Não estão separados. Escolhem, através do vosso condicionamento, separar-se, e porque escolhem separar-se, permanecem na confusão.

(Excerto de sessão 67)

—-

A forma física é criada por ti. Tendes a capacidade, as ferramentas para criar tudo o que desejais criar, mas a verdadeira compreensão da vida, da existência, vai da mente à imaginação e à consciência.

(Excerto de sessão 87)

—-

Não permitirão que exista na vossa vida algo que escolheram originalmente antes de virem para esta vida. Por isso, o que a vossa mente possa pensar que querem, não o permitirão nesta vida escolhida de foco.

Não é nada para além de si que vai impedir que isso aconteça. Por isso, a vossa perceção de desejo, de necessidade, é exatamente isso, é um desejo mental, uma necessidade mental, não é o que escolheram no início desta viagem. Por isso, não vai acontecer com base no vosso livre arbítrio e no caminho escolhido. E é claro que a vossa frustração vos levará a querer e a precisar, a vossa mente, o vosso ego.

Neste momento, estás a viver muitas vidas diferentes. Estás dentro de todas estas vidas, tu és, tal como nós somos.
A prevenção faz-se através da escolha, da vossa escolha. A tentação é a vossa mente, o vosso desejo. Quando se tem consciência disso, pode-se atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência, e pode-se experimentar todas as vidas que se está a viver num só momento. Fazem-no subconscientemente, experimentam uma forma de vida diferente daquela em que escolheram concentrar-se. Fazem-no esporadicamente, fazem-no impulsivamente, mas não o fazem conscientemente. Transdimensional é a vossa terminologia, está correcta.

(Excerto de sessão 91)

—-

Lembrem-se, num só momento, tudo e todos são aplicados. Percebo que, com a vossa mente condicionada, isto é difícil de compreender, mas é correto.

A tua imaginação dar-te-á uma visão de todas as possibilidades, que são infinitas, e se atravessares a ponte da mente para a imaginação e para a consciência, completarás tudo e todos.

(Excerto de sessão 95)

—-

Enquanto aqui dentro não se está confuso, é claro, é preciso, enquanto lá fora se está continuamente confuso.

Não se esqueçam de que este é um processo necessário para vocês, pois foram vocês que o escolheram. Escolheram toda e qualquer parte da vossa formação física. Escolheram o vosso ego, escolheram a vossa mente. Programou o seu ego, a sua mente para fazer exatamente o que ela faz.

Portanto, nada disto é incorreto, é absoluto, é premeditado, é concebido desta forma por ti. Um é a Fonte, é você, é tudo.

Para compreender isto, é preciso atravessar a ponte entre a mente e a imaginação. Tens de compreender o poder da imaginação combinado com o poder da fé. Isto levar-vos-á a atravessar a ponte.

(Excerto de sessão 101)

—–

Todas essas histórias que criam com a vossa mente são insignificantes para o que é real. E tudo e qualquer coisa é real com a vossa imaginação e quando atravessam a ponte da mente para a imaginação, para a vastidão da criação, para a fonte, é quando sabem, e estão constantemente a fazer isso, e muitas vezes não têm consciência disso. Têm de estar conscientes, têm de o fazer conscientemente. Esta é a verdadeira criação, esta é a energia pura, é a raiz da energia pura, sem contaminação, sem interferência.

(Excerto de sessão 114)

—–

Luta, a luta que não é uma luta (1). Uma luta é interpretada por ti como algo completamente diferente. É egoísta, é do ego, da mente, do condicionamento. Não é uma luta, é uma mudança de energia, uma mudança de direção. É uma mudança interior, e o importante é o que se escolhe fazer. É um ponto, uma posição dentro da vossa vida, dentro de vocês. Não há luta, não há batalha. É uma transição de uma posição para outra, e é escolhida por si. A vossa interpretação da palavra luta é escolhida pelo ego, escolhida pela vossa mente, e todas as perguntas que fazem a vós próprios são baseadas no medo, um medo condicionado iniciado pela vossa mente, pelo vosso ego. E tens de atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência para te libertares da dor que escolhes carregar sobre ti. Isto é motivado pelo medo, é motivado pelo medo de se destruir a si próprio, quando, na realidade, isso é impossível.

(Excerto de sessão 120)

—–

A biblioteca

Para compreender as possibilidades e as realidades que podem existir, é preciso compreender um momento. Tudo e todos ocorrem num momento. Tudo e todos aconteceram e vão acontecer, têm e vão ter lugar, é um momento (1).

Assim, no vosso processo de pensamento linear, a vossa perceção de muitas coisas a acontecer, de muitas coisas a serem criadas, só pode perceber um pensamento físico de muitas coisas. Isto não está correto. O que acontece é que, num único momento, criamos, criamos uma formação física daquilo que pensamos, e isso não é criado até ser criado. O facto de tudo e todos serem possíveis é a razão pela qual já foi criado. O facto de ter sido criado na consciência não significa que esteja fisicamente formado. Só é criado fisicamente num único momento, mas ainda é criado, ainda foi criado. E esta é a vossa forma lógica de tentar compreender isto, estão, mais uma vez, a usar o tempo para racionalizar, para compreender isto, "foi, está a ser criado num único momento". Existe porque toda e qualquer possibilidade existe, mas não se formou. Portanto, não se forma até ao momento.

Isto não quer dizer que não se possa ver, que não se possa visualizar. Tem de atravessar a ponte entre a mente, a imaginação e a consciência, onde se transformará em realidade física, e isso acontece num único momento.

É uma biblioteca cheia de todas as possibilidades. Pode dizer-se que está dentro de um livro e que, enquanto não se ler o livro, não existe. Bem, existe porque é, está no livro, está escrito. Só existe para ti no momento ou na altura em que, dentro da tua ilusão criada pelo tempo, o leste. No entanto, o livro ainda está na prateleira da biblioteca, e é acessível a todos e a cada um. Dentro desta grande biblioteca existe tudo, toda a informação sobre tudo e podem aceder a esta informação num momento, e a escolha é vossa. Escolhem aceder a essa informação e, muitas vezes, dentro da ilusão criada pelo tempo, já escolheram o ponto em que acedem a essa informação. E dentro desta biblioteca, não precisam de ser membros porque esta biblioteca está aberta a tudo e a todos.

Não lhe vou dar um nome. Ao longo da vossa pequena história, muitas pessoas deram-lhe nomes, tornaram-na mística. Não é místico, existe, e é como criam, como formam energia de uma forma para outra.

Não é preciso ser especial para aceder a esta informação, é uma biblioteca aberta, está sempre aberta a todos. Só precisam de pedir, mas pedir com sinceridade, com sentido. E é aqui que, num único momento, aquilo a que chamam instinto ou pressentimento, é daqui que vem esta informação, e está dentro de vocês. É uma parte da vossa criação física da vossa mente. É uma ferramenta, outra ferramenta que usam quando estão a criar. E porque não compreendem completamente o tempo - esta criação ocorre num momento - e o vosso ego, a vossa mente, deseja separar isto em passado e futuro, quando na verdade só existe um, que é o presente.

Portanto, todas essas possibilidades já foram escritas. Elas já existem dentro desta biblioteca e estão todas acessíveis para si. O que é que isto significa realmente para si, nesta vida física em que decidiu concentrar-se, nesta ilusão criada pelo tempo em que se encontra? Significa que vocês estão absolutamente no controlo da vossa vida, do vosso destino, não do vosso futuro, porque o futuro não existe. Significa que escolhem o que querem aceder em qualquer momento. E vocês escolheram concentrar-se nesta vida, escolheram criar uma ilusão temporal, escolheram abrandar o processo para poderem finalmente compreender isto, para poderem compreender o que são.

E perguntam, perguntam sobre a biblioteca. Como é possível que todas estas coisas estejam a acontecer, mas não estejam? Não é uma contradição. Para compreenderem isto, têm de separar, têm de separar a vossa lógica física da vossa mente consciente. Ocorrer não é o mesmo que a vossa mente pensa que é. Ocorreu, aconteceu, não é o mesmo, um momento da criação, de tudo, de todas as coisas. É algo que a vossa mente, o vosso ego, não pode aceitar, não pode compreender. Isso é fonte, isso é energia pura e energia é o criador de tudo.

(Excertos de sessão 133)

—–

E isto é a experiência num único momento. A experiência é o que é, escolhida por si dentro de uma ilusão criada pelo tempo. Não podem imaginar a vossa capacidade de experimentar tudo e todos num só momento. E é isso que vocês fazem, e escolhem separar, separar com o tempo, e escolhem concentrar-se numa vida em particular. Não conseguem sequer imaginar a biblioteca de tudo e de todos. Nem sequer sabem como é que ela funciona corretamente, mas é isso que procuram compreender.

(Excerto de sessão 137)

—–

Porque tudo acontece num único momento, a informação já existe na biblioteca e acedem a ela num único momento. Mais uma vez, é difícil para vocês compreenderem, mas é absoluto. Compreenderão cada vez mais como isto funciona. Quando digo tudo, quero dizer tudo, tudo e tudo, está dentro desta biblioteca de informação. E esta biblioteca é criada por vós para guardar esta informação. É criada por vocês para acederem a ela num determinado momento à vossa escolha, a escolha é sempre vossa, não é de mais ninguém a não ser de vocês.

A vossa perceção do passado e do futuro, todas as vossas vidas passadas - que não são passadas -, estão dentro desta biblioteca de escolha. E a vossa compreensão de si próprios, o vosso tempo que criam, será o ponto em que acedem à informação que exigem saber. Mas não acederão a isso até que escolham aceder. Toda esta viagem é a vossa escolha, tudo o que está dentro dela é a vossa escolha, e podem mudá-la num instante, tudo e todos. E é o mesmo para tudo e todos dentro de uma criação física e também de uma criação metafísica.

(Excerto de sessão 139)

—–

E também é verdade, pelas perguntas que fazes, que não há mais nada para aprender, o que é que queres aprender? Bem, o que pensas que queres aprender, podes mudar num só momento. Portanto, não estão a pedir para aprender, estão a pedir o impossível, porque a escolha do que criam é vossa. Mudança, experiência, vida, tudo é escolha tua, tudo depende de ti, tudo é possível, tudo existe na biblioteca, e tu escolhes o livro que desejas ler dentro da ilusão que tens criado.

Seria esmagador para vós experimentar um momento enquanto estão sentados na ilusão que criaram. Mas planearam meticulosamente as vossas experiências, e armazenaram-nas na biblioteca a que acedem no momento em que escolhem aceder a elas, quando na realidade, podem aceder a tudo num só momento.

(Excertos de sessão 141)

—–

A vossa mente, o vosso ego, gosta de consumir e guardar dados, informação, história. Muitos problemas confusos são criados através da retenção de informação, através do armazenamento de informação. Na realidade, pode aceder à informação da biblioteca em qualquer altura que deseje. Não é necessário que a vossa mente se encha de dados e informações, pois eles já existem na biblioteca da consciência. É como um peso de chumbo nas vossas palavras, é como um peso de chumbo que vos vai segurar. Não há necessidade de criar uma biblioteca mental cheia de dados e é isso que o vosso mundo faz. Cria muitas bibliotecas independentes e agarra-se a esses dados como se fossem ouro, mas não são, não são necessários, são confusos. Tudo e todos podem ser acedidos num único momento, não é necessário transportar essa informação num armazém carregado. Isso é medo, o medo que é criado pelo homem, o medo da perda da mente, da perda do ego, e o desejo constante de criar mais e mais confusão, mais dados, mais informação.

Quando perderes este fardo da mente, este fardo do ego, saberás verdadeiramente o que és. Nunca estiveste sem tudo e todos, todo o tipo de informação e dados, já está dentro de ti. Mas será usado como uma ferramenta para vos levar a compreender isto. Por isso, nada disto é incorreto, como vocês o chamam, é correto, é muito simples, é um processo simples para compreender o eu.

(Excerto de sessão 142)

—–

Condicionamento

Somos ensinados a acreditar que é de uma maneira quando, na verdade, é completamente o oposto. O vosso condicionamento vai impedir o vosso desenvolvimento, vai dificultá-lo, vai atrasá-lo.

Serão sempre atraídos de volta ao vosso condicionamento como uma zona de segurança, uma rede de segurança. A sua própria insegurança fá-lo-á regressar uma e outra vez ao seu condicionamento, ao seu próprio medo. Repetirá este processo muitas vezes até estar plenamente consciente de que é apenas um processo.

(Excertos de sessão 2)

—–

As únicas limitações que impões a ti próprio, são as tuas limitações. Avalia-se a si próprio, julga-se a si próprio, detém-se. Deixas que os outros influenciem as tuas decisões. Porque é que faria isso? Pergunte a si próprio porque é que faria isso? Quando sabemos a resposta, sabemos sempre a resposta, mas continuamos a permitir que isso aconteça, porquê? Da mesma forma, não pode julgar os outros, nem limitá-los, nem controlá-los, eles também são como você.

Não há limites para a tua capacidade. Tu é que te limitas a ti próprio.

(Excertos de sessão 5)

—-

Controlo. Estão sempre a jogar estes jogos no vosso mundo. O vosso condicionamento é necessário para avançarem e elevarem a vossa frequência. Mas para se aperceberem disso, têm de se libertar do vosso condicionamento. Chamam-lhe desapego. Não é desapego. Não estão a desprender-se, estão a juntar-se. Estão a juntar-se à fonte, ao caminho de regresso. Nós também estamos na mesma viagem, o caminho de regresso. Não estamos a separar-nos, estamos a juntar-nos - as suas palavras novamente -. É tão difícil, mas por vezes é necessário separarmo-nos para aprender. Mas vocês não se estão a separar (3).

Sei que por vezes não gostamos da mudança em nós próprios. Sentem-no, o medo de se libertarem do vosso condicionamento. Não tenhas medo. Não há necessidade de ter medo. Não há nada a temer. É apenas um avanço de si próprio. Não julguem o vosso condicionamento. Há uma razão para ele existir. Tu escolheste-o por essa razão. Tu é que o escolheste.

(Excerto de sessão 14)

—-

Quando se tem aquilo a que se chama uma experiência fora do corpo - nós vivemos assim permanentemente - tem-se o desejo de regressar rapidamente. Temem estar fora do corpo durante longos períodos de tempo. O vosso desejo de regressar é muito forte, de regressar à vossa vida condicionada. Pode viajar no espaço e no tempo para qualquer posição quando tem uma experiência fora do corpo, mas o seu condicionamento impede-o de o fazer.

(Excerto de sessão 15)

—-

Dei-vos tanta informação e, no entanto, acham que é demasiado simples. Isso deve-se ao vosso condicionamento. Anseiam por complicações. Anseiam por dados, por informação. Como espécie, nunca deixais de ansiar por dados e informação. Os dados e a informação são inúteis sem sabedoria. Não se pode aplicar. Eles andam de mãos dadas. Os dados por si só não têm significado, são fúteis. É apenas um instrumento para criar sabedoria. O conhecimento, os dados, a espécie humana anseia por tanta informação, criando maquinaria altamente tecnológica, biologicamente tecnológica, para se enredar na sua própria criação, quando na verdade a resposta não está na criação da espécie humana. Está na consciência de si próprio. Isto é puro, isto é uma emoção pura de pensamento. Isto é a fonte, o amor da fonte, todo-abrangente.

Preferia não lhe dar pormenores, mas posso fazê-lo se o desejar. É totalmente desnecessário. Nomes, damos nomes a tudo. É uma emoção, já o disse antes, constrói-se uma história à volta dela, enreda-se nela. É totalmente desnecessário. Isto é o que tu fazes. Isto é o que a vossa mente faz, o vosso ego. Se eu vos der a informação, o que é que vão fazer com ela? Vais, vais tentar provar, provar que eu existo. Porque é que faria isso? Tu sabes que eu existo. Sou igual a ti. Depois de provares isso, o que fazes com essa informação não é nada. Não há nada que possas fazer. Tu já sabes. Então, qual é o objetivo? Satisfaria a tua intriga? Será que isto funciona? Não, não funcionaria. Satisfaria a vossa sede de sabedoria? Não, não satisfaria. Está a receber sabedoria. Não há necessidade de vos confundir. É claro.

(Excerto de sessão 22)

—-

No vosso mundo condicionado, medem tudo em termos de tamanho, grande, pequeno, intermédio. Isso não existe. Mais uma ilusão criada por vós. A massa, vocês medem-na em massa, em volume, por isso todos os universos do mundo só criariam um grão de areia em todas as vossas praias, e nem sequer isso. Por isso, também é importante que compreendam a massa. Tamanho, não existe tamanho no mundo metafísico. Ele não existe. Tu és uma partícula minúscula, minúscula, num universo cheio de partículas infinitas. Isto também se relaciona com um momento, um tempo, sem tamanho, sem massa, sem volume. A tua forma pode mudar a qualquer momento, e muda a toda a hora, constantemente. Embora tenham criado muitas formas, muitas formas não são formas. Estas são as coisas que terão muita dificuldade em compreender devido ao vosso desejo de ter tamanho e volume, massa.

(Excerto de sessão 31)

—-

Devem deixar de tentar aplicar a vossa lógica a todas as situações, a vossa lógica condicionada. É impossível. Não funciona. Claro que funciona na sua ilusão criada, mas não é real, não é correcta. Têm de usar a vossa imaginação para criar fora desta lógica que estão sempre a aplicar, a vossa vida condicionada. Têm de usar a vossa imaginação para criar. Podem criar o que a vossa lógica vos dirá que são as coisas mais loucas, e não são. Não existe nada que não possas criar.

(Excerto de sessão 32)

—-

Não se deve perguntar, não se deve estar sempre a fazer perguntas tão práticas. Não é necessário. As vossas perguntas nascem do vosso condicionamento (1). Têm de usar a vossa imaginação. Têm de pensar fora da caixa, das vossas palavras. Devem pensar sempre fora do que é a vossa perceção de normalidade, porque muitas vezes é aí que está a resposta, não no vosso mundo condicionado e isolado. Muitas pessoas vivem numa caixa, e não vêem nenhuma saída, nenhuma porta, nenhuma janela, nenhuma luz. Tu não vês. Por isso, abram as asas, voem alto, usem a vossa imaginação para irem onde quiserem ir, para o que quiserem criar. Usem a vossa imaginação porque tudo e todos existem para vocês. Não há caixa. Ela não existe. É uma ilusão...

Sim, estão a ser criadas muitas caixas. Muitas prisões. Podemos vê-las como um mosaico de rectângulos unidos. Uma prisão, uma prisão para homens. Os indivíduos criaram a sua própria prisão e estão a juntar a sua prisão à prisão de todos os outros. Podeis ver (2). O círculo, a esfera não se pode juntar, não se pode juntar com outro tão facilmente. Um átomo, uma molécula, não tem necessidade de se juntar, já é um só.

(Excertos de sessão 37)

—-

Devem ter em atenção que, devido ao vosso condicionamento, irão aplicar muitas coisas no processo. Branding, naming, crachás, vão sempre querer fazer isto.

Há sempre uma necessidade, através do vosso condicionamento, de aplicar marcas, distintivos, histórias, nomes. Não há nada. É uma forma pura de energia. O processo está definido. O resultado é uma escolha vossa. A marca e os nomes do vosso condicionamento vão confundir-vos. Vão confundir a vossa viagem. Inibir-vos-á. São criados pelo vosso ego, pelo vosso medo, pela vossa obsessão de possuir, de rotular. Isso não existe. É a vossa ilusão, o vosso medo. Tens razão quando dizes que é pura energia com que lidamos a todos os níveis, por isso deves rejeitar os nomes, as marcas e os sistemas que crias. Isso irá inibir o vosso crescimento.

A consciência é uma forma pura de energia. Não tem bloqueio. Não tem paragem. Ela não cria um bloqueio para si mesma. São vocês que fazem isso dentro do vosso mundo condicionado, do vosso eu condicionado. Não existe o bem. Não existe o mau. Há apenas formas de energia positiva e negativa. Ambas são necessárias para o vosso crescimento, para a vossa iluminação, para a vossa consciência. Se criarem uma marca, é aqui que vão viver. Se criarem uma história, é aqui que vão viver. Têm de elevar a vossa vibração acima disto para compreenderem o que designam por física, energia, vibração, frequência. Têm de se elevar acima de qualquer tipo de história que é criada pelo homem, por vocês próprios, pelo vosso condicionamento.

(Excerto de sessão 43)

—-

O condicionamento vem da mente. Não vem da consciência, nas vossas palavras, da alma. Muitas vidas passadas de condicionamento criam muita confusão. É muito difícil separar-se dessas vidas para chegar à realidade da consciência. Há muitas razões para isso. Vocês escolheram este caminho, escolheram esta viagem.

(Excerto de sessão 49)

—-

A vossa confusão está no vosso condicionamento. Não precisam de se preocupar com isto, é necessário. É necessário para vos forçar a uma conclusão ou posição diferente dentro de vós. Está correto. A vossa frustração reside nisto. O vosso raciocínio lógico condicionado é a causa disto. Os vossos medos criados são a causa disto. É mais fácil dizer para remover o medo, mas é difícil aplicar isso dentro do vosso condicionamento. Isto é necessário. Dá-vos uma posição diferente, uma perspetiva diferente, uma compreensão diferente daquela que o vosso condicionamento aplicou.

Estão agora a comparar o metafísico e o físico. E através da vossa comparação, chegarão a uma conclusão. Este é um processo necessário. É por isso que vos digo que é para ser...

O que consideras importante não o é. Mas, claro, quando estiveres lá fora, não vais ouvir essa frase. Não saberá dentro de si que isso é correto porque está condicionado. És uma máquina condicionada. Condicionou-se a si próprio...

O maior fator de controlo do vosso condicionamento é o medo. Sem a energia da fonte, sem a energia pura da fonte, não compreenderia o medo. Não saberia o que ele é. Vocês escolhem conhecer o medo. Escolhem criar o medo. Escolhe entrar no ciclo para voltar à fonte. Não há nada a temer, é a vossa ilusão criada. Ela vai reequilibrar-se. Não tem escolha...

De cada vez que nos encontramos, isto torna-se mais claro para ti. Escolheram estar aqui, por isso é importante que vivam aqui. Escolheram concentrar-se aqui, por isso é importante que se empenhem naquilo que escolheram. E voltarão sempre ao vosso condicionamento. É o vosso condicionamento que vos vai forçar a tornarem-se mais conscientes. É meramente uma ferramenta dentro do processo.

(Excertos de sessão 51)

—-

Estão a ficar menos confusos. Não estão a permitir que o vosso condicionamento interfira tanto com a vossa viagem. Isto é correto. Embora também seja um processo natural que voltem ao vosso condicionamento, mas é necessário racionalizar e compreender que se trata apenas de condicionamento. Não se pode eliminar o condicionamento. É impossível. Mas podes reconhecer o que é. Podes aplicá-lo de uma forma diferente. Podem aplicá-lo de uma forma diferente, estão a aplicá-lo de uma forma diferente através do reconhecimento de que ele existe dentro de vocês. É o que criaste, e criaste-o por uma razão específica. Este é o padrão uniforme de que vos falo sempre: sem coincidências, a razão da existência de todos, de um.

Chegará um ponto, uma posição em que já não será necessário analisar. Já não terá de comparar ou racionalizar. Chegará uma posição dentro de si onde saberá. Não usarão mais as palavras manipuladoras que criaram dentro do vosso condicionamento, elas não serão necessárias. O vosso processo será iniciado puramente através das vossas emoções, das vossas frequências. As vossas criações serão produzidas através das vossas emoções e das vossas frequências. A vossa comunicação será dirigida através da emoção, da frequência.

(Excerto de sessão 52)

—-

É verdade que a vossa compreensão de tudo aquilo de que falo neste espaço irá libertar-vos. Também é verdade que nunca tereis uma compreensão completa disto enquanto estiverdes numa forma física. Isso é porque tendes sentidos físicos que são muito básicos. Isto deve-se ao facto de estarem condicionados. Estiveram condicionados durante muito tempo, naquilo a que chamam tempo, muitas vidas, milhares de anos naquilo a que chamam tempo.

(Excerto de sessão 55)

—-

Devem também lembrar-se de que não há nenhum sítio para onde possam ir, e não há nada que possam fazer. Deves lembrar-te que apenas -  e eu digo que apenas é difícil para si -, apenas tem de estar consciente. A experiência torná-lo-á consciente. O vosso condicionamento vai continuar a dizer-vos que têm de fazer. Não tens de fazer. Não é necessário. É necessário sentir o que sentes agora, como te sentes agora, como sabes agora.

(Excerto de sessão 57)

—-

Tens de remover todas as tuas histórias criadas. E têm uma história para cada parte da vossa vida física, uma história diferente para cada peça que criaram. As vossas histórias vão inibir-vos, vão atrasar-vos, vão impedir-vos de alcançar a posição que estão a tentar atingir. Têm de se lembrar, têm de estar conscientes de que são apenas histórias. Cada parte da vossa existência física tem uma história complexa e diferente. Vocês são todos um e cada um de vocês criou as suas próprias histórias complexas individuais para cada parte das suas vidas, para criar uma história mestre altamente complexa para o vosso mundo. E é tudo uma ilusão, que vos aprisiona a todos dentro dela. Têm de compreender isto. Têm de aceitar o que é. Têm de estar cientes disso, e têm de sair disso. Têm de olhar para ela a partir de cima e vê-la como ela é, e então estarão verdadeiramente livres do aprisionamento dentro dela.

(Excerto de sessão 59)

—–

Estão numa viagem fantástica. Não podeis imaginar o poder e o amor que é criado a partir da fonte. Não podem imaginar as vossas próprias capacidades. A profundidade das vossas capacidades é imensa. Mas vocês restringiram as vossas capacidades. Permitiram que o vosso condicionamento fosse uma parte do processo que vos permitirá tornarem-se mais conscientes, mais iluminados para a consciência. É uma jornada incrível.

(Excerto de sessão 70)

—-

O espírito. O que é o espírito? Espírito é energia, é frequência, é emoção. Não há negativo ou positivo, não há bom ou mau, é a mesma coisa. Se quiserem colocar esta terminologia na vossa vida condicionada, se for isso que escolherem fazer, então, mais uma vez, podem separar as duas coisas. Podem dizer que isto é mau, podem dizer que isto é bom, mas é a mesma coisa e deve ser aceite como a mesma coisa. É a energia da fonte. Portanto, se quiserem julgar um espírito, se quiserem julgar uma entidade, essa é a vossa escolha, essa é a vossa criação. Quando verificam, é a partir do vosso interior que isso é criado, a verificação, não é real, é baseada no vosso condicionamento. Têm de ultrapassar isso e, claro, quando tiverem afastado o medo, o medo que criaram, usando a terminologia do bem e do mal, quando ultrapassarem isso, compreenderão o que vos estou a dizer.

(Excerto de sessão 90)

—-

Tudo o que tens de fazer é experimentar, criar energia, formar energia. A vossa interpretação de "fazer" baseia-se num princípio moralista de condicionamento. Não é correto, é condicionamento. Não existe energia boa ou má. É meramente formada por vós, criada por vós, criada por vós para se compreenderem a si próprios, para terem consciência de si próprios, para viajarem através da criação. Quando vos digo que não têm de fazer nada, isso baseia-se na vossa visão moralista do certo e do errado. Ireis experimentar tudo e todos. O fazer não tem qualquer relevância neste contexto. Vós ireis, vós sois, porque nós somos o mesmo.

A sua interpretação de nove é superior a um. Não existe mais alto. A vossa linguagem, mais uma vez, interpreta mal com emoção através do condicionamento. Não há mais alto, nem mais baixo, apenas um. É confuso quando crias um sistema numerado de criação física, podes ir de um e nunca parar de contar. O infinito, o infinito é um, nem superior, nem inferior, a mesma coisa.

(Excerto de sessão 94)

—-

É um processo necessário que o vosso condicionamento vos vai impulsionar. Forçá-lo-á, forçá-lo-á a tomar consciência, a saber, não a pensar que sabe, mas a saber.

(Excerto de sessão 98)

—-

Neste momento, está a debater-se com o que está certo, o que está errado, com a moral. Toda a base moral é condicionada pelo eu, palavras manipuladas para formular uma opinião. Não existe, na realidade, certo ou errado. Eles são a mesma coisa.

(Excerto de sessão 104)

—-

O vosso condicionamento exige uma compreensão simplista. Exige, exige paz. A paz não existe dentro do ego. Uma exigência após outra, enquanto uma é satisfeita, outra é criada. Isto é o ego, isto é a mente, a mente não é a fonte.

Enquanto tudo é criado a partir da fonte, a mente é criada por ti. Apesar de seres uma parte da fonte, criaste a mente, o ego, o eu, quando na realidade tudo é um.

É Deus, é a fonte, é o amor, é a alma, é a energia, é a vida. Não posso dar-vos mais do que aquilo que vos dou e o que vos dou é aquilo que têm a capacidade de compreender com a vossa mente, a vossa mente condicionada...

Perde-se no seu ego, no seu condicionamento. Também é necessário que se percam no vosso ego e nos vossos condicionamentos, é necessário que compreendam isto.

(Excertos de sessão 105)

—-

Quando nos agarramos a uma coisa com tanta força, já a perdemos. Foi-se embora, não existe. Só existe na vossa mente. Agarram-se à vida, à vossa vida condicionada, com tanta energia emocional, agarram-se a ela com tanta força, como se ela fosse tudo para vocês e não se apercebem que já se foi, que não existe. É a vossa mente a criar esta ilusão que tanto prezam.

(Excerto de sessão 106)

—-

Um pé na consciência e um pé no condicionamento é certamente uma viagem precária de compreensão. A vossa receção de informação, a vossa capacidade de ver o vasto mundo da consciência será recebida por vós como confusa, muitas vezes muito confusa, com base na vossa lógica do vosso condicionamento, da vossa mente condicionante. Têm razão em ignorar esta confusão, é confusão da mente, é confusão do ego. Não é confuso, apenas para a vossa mente. E até saberem, não sabem, isto também é correto.

(Excerto de sessão 110)

—–

O vosso condicionamento dir-vos-á, dirá - é uma palavra forte, quando na realidade não é nada -, o vosso condicionamento dir-vos-á que têm de ficar com ele. É uma ilusão criada. Estão a ouvir a vossa própria criação do ego, da mente. Tem de se elevar acima disso, tem de ouvir o seu eu interior, os seus verdadeiros desejos. O seu conhecimento interior nunca o abandona, ele é você, não a sua ilusão insignificante criada por si próprio.

(Excerto de sessão 111)

—–

Meditação

A meditação é uma forma pura de contacto com a fonte.

(Excerto de sessão 18)

—–

Por vezes, é bom que se isolem, para tomarem consciência do que são. A energia aqui é onde pode alcançar este lugar de auto-conhecimento. Isto não envolve comunicação connosco, envolve o vosso interior, o vosso eu interior. É um lugar calmo que também é necessário para vocês, um lugar para contemplar, para remover o vosso condicionamento do dia a dia. Tudo isso vem de dentro de si mesmo.

O silêncio não é, naturalmente, silêncio. É tudo, é tudo sem confusão, sem condicionamento. É neste momento que vão criar, e vão desenvolver a vossa própria consciência, o vosso próprio eu. Conseguirás isso também nos espaços naturais que criaste, que não têm outras energias, nem a influência de outras pessoas. A vastidão do espaço será vossa e só vossa.

É claro que é uma ilusão, mas é uma ilusão da vossa criação, que vos levará a uma posição diferente. Tudo é uma ilusão numa forma física, mas é a vossa ilusão, e é a vossa ilusão que vos permitirá progredir mais. Por isso, chamar-lhe-iam tempo fora, não é tempo fora, é tempo dentro, dentro do tempo gasto - uma palavra difícil outra vez, uma palavra ridícula -, mas é tempo gasto em si próprio, na consciência de si próprio. Está a comunicar consigo próprio, está a compreender-se a si próprio durante o tempo que passa sozinho. Não estás isolado, estás ligado à vasta consciência, estás isolado com o condicionamento, estás ligado à consciência quando te desenvolves, é o completo oposto do que pensas que é.

(Excerto de sessão 53)

—-

A meditação é uma ferramenta que utilizarás não para esvaziar - é impossível - esvaziar a sabedoria e o conhecimento que possuis dentro de ti, mas é uma ferramenta que utilizarás para te iluminares, para te lembrares. Sem a confusão da sua vida condicionada, colocar-se-á numa posição, uma posição que lhe permitirá recordar, compreender a consciência, iluminar-se.

(Excerto de sessão 74)

—-

O vosso desejo de despertar o conhecimento e, através desse conhecimento, a sabedoria que está dentro de vós, continuará a ser um desejo até serem capazes de saber, de serem capazes de consumir a vastidão da consciência. Permanecerão numa caixa até serem capazes, até terem a capacidade de aplicar, de aplicar conscientemente esse conhecimento. Não é possível colocar-se numa posição, numa posição de conhecimento da vastidão da consciência, se não tiver as ferramentas para poder aplicar essa posição. O processo pelo qual estão agora a passar permitir-vos-á ter esse conhecimento, ser capaz de se adaptarem à vastidão da consciência, da energia-fonte. Mas não podeis fazer essa viagem enquanto não souberdes em que é que ela consiste. É por isso que é um processo passo a passo. O despertar é um processo passo a passo. Enquanto o tempo não existir, isso ocorrerá num momento. Há muitas coisas que não sabem e há muitas coisas que vos vão confundir. A interferência, senti-la-iam como interferência, não conseguiriam distinguir entre interferência e um, quando, de facto, é um. Muitas dimensões, dimensões infinitas, muitas coisas ocorrendo num momento, muitas possibilidades seriam demais para vocês consumirem num momento.

A meditação é uma forma simplista de dissecar, de permitir que esta sabedoria, este conhecimento se liberte lentamente para que possa experimentar. A vossa mente é uma caixa. O vosso ego é uma caixa. Escolheste esta caixa e escolheste libertar-te dela. Mas não é uma jornada simples. Embora na realidade seja simples, não é simples para vocês. Estão a usar as ferramentas do aprisionamento para tentar compreender a liberdade da consciência, o que em si mesmo é uma contradição, no entanto é uma necessidade. Um pé dentro e um pé fora é uma viagem muito difícil. Enquanto um contradiz o outro, em última análise é a mesma coisa. E a vossa mente, o vosso ego, lutará sempre pela supremacia para permanecer na caixa, e foi isso que escolheram...

Comunicaram com outras energias, e é correto dizer que há dois tipos de comunicação. Um é transmitir para que possas compreender. Uma é para transmitir e outra para receber. Embora a conclusão seja a mesma, ambas são necessárias. No vosso mundo de separação, a meditação é para receber, a oração é para transmitir. Isto é correto. Enquanto durante as duas, ambas ocorrerão. Mas há uma aplicação definida. Há uma intenção, por isso ambas são necessárias para o vosso despertar.

(Excerto de sessão 79)

—–

É o foco da vossa mente. É a vossa mente dentro deste espaço que se concentra num momento, num ponto, numa posição, e é a vossa capacidade de se concentrarem neste momento, neste ponto, que permite a clareza e isso é meditação. É a clareza da informação por causa do foco num momento, num ponto. É para isso que se usa a frequência, um único ponto de clareza.

(Excerto de sessão 115)

—–

A simplicidade é necessária para que não se enredem na lógica física. É necessário que compreendam que na consciência existe uma fonte. Não é complicado, e encontrarão esta simplicidade na meditação, neste espaço em que escolheram entrar. É aqui que vão compreender. É aqui que saberão. E esta é a razão pela qual estarão aqui.

(Excerto de sessão 116)

—–

Medo e controlo

Tens de relaxar agora. É tão simples. Há apenas o amor, a luz e a paz da fonte. É tudo o que a fonte conhece. É brilhante. Sempre soubeste isto. É a própria razão pela qual estão nesta jornada. São atraídos para a fonte como todos nós somos, como toda a vida é. Não precisam de ter medo. Não precisam de ter medo. Não há nada a temer. O medo é uma criação vossa, faz parte do vosso mundo, do vosso mundo de muitas pessoas, de vocês, outra distração, outra ferramenta que usam para se distraírem. Não há necessidade de ter medo. É uma energia poderosa, uma energia desnecessária. Desnecessária no metafísico, não desnecessária no físico. É diferente. Não precisa de ter medo. Está a aproximar-se.

(Excerto de sessão 21)

—-

É uma ocorrência natural, a sua capacidade emocional de criar distracções para si próprio, a sua mente, muitas emoções diferentes. A emoção mais forte é o medo. Dir-se-ia que é menos, mas não é. É um equilíbrio, um equilíbrio necessário.

(Excerto de sessão 22)

—-

O controlo tem o seu efeito no medo. Cria-se o medo e permite-se que ele controle. É muito simples. Talvez não tão simples na prática, mas muito simples na realidade. Nós estamos para além disto. Não o compreendemos no nosso mundo. Nós sabemos. Por isso, aplicamos o que sabemos, sempre. Aplicamos o que pensamos que sabemos, e aplicamos o que sabemos. Caos, confusão, loucura. Mas também necessário para a vossa viagem. Por isso, não há certo, não há errado, há apenas o que se aplica. No final dessa jornada, há sabedoria e conhecimento que vêm de dentro. Por isso, tens de experimentar tudo e todos.

(Excerto de sessão 26)

—-

Muitas vezes somos colocados numa situação em que podemos sentir medo. Também é necessário que sintam o medo, mas é necessário que saibam que é apenas medo, um sentimento, uma emoção, uma frequência. Uma vez conscientes disso, o medo não vos pode magoar ou deter. Está protegido. Pode adaptar-se de acordo com isso e pode erradicá-lo. Mais uma vez, simples, mais difícil na prática para si e para a sua vida condicionada, muito mais difícil para si aplicar o princípio, o processo, mas é necessário que o faça.

Muitos já não sentirão o medo, e o resultado é irrelevante para vós. Pode ser relevante para os outros, mas torna-se irrelevante para si porque erradicou o medo. É como um contrapeso de frequência de energia. Tu és pura energia. É isso que tu és, energia pura da fonte. É a mesma mensagem, mas dita de uma forma diferente. Pode parecer-vos repetitiva, mas não é. De cada vez, aprenderão mais. Irão notar mais de cada vez até que eventualmente saberão. Saberão o suficiente. Nunca saberão tudo até serem metafísicos.

(Excerto de sessão 27)

—-

Se têm medo de alguma coisa, então não é correto para vocês. Não é correto ser controlado pelo medo. Têm de eliminar o medo da vossa vida para poderem crescer e tornarem-se mais conscientes. Não devem permitir-se ter medo. Eu sei que isto é difícil para vocês porque surgirão situações dentro desta ilusão que vos farão sentir a emoção do medo. Têm de suprimir a emoção do medo. Ela vai impedir-vos de criar. Impedir-vos-á de estarem conscientes. O medo vem de dentro de si próprio. Vocês criam o vosso próprio medo, ele não é criado pela fonte, apesar de ser uma parte da fonte. Enquanto sentirem a emoção do medo, a energia que o medo cria, nunca serão capazes de mudar a vossa posição. A vossa energia é altamente formada, por isso podem aplicar tudo aquilo de que falamos.

(Excerto de sessão 36)

—-

Não há necessidade de ter medo. O medo é uma energia necessária criada por si no mundo físico. É novamente necessário para vos impulsionar para a consciência, um processo pelo qual passam, um processo de medo e depois de consciência. É o vosso processo criado. Não existe medo. Ele não é real. É uma ilusão. Tens de eliminar completamente o medo. Toda a energia é criada a partir da fonte. O medo é uma energia vibracional necessária que se adapta ao mundo físico em que se encontra. É uma ferramenta.

(Excerto de sessão 43)

—-

O vosso condicionamento irá iniciar dentro de vós o medo. Tens de ultrapassar o medo. Tem de se erguer acima do medo. Depois de o terem feito, podem então aplicar energia positiva. Não podeis aplicar energia positiva enquanto estiverdes numa condição de medo. Têm de aceitar e compreender a emoção, a frequência do medo. É preciso saber o que ele é. Uma vez conscientes do que é, já não tem qualquer valor para vós. Será afastado de si.

(Excerto de sessão 44)

—-

Não tenhas medo. A energia do medo é o que vos impede de criar. Não tenhas medo de nada, não há nada a temer. A tua vida é eterna. É infinita. O vosso medo vai restringir-vos, vai aprisionar-vos.

(Excerto de sessão 49)

—-

Não te envolvas no medo. Não te permitas ter medo, não há nada a temer. Existe apenas a fonte, e tu és uma parte dela.

(Excerto de sessão 56)

—-

O vosso medo da morte também é uma ilusão. Não se pode destruir a energia. Ela pode mudar de uma forma para outra, mas é impossível destruir a energia. Portanto, a morte é uma ilusão. E o medo é o que controla a tua mente, e o teu medo da morte vai impedir-te de atravessar a ponte da mente para a imaginação e da imaginação para a consciência...

Não há uma pergunta que não possa ser respondida. Não há segredos. Nós não entendemos a palavra segredo. Os segredos são criados por vós para controlar, por causa do vosso medo. Têm de eliminar completamente o medo da vossa vida. E, claro, criaram a vossa ilusão por uma razão, por isso, também têm de experimentar a vossa ilusão.

(Excertos de sessão 61)

—-

A energia que vos retém é a energia do medo, o medo da perda, o medo da condenação, o medo da morte. Mas isso é uma ilusão, não tens nada a temer. Medo da separação, vocês não estão separados, são um só. Não têm de temer o que está a acontecer no mundo que criaram, não é um problema. É necessário. E a formação em massa de energia positiva, o que vocês chamam de energia positiva, irá reequilibrar. Tem de haver um equilíbrio dentro do mundo físico que criaram. A própria base do mundo físico que criaram é o equilíbrio, um equilíbrio de energia. Pode dizer-se que é um equilíbrio de energia de cinquenta por cento. E é impossível que isso não ocorra dentro do tempo que vocês também criaram, mas ocorrerá num momento. Não podem apressar este processo dentro da ilusão de tempo que criaram, isso só vos vai confundir. A frustração irá conduzir-vos. Digo-vos para removerem o medo dentro da posição em que se encontram, precisam de remover o medo. Há muitas posições para muitas pessoas e o medo é necessário como força motriz de energia, mas não é necessário para si.

(Excerto de sessão 65)

—-

Enquanto estiveres numa forma física, nunca conseguirás eliminar completamente o medo, mas podes compreender e ter consciência da energia que ele produz. Seria uma contradição dizer que se pode eliminar completamente o medo. Ele existe por uma razão específica. Mas não seria contraditório dizer que se pode compreender essa energia. Podemos controlar, podemos manipular esta energia, porque podemos. Toda a energia pode ser alterada de uma forma para outra. Nunca pode ser destruída numa forma física. Nunca pode ser destruída numa forma metafísica.

(Excerto de sessão 77)

—-

Quanto mais caos através do medo criarmos, mais nos afastamos daquilo que já somos.

(Excerto de sessão 88)

—–

O medo será sempre a energia aplicada que vos atrasará na vossa ilusão criada pelo tempo. Têm de trabalhar mais para remover todo o medo da vossa vida. O medo é criado pelo ego, pela mente. Não há nada a temer, nada mesmo, tudo está correto, até a vossa interpretação do mal está correcta. Tudo foi criado a partir da fonte, tudo é a mesma energia, um só, e finalmente um só de amor. Todos os caminhos levam à fonte, não há caminhos incorrectos, não há incorreção, ela não existe, saiba disso, sinta isso.

Os vossos debates centram-se frequentemente em torno do que é correto e do que é incorreto, do que é bom e do que é mau. Isso não existe. É uma ilusão criada pela vossa mente, pelo vosso ego, saibam isto. Tudo é um, vocês são todos e vocês são um, a mesma coisa.

(Excerto de sessão 112)

—–

Devem eliminar todos os sentimentos negativos da vossa vida e o maior sentimento negativo de todos é o medo. Têm de eliminar o medo na sua totalidade da vossa vida. O medo é a origem do ódio, o medo é o criador de toda a negatividade, é a origem da raiva, é a origem do ciúme, é a origem de todas as frequências negativas e o amor é a energia esmagadora de tudo. É a fonte.

(Excerto de sessão 117)

—–

Se te preocupas com o que os outros pensam de ti, então o teu medo vai impedir o teu crescimento. É irrelevante o que os outros pensam, os outros são você. Não é o que eles pensam, é o que tu pensas, é a mesma coisa. O medo deles tornar-se-á o teu medo, e isso impedirá o crescimento, o desenvolvimento, e manterá o apego, o apego ao medo. Estamos apenas a indicar-vos a forma como isto funciona. É assim que funciona, nós também estamos a aprender convosco, a lembrarmo-nos de vós. É benéfico para ambos, porque ambos são um só.

Você está exatamente onde escolheu estar. Tudo e todos estão dentro de um momento e é a perfeição, é correto. E é a vossa escolha, e é a nossa escolha. E se aplicarem o negativo, se aplicarem o medo, isso vai impedir o vosso despertar, o vosso crescimento. Se aplicarem o positivo, se aplicarem o amor, isso vai acelerar o vosso crescimento, vai mudar a vossa posição.

Não temam nada, não há mesmo nada a temer e vocês são uma forma pura de energia, são uma parte da fonte, tal como todos nós, e tudo é criado a partir da energia da fonte. É tudo a mesma coisa.

(Excerto de sessão 119)

—–

São capazes de processar tudo e todos num só momento e já viveram isso, vivem isso. Vocês estão, sentem isto, estão a ver isto através da vossa energia vibracional, através do vosso estado emocional. Estão conscientes disso agora. Podem imaginar como é difícil para todos os que vivem na vossa ilusão criada no tempo experimentarem o mesmo, mas eles estão, eles podem, eles fazem. Mas raramente se permitem expor a realidade que desconhecem. Isso é devido ao medo, medo da destruição da sua ilusão e medo do que está para lá disso. Através dos seus próprios medos, recusam-se a despertar o eu interior, o amor. Porque tudo acontece num momento, eles despertam interiormente, mas dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, de que alguns despertam mais depressa do que outros, mas isso é uma ilusão construída por vós.

(Excerto de sessão 121)

—–

É bom que gozes contigo próprio durante esta viagem que criaste. É necessário, é energia positiva. Enquanto observam as vossas experiências, é bom gozarem com elas.

O vosso mundo adopta uma abordagem séria, e esta é formulada através do medo, através do medo de si próprio, através do medo dos outros, quando na realidade é o mesmo, apenas um. Digo o vosso mundo, porque é o vosso mundo separado, o vosso mundo escolhido, separado.

(Excerto de sessão 122)

—–

Agora estão verdadeiramente conscientes do poder do vosso ego. Estão conscientes do poder do vosso condicionamento, da vossa programação. Apesar de estarem conscientes de muita coisa - muito mais conscientes do que a maioria -, é aqui que geram o vosso medo, é aqui que o vosso medo vem, vem do ego. O seu medo de perder o controlo, o seu medo de estar num espaço onde abdica de todo o controlo, é o controlo do seu ego que está a abdicar.

E é por isso que gosta de se rodear de pessoas do mundo material. Na verdade, tem medo de si próprio, tem medo de si próprio, tem medo da libertação de si próprio. É por isso que não gosta de entrar neste espaço sozinho, porque agora tem de se confrontar consigo próprio, com o desconhecido. Não é desconhecido, está dentro de si, é o que você é, e nunca foi outra coisa senão isto. E isto é um marco para ti, é uma posição, uma posição diferente para te tornares mais consciente.

Não há nada a temer. O medo é criado pelo vosso ego, é criado por vocês, pela vossa mente. Não há nada a temer e há uma oportunidade infinita de saber, e de saber o que tu és, uma forma pura de energia é o que tu és. E aqui, neste espaço, podem sentir isso, experimentar isso...

É uma bela jornada que escolheram e que se tornará mais clara para vocês agora que removeram outro medo da vossa vida, que é o medo de si próprios. O medo daquilo de que é capaz, já o eliminou. A coragem é conduzida pelo medo e termina com a sabedoria. Mais um despertar do que já sabias.

(Excertos de sessão 123)

—–

A liberdade não tem preço, a liberdade não tem preço, e tu não és livre. Não são livres porque não se permitem ser livres. Vivem com medo, medo de tantas coisas que criaram dentro da ilusão em que vivem e a única forma de se destacarem é eliminarem todo o medo. Não existe um medidor para o medo, não existem medos superiores ou inferiores. O medo é medo, é negativo. Embora seja correto para o desenvolvimento, é negativo. Não há pequenos medos ou grandes medos, o medo é a mesma energia produzida por ti.

Se aproveitassem simplesmente as palavras que acabei de dizer e soubessem verdadeiramente o que estou a dizer e se adaptassem esta filosofia à vossa vida, esta realidade à vossa vida, então a vossa vida mudaria totalmente.

E é verdadeiramente uma compreensão simples, não há nada de complexo nisto. Tudo pode mudar num só momento, tudo está ligado.

(Excerto de sessão 126)

—–

Remova o medo da sua ilusão. Apliquem energia positiva em todas as partes da vossa ilusão. E ao fazerem isto, sairão da vossa ilusão e compreenderão completamente a consciência, a energia da fonte, o amor. A vossa ilusão é conduzida pelo combustível do medo, e vocês têm de a conduzir com o combustível do amor. Apenas têm de mudar a formação da energia. Através do pensamento positivo, através da criação de energia positiva, mudarão tudo, e quando digo tudo, quero dizer tudo, um, porque um é tudo, e tudo é um.

Permita que todos os seus medos entrem e saiam. Não os capturem dentro de vós, não os dominem, não permitam que eles vos afectem. Não impeça que eles ocorram dentro de si, por isso deixe-os passar. Reconheça-as, aceite-as e deixe-as desaparecer. Não lutem contra elas, é apenas uma ilusão, não as desafiem. Permitam que se dispersem, que entrem e saiam, que entrem e saiam, e crescerão, e tornar-se-ão conscientes do que são, que é uma forma pura de energia, pura, lembrem-se, pura.

(Excerto de sessão 137)

—–

Many, within a moment, do not ask these questions. Through fear, they do not ask, fear of what they believe, belief of what they believe is the unknown. Well, there is not a single thing that is unknown, and all of the answers lie within, you merely need to ask the question.

(Excerto de session 144)

—–

Dor e tristeza

Vejo que concluíram que não há muito mais que vos possa dizer. Esta é a vossa fantasia. A vossa viagem ainda agora começou. Há muito mais que te posso dizer, mas há muito que não vais compreender. Posso dar-vos uma ideia, mas é tudo. Nunca compreenderás completamente.

Continuará a sentir a sua dor. Tens de te lembrar que escolheste sentir essa dor (2). A dor é uma ilusão. É a tua ilusão. Não é apenas a dor das pessoas por quem sentes a dor, é também a tua. É a vossa, é a deles, é a nossa, é a dor de todos. É a mesma coisa. É uma emoção, é uma frequência. Devem lembrar-se que quando sentem a dor, ela é apenas uma ilusão, a vossa ilusão. Nós sentimos a dor, e sabemos o que é. Vocês não sabem. É difícil, eu sei, para vocês separarem as duas coisas, sentem-na tão profundamente que vos corta como uma faca. Mas é apenas a vossa ilusão. A dor, da forma como a interpretas, não existe. Não é real. Tens de permitir que os outros passem pelo seu processo. Não pode forçar a mudança ou interferir na sua jornada. Isso irá inibir o seu crescimento. Só pode aconselhá-los sobre os factos, o processo. Guiá-los. Não pode interferir. Não podem interferir nem mesmo naqueles que consideram ser os mais próximos, as pessoas com quem escolheram existir por uma razão. E a razão é tanto vossa como delas. Não são elas, és tu também. É a mesma coisa. Sim, eu sei, dói. Escolheste estas pessoas por uma razão, e quando sentes a dor, é essa a razão. É correto, é necessário. É necessário compreender o processo, para que não seja mau como tu dizes. É bom, é crescimento para si e para eles, é real. Sim, agora compreendes. Agora estão num sítio que é limpo. É claro. Mas lá fora confundem-se com a vossa própria viagem, a vossa própria emoção, a vossa própria produção, a vossa própria criação. Não fica claro. Tens de aprender. É preciso aprender a separar, a analisar, a adaptar, um processo, simplesmente um processo. Isso não significa que não tenhas emoções, não significa que não tenhas amor. O único amor que é importante na vossa vida é o amor da fonte. É mais puro. É energia pura...

Não se comportem como uma criança com uma mentalidade infantil de bem e mal, de julgamento. É ridículo. Mas voltarás a isso uma e outra vez. A vossa visão infantil dar-vos-á conforto. Não é um conforto real, é uma ilusão de conforto. Este é o processo. Também é correto, sim. Como pode ser correto quando o sentimento é tão doloroso? Mas é correto. É correto analisar e compreender porque está a acontecer, como está a acontecer. Em cada situação é diferente. Tem um conjunto de frequências de emoções associadas. Nem sequer consegues compreender quantas. Mais do que podes imaginar, ver ou saber. As complexidades que construíram no mundo em que vivem são intensas, incríveis. Mas a resposta é simples, tão simples que está debaixo do vosso nariz, e vocês nem sequer a vêem. Uma solução tão simples para um problema tão complexo que vocês escolheram. Nós não temos esse problema que vocês têm. Nem sequer compreendemos a palavra problema. Temos de interpretar a palavra para vós. Nós sabemos, mas precisamos de saber mais, tal como tu, precisamos de saber mais. Nós somos iguais. Somos um só. Mas precisamos de saber mais, tal como tu precisas de saber mais.

(Excertos de sessão 27)

—-

Para si, é um processo doloroso (1). A dor é a vossa ilusão. É a vossa ilusão criada através deste processo. É a vossa mente que recebe a dor, que cria a dor por que passam. Dirias, bem, para remover a dor, remove-me do físico. Isso não é correto. É um processo necessário que tens de suportar. Tu escolheste-o. Escolheste fazer isto. Escolheste passar por este processo outra vez. Escolheu-o de novo. Não o fizeram uma vez, fizeram-no muitas vezes. E de cada vez escolhem voltar e fazer a mesma coisa de novo sem as memórias do processo anterior. Compreendemos perfeitamente o processo, mas não compreendemos porque é que o repetem vezes sem conta.

(Excerto de sessão 51)

—-

A dor não existe. É outra ilusão que criaste dentro das muitas ilusões que criaste. Só existe amor. Vocês separaram-se deliberadamente da fonte, do amor. Criaram o negativo, a vossa interpretação do negativo. Vocês partiram nesta jornada para retornar, mais uma vez, à energia da fonte e tomaram conscientemente esta decisão de seguir este caminho, de experimentar esta jornada. É inteiramente sua escolha como uma forma pura de energia. Mas é apenas uma ilusão.

(Excerto de sessão 86)

—-

E a vossa interpretação da dor, não há dor, é experiência. E essa experiência vem sob a forma de muitas reacções emocionais, da sua perceção do bom e do mau, que são iguais, sem julgamento...

É muito difícil para vós compreender que a dor é um progresso, mas é um progresso e não é uma dor.
O que criaste com o teu ego lutará constantemente pela sua própria sobrevivência, quando na realidade é a tua própria ilusão. Não tenhas medo, não há nada a temer, não lutes, não há nada a lutar, estás a lutar contra ti próprio.
A tomada de consciência disto libertar-vos-á. Não és livre por tua própria escolha.
O amor é tudo o que existe, é a fonte, Deus.

(Excertos de sessão 100)

—–

O erro não existe. É definido, é predeterminado por ti, é absoluto. As tuas palavras são enganadoras, e o engano nasce da tua mente, do teu ego. Tens de experimentar tudo. A sua interpretação da dor e do prazer, mais uma vez, não é correcta. A experiência é o que é, tens de experimentar tudo e todos para te tornares consciente do que és. A tua mente dir-te-á que não gostas da dor, mas não é dor, é experiência. A vossa mente e o vosso ego estão a operar a partir de um reino físico. Um reino físico é um reino ilusório. Pode ser equiparado a um estado de sonho. A calma, o conhecimento de que acordarão disto, o que chamariam de pesadelo, acordarão e perguntar-se-ão como puderam pensar que era assim.

(Excerto de sessão 112)

—–

A tristeza que sentes, é um reflexo de ti próprio (2). É uma tristeza para todos, é uma tristeza para o vosso mundo, mas vocês criaram isto. E é caloroso, é tristeza dentro de si próprio. Quando sente tristeza pelos outros, é um reflexo da tristeza por si próprio, porque são a mesma coisa. Eles são você e você deve aprender a amar a todos, sentir amor por si mesmo e sentir amor por todos porque tudo é um, é um, é o mesmo e tudo pode mudar num único momento.

Levantem, levantem, da escuridão para a luz, levantem a energia. Não há tristeza, ela não existe, é a vossa ilusão criada, é o Eu. É a energia da fonte, como tudo.

(Excerto de sessão 115)

—–

Força

As palavras, a vossa tendência para traduzir as palavras, a vossa perceção de uma palavra combinada com a energia que ela produz, é tão variada. Tantas interpretações das palavras, interpretadas pelo recetor, dadas pelo emissor da palavra, transmitidas de uma forma específica e interpretadas de outra forma específica. Dependendo do emissor e do recetor, há muitas palavras no nosso vocabulário que interpretamos mal. Uma dessas palavras é força. O que é a força?

Alguns interpretariam a força como a capacidade de destruir fisicamente o outro. Há quem interprete a força como amor, a capacidade de transformar o outro. Estamos apenas a discutir a energia, estamos apenas a falar da simples transmissão, receção e interpretação da energia. A palavra força é mal interpretada pela vossa espécie tantas vezes, em tantos cenários.

A verdadeira força está na capacidade de perdoar, na capacidade de amar. Isto ultrapassa todas as energias negativas, todas as emoções negativas, enquanto a vossa mente e o vosso ego vos dirão que a força reside na capacidade de destruir, de vencer, de ganhar, qual é a questão? O que é que estão a ganhar quando participam na batalha que criam, o que é que estão a ganhar? É o vosso ego, é a vossa mente e qual é a energia que criam quando vencem desta forma? É a energia do ego. Está completamente isolada dentro de si, não tem para onde ir. Não tem outra forma para além do eu, não ressoa na consciência como um só. Egoísta é o que é, este não é o significado de força, embora seja o significado que adoptaram no mundo em que vivem. O verdadeiro significado de força é a capacidade de amar. É a capacidade de se mover em direção à fonte, de ser tolerante, de perdoar, de compreender, de estar consciente, de saber. Esta é a força na sua forma mais verdadeira. Mas é apenas uma palavra, como já vos disse muitas vezes, é de pouca importância, uma palavra, mais a energia por detrás da palavra quanto ao método de transmissão, o verdadeiro significado da palavra.

(Excerto de sessão 126)

—–

Saber

Lembrem-se que, com todas as emoções de todas as pessoas do vosso mundo, a contaminação cruzada será muito frequente na Internet. Imaginem as emoções, imaginem a massa de emoções que é transcrita e que vocês recebem. Têm de saber se algo é real ou não. Têm de saber. Sabem mesmo.

(Excerto de sessão 14)

—–

O saber é muito mais importante do que as emoções que são transmitidas. Saber não é pensar que se sabe. Saber é saber, conhecer a fonte interior. A diferença entre a vossa mente e a vossa consciência é que a vossa mente não sabe. A vossa consciência sabe. Ela sente. Este é o fator decisivo para si. Têm ambas, gostaria de dizer que estão em guerra uma com a outra, mas isso não é correto. A harmonização é a capacidade de discernir entre os dois, de compreender, de saber, de conhecer a razão pela qual tens de passar por este processo. A iluminação é a capacidade de ser capaz de separar e compreender a razão, de saber a razão.

(Excerto de sessão 23)

—-

A tua paciência por vezes falha-te. Está a melhorar. Tens de compreender que precisas de te conhecer a ti próprio. Precisas de te compreender a ti próprio. Sem conhecer o eu, não saberás. Conhecendo-se a si próprio, saberá tudo. Cada indivíduo que conhecerás, porque é igual a ti, repito de novo a mesma coisa. Parece-vos interminável, como se estivessem à espera. Não está. É um momento de realização, é um instante. Não há tempo, e esse momento é infinito, eterno, por isso a vossa impaciência é uma criação da vossa mente.

(Excerto de sessão 24)

—-

Nunca se deve pensar que se sabe, é preciso saber. Quando se chega ao ponto de saber, já não há razão para questionar. Este é o vosso livre arbítrio. Esta é a vossa liberdade. Esta é a verdadeira interpretação do livre arbítrio...

Há uma grande diferença entre saber e pensar que se sabe. O sentimento de saber é absoluto. Esta é a energia da fonte.

(Excertos de sessão 43)

—-

O conhecimento é instantâneo. Está dentro de um momento. É tudo e tudo num só momento. E numa forma metafísica, numa forma pura de energia, compreenderão isto, mas enquanto permanecerem no vosso condicionamento, é uma confusão para vocês. Têm, dentro do vosso condicionamento, de se condicionar a compreender isto, a ter consciência disto. Sem essa compreensão, considerar-se-ão loucos, mas não são loucos, estão apenas confusos...

(Excerto de sessão 67)

—-

A vossa mente está contente num estado de confusão, num estado de confusão desconectado, desconectado da consciência. Vou recordar-vos que não devem permanecer num estado de confusão. Recordo-vos que têm de aprender a separar o vosso ego, a vossa mente, da consciência. É muito difícil fazer isto enquanto vivem numa forma física, num reino físico. É difícil por causa do positivo e do negativo. É difícil para ti separar a mente da consciência. É difícil porque elas são a mesma energia. São criadas a partir da mesma fonte. Manter um pé dentro e um pé fora, nas vossas palavras, é um processo incrivelmente difícil e vocês escolheram fazer isso. Escolheram experimentar isso. O que é correto é uma frequência, um sentimento de saber. É assim que se separa. Separam o saber do pensar que sabem. Quando aplicam o pensamento e a lógica, isso não é correto. Não sabe. O seu ego, a sua mente está a tentar aplicar a lógica para dar sentido ao seu sentimento. Sabe ou não sabe. Não há meio termo. Claro que, da forma como construiu a sua mente, a sua mente dir-lhe-á que tem de aplicar a lógica para perceber se está correto ou incorreto. Não existe o correto ou o incorreto. Existe apenas o saber. A vossa mente é uma ferramenta incrivelmente poderosa, e foi criada por vós por uma razão específica. Foi criada por vós para suportar as batalhas que estais a suportar, para passar por um processo, para compreender, para finalmente compreender a consciência. Não pensem que irão compreender imediatamente tudo o que ouvem ou tudo o que pensam que sabem sobre a consciência, porque a vossa mente irá constantemente puxar-vos para trás. Milhares de anos de condicionamento vão fazer-vos recuar constantemente, vão fazer-vos questionar e, enquanto permanecerem numa forma física, vão continuar a repetir este processo porque é um processo natural. Está definido, por isso não lutem contra ele. Deixem-no fluir e diferenciar entre o que é correto e o que não é correto. Sigam o vosso instinto de saber que isto está correto. Alguns escolhem vir para esta vida sabendo mais do que outros. Alguns escolhem não saber de todo. Alguns escolhem fazer esta jornada e nunca saber. Tu escolheste compreender o processo. Isto é tudo o que tens de fazer. Isto é consciência.

(Excerto de sessão 68)

—-

Para compreenderes a consciência, tens de saber, tens de sentir, tens de sentir a energia dentro de ti. Isto não são palavras. As palavras podem ser interpretadas de qualquer maneira que as recebam. Como recetor, tu interpretarás as palavras. A vossa mente interpretará as palavras de uma forma diferente. A fonte é tudo o que existe. Não há mais nada. Ela é tudo. É você. Não vos separamos de nós, mas para vossa compreensão, somos nós, sois vós, é tudo. É um só. É um e é tudo e todos.

Quando experimentares o mundo físico que criaste, compreenderás melhor a fonte, compreender-te-ás melhor a ti próprio. É importante conheceres-te a ti próprio, conheceres-te a ti próprio, porque então conhecerás tudo, e tudo é um. Não há nenhuma história por detrás disto. É simples. Não podes criar uma história com o teu condicionamento. É assim.

(Excerto de sessão 69)

—-

Há tantas possibilidades que ocorrem num só momento e pode escolher o caminho que tomar. Seja o que for que a sua mente lhe atire, criará uma história. Vai seguir esse caminho. Quanto mais forte ela se tornar, mais se sentirá atraído por ela. Não há nada a temer. Tudo e todos são possíveis. Quando se atravessa a ponte da imaginação para a consciência, é claro, é preciso, é a energia que existe dentro deste espaço. É então que se sabe. E enquanto no mundo físico se sabe e depois não se sabe, se sabe e depois não se sabe, repete-se este ciclo vezes sem conta até que finalmente se sabe. A posição, dentro da posição, que escolheram para se concentrarem, dentro do ponto na esfera, escolheram para se concentrarem.

(Excerto de sessão 71)

—-

Durante o tempo que escolheram para existir dentro de vós, para se lembrarem dentro de vós, terão constantemente um sentimento instintivo do que é correto. Tens de aproveitar isso. Não devem permitir que o vosso ego, o vosso condicionamento, rejeite este sentimento instintivo de saber. Tens de aproveitar, utilizar e crescer. 

(Excerto de sessão 74)

—-

Saber não são palavras. O saber é uma energia vibracional. Saber é indiscutível. Acreditar é questionável.

(Excerto de sessão 76)

—-

A vossa imaginação criará muitas diversões e histórias para pacificar a sua existência. Mais uma vez, isto é confuso para si com base na lógica do condicionamento. Mas quando atravessam a ponte da imaginação para a consciência é quando tudo se torna mais simples e claro para vós. O vosso, como vocês chamariam, instinto é clareza, é claro, é saber. Este é o ponto da posição que se atinge quando se sabe. Quando não se sabe, quando se assume uma vida condicionada, uma razão condicionada, é quando não se sabe. É importante que separe a sua mente, o seu ego, da sua consciência. E vai testar-se constantemente sobre isto, e testa-se constantemente sobre isto. É impossível não se pôr à prova. Um pé dentro, um pé fora, nas vossas palavras, é onde habitam, é o que escolheram fazer. Um pé dentro, um pé fora não significa os dois pés dentro - está nas vossas palavras -.

(Excerto de sessão 85)

—-

Uma palavra interessante que criaram é problema. Não existe problema na forma como interpretam esta palavra que criaram. Um problema não existe. Já vos disse antes que criam um problema para resolver um problema. Isto é o ego, isto é a mente; e tens de usar a tua imaginação, tens de usar a tua imaginação para pensar como seria o teu mundo sem problemas, sem a capacidade de criar um problema para resolver um problema. Os vossos pensamentos iniciais da vossa mente iriam perceber que este é um mundo muito desinteressante. É apenas desinteressante com base na forma como a vossa mente funciona. Saber é uma coisa completamente diferente. O conhecimento dá-lhe acesso a tudo e a todos. Um problema restringe o seu acesso. Um ciclo de criar para resolver restringe o seu acesso. Saber é um cenário completamente diferente, do qual tem consciência, mas não pratica, conhecer-se a si próprio, conhecer a fonte. Conhecer-se a si próprio permite-lhe conhecer os outros. Conhecer-se a si próprio é conhecer a fonte, pelo que a remoção do seu ciclo contínuo de criar um problema, resolver um problema, criar um problema, resolver um problema. É um ciclo sem fim, um ciclo infinito dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. A compreensão disto irá libertar-vos deste ciclo. Irá impulsionar-vos para um ponto diferente, uma posição diferente na esfera, uma posição de conhecimento. Irá abrir a quantidade infinita de oportunidades de compreensão que se encontram dentro do mundo que criaram, dentro de todos os mundos. Irá remover o tempo completamente, irá dar-vos acesso a todas as dimensões. Isto é saber. Enquanto estiverem ocupados a resolver e a criar problemas, não estão a saber.

(Excerto de sessão 93)

—-

E quando acordares do teu sonho ilusório condicionado é quando saberás.

(Excerto de sessão 104)

—-

Quando se sabe, sabe-se, não há perguntas a fazer. Não há lógica a seguir, é definitivo. E tens de saber e, se te conheceres a ti próprio, conhecerás os outros porque eles são iguais a ti. Repito mais uma vez, a mesma coisa.

É correto que flutuem entre a mente e a imaginação. É correto criarem porque ao criarem serão atraídos para mais perto de um, da fonte, de Deus. E haverá um ponto, uma posição onde saberão, e isto é o que escolheram fazer, ambas as energias escolheram fazer dentro do espaço. E saberão que escolheram conscientemente fazer isso. Não pensarão mais, saberão.

E quando estiveres no mundo da consciência, aperceber-te-ás da pequena ilusão em que te tens concentrado. Uma pequena viagem, uma pequena parte do que é para si um mundo fenomenal. Mas já sabeis, está dentro de vós, e sempre esteve dentro de vós, num momento. O homem, tu, todos escolheram fazer esta transição do não saber para o saber, deliberadamente, conscientemente escolheram a viagem para a consciência para um, para a fonte.

(Excerto de sessão 110)

—–

Aplica a fé, aplica o amor, aplica a imaginação, experimenta o eu, rejeita o medo, e então saberás.

(Excerto de sessão 114)

—–

O saber elimina a necessidade de saber, torna-se, é, um. Já não é saber, é absoluto, sem dúvida, puro, que é o que tu és, uma forma pura de energia, é simplista sem complicação. E tens de compreender que o saber é uma posição, o saber absoluto sem necessidade de saber.

Naturalmente, achas que um pedaço de erva deve saber? Achas que tem vontade de saber? Não tem, existe, é, e é tudo o que tem de ser. Isto, nas vossas palavras, é utopia, isto é liberdade, um momento, um lugar, que são todos os lugares e todos os momentos.

(Excerto de sessão 122)

Dinheiro

O dinheiro é a sua criação, a sua ilusão, o seu medo. O seu medo de não ter dinheiro obriga-o a criar dinheiro. Na metafísica não há necessidade de dinheiro. Vocês criaram este sistema e vivem dentro dele. É um ciclo de medo. A vossa viagem é para o compreenderem. Não o compreenderão se não participarem nele. Portanto, a questão é: é errado ou é certo querer criar dinheiro? (1) Para si, é certo, embora não haja errado ou certo. Está certo dentro da vossa ilusão. É correto que participem em todos os aspectos da ilusão que criaram. Esta é a única maneira de compreenderem porque é que a criaram em primeiro lugar. Não há certo ou errado, mais uma vez digo-vos o mesmo. Não há julgamento. Só há experiência, só há criação. É importante que se conheçam a si próprios para compreenderem isto. Este é o vosso desenvolvimento, o vosso crescimento, a vossa experiência.

Podem pensar, enquanto estão na vossa ilusão, que o dinheiro é importante, com base no facto de terem criado essa ilusão. Mas, claro, não é. Mas é necessário que participem. Essa é a razão pela qual estão aqui neste mundo, e cada um de vós está numa fase diferente da vossa jornada de compreensão. Tudo acontece por uma razão. Não pensem que não acontece.

Estão plenamente conscientes das consequências da criação de finanças, boas e más. As energias de controlo no vosso mundo estão a ficar mais poderosas. Não é realmente uma preocupação vossa, mas irá ter um efeito. Vai mudar de direção. Este processo tem estado a fluir durante muito tempo, naquilo a que chamais tempo. Muito pouco mudou no que diz respeito ao tipo de energia que é projectada. Não é novo, mas também é necessário. Dentro de um período de três anos daquilo a que chamais tempo, o vosso mundo será irreconhecível para vós. Mas, mais uma vez, isso não é uma preocupação para vós. A origem do controlo é o medo do Homem, da vossa espécie. O medo. O medo de não estar no controlo, a sua própria criação, a vossa própria criação.

Não intervimos. Não podemos. Sabemos que é incorreto. Não podemos, não o faremos. Podemos orientar, podemos dizer-vos o que sabemos. Não podemos intervir, isso vai prejudicar-nos.

(Excerto de sessão 26)

—-

Não precisam de criar histórias sobre a energia que investiram no vosso mundo físico, a energia do dinheiro. É uma energia. É uma força motriz. As histórias que criam sobre o bem e o mal, sobre o certo e o errado, são criadas pelo vosso ego, pela vossa mente. É como toda a energia, meramente uma energia, que é toda a energia, que é a mesma coisa. O investimento vem da vossa mente.

(Excerto de sessão 79)

—–

O dinheiro tornar-se-á insignificante para vós. Não tem qualquer relevância, mais uma vez, outra ilusão, uma ilusão condicionada.

(Excerto de sessão 90)

—–

Ouro

Há anos que misturam compostos químicos naquilo a que chamam tempo. Este é o mesmo processo, a junção de energias diferentes para criar uma energia diferente dos dois compostos que misturam. Esta é a formação física da criação metafísica. A forma original de energia pode ser pura, como o ouro é puro, uma forma pura de energia. Esta é a vossa atração humana. A vossa atração física pelo ouro deve-se ao facto de ele ser uma forma pura de energia da criação física. Embora não estejam totalmente conscientes da atração, esta é a atração. Está num estado puro de energia física.

(Excerto de sessão 46)

—–

Cura, Cura com cristais

Quando se pensa em cura, fala-se dos poderes curativos dos cristais. Por exemplo, os cristais emitem uma forma pura de energia, e recebemos essa energia dentro de nós porque é pura, é simples, é curativa. Mas cura a um nível emocional e energético de frequência. É por isso que funciona. As vossas emoções criam o processo de cura do físico porque é uma forma simples e original de energia, uma forma pura de energia. Não é complexo de entender. Mas no vosso mundo condicionado, é difícil para vocês aplicarem isto. Com o vosso condicionamento, esqueceram-se do que estas formas básicas fundamentais de energia pura são capazes de fazer na vossa vida. Bloqueiam-nas através do condicionamento. Não permitem que a energia faça o processo que precisa de fazer dentro de vocês devido ao vosso condicionamento. As vossas doenças são criadas por vocês mesmos devido ao vosso condicionamento, devido ao que acreditam ser correto quando na verdade é apenas a vossa ilusão. Existem muitas formas de cura que podem ser adaptadas ao vosso ser físico, mas vocês negam-nas devido ao vosso condicionamento.

Tens de atravessar essa ponte. A ponte existe. Têm de a encontrar e têm de a atravessar. Têm de a atravessar da vossa mente para a vossa imaginação, onde encontrarão esta forma pura de energia, a mesma forma de energia que existe no local onde estão agora sentados. Ela é pura, é simples. Não está contaminada com muitos, muitos tipos de energias malucas que vocês criam. Só é necessário que compreendam este processo. Podem não aplicar o processo sempre, mas é apenas necessário que estejam cientes de que ele existe. Se aplicarem certas partes do processo, como o processo de cura, então isso irá aumentar o vosso bem-estar físico. Mas o seu bem-estar físico, a sua máquina, é apenas uma máquina que transporta a sua consciência. Não vale a pena ficar obcecado com a máquina. É o metafísico que é importante, não a máquina. Por isso, é necessário que compreendam este processo. Não vão aplicar este processo de cura através do desespero. Estão para além disso no vosso processo de pensamento, ao passo que muitos o farão e muitos o fazem, por medo do fim desta vida. Este processo, eles aplicam-no através do medo. Tu não vais aplicar através do medo. Podem candidatar-se através da intriga, mas não através do medo. Não é necessário que o faças.

(Excerto de sessão 46)

—–

Da mesma forma que inspiramos e expiramos, retiramos do ar o oxigénio que é necessário para o nosso corpo consumir, para sobreviver, e expiramos todas as impurezas que não são necessárias para o nosso corpo sobreviver, curamo-nos da mesma forma. Por vezes, é necessário exalar todas as impurezas que armazenámos mentalmente em nós próprios, em todas as coisas que consumimos, que vimos, que levámos. É preciso purificar a mente, é preciso expirar todas essas impurezas, essas confusões.

Embora na sua essência não sejam maus, são apenas um reflexo do mundo que criaram à vossa volta. É necessário que exalem, que removam, que vos dêem clareza de compreensão de vós próprios, clareza de conhecimento. Nunca saberás enquanto estiveres a viver nesta confusão mental. Precisam de exalar esses pensamentos, esses sentimentos. Isto é energia e a energia é consumida e exalada por vós.

E quando se sentam neste espaço, é isto que estão a fazer, estão a purificar. Está na origem da criação de energia. Está a purificar-se a partir do seu interior para obter a clarificação do pensamento. Inspirar e expirar, é um filtro, um filtro mental, é um processo metafísico.

Todos estes processos existiram e existem num único momento da vossa vida, das vossas muitas vidas.

É importante alcançar a clareza no vosso processo de pensamento. É muito fácil perdermo-nos na imensidão da autoestrada da informação, da autoestrada da energia que existe dentro de tudo e de todos. A clareza que recebem dentro deste espaço não é a mesma que a informação que recebem fora deste espaço. E isto é o que chamaríamos de cura, um processo de cura da mente, um processo de cura muito necessário da mente.

Todas as doenças físicas são criadas pelo eu, pela mente. Todos os cenários são criados pelo eu, pela mente, pelo ego. E, finalmente, todos os processos de limpeza são criados pelo eu, pela mente, pelo ego. E esta é uma aplicação física, uma conclusão física criada através da entrada de energia e da saída de energia.

Uma vez que esteja plenamente consciente deste processo, pode limpar-se conscientemente a partir do seu interior. Não é mais complicado do que isso. É mais um passo para saber o que realmente somos. Conhecer a teoria de tal não é necessariamente ter a capacidade de a aplicar. Tem de ser praticada, tem de ser activada, é uma aplicação prática. Muitos conhecem a teoria, poucos praticam a aplicação. Não tem outra escolha senão ser bem sucedido, é ciência, não é mística.

E vocês têm a capacidade de mudar tudo dentro de uma forma física, incluindo a vossa própria construção física. A vossa construção física é o vosso código genético, e através da energia, através do pensamento, estão constantemente a alterá-lo num único momento. Tudo o que consomem, incluindo a vossa ingestão de alimentos, também tem uma construção genética. E também terá um papel a desempenhar na vossa construção. Mas com o poder do pensamento, pode alterar este processo da forma que desejar. E se aplicares pensamentos negativos, é assim que vai mudar, e se aplicares pensamentos positivos, é assim que vai mudar, e isto é absoluto...

Cura-te a ti próprio e cura os outros porque é a mesma coisa. E quando fores curado, os outros também o serão, porque eles são tu. E como já vos expliquei muitas vezes, um é tudo, tal como todos são um. E não podem sequer começar a imaginar como, enquanto durante este processo, curaram tanto. Não posso explicar-vos isto de uma maneira que compreendam, apenas têm de ter a energia da fé, que é o que fazem, para compreender isto, mais para o sentir...

Têm de se curar a si próprios - enquanto se sentam num mundo físico confuso, o mundo em que se estão a concentrar. Têm de aplicar a cura de si próprios a partir de dentro e, ao fazê-lo, manterão a posição e a concentração.

Não existe realmente uma palavra como sanidade, mas para vocês, eu vou usar esta palavra. Manterão a sanidade, e avançarão, avançarão dentro da luz e do amor da energia fonte, e este é o vosso foco, este é o vosso caminho.

(Excertos de sessão 128)

—–

Lei da Atração

Pelas leis da atração, as pessoas, a consciência, serão atraídas para si da mesma forma que você será atraído para elas da mesma forma, mais uma vez, uma parte da sua criação, do seu desejo, do seu conhecimento, da sua escolha.

(Excerto de sessão 38)

—-

A lei da atração é um reflexo do espelho de si próprio. Sentir-se-á sempre atraído por entidades ou pessoas que são relevantes para a posição em que se encontra no momento, naquilo a que chama tempo, em que se encontra. Também pode ser atraído por certas entidades, certas pessoas, pelas quais acha que não deveria ser atraído. Isto irá criar mudanças na vossa vida. Há uma razão específica pela qual escolheram ser atraídos por essas pessoas ou entidades antes de começarem a vossa viagem. Isto irá confundi-lo, sabendo que essas entidades ou pessoas não são iguais a si. Mas há uma razão específica para as escolheres. Mas a lei da atração, o semelhante atrai o semelhante, é por uma razão diferente. A vossa viagem é uma viagem de descoberta, de iluminação, de tomada de consciência. Por isso, as pessoas serão atraídas por si da mesma forma. É uma viagem de experiência...

A lei da atração definirá, definirá a sua energia e a sua direção. Permitir-vos-á serem livres, livres do isolamento ou do que a vossa perceção de isolamento é. Não existe isolamento. Não estão sozinhos. Vocês são um só. É apenas a vossa perceção de isolamento, o vosso medo do isolamento, escolhido no mundo físico em que vivem, escolhido deliberadamente para expandir a vossa consciência.

(Excertos de sessão 39)

—-

Não têm de se preocupar com a vossa atração por certas entidades e seres. Eles serão atraídos por vós como nós somos, como nós somos um. É um padrão uniforme de atração de frequência, de energia, que é natural, um processo natural que não pode ser desviado. O vosso ego exige que forcem isto. Não é real, é o vosso ego. Irá acontecer naturalmente, tal como tudo irá acontecer naturalmente como um curso. Não há razão para se preocuparem ou se preocuparem com o facto de não ir acontecer. Já está a acontecer para si. É um curso, um fluxo, um processo natural.

(Excerto de sessão 41)

—-

A lei da atração continuará a criar, a criar, quanto mais receber, mais criará. Isto é energia, frequência derivada daquilo a que chamamos as nossas emoções. Não existe uma forma correcta ou errada, existe apenas energia.

(Excerto de sessão 49)

—-

Estás aqui para te lembrares. Estão aqui para se lembrarem e, através da lembrança, ficarão mais perto da fonte.

O semelhante atrai o semelhante por uma razão, e a razão é porque vocês escolheram as energias com que se rodearam antes de entrarem neste ciclo de vida, neste curto período de um momento. Escolheram-nas para se poderem lembrar.

Não é tão simples como pensam com a vossa mente lógica, mas é basicamente o que pensam que é. O mesmo tipo de energia será atraído, formará uma massa de energia, considerando negativa e positiva, não boa e má, mas negativa e positiva. Esta é a razão para a formação de massa de energia no mundo físico em que vocês escolheram existir. Esta é a razão pela qual vêem o que estão a ver agora a acontecer. Todas as energias que vos rodeiam agora, vocês escolheram estar à vossa volta por uma razão específica - isto aplica-se às duas energias dentro deste espaço -, para se lembrarem, para se lembrarem do que são, para compreenderem o puro, o ciclo, o processo.

Cada indivíduo, porque o vosso mundo condicionado vai separar-se, cada forma individual de energia que vos rodeia agora, foram vocês que escolheram, e eles também vos escolheram pela mesma razão, para se ajudarem a lembrar. Por isso, não são tão diferentes como possam pensar que são, são iguais, tal como eles são iguais, tal como nós somos iguais.

Cada forma de energia, cada forma complexa de energia tem uma razão, uma razão definida, um padrão uniforme. O que vos parece complexo não é complexo.

Muitas das energias que estão a experimentar agora na vossa vida física já foram experimentadas muitas vezes antes, por muitas razões diferentes. Embora possam não pensar assim, estas energias também estão a trabalhar no positivo. O papel que elas escolheram desempenhar neste mundo físico que vocês criaram é o de serem forçadas a pensar positivo, a gerar pensamento positivo. Elas são iguais. Nem todas são iguais, mas associadas a vós são iguais. Estão todos a ajudar-se uns aos outros, embora alguns estejam numa posição diferente, num ponto diferente. Mas estão todos num momento a tentar tornar-se mais conscientes, mais próximos da fonte. São todos um só...

E mais virão, mais energias de que já estão conscientes - estão, dir-se-ia, subconscientemente conscientes -, mas conscientemente elas aparecerão, uma após outra. Estão a elevar a energia vibracional do mundo físico que criaram. E para vocês isto é correto, e para eles também é correto.

(Excertos de sessão 63)

—-

O semelhante atrai o semelhante, mas também os opostos se atraem. Há uma razão diferente para isso. Os opostos atraem-se para se tornarem numa só energia, a energia fonte.
É a travessia final da ponte entre a mente, a imaginação e a consciência. A fronteira final é quando os opostos se atraem e trabalham em harmonia para o mesmo objetivo. O semelhante atrai o semelhante para a formação em massa de uma só energia. É assim que entenderá estas palavras. Ambas são, em última análise, fontes de energia, mas para que compreendam isto, os opostos atraem-se por uma razão específica e a razão é diferente de semelhante atrai semelhante. Mais uma vez, um processo, um processo definido. O processo é absoluto, foi concebido pela fonte, por Deus. Não há questão de certo e errado, o bem e o mal não existem. Um processo definido, um processo absoluto, isso podemos dizer-vos.

(Excerto de sessão 69)

—–

Julgamento

É importante que não se julgue a si próprio. É igualmente importante que não julgues os outros. Conhecer-se a si próprio é a capacidade de não se julgar. Conhecendo os outros como se conhece a si próprio, conhecerá os outros e também não os julgará. Faz parte do conhecimento. A observação é diferente do julgamento, mas a observação dentro do seu condicionamento pode provocar o julgamento. É a - para ti é a energia errada a usar, não para todos, mas para ti é - a energia errada a usar para fazer juízos sobre qualquer coisa, qualquer coisa. Difícil, eu sei, mas necessário para a vossa consciência. Onde a escuridão encontra a luz, tens de ficar na luz. É aqui que tens de estar. Mas lembre-se, nenhuma delas é incorrecta.

(Excerto de sessão 47)

—-

Não podes julgar. Só te estás a julgar a ti próprio. Tu és uma parte. Tudo isto é criado a partir da fonte, aquilo a que chamarias Deus. Não há certo, não há errado. É a experiência...

Criaram a vossa própria prisão com a vossa mente. Deveis saber dentro de vós o que sois, uma forma pura de energia, pois todos são iguais. Conhecendo-vos a vós próprios, ireis conhecê-los porque sois iguais. Têm de procurar as vossas respostas no vosso interior.

A força é a capacidade de te conheceres a ti próprio e de te veres nos outros. Quando conseguires alcançar isto, deixarás de julgar. Já não culparás. Não apontará mais de dentro para fora porque dentro é tudo.

(Excertos de sessão 49)

—-

Não julgues. Não julguem, o julgamento vai baixar a vossa vibração. Não faças qualquer tipo de julgamento dos outros.

(Excerto de sessão 56)

—–

E não lutes contra o que chamas de negativo. Porque se o fizerem, estão a lutar contra vocês próprios. Está a criar mais confusão para si próprio.

Mantenha-se positivo e crie o que sabe ser correto para si. Criarão a vossa própria posição. E sois observadores de uma ilusão criada incrivelmente diversificada, que podeis chamar de matriz, e que para a vossa lógica física é muito confusa.

Não lutem contra isto, vão sempre questioná-lo. Deves tentar não questionar mais, mas sim fluir com ele, permiti-lo, observá-lo, como se fosses um estranho a olhar para dentro, o que és. E ao adaptar esta abordagem, já a mudou. Não o julgue. Quando se riem dela, o que fazem, é uma forma positiva de energia, sabendo que a vossa mente e o vosso ego são loucos por causa da sua criação.

(Excerto de sessão 114)

—–

O teu julgamento é a tua escola, é a tua educação, é a tua experiência, é perfeito e necessário até que eventualmente compreendas. Se os julgas, estás a julgar-te a ti próprio, se estás zangado com eles, estás zangado contigo próprio, e se os amas, estás a amar-te a ti próprio, e isto é energia positiva, e foi isto que escolheste.

(Excerto de sessão 139)

—–

Marcas e nomes

Nós só escolhemos focar-nos no que é real, não em algo da vossa imaginação ou criação que sabemos que não é real. É por isso que não gostamos de nomes e marcas. Vocês identificam-se com isto. Aquece-se com isto. Criamos uma história à volta disso. Mas não é real. Nem sequer vou dizer os nomes que criam para nós porque é uma diversão. É energia desperdiçada. É por isso que não o vou dizer. É confuso para vós. Vocês criam a vossa própria confusão.

(Excerto de sessão 12)

—–

Criou tantas histórias. Comercializaram - as vossas palavras, comercializaram - estas histórias, tantas marcas. É muito mais simples do que isso, é muito mais claro do que isso. Não há necessidade de fazer isto. É complexo. Mas vocês gostam de criar situações complexas com muitos pormenores. Para a vossa viagem, a vossa imaginação cria muitas complexidades. É também para entretenimento, o entretenimento do vosso ego. É uma maquilhagem da energia em que vocês consistem, é o vosso ego. Só existe amor, amor da fonte.

(Excerto de sessão 33)

—–

Eu não uso nomes. A vossa forma humana gosta de construir imagens e histórias à volta de marcas e nomes. Tu és energia. Fazem parte do todo da consciência. Não vos encorajo a criar histórias à volta disto. São essas histórias que vocês criam que vos prendem dentro de vós. O vosso único trabalho, se é essa a palavra que querem usar, a vossa única missão na vida é experimentar e tomar consciência do processo, tomar consciência da energia e da consciência, tomar consciência de como isto se forma. É um processo. É apenas um processo. Cabe-vos a vós experimentar este processo. Tu escolheste experimentá-lo.

(Excerto de sessão 49)

—-

Agora compreende como a sua mente física, o seu ego, deseja criar uma história à volta de tudo. E a vossa compreensão do mundo físico em que vivem leva-vos a criar muitas histórias à volta de tudo aquilo de que tomam consciência. É importante não criar essas histórias, não lhes dar nomes ou marcas. Isso só vos vai confundir. Isso vai prender-te.

(Excerto de sessão 50)

—–

Dás um nome a tudo. Quando damos um nome a qualquer coisa, estamos a restringir o seu crescimento, o nosso crescimento. Ao dar um nome a uma coisa, está a colocá-la numa caixa. Você não vive numa caixa. Podes pensar que vives, mas não vives, isso é uma ilusão. Se atribuírem um nome, um rótulo a qualquer coisa, então insistirão com a vossa mente que ela permanece numa caixa. Palavras, nomes, insignificantes, tu és tudo, e tu és tudo. E para compreenderem isto, escolheram separar-se. Escolheste separar-te para poderes voltar a saber o que és. Observando a si mesmo, conhecerá a si mesmo. Observando os outros, conhecerá o eu, porque os outros são o eu...

As pessoas vão querer marcar-vos, dar nome, dar nome ao que somos. Quando marcam, encaixotam. Não permitam que marquem nada, não ponham as coisas numa caixa. Não há nenhuma caixa, não existe, é a ilusão deles. Têm de se elevar acima disto, e têm de trabalhar através disto, estão limitados pela linguagem, são as ferramentas que têm para trabalhar estas energias.

(Excertos de sessão 119)

—–

Deseja preencher espaços com as suas palavras. O vosso ego vai querer saber tudo e se não compreenderem logicamente alguma coisa, vão preenchê-la com uma das vossas palavras. Eu não vou fazer isso, não se trata de palavras, trata-se de energia, trata-se de emoção, trata-se de frequência. Não há palavras para colocar num lugar. O vosso ego vai sempre pôr palavras em tudo por medo de não saber. Têm de sentir, têm de viajar para sentir, não viajar de A para B, têm de viajar a partir de dentro. Têm de deixar o vosso corpo para compreender isto, a vossa máquina, a vossa máquina biológica em que querem viver.

(Excerto de sessão 133)

—–

 

Desejo

O que tu queres permanece no querer. O que queres, já tens. Isto não são enigmas, são factos. O teu desejo de querer será sempre um querer. O que tem existe num momento, e nunca esteve sem. Mais uma vez, esta é a vossa ilusão criada, a vossa vida condicionada de compreensão, de não saber. Tu tens todas as respostas. Sempre teve todas as respostas. Preferem dançar a valsa entre a consciência e a mente. Preferes saber e depois preferes acreditar que não sabes. As respostas sempre estiveram dentro de si.

" Eu quero", logo, quererás sempre. É apenas um estado de espírito, da mente à imaginação, à consciência, que é una, que é saber, que é estar consciente...

O que é que queres saber que ainda não saibas? Mas a vossa consciência é um momento, e um momento está correto. E vocês escolhem voltar à vossa forma física de condicionamento com os vossos sentidos físicos, escolhem esquecer. Escolhem esquecer para se poderem lembrar...

Enquanto quiserdes, continuareis a querer. Tens de ter consciência disso. Necessidade, "eu preciso", não precisas de nada. "Desejo", continuarás a desejar enquanto escolheres desejar, é a mesma coisa.

(Excertos de sessão 62)

—-

Tu tens, não queres.

Também é verdade dizer que as energias dentro deste espaço combinadas podem criar qualquer coisa. Mas a energia tem de atravessar a ponte entre a mente, a imaginação e a consciência, e isso é uma criação divina. Enquanto estas energias mantiverem a sua posição dentro do mundo físico em que escolheram permanecer, elas estarão limitadas, através da sua escolha, àquilo que criam. As limitações são removidas através do conhecimento, através da consciência, e essas energias logo perceberão, através da consciência, que o que elas desejam ou querem criar não tem propósito dentro de uma consciência. É inútil. Portanto, o que pensam, o que querem, o que desejam não é necessário numa consciência.
É mais uma vez uma ilusão da sua mente, do seu ego, da sua interpretação da sua vida, que é incorrecta. 

(Excerto de sessão 73)

—-

Não permitirão que exista na vossa vida algo que escolheram originalmente antes de virem para esta vida. Por isso, o que a vossa mente possa pensar que querem, não o permitirão nesta vida escolhida de foco.

Não é nada para além de si que vai impedir que isso aconteça. Por isso, a vossa perceção de desejo, de necessidade, é exatamente isso, é um desejo mental, uma necessidade mental, não é o que escolheram no início desta viagem. Por isso, não vai acontecer com base no vosso livre arbítrio e no caminho escolhido. E é claro que a vossa frustração vos levará a querer e a precisar, a vossa mente, o vosso ego.

Neste momento, estás a viver muitas vidas diferentes. Estás dentro de todas estas vidas, tu és, tal como nós somos.
A prevenção faz-se através da escolha, da vossa escolha. A tentação é a vossa mente, o vosso desejo. Quando se tem consciência disso, pode-se atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência, e pode-se experimentar todas as vidas que se está a viver num só momento. Fazem-no subconscientemente, experimentam uma forma de vida diferente daquela em que escolheram concentrar-se. Fazem-no esporadicamente, fazem-no impulsivamente, mas não o fazem conscientemente. Transdimensional é a vossa terminologia, está correcta.

(Excerto de sessão 91)

—–

Simplicidade

O princípio de estar ciente de - como vocês diriam estar iluminado -, é baseado na simplicidade. Baseia-se no amor, o amor todo-abrangente da fonte. Não é complexo. Quando se colocam num ambiente natural, sem as complexidades das criações de todas as pessoas à vossa volta, é aí que vão sentir a simplicidade de que estou a falar. É por isso que é atraído, todas as pessoas são atraídas por este sentimento sem o apego de uma vida complexa condicionada com muitas histórias, muitas ilusões criadas, muitas ilusões complexas criadas.

É semelhante à energia que se encontra neste espaço, é um momento em que tudo e todos estão juntos como um só.

Quando se condicionam, isso significa que se conhecem a si próprios, que sabem o que são. Não é o condicionamento que escolheste para viver nesta Terra física. Por isso, têm razão quando dizem que, se não for simples, não é para vocês. Com a vossa vida condicionada, é muito difícil para vocês simplificarem. Mas é simples.

(Excerto de sessão 67)

—-

Não tentem pensar demasiado com a vossa mente. A vossa mente vai confundir-se. Lembra-te, tens de atravessar a ponte da mente para a imaginação e para a consciência. Se pensarem demasiado nas coisas, então elas permanecerão na vossa mente, no vosso ego. Isso vai confundir-vos. É necessário que pensem em termos de simplicidade, em termos de natureza, em termos de natural. Isto não é complexidade. Não é complicado. É aí que atravessarão a ponte para a imaginação. Vocês já têm toda a informação dentro de todos os dados e uma simples, uma pura forma de energia irá levá-la através da mente para a imaginação, para a consciência, onde dois se tornarão um e isto é encontrado no pensamento simplista. Não se encontra nas complexidades de pensar demais, de pensar demais em tudo. Dois devem tornar-se um, porque tudo o que existe é um. Mas dois não se tornarão um através da confusão, através da complexidade. É muito mais simples do que isso. É claro que a vossa intriga em relação à vossa vida condicionada, na qual escolhem concentrar-se, irá sempre prender-vos nela. Impedir-vos-á de acordar, e impedir-vos-á na vossa jornada para se conhecerem a si próprios e para compreenderem um, a fonte, a consciência, Deus, nas vossas palavras, Deus. Por isso, a resposta está na simplicidade. Não reside na complexidade, e aprenderam que a vossa mente criará tantas histórias, que vocês são mestres das histórias, mestres criadores de histórias, tal como todos vós dentro de uma forma física, uma forma condicionada, uma história à volta de tudo.

Os princípios básicos são agora muito claros para si. Tudo é energia. Vocês são uma forma pura de energia, tal como todos os seres vivos criados, e andam em círculos dentro da vossa mente, e interagem com outros que também andam em círculos, e o vosso círculo junta-se ao círculo deles, e criam-se círculos ainda mais complexos. E isto é confuso porque a energia que transmitem e recebem dentro de todos esses círculos loucos que criaram é confusa para vocês. Têm de simplificar. Têm de sair de todos esses círculos, incluindo o vosso, e têm de atravessar a ponte da mente, de todos esses círculos, da mente para a imaginação. E a imaginação torná-lo-á claro e preciso. E depois juntar-se-á à vastidão da consciência, o uno. É realmente um processo muito simples. Mas, claro, enquanto permanecerem numa forma física e condicionada, lutarão contra este processo e tudo o que a vossa mente está a criar para vocês lutará contra este processo. E este processo criará paz, harmonia e amor. Esta é a energia da fonte. O amor é a energia da fonte. Não é nada mais. É a fonte 100%. Esta é a vossa viagem a fazer, a vossa escolha de viagem, como é a escolha de todos, e todos são um, é a fonte.

Quanto mais perseguirem os jogos que a vossa mente vos prega, mais perto estarão de compreender a simplicidade, mais perto estarão do amor. E isso é obtido através do desespero, do medo. Necessário, necessário para vos conduzir a esta posição, a este ponto. E sim, tudo pode ser explicado através do conhecimento que existe dentro da ciência, mas também não é necessário que tenhas esse conhecimento, porque o processo é simplista. Não é complicado. Nem é complicado na perspetiva da vossa mente, e mesmo assim vocês lutam contra isso. Mais uma vez é necessário, mais uma vez é necessário criar posição dentro da esfera que criaram, dentro da esfera em que escolheram concentrar-se...

As palavras podem parecer profundas, mas não o são. Só são profundas se não compreendermos o que nos estão a dizer. São, de facto, simplistas. Não é necessário que conheças a ciência porque já a conheces. Continuam a tentar provar a existência da consciência porque a vossa vida condicionada foi criada por essa razão, por vocês. A razão de existirem numa forma física é para poderem viajar para conhecer a consciência. Por isso, é claro que vão continuar a questionar, a desafiar. É o que tu és. Mas na realidade, não é, vocês são energia fonte. Tu és um. Portanto, é aí que reside o vosso dilema. Aí está a vossa história. Simples, mas vais torná-la complicada. E, claro, criarão muitas histórias à volta dela...

É preciso simplificar. Ao simplificarem, permitirão que a vossa mente se abra, e permitirão a continuação da vossa viagem escolhida. Devem, como escolheram fazer, permanecer positivos, que é a interpretação da vossa mente de positivo, que é a vossa interpretação de amor, a simplicidade. E a paz que sentem dentro deste espaço agora é o vosso objetivo. É a vossa viagem. É a vossa viagem escolhida para a levarem deste espaço para fora deste espaço. Isto é o que vocês são, não o que vocês querem. É o que tu és.

(Excertos de sessão 78)

—-

Está a avançar quando, na verdade, não há avanço, porque tudo e todos estão num único momento. Deves lembrar-te da simplicidade e da complexidade. Devem lembrar-se de como a vossa mente cria confusão e devem relacionar-se com a simplicidade da consciência. Enquanto passarem o vosso tempo dentro desta única vida em que se concentraram, permanecerão confusos e quando tiverem um pé dentro e um pé fora, quando estiverem em contacto com a consciência, com um, devem lembrar-se que isso é simplicidade.

Se permanecesses na simplicidade para sempre, então não terias uma forma física, seria uma forma metafísica. Por isso, enquanto estiveres numa forma física, não podes reter ambas, e tens de aprender a compreender ambas enquanto estiveres numa forma física. E isso será sempre difícil de fazer, e será sempre difícil de aplicar enquanto estiver numa forma física, enquanto se concentrar numa forma física. Mas é claro que difícil não é impossível, e não é impossível porque é exatamente isso que estão a fazer, a alcançar neste momento. 

(Excerto de sessão 109)

—–

Criar milagres

Pergunta-se: é possível criar um fenómeno no mundo físico em que se vive? (2) Sim, é possível. Mas tens de te perguntar a ti próprio, porque o farias? Qual é o seu objetivo? Não está de acordo com o objetivo que escolheu, com a viagem que escolheu, com a experiência que escolheu. Objetivo não é a palavra a usar, é a palavra que se compreende, mas não é a palavra a usar. Por isso, sim, podem criar um fenómeno que parecerá aos outros como extraordinário, mas será que essa é realmente a vossa experiência escolhida? Pergunte a si mesmo, pergunte a si mesmo, ao seu ego, pergunte ao seu ego, pergunte ao seu medo, pergunte à sua razão, porquê?

(Excerto de sessão 67)

—–

Enquanto estiverdes numa forma de condicionamento, deveis também aplicar a Fé. Há coisas que nunca experimentarão, coisas que se situam no plano metafísico e que não podem ser experimentadas numa forma física total. Dir-se-ia "é um espaço em branco na minha compreensão". Estás a compreender. Tens de aplicar a Fé. Dir-se-ia que a fé é cega, mas não é cega, é um saber, é um saber sem raciocínio, mas é um saber. Já experimentaram isto muitas vezes, é um saber sem a aplicação da vossa lógica física racional.

(Excerto de sessão 67)

—-

Muitas vezes, depende-se da fé. A fé é a vela que arde dentro de nós. A fé é pura. É uma forma pura de energia da fonte.

(Excerto de sessão 73)

—-

 A fé sem consciência do conhecimento é saber. A fonte é pura, é una. A fé não tem necessidade de atravessar a ponte entre a mente, a imaginação e a consciência. A fé é o saber. A fé é a fonte. A fé não criou a ponte. A fé é infinita, é una, é energia fonte.

O medo cria um desafio, cria uma passagem para atravessar, em direção à luz. Um torna-se o outro. Dois tornam-se um. Uma viagem escolhida pela vossa separação escolhida.

(Excerto de sessão 76)

—-

Já discutimos a fé muitas vezes convosco. A fé é outra palavra que a vossa espécie criou e que é mal interpretada, tal como a imaginação. Uma palavra mal interpretada é a fé. A fé é uma posição, um ponto a que chegais e que vos retira completamente o medo. Enquanto se permanece numa forma física, chega-se ao ponto da fé, elimina-se o medo sem conhecer as consequências. Num mundo metafísico, a fé é o saber. Aplica-se a fé sem saber. Quando na realidade, dentro da consciência, sabe-se. É por isso que pode chegar a esta posição, porque como forma física, aplicando a fé, removendo o medo, acredita que não sabe. Para si, é uma posição extraordinária para se colocar. É por isso que lhe chamam fé cega. Na realidade, não é cega. É o vosso instinto que vos leva a essa posição. É o vosso sentimento, a vossa frequência, a vossa energia vibracional que vos levará a este ponto, a esta posição e atravessam a ponte da mente para a imaginação e para a consciência com fé. Para vós, cegos, na realidade, não é cegueira, é conhecimento. Nós aplicamos a fé de uma forma completamente diferente. Nós aplicamo-la com conhecimento. Vocês aplicam-na com a ilusão de que não sabem, uma grande proeza para uma energia fisicamente condicionada. Tendes razão em dizer que há muitos exemplos de tais experiências de fé no mundo que escolhestes para existir, para vos concentrardes nele. Muitos não entendem o verdadeiro significado da fé. Muitos temem a fé. Não conseguem compreender o poder que existe nessa energia emocional. É um processo natural onde a energia vibracional forçá-lo-á a uma posição de fé, e muito poucos nesta posição atravessarão a ponte da mente para a imaginação e para a consciência. Por medo, eles não atravessarão porque a mente deles criará para eles uma conseqüência, um final temeroso, uma posição temerosa. A fé não é cega. A fé não é ignorância. A aplicação da fé traz consciência, traz conhecimento, é conhecimento. Mais uma vez, a vossa interpretação das palavras é a vossa ilusão criada, as vossas histórias, as vossas histórias que criam para se prenderem no mundo que criaram. E para se libertarem desta armadilha, têm de saber. Têm de saber o que são.

(Excerto de sessão 77)

—-

Em todos os aspectos desta vida física em que escolheram concentrar-se, falámos-vos de fé. É necessário que mantenham a fé quando se sentirem perdidos neste mundo, quando se sentirem confusos. A fé superará isso. É uma energia, é absoluta, manterá o vosso posicionamento no positivo. É a vossa mente que está intrigada com o pormenor, mas a vossa mente não tem a capacidade de compreender, de saber. É simples, é a vossa mente que o vai tornar complicado, deliberadamente complicado. Estão a viver isto, estão a adaptar-se a isto, estão a saber separar-se. Estão bem posicionados.

(Excerto de sessão 82)

—-

É correto assumir - assumir, é correto saber -  que num mundo bidimensional é difícil compreender o mundo tridimensional, e num mundo tridimensional também é difícil compreender um mundo tetradimensional, e num mundo tetradimensional é difícil compreender um mundo quadridimensional, e assim por diante. Mas através da fé - a fé é a criação de energia, como toda a formação de energia -, através da fé, compreenderão, porque a fé é a porta que têm de atravessar para compreender, para tomar consciência, e o vosso acesso, que vos permitirá compreender.

(Excerto de sessão 84)

—-

Já falei muitas vezes sobre a fé. A fé é uma forma pura de energia. É um saber que vem de dentro, é inamovível. As palavras não podem explicar a fé, só o sentimento, só o saber, está entranhado em si.

(Excerto de sessão 87)

—–

E tens de aplicar a energia da fé. Já vos disse antes, a fé é muito mais do que uma palavra, subestimada no mundo físico em que se concentram. A fé é o que vos guia, é uma bússola, uma ferramenta que vos aponta uma direção. E através da vossa imaginação, receberão sabedoria e conhecimento. A fé e a imaginação são duas das energias mais importantes que pode possuir. E quando se sentem e não são, mas quando sentem medo e se sentem presos no mundo físico que criaram - vocês criaram este mundo - e quando se sentem presos nele, devem aplicar a energia da fé. Esta não é uma afirmação bíblica irreverente que vos faço. É altamente significativa nesta vida que escolheram, tal como a imaginação, a energia da imaginação, é altamente significativa na vossa jornada.

(Excerto de sessão 129)

—–

Instinto

É muito irreverente dizer que seguiram o vosso instinto, a vossa intuição. Muitos de vós dizem isso, e muitos de vós não o fizeram. É o vosso ego, é o vosso ego que está a dizer ao mundo que seguiram o vosso instinto. Vocês não entendem verdadeiramente a palavra instinto. Muito poucas vezes na vossa ilusão criada pelo tempo fizeram isto, e aceitam que o fizeram, sabem que o fizeram. Num único momento, é um sentimento avassalador de conexão, de conexão com a fonte, de tudo e de todos. É um momento em que acedem à biblioteca e sabem que, no vosso interior, o que estão a sentir é absoluto, é correto. E vão sentir isso, sentem isso, mas não o seguem. Num momento, está nele, e noutro momento, está de volta ao ego. E é o vosso ego que vos dirá que não está correto. É o vosso ego que vos dirá que é o vosso próprio sentimento criado. E têm de aprender mais a seguir o vosso instinto, a vossa intuição. Este é o único sentimento que está correto. E muitas vezes, dirás a ti próprio que seguiste o teu instinto, e não seguiste.

São muito poucas as vezes na vida em que o fizeram, e alguns nunca, nunca estão conscientes de que foi o seu instinto, o seu sentimento de tudo, de tudo, de um, num único momento. Têm de estar mais conscientes do instinto. Tens de estar mais consciente de um momento, deste sentimento. E muitas vezes não fará sentido dentro da vossa vida condicionada que criaram, e no entanto, é apenas, é tudo, é tudo, é um.

Na vossa ilusão criada pelo tempo, o vosso ego é tudo para vocês. E o que estão a tentar fazer é compreender o que ele é, o que vocês são. E dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, é o vosso ego que vai impedir essa compreensão. E sois vós que ireis questioná-lo, e ao questioná-lo, ireis compreender o que sois, que é uma forma pura de energia. E dentro desta forma pura de energia, conhecerão um, conhecerão o instinto. Tens de aprender a separar o ego do eu. Não podes destruir o ego, podes separá-lo. Criaste o ego para te conheceres a ti próprio e, através do conhecimento de ti próprio, não haverá necessidade de o ego existir dentro de ti. E um momento é o instinto, é a intuição, é tudo e todos, é o verdadeiro conhecimento, é o eu.

E é verdade dizer que, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, o vosso passado afectará o vosso futuro, porque isso existe dentro de uma ilusão criada pelo tempo. Mas também é verdade dizer que é, porque é a mesma coisa. Afetar, sim, mas a ilusão do passado, é uma ilusão. Há apenas um momento para tudo e todos, e esse momento é determinado pelo instinto. E através do instinto, acederás à biblioteca de tudo e de todos. Abrandaste o tempo. Criaram o tempo para compreender isto, e para eventualmente - outra palavra que não existe, eventualmente dá a perceção de futuro, não é eventualmente -, compreenderem num único momento tudo e todos. A vossa ilusão criada pelo tempo cria a palavra eventualmente. Ela não é real. As palavras, tão manipuladas pelo ego, tão confusas pelo ego!

(Excertos de sessão 137)

—–

Sentir num momento e saber o que é esse sentimento, isto é instinto, saber num momento.

(Excerto de sessão 139)

—–

Aos poucos, vais compreendendo que as histórias, as palavras, são tão insignificantes na viagem que criaste, e o instinto, o momento, é tudo o que existe.

(Excerto de sessão 141)

—–

Caos

Tu és uma forma pura de energia, tal como nós, tal como tudo. O caos é apenas a vossa interpretação do caos. É uma interpretação da mente, é interpretada a partir do vosso ego. A palavra caos não existe. É uma palavra que usam para se esconderem dentro da vossa caixa. É uma palavra irreverente, não tem significado. É mais uma das vossas palavras criadas para vos dar uma paragem, não vos permite ir mais além. O caos é energia, é necessário, é uma força motriz, é um criador. Não há certo, não há errado.

(Excerto de sessão 79)

—–

Caos, o que é o caos? O caos é a vossa vida condicionada, a vossa mente condicionada. Já vos falei muitas vezes sobre as energias que lançam lá para fora. Imaginem oito biliões, que é um - é importante lembrar que é um - a deitar fora todas essas emoções, que são energia. Imaginem o caos que criam dentro da vida condicionada que escolheram criar. Imaginem a confusão que resulta da constante produção de criação de energia, as diferentes energias que fluem, digamos, através da vossa física, chocando umas com as outras numa confusão total e absoluta. Esta é a vossa confusão.

É muito mais simples do que isso. Os vossos egos, os vossos desejos, as vossas vontades, a vossa má interpretação de vós próprios - não vos conheceis a vós próprios -, estão num caos total. Por isso, precisam de se separar disso para se conhecerem a si próprios. Esta é a razão pela qual estão aqui. Primeiro, para se compreender a si próprio e depois, porque são a mesma coisa, compreenderá os outros. Compreenderá oito biliões de outros, compreenderá tudo e todos. Estão a separar-se para se juntarem, para se unirem como um só, uma consciência, uma luz, Deus, a fonte, a forma pura de energia, a forma pura do que é a vossa interpretação do amor.

Mas vocês não compreendem este poder, esta energia, por isso, enquanto viverem num mundo de confusão que criaram, não compreenderão um, não compreenderão a consciência. Sentem-na aqui e eu já vos disse muitas vezes, o que está a acontecer no vosso pequeno mundo é totalmente insignificante para o que é a energia da fonte. Mas é claro que escolheram este caminho, escolheram viver no caos total e na confusão, e escolheram-no para que pudessem experimentá-lo, para que pudessem finalmente compreender o que é realmente. E têm uma pequena compreensão, mas é apenas uma pequena compreensão, uma pequena consciência. É tão vasto, que engloba tudo e todos os que vocês percepcionam como realidade, o que, claro, não é. Isto pode soar a enigmas para muitos, o que, claro, não é o caso. Mas para outros, fará todo o sentido.

(Excerto de sessão 84)

—-

Diria um milhão de milhas por hora, tantas perguntas que faz, tanta interferência e tanta energia que cria com a sua mente. Isso é confusão. A mente não consegue lidar com tantas perguntas num só momento. É impossível para a vossa mente, para o vosso ego, compreender isto. A expetativa que colocam sobre vós próprios, é criada por vós. Ela não existe, é uma ilusão criada pela vossa mente. Tens de aprender a separar isto de ti próprio. Têm de saber o que são. Tu és uma forma pura de energia criada a partir da fonte, daquilo a que chamarias Deus, é o que tu és.
Escolheste deliberadamente esta viagem para compreenderes o que és. É um processo passo a passo. A confusão está na vossa mente. Está no facto de receberem todas as frequências e as emoções dos outros. Vocês diriam certo e errado, mas isso não existe. É uma mera interpretação dos sentimentos que criam dentro de vós a partir da receção de toda a confusão que está dentro de vós e dos outros. Têm de aprender a separar isto. Isto não é o que vocês são. Sois uma forma pura de energia. É isto que procurais compreender, conhecer-vos a vós próprios, saber o que sois, saber porque sois...

Quando vos sentis perdidos, não estais perdidos, estais apenas confusos dentro do mundo físico que criastes. Estão sobrecarregados por muitas energias à vossa volta. Todos vocês transmitem e recebem energia através da frequência, através da emoção. Vocês criam dor, criam felicidade. Não há perda, ela é determinada por vós, é criada por vós, é premeditada por vós por uma razão, e essa razão é para que possam compreender-se a si próprios. E quando tens consciência de ti próprio, tens consciência de tudo, porque é a mesma coisa.

(Excertos de sessão 87)

—-

Todas as complicações são feitas dentro do eu, dentro do condicionamento. Toda a vossa confusão está dentro de vós, na má interpretação, na incompreensão da consciência, da fonte, de Deus.

Criam o caos, criam o mal-entendido. É muito mais simples, é um só. Quando atravessam a ponte da imaginação para a consciência, isto é puro, isto é energia pura, isto é o Eu. Embora seja simples, embora seja amor, embora seja a fonte na sua forma mais pura dentro da metafísica, é também tudo

(Excerto de sessão 88)

—-

Neste momento, estão a criar fora desta ilusão criada pelo tempo, uma quantidade infinita de coisas das quais não estão conscientemente cientes enquanto se concentram numa vida.

É um padrão muito definido, uma experiência muito precisa, escolhida com precisão por si, deliberadamente escolhida para o desafiar na sua viagem.

Mas eu digo-vos que é muito mais simples do que aquilo que escolheram, é muito mais simples do que aquilo que permitem que a vossa mente e o vosso ego criem, é muito mais simples do que a tecnologia e vocês escolheram deliberadamente a confusão. Só existe um, só existe a fonte, só existe o amor.

Não há massa, não há tempo, não há volume, tudo ilusões criadas, tudo e todos num só momento.

(Excerto de sessão 96)

—–

A vossa viagem é sentida como errática, caótica. As vossas experiências são, têm a perceção de serem aleatórias, mas nada disso é uma dessas coisas, é preciso. São criadas dessa maneira por vós, para que possam chegar ao ponto de compreensão. Criaste deliberadamente o teu ego para te forçar a esta posição, através da experiência. E a batalha, se é que lhe podes chamar isso, que está dentro de ti é exatamente a mesma batalha que está dentro de toda e qualquer entidade física criada. É exatamente a mesma batalha, para se tornarem conscientes do eu, separados pela ilusão. Na realidade, um, sem separação. É a ilusão da separação, do separado, a vossa ilusão, a vossa ilusão criada. É a ilusão do tempo, a vossa ilusão criada do tempo, é a ilusão da massa, a vossa ilusão criada da massa, do volume, a ilusão da distância, a vossa ilusão criada da distância. Nenhuma destas coisas existe na realidade. Vocês estão, vocês estão e sempre estiveram onde precisam de estar. Nunca deixaste de ter.

(Excerto de sessão 133)

—–

Já vos disse muitas vezes que tudo e todos são possíveis dentro de uma construção física. Isto não deixa nada que seja impossível de criar. Portanto, nenhuma das coisas que testemunham, que vêem, não é possível. Todas elas são possíveis, tudo é possível. A palavra tudo incorpora tudo e todos, por isso, a vossa perceção, a vossa interpretação do que vêem, do que ouvem com os sentidos limitados que têm é apenas, e digo isto claramente, é apenas uma perceção, é uma ilusão. E é por isso que ficam confusos com o que vêem e com o que ouvem, porque tudo é possível e tudo está a acontecer num único momento, e é contraditório com o outro lado do que estão a ver e a ouvir e a testemunhar e a experimentar. É contraditório, e no entanto é perfeito, é a vossa criação. É criada para alcançar uma posição, um ponto na esfera, um ponto de compreensão, e a partir desse ponto, dessa posição, alcançarão outro ponto ou posição, trabalhando através disto como um processo. Portanto, não é uma contradição, é uma viagem de experiência para vos levar a uma posição diferente de compreensão, de entendimento do que são.

(Excerto de sessão 142)

—–

Previsão

Não podem usar a vossa imaginação enquanto estão na forma física para remover o tempo da vossa ilusão criada pelo tempo. É por isso que não posso prever, dar-vos informação que seja precisa para a vossa existência, para a vossa vida. É porque têm muitas vidas num só momento. Tudo está a acontecer num só momento. Uma previsão ou a sua interpretação de uma previsão é uma coisa que está a acontecer numa vida. E tudo está a acontecer em todas as vidas em que está a participar neste momento. Portanto, tudo é possível, tudo e tudo está a acontecer, e a vossa total incompreensão do tempo não vos permite compreender isto.

Claro que posso encaminhar-te para uma vida, mas não o farei, não te encaminharei de forma alguma. Isto é o que tu escolheste. Não é com isso que vos vou influenciar. Tudo o que precisam de saber é que tudo é possível através da vossa escolha. Portanto, a previsão é uma falácia. Tal como a maior parte das coisas que compreendeis, não existe porque escolhestes, porque tudo está a acontecer num momento e nem sequer compreendeis a vastidão disso. Podem continuar a contar até ao infinito se quiserem e para vos dar uma ideia da vastidão disto, podem começar a contar agora e nunca mais vão parar.
Esta é a quantidade de vidas que está a viver num só momento. Não há fim para isso. Assim, vêem como é ridículo pedir-me para prever uma coisa numa quantidade infinita de coisas.

É insignificante, o vosso pequeno foco nesta única vida, não é insignificante para a vossa viagem, mas é insignificante no que a vida realmente é. A vossa pequena e minúscula interpretação da vida é a vossa ilusão criada para se conhecerem a si próprios, para se tornarem conscientes. Insignificante para nós é uma pequena parte disto e tu não compreendes que um pode mudar todos e todos podem mudar um, por isso a tua pergunta repetitiva sobre a previsão, ridícula...

Se quiserem compreender a previsão, podem baixar a entidade da dimensão com que comunicam. Não tem interesse para vós, mas sabem, há um pequeno ponto, já estão cientes de como isto funciona.

(Excertos de sessão 88)

—-

Portanto, vêem como é ridículo para nós, para mim, para vocês como um só, dar-vos qualquer tipo de previsão, porque tudo é possível, tudo está a acontecer. Tudo e tudo o que estão a criar no vosso mundo, em muitos mundos, está a acontecer num só mundo. Então, se eu fosse usar a palavra previsão - uma palavra muito estúpida, como vocês a interpretam -, se eu fosse fazer uma previsão, eu diria, eu não poderia dizer muito em palavras. As palavras não cobrem isto. Diria que há uma quantidade infinita de possibilidades para todos. Pensem com a vossa imaginação em tudo o que é possível. Todas elas existem para si dentro da sua ilusão. Mas, claro, o vosso condicionamento, o vosso ego, a vossa mente vai querer concentrar-se apenas nesta pequena fração que nem sequer existe para a palavra previsão. Agora podem ver como isso é ridículo.

(Excerto de sessão 110)

—–

O seu desejo de conhecer a verdade é muito mais forte do que o seu desejo de fazer previsões, porque as previsões podem mudar num instante. Assim, a previsão não é a realidade, é a sua interpretação do futuro, que não existe e está sujeita a mudanças num único momento. Mas com a previsão, com a visualização, com o poder da vossa imaginação, podem criar, num único momento, tudo o que desejarem criar.

(Excerto de sessão 121)

—–

E o seu futuro? Bem, esse é realmente desenhado por si. A escolha é inteiramente vossa num único momento. Estão a desempenhar muitos papéis, muitos mais do que a vossa imaginação pode suportar. É a vossa decisão sobre para onde levam a vossa energia e o que fazem com ela.

Para aqueles que são obcecados por previsões, saibam: a previsão é uma falácia. Ela não existe (3). A previsão pode ser alterada num só momento. Está envolvida numa ilusão de tempo, no teatro da vida. Num só momento, tudo e todos podem, querem, fazem e mudaram. Ela não existe. E através da vossa interpretação linear da previsão, vão mudar tudo porque escolheram mudar. Este é o mal-entendido da previsão que a maioria carrega. Então, porque é que eu vos informaria de qualquer tipo de resultado de qualquer coisa? Se eu vos informar de qualquer tipo de resultado, é possível que eu tenha criado para vós e que vós tenhais criado para vós próprios, sendo que somos iguais. Não é assim que funciona dentro da energia consciente, ela é criada por si num único momento. Tudo e todos são possíveis nesse momento. Cabe-vos a vós criar a vossa própria viagem, a vossa própria experiência. Não me cabe a mim dizer-vos para onde devem ir. E vocês criam, mas muitas vezes as pessoas, a vossa raça, usam a palavra predição, porque não têm outra palavra para explicar o que realmente é, o que eles entendem que é. Não é, é algo completamente diferente. Não é, é algo completamente diferente do que eles acreditam que seja e é importante entender isso. É importante saber que com a vossa estrutura complexa de energia, de emoções, com a vossa má interpretação das palavras, da energia por detrás das palavras, da receção dessa energia dentro de cada um dos indivíduos isolados - que, claro, não estão isolados -, é importante saber que através da criação pelo eu, muita confusão é criada através da previsão. Ao pensar que está correto, não está. Não é assim que a energia flui naturalmente. É outra ilusão, mas muitas vezes, uma palavra que é necessária usar devido à incapacidade do recetor de compreender verdadeiramente o significado da palavra. A verdadeira compreensão não está na forma de palavras, está na forma de receção de emoções, de energia, de frequências, de energia vibracional, de um saber.

(Excertos de sessão 132)

—–

Posição, consciência

E eu digo-vos, não importa o que está a acontecer no mundo para vós. Isso só mudará a posição. Não mudará a jornada.

Esta é a posição.

(Excerto de sessão 29)

—–

Há muitas posições que uma consciência escolhe para estar. É por isso que há tanta variação de etapas do processo, mas todas elas acontecem num só momento. Não há tempo, não há espaço, não há massa, tudo é consciência. Mas é uma só, a fonte. Nós não sabemos para além da fonte. A fonte é toda a criação, e tu és uma parte dessa criação. Não devem entregar-se à negatividade. Ser-vos-ão apresentadas muitas situações negativas. Têm de ver o lado positivo nelas e erguer-se acima delas e criar energia positiva. Foi isso que escolheram fazer. É difícil, eu sei, quando voltam ao vosso próprio condicionamento, mas é absolutamente necessário que seja este o caminho que tomem. Não devem julgar essas pessoas, essas energias, não devem julgá-las. Para elas, também, é necessário que passem por este processo. Mas para elas o processo que escolheram é diferente daquele que vocês escolheram.

(Excerto de sessão 44)

—-

Sim, é a mesma coisa de uma forma diferente, uma forma diferente com base na vossa posição, uma forma diferente de compreenderem o que vos estamos a dizer (2). Está a tornar-se muito mais claro para vós, mas há muito mais. Há muito mais que já sabeis dentro de vós. Há muito mais que podeis libertar a partir do vosso interior, através da consciência. Mas a vossa compreensão básica da metafísica, da fonte, irá guiar-vos através deste processo. Ela está a guiar-vos através deste processo.

(Excerto de sessão 46)

—-

É verdade que tens total livre arbítrio para escolher, para escolher qualquer posição dentro da esfera. Podem escolher qualquer posição que queiram, mas a vossa posição só será dada com base na vossa consciência. E o vosso condicionamento vai impedir-vos de escolher certas posições, quando na realidade já estão em todas as posições num dado momento. É difícil para si compreender isto, mas compreender todas as posições num momento é para o metafísico, para o metafísico completo.

(Excerto de sessão 50)

—-

Não têm de se preocupar com o facto de essas outras energias que escolheram estarem conscientes disso. Têm de estar conscientes. Tens de saber. A posição deles é a que eles escolheram, portanto, eles atingirão essa posição tal como tu atingirás a tua posição. Não há uma posição superior ou inferior, é um ciclo. Não há início nem fim. É um ciclo, uma esfera. A experiência é o que tens de fazer.

(Excerto de sessão 63)

—-

Terão reparado como vêem as coisas no vosso mundo físico de forma diferente desde que começaram esta viagem. Não começaste a viagem. Nunca deixaram de ser uma parte da consciência. Mas na vossa ilusão criada no tempo, começaram a viagem, e notarão como estão mais conscientes de todas as situações à volta do vosso pequeno tempo neste momento. Isto é consciência e vai ficar mais forte e mais poderoso à medida que se tornam mais conscientes, à medida que compreendem mais consciência.

Mas há muito mais para saber, muito mais para compreender, muito.

(Excerto de sessão 70)

—-

As mesmas perguntas que estão a fazer todos virão a fazer, e isso será determinado pela sua posição. Não é determinado pelo tempo, é determinado pela sua posição dentro deste processo. É uma esfera onde se sentam com muitas escolhas num momento.

(Excerto de sessão 75)

—-

Perguntem a vós próprios como é possível que possam compreender estas palavras e tantos não façam a mínima ideia. Perguntem a vós próprios como é que se torna mais fácil, de dia para dia, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, compreender o que está a ser dito neste espaço. Como é que isso é possível? Sabeis a resposta. Isto é um esclarecimento. Isto é consciência. Vocês fazem a pergunta, vocês ditam o assunto. Tu guias a informação para despertar a tua alma. Eu apenas respondo à pergunta. Lembrem-se, nada disto é o que chamariam de novo para vós. Está dentro de vós. Sempre esteve dentro de vós, dentro de um momento.

É irrelevante para si, durante a sua viagem, se as outras pessoas condicionadas e não tão condicionadas compreendem ou não compreendem estas palavras. Isso é irrelevante para si. Mas eles vão entender, muitos vão entender, muitos em posições diferentes dentro da esfera que vocês criaram.

(Excerto de sessão 76)

—-

A submissão final à consciência é a consciência completa, o saber, e enquanto permaneceres com um pé dentro e outro fora, nunca saberás verdadeiramente, embora essa sabedoria esteja dentro de ti.

Através da vossa escolha, repetiram este ciclo muitas vezes, milhares de anos naquilo a que chamais tempo. Mas esta foi a vossa escolha como uma forma pura de energia, e é agora, nesta posição em que estão, que escolheram compreender mais consciência, a energia da fonte. E irão aperceber-se de muitas situações dentro desta vida em que se estão a concentrar, onde esta energia é aplicada. Mas é um bocado da metafísica, da vida consciente, da vida da consciência, onde todas as energias, formas físicas se tornam uma. Enquanto um reconhece tudo, um é um, tudo é a ilusão. Não há separação. Não há começo, não há fim, é um só. Quando reconhecerem que o negativo é positivo, quando reconhecerem que é o mesmo, é aí que saberão. É para isso que estão a trabalhar. Esta é a viagem da energia pura e, em última análise, é isto que a vossa ciência vos mostrará. Mas preferem separar-se porque, sem separação, sentem que não podem racionalizar, e sem racionalizar, sentem que não podem existir. As suas mentes não lhes permitem crescer, conhecer.

(Excerto de sessão 79)

—-

A luz do vosso planeta está a brilhar mais forte. A energia está a elevar-se. Vocês sentem-no. Sentem-na e a vossa vida condicionada dir-vos-á que é confusa, e vocês sentem a mudança. Têm medo. Tens de eliminar o medo. Se removerem o medo, então adicionarão mais luz. Acrescentarão à elevação da energia vibracional, e isto é o que escolheram fazer neste momento. O ciclo está a ocorrer dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Ele se completará, voltará ao início e começará de novo. A única coisa importante para si é a posição e a posição é a consciência. E não há começo, não há fim, é uma coisa só. É a vossa ilusão criada pelo tempo, por isso só há posição que é definida através da consciência. E vocês estão a ajudar os outros a tornarem-se mais conscientes de si próprios, que são vocês, que são os homens, que somos nós, que são a fonte. E sabemos que está a ficar mais claro para vós, para ambos, e também sabemos que o vosso condicionamento, a vossa mente não irá compreender isso, e irá pressionar contra isso.

(Excerto de sessão 82)

—-

É intenso lá fora, dentro da ilusão, neste momento, naquilo a que chamais tempo. Tal massa de energia conflituosa está a formular o caos, a confusão. Mais uma vez, é necessário. É um, é a mesma coisa porque toda a energia está ligada, porque toda a energia é uma, toda a energia sentirá isto, sentirá esta frequência, esta emoção. A consciência reconhecerá o que é. Mas durante o sono, a confusão será intensa.

Embora não pensem assim - pensem, pensem, não pensem, sintam -, embora não pensem que estão no caminho correto, estão. O vosso medo permite-vos desviarem-se. Embora as vossas vidas independentes e separadas pareçam importantes para vocês lá fora, elas têm pouca relevância para a luz, para a fonte, relevantes apenas dentro do ciclo, dentro da ilusão, mas não relevantes para o todo. Quando estão conscientes, isso não tem significado, é anulado, não desempenha nenhum papel. Quando estão acordados, não desempenha qualquer papel na vossa existência e na vossa compreensão da consciência, por isso não se agarrem à sua relevância na vossa ilusão que criaram...

Uma ilusão não pode prejudicar-nos quando temos consciência de que é apenas uma ilusão. Como é que ela poderia prejudicá-lo? Impossibilidade. Muitas vezes sentimos que estamos a ser testados, mas não há teste nenhum, estamos a testar-nos a nós próprios. Está a criar aquilo a que chama um problema para resolver esse problema. É isso que está a fazer. O resultado é uma escolha vossa. Nada disso é mau, nada disso é bom, apenas é.

E continuarás a voltar as páginas da consciência. Há muitas páginas de consciência, e tu estás no início, e estás na primeira página e à medida que viras as páginas, cada página é tão fantástica como a anterior. Não há nada que não saibas por dentro, só tens de te lembrar, só tens de virar a página.

(Excertos de sessão 83)

—-

Antes de fazeres uma escolha de livre arbítrio, tens de estar consciente das tuas escolhas. É impossível escolher se não tiveres escolhas (2).

A vossa consciência vem de dentro. Embora a sua interpretação de mais e menos, positivo e negativo, não seja totalmente correcta, tem de compreender, para ser capaz de diferenciar os dois, embora sejam um só.

Em cada cenário de uma vida condicionada haverá duas escolhas. Haverá muitas variações de cenários, mas apenas duas escolhas. E saberão, agora saberão qual é a vossa escolha. Mas não interfiram com os outros, eles também terão uma escolha, não será necessariamente a vossa escolha. Posições diferentes, e isso é tão simples como é e é o que é.

(Excerto de sessão 96)

—-

A vossa perceção da vossa ilusão, da vossa ilusão criada pelo tempo, está constantemente a mudar. A energia no vosso mundo está constantemente a mudar e muda num momento. É por isso que é necessário implementar o que escolheram fazer e isso é elevar a energia vibracional. Ao elevarem a energia vibracional, mudarão de posição. A vossa consciência de tudo irá aumentar. Tornar-se-ão mais conscientes.

(Excerto de sessão 99)

—-

O vosso ego é a força motriz por detrás da vossa consciência, o vosso ego ilusório criado e está constantemente a mudar em cada momento.

Por isso, voltará a ter memórias que não existem, outra ilusão. O facto de recordarem memórias criadas pelo vosso ego irá atrasar o vosso desenvolvimento, abrandar, outra ilusão, pois o tempo não existe.

A vossa busca da fonte, de Deus, a vossa busca incessante, a vossa vela acesa para a descoberta da luz será dificultada pelas memórias do ego.

Vocês estão sempre a mudar o momento dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Desde que a vossa viagem começou, que não teve início, que não tem fim, mas para que compreendam, desde que começou, está sempre a mudar dentro do momento. E a energia criada pelo vosso ego é criada como uma força motriz para que compreendam a fonte.

Sem ego, sem mente, há apenas amor. Sem criação física, há apenas amor, há apenas energia fonte.

Não podem sequer imaginar as mudanças que fizeram durante o tempo, o vosso tempo, em que estiveram sentados.

Em cada momento, há uma mudança de posição, uma mudança de direção. E você enche a sua mente, o seu ego, com memórias, memórias físicas, memórias de experiência, medo preventivo, memórias criativas ilusórias sem qualquer significado para além de uma força motriz de energia.

É correto, o que estão a expressar, o que estão a sentir. E sabe-se num instante. Quando a energia muda, sabe-se no interior.

É preciso procurar mais profundamente este sentimento, este saber, este conhecimento de si próprio. Isto é consciência. Isto é o que tu és.

(Excerto de sessão 103)

—-

Cada vez mais pessoas estão a tomar consciência da existência do eu, do um, do todo.

E esta é a razão, a criação daquilo a que chamaríeis energia positiva, quando na realidade o positivo e o negativo são a mesma coisa, tudo criado a partir da fonte, do deus da vossa palavra, o verdadeiro criador de toda a energia, a fonte de toda a energia, boa e má, como a chamais, positiva, negativa, a mesma energia da fonte.

A sua incapacidade de compreender totalmente isto é a sua vontade de ficar preso numa vida física, numa vida condicionada. É a vossa escolha.

(Excerto de sessão 104)

—-

Enquanto cada um e todos estão num ponto diferente, numa posição diferente - mas em última análise esse ponto, essa posição é o mesmo ponto, a mesma posição - e a escolha que foi feita por todos é retirarem-se de uma posição que sempre existiu num momento, para perceberem que nunca foram a lado nenhum, para perceberem que isto é tudo e mais alguma coisa. E a única maneira de isso ser possível é criar uma ilusão, e experimentar essa criação, experimentar o eu, a consciência, e regressar à fonte, Deus.

E deu a si próprio as ferramentas, o processo para o fazer, e é isso que está a fazer agora.

Não se trata de um jogo, de uma tomada de consciência do processo. O ego pode em breve criar jogos com o processo, com ferramentas. Mais uma vez a mente, o ego pode assumir o controlo do processo para um jogo. Não é um jogo. É real, é tudo o que existe, é tudo o que existe.

(Excerto de sessão 110)

—–

A vossa capacidade de atravessar a ponte entre a mente, a imaginação e a consciência não é um dom. Não são dádivas, não existem. É uma capacidade que tudo e todos podem e possuem, possuem naturalmente, podem se a consciência progredir. Portanto, isto é para todos, e todos são um. Reconhecer isto, é ter consciência, é saber. Ignorância é não saber, o que, naturalmente, será alterado, mudará. E na vossa ilusão criada no tempo, irá mudar. Vontade, está a mudar dentro de cada momento, do qual só há um momento.

E dentro deste tempo particular que escolheram para se concentrarem, não há tantas entidades verdadeiras como gostariam de pensar que acedem a esta informação, que podem ou se permitem aceder a ela.

Trata-se apenas de posição e é só isso que é, posição, posição dentro do momento que está sempre a mudar. A posição não é uma constante e devem tentar não se confundir com a quantidade de informação que receberam. Embora compreendam o processo, embora tudo esteja escrito, não devem tentar usar a vossa lógica física numa ilusão criada pelo tempo para dar sentido a isto. Não farão sentido, aplicando uma lógica física numa ilusão criada pelo tempo. É impossível.

Têm de sair disto para compreender a Fonte, para compreender a origem de toda a energia. E a única maneira de o fazer é sair da vossa ilusão criada pelo tempo, da vossa única vida na qual se estão a concentrar agora. E fora disso, não há limites para a vossa própria criação. Não há limites para os vossos pensamentos. Não há limites para o vosso fluxo de energia. E não há necessidade de pensarem na vida em termos de julgamento, de bom, de mau, de nenhuma necessidade, não o farão.

O vosso condicionamento, que escolheram aplicar a vós próprios em todas as vidas de que escolheram fazer parte, também irá mudar enquanto permanecerem numa forma física. É necessário aplicar um condicionamento para que compreendam que isto não passa de uma ilusão. É necessário que apliquem um condicionamento dentro de uma forma física. Mas haverá um ponto, uma posição em que se aperceberão de que o condicionamento é desnecessário para vocês. E nesse ponto, nessa posição, não podem agora perceber o potencial do vosso Eu como uma forma pura de energia. O vosso potencial é infinito, ilimitado, a criação é infinita, quando na verdade é um momento de criação 

(Excertos de sessão 116)

—–

A vossa pena pela vossa raça não tem fundamento. O vosso desejo de ajudar os vossos filhos, a vossa família, a vossa raça humana é infundado. O quê, quem é que estão a ajudar? Eles estão numa posição diferente da vossa. E é tudo uma ilusão, é tudo teatro. O vosso desejo de ajudar é baseado no vosso próprio ego. É baseado no seu próprio condicionamento. A vossa energia é expandida num único momento e num único momento tudo e todos podem mudar. E quanto mais se expandirem e quanto mais adoptarem energia positiva, não podem imaginar, num único momento, o que mudaram e o que estão a mudar. Isso já aconteceu, já está a acontecer. Vocês são um e todos e um pode mudar todos e todos podem mudar um. O vosso desejo é outra ilusão criada pelo ego, isto é a realidade.

(Excerto de sessão 127)

—–

Este é o ponto, esta é a posição em que se encontra, em que começa a pensar, não de forma linear, mas de forma absoluta. O vosso processo de pensamento está a começar a pensar como um só, como tudo, como todas as dimensões, como um só. É o ponto em que se encontra, não para pensar num movimento linear, uma linha reta, mas para pensar como uma esfera.

Um processo de compreensão de tudo e de todos num único momento é onde vocês estão. Enquanto aplicam o vosso processo de pensamento físico, a vossa lógica, estão a mover-se lentamente para a compreensão de uma visão mais extraordinária de tudo e de todos. Não é linear, é vasto e no entanto é simples, e é aqui que estão agora, é neste ponto que estão.

Ser capaz de compreender tudo e todos num único momento é ser capaz de compreender tudo, e é ser capaz de saber o que és, e isso é uma parte da fonte. És uma parte e, no entanto, és o todo. E este é o ponto da posição que ocupais na esfera. Este é o início da vossa verdadeira compreensão do eu, do que são.

Aplicando a vossa lógica física e a vossa compreensão da energia, ireis e haveis conseguido alcançar esta posição de compreender tudo num único momento. Embora isso não faça sentido logicamente numa forma física, a vossa capacidade de ser capazes de transcender esse processo de pensamento, de compreender tudo e todos, é onde estais agora. O começo da jornada, o começo da vossa compreensão, e muito irá mudar, e não estarão cientes de quanto mudou, "tem", "está" a mudar.

Mas é importante que não permitam que o vosso ego ou a vossa mente assumam o controlo do eu, porque ele assumirá o controlo de vós, do eu. Foi concebido desta forma, por si. Têm de compreender que não estão isolados, não são um indivíduo, são tudo e todos. Sois a energia da fonte, sois uma parte, o que significa que sois a energia da fonte. És um e todos dentro desta posição.

Não tem a ver com o vosso ego, tem a ver com tudo, e tudo é um, e vocês alcançaram a posição disto, de tudo, de um. E dentro da vossa ilusão criada no tempo, a vossa ilusão auto-criada por vós, passaram muitos anos na esperança e na fé de estarem nesta posição. Nada na vossa ilusão criada pelo tempo é o que vocês chamariam de acidental, é tudo criado por vocês.

(Excerto de sessão 130)

—–

O vosso ego deseja que permaneçam na vossa ilusão criada pelo tempo, e vocês, o eu, deseja compreender-se a si próprio, compreender o que são. Não é um jogo, é uma viagem de experiência e quanto mais consciente se tornar, mais perceberá que esta é a realidade. A consciência é tudo e todos, é você, é criada por si para si. Não existe uma forma de vida superior ou inferior, ela é criada pela fonte. Não há tempo, também é um só, criado por ti. Mas há uma posição de compreensão e dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, dentro da esfera, do ciclo, a energia encontra-se em posições diferentes, formas diferentes e, portanto, compreensão e consciência diferentes.

(Excerto de sessão 141)

—–

E podes fazer qualquer pergunta que queiras fazer, e ela será respondida. Mas não te surpreendas quando ouvires a resposta e analisares depois o seu significado. Não se surpreendam, se aplicarem a lógica a isto, não compreenderão totalmente o significado da resposta. A lógica é criada pela mente, e a lógica é criada pelo ego. Não quer dizer que, ao analisar a resposta, ela não o coloque numa posição diferente, porque o fará. E dentro dessa posição, terá então uma visão diferente sobre ela, que acabará por o elevar a outra posição, não superior ou inferior, porque tudo e todos ocorrem num único momento, mas uma posição diferente de compreensão, de consciência. Usarias a palavra superior, mas não é superior, não há nada superior ou inferior no mundo da consciência. E tudo isto que criaste para compreender, finalmente, o que és, que é uma forma pura e perfeita de energia criada a partir da fonte.

E quanto mais souberes isto, mais fácil será compreender, e como já te disse muitas vezes, é um processo passo a passo.

(Excerto de sessão 143)

—–

There is no time, it is of your creation. You are constantly changing position within a single moment, which is why I say, and I have said many times, you are exactly where you should be within every given moment, which is only one moment. As you slowly, within your time created illusion, begin to be aware of this, you are able to apply it until the point or the position where you will no longer have the necessity to apply it, and this is your chosen journey, this is what you choose to do. It is far, far more simpler than your mind, your ego will tell you it is.

(Excerto de session 144)

—–

Separação, A a B

É correto usar a explicação de A para B. Esta é a vossa comunicação, a vossa terminologia, de A para B, quando na verdade só existe A, só existe A. Não existe B. Vocês criam A para B, esta é a vossa ilusão. Esta é a vossa vida condicionada, criam A para B como uma viagem. E enquanto estão nessa viagem, também criam muitos obstáculos pelo caminho, muitos problemas, muitas distracções. E na verdade, na realidade, só existe A. E com a tua mente e o teu ego, chegarás a B. E então compreenderás que nunca saíste, porque B é A. E quando chegares a A a partir da tua ilusão, porque nunca saíste, então e só então perceberás como tudo é incrível e possível. A, e o teu B criado, são ambos criados a partir da fonte. E a viagem de regresso, quando de facto nunca saíste, é de regresso à energia da fonte, de regresso a Deus. E então escolherão - provavelmente não escolherão criar outra viagem -, mas como tudo acontece num momento, a escolha será feita nesse momento, como todas as escolhas foram feitas num momento, como todas as escolhas estão a acontecer num momento.
Embora tudo e todos sejam um só, a separação, que é a viagem de A para B, a separação das espécies, dos humanos, de todas as formas de vida, a separação é deliberada. E enquanto na esfera, cada um e todos estão numa posição diferente, num ponto diferente, mas em última análise, todos acabarão por voltar a A. E a ilusão é que eles saíram de A em primeiro lugar, o que não fizeram, eles próprios criaram B.

Isto é a verdadeira auto-consciência. Isto é iluminação. Isto é o que procuras compreender enquanto te concentras na tua viagem de A a B, isto é o que procuras compreender. É o livre arbítrio. É a vossa escolha, mas sem a compreensão do processo, com a ignição do ego, da mente, acreditam - acreditam, uma palavra interessante - acreditam que não têm escolha. Sempre tiveste escolha, e devido à ignorância do teu ego, à sua incapacidade de saber, de querer saber, a escolha é erradamente interpretada como não tendo escolha.

Este ciclo é infinito em todas as formas físicas. O infinito não existe, mas a ilusão do infinito no seu próprio contexto cria o ciclo em si mesmo. Assim, toda a forma física expande-se continuamente, cresce continuamente, ciclo após ciclo após ciclo, à volta desta esfera e de volta ao início. Muitos ciclos, uma quantidade infinita de ciclos, quando, de facto, existe apenas um, apenas uma fonte, apenas Deus.

Têm uma maior compreensão disto agora e, claro, nesta vida em que escolheram concentrar-se, nesta ilusão, nesta única vida, escolheram tomar consciência disto. Escolheram iluminar-se com este conhecimento. Enquanto estiverem na viagem de A para B, não compreenderão isto completamente. Não o compreenderão totalmente até voltarem a um ponto, a uma posição. Um pé dentro e um pé fora é a vossa terminologia, é a vossa compreensão da viagem que criaram. Como nós nunca saímos, como não há para onde ir, é o mesmo para vós. Mas vocês criaram este ciclo e têm criado continuamente ciclos de A para B, ilusões, viagens que na realidade não existem. Cada ponto, cada posição no tempo, que é a vossa ilusão criada pelo tempo, cada ponto, cada posição no tempo é o mesmo ponto, é a mesma posição. Um é a fonte, um é tudo e todos, um é metafísico e físico.
Alcançar o conhecimento de uma pessoa é a verdadeira iluminação, é o verdadeiro amor.

O vosso ego, a vossa mente perder-se-á nas complexidades das suas próprias criações. A tecnologia e a ciência criadas pelo ego e pela mente apenas impedirão a compreensão do Eu. É muito mais simples. Há pouca necessidade de compreender o tecnicismo, a tecnologia, a ciência. Mas enquanto a vossa criação física, o universo, os universos, estão sempre a expandir-se através do ego, da mente, do medo, do controlo, de todas as emoções criadas, o vosso desejo, impulsionado pelo ego, pela mente, é compreender, é contribuir, é fazer parte. Fazes parte de, separaste-te com a mente e o ego, nunca foste a lado nenhum. É uma ilusão, nunca saíste de um ponto A, nunca foste numa viagem para B, nunca separaste o eu do um.

(Sessão completa 92)

—-

Separação, quando de facto não há separação, separação da mente, do ego, separação para compreenderes a fonte e compreenderes o eu, não é separação de energia. Não há separação real, ela é projectada, é a separação do ego, a separação da mente que é criada por ti. Não há separação porque não há sítio para onde ir para se separar. Ela não existe.

E a confusão é criada pela mente, pelo ego, pelas histórias, pelos jogos, pela ilusão. E agora estão a compreender isto e a aplicar a capacidade de o compreender como um só. Uma jornada incrível.

(Excerto de sessão 100)

—–

Através da vossa separação, escolheram compreender o que são. Escolheram isolar-se uns dos outros, quando, na realidade, não estão isolados, são um, o mesmo. Reflectem nos outros os vossos próprios medos, os vossos próprios desejos. Imitam-nos, porque eles são vocês, são um só. E fazem isto num único momento da existência, e este é o caminho que escolheram.

Ao conheceres-te a ti próprio, conhecerás tudo e tudo é um, e para compreenderes isto tens de ir para dentro, para dentro de ti próprio. E quando se vai para dentro de si mesmo, reflecte-se no exterior como um espelho, como um reflexo do espelho dos outros. E nenhuma pessoa, nenhuma entidade, todas nascidas da fonte, nada é mau. É apenas a forma que escolheste para saberes o que és. São duas energias que, em última análise, são a mesma energia. É a energia da fonte, é uma energia, é amor, não a vossa interpretação do amor, mas é amor. E quanto mais compreenderem isto, mais se aproximarão da fonte, mais se aproximarão de saber o que são, e vocês são uma forma pura de energia.

(Excerto de sessão 135)

—–

E tudo à vossa volta, o que criaram, o que colocaram, o que colocam à vossa volta, mudará constantemente de direção com base na separação, com base no ego deles, com base na posição deles. Pode parecer errático e caótico, mas não é, e agora compreendem melhor como isto funciona. É perfeito.

(Excerto de sessão 139)

—–

There is no separation, this is another illusion you have created.

Têm muitas ferramentas para vencer esta ilusão, muitas. Têm muitas coisas a que chamam dons, mas não são dons, são naturais. Têm muitas coisas no vosso arsenal para conquistar esta jornada que escolheram, muitas coisas de que não estão conscientes. Mas a um nível muito básico, a energia mais poderosa que têm, a ferramenta mais poderosa é a fé e a imaginação, e têm de as aplicar de uma forma positiva, pensamento positivo. Estas são as ferramentas que podes reconhecer. Existem muitas mais.

(Excerto de session 145)

—–

 

A nossa viagem na vida

A razão pela qual não tens memórias quando começas a tua viagem é que as tuas memórias só te iriam confundir. Não seria capaz de completar a sua viagem. O apagamento das vossas memórias é necessário para completarem a vossa viagem, para se lembrarem. Afinal de contas, as vossas memórias são condicionadas. A única importância é a vossa consciência, não as vossas memórias. Tens de te perguntar a ti próprio, o que é o eu? O que é que eu sou? Quem sou eu? Onde é que eu estou?

(Excerto de sessão 8)

—-

Tu crias todas as complexidades que vês e ouves. Entrelaças a energia nas criações. Dás-lhe valor, dás-lhe força, dás-lhe justiça quando, na verdade, és apenas tu. Dão-lhe números, dão-lhe nomes. A vossa criação desde o início dos tempos, aquilo a que aqui chamam tempo, é apenas energia. A vossa maneira complicada de dar nomes a tudo confunde-vos. Tu confundes-te a ti próprio. Alimentam-no, alimentam-no com o vosso medo. Vive numa caixa tão pequena. Passa o seu tempo com assuntos tão insignificantes. Não há necessidade de o fazer, já o sabes.

A única razão pela qual esta energia interfere na sua vida é porque você a permite. Alimentam-na, apoiam-na. Tens de te elevar acima dela. Criaram a vossa própria prisão. Rega-o como se rega um jardim.

Tem todas as ferramentas para fazer o trabalho e, mesmo assim, torna-o tão complicado. Criaram uma história fantástica e alimentaram-na. E agora tens de destruir a história e seguir em frente, subir tantos níveis. E mais uma vez estás no início, número um.

(Excerto de sessão 9)

—-

A mente subconsciente do ser humano criou muitas formas, muitas vezes confusas, deliberadamente confusas. Muitos símbolos, muitas formas, todas com o mesmo objetivo, criadas pelo medo. Nomes, marcas, organizações, tudo irrelevante. É a mesma coisa. É preciso sair disso. Tens de olhar de fora para dentro. Tu tens. Eles vão controlar muitos com isto. Eles são. Mas, mais uma vez, para a vossa viagem isso é irrelevante. Mas acho que sabes isto. O vosso objetivo é compreendê-lo, conhecê-lo. Como é que pode ser assim tão simples? É assim tão simples...

Existem muitos obstáculos para si, mas pode ultrapassá-los. Cria-se um problema para o resolver. Pode não pensar que o faz, mas é exatamente isso que faz, como um passatempo. Não há necessidade de o criar em primeiro lugar, mas fá-lo, constantemente. E quando o resolvemos, sentimo-nos bem. Todo o processo é fútil, e fazêmo-lo vezes sem conta. Fazemo-lo conscientemente e subconscientemente. Criar um problema, resolver um problema, sentir-se bem. Criar um problema, não resolver um problema, sentir-se mal. Uma e outra vez.

O que faria num mundo sem problemas? Pergunte a si próprio. Em que é que pensaria? O que é que criaria? Pergunte a si próprio: se não houvesse problemas no meu mundo, o que é que eu faria hoje? A sua interpretação do que faz baseia-se no seu condicionamento. Tente afastar-se disso e faça a mesma pergunta...

Podes criar qualquer coisa que queiras criar. Algumas pessoas escolhem criar demónios, são as suas palavras, demónios. Eles só existem na forma em que existem dentro deles próprios. Não há nada que devas temer. Isto é criação de criança, de criança. Mais uma vez, escolhida, escolhida pelo indivíduo para se entrelaçar, para se envolver, para participar. Têm um desejo de participar sempre, de marcar, de nomear, de pertencer. Se ao menos soubessem que sempre pertenceram à fonte. Fazes parte da fonte e, no entanto, anseias por te separar, sempre.

(Excertos de sessão 11)

—-

Deves tentar sentir o amor divino. Não é aquilo a que chamam amor, é uma pequena porção do verdadeiro sentimento do amor divino. O amor divino abrange tudo e todos. Ninguém é deixado para trás. É difícil para vós fazer isto. O amor que sentem pelos vossos filhos, pela vossa família, pelos vossos amigos, é exagerado por tanto amor divino. É para isto que estão a nadar de volta. É para onde estão a ir. Nós sabemos disso e compreendemos isso. Têm-no dentro de vós. Estão à procura dele, e não estão conscientes de que é isso que estão a procurar...

A realização é o conhecimento. Conhece-te a ti próprio. Vocês estão fixados em tantos passatempos, tantas criações, mas a verdade é simples. Estão a elevar as frequências e as vibrações. Estão a fazê-lo agora.

(Excerto de sessão 12)

—-

A ação não é descrita numa forma física. A ação é descrita de uma forma mental, de uma forma metafísica, a partir do interior (1). A ação trará a reação. Somos todos um só. Mudando os pensamentos, cria-se uma ação. Quando esta é aplicada, cria uma reação, energia pura. Apesar de compreenderem tudo isto, ainda estão presos no vosso mundo condicionado. Não é fácil para vocês aplicarem. São constantemente atraídos de volta ao vosso condicionamento. Isto é correto.

É inútil sentir-se frustrado, embora a frustração seja uma energia. Basta continuar. Ela revelar-se-á a si própria. Então a vida mudará, tornar-se-á muito diferente. As pessoas saberão que mudou. Não vão perceber bem porquê, mas vão senti-lo. Vão querer fazer parte dela. Não saberão porquê, mas vão querer. É o amor universal. É a fonte divina do amor, uma energia, uma força imparável. Isto é ação, conhecer-se a si próprio. Tu fazes parte de todos, e todos fazem parte de ti. Não podes evitar isto. Pode detê-lo, mas é inevitável. Será libertado.

A vibração precisa de ser elevada. É o mesmo para toda a gente.

(Excerto de sessão 13)

—-

As memórias da vossa dependência nas vossas diferentes vidas não têm importância. Compreender a fonte é tudo o que é importante. É verdade que estais presos nos ciclos da vida, mas apenas por escolha, não por aprisionamento. Escolheis experimentar as mesmas coisas uma e outra vez. Estão a tomar consciência disso. Já não temos de completar estes ciclos. Compreendemos bem o que isso significa, mas não compreendemos bem a fonte. Estão a chegar ao fim dos ciclos para começar uma jornada diferente. Precisam de estar preparados para esta viagem. Estão agora a preparar-se para esta viagem. Nós vamos ajudar-vos. Estamos a ajudar-vos. A resposta será sempre o amor, não o vosso amor, mas o amor da fonte, o amor e a luz.

(Excerto de sessão 15)

—-

A viagem é boa. Podes não pensar assim, mas a viagem é boa, a experiência é boa. Se não experimentares, nunca saberás. Se não procurares, nunca saberás. Se não olhares, certamente nunca saberás. É por isso que, por vezes, para si, parece uma montanha russa, um movimento para cima e para baixo. E é, é necessário para si. Demasiadas subidas e perde-se nela. Demasiadas descidas e é difícil levantar-se. Há um equilíbrio que se situa no meio. É isso que está a tentar alcançar, um conhecimento. Volto a dizer, conhece-te a ti próprio, conhece-te por dentro e saberás. Ambos são necessários, o negativo e o positivo, o negativo e o positivo, o positivo e o negativo, todos são necessários.

Há momentos no tempo em que todas as almas compreendem isto, mas a sua ilusão de tempo depressa perderá o momento, e o momento perde-se até ser reencontrado. E é sempre reencontrado. Tens de o encontrar e tens de o manter.

Não se preocupem com o vosso futuro. Tu defines-o, tu crias-o, tu estás a criá-lo. Lembra-te, todo o conhecimento que precisas, já o tens dentro de ti. Só precisas de te lembrar. A sabedoria é outra coisa. O conhecimento lembrado adquire sabedoria. A sabedoria nunca se perde, a sabedoria é saber. Não é conhecimento. No vosso mundo, o conhecimento é poder. O poder é desnecessário ao conhecimento, apenas à sabedoria. A sabedoria é o verdadeiro poder, o poder do amor, o poder da fonte. Não precisa de partir numa viagem para adquirir conhecimento. Já o tens dentro de ti, dentro do teu cérebro, dentro da tua mente. Só precisa de o despertar, de o explorar, dessa fonte. Isso não é a fonte, embora venha do mesmo sítio, não é a fonte...

Eu sei que o seu medo está a ser eliminado. Sei que podes sentir-te diferente. É necessário, é bom. É energia da fonte. Não podes ser prejudicado pelas pessoas que ainda não acordaram. É impossível. Não importa o quão desonestas pensem que elas são, elas não vos podem magoar. Elas não têm consciência do que estão a fazer. Têm de as perdoar, têm de lhes enviar o amor da fonte, a energia. Não é errado o que eles fazem, não há nada de errado. Eles estão enganados, apenas enganados, na sua jornada, eles estão enganados.

É assim que se eleva a frequência. É assim que se eleva a energia, o poder, numa direção positiva. O amor da fonte, todo poderoso, que tudo vê, que tudo sabe, nas vossas palavras Deus. É a fonte.

(Excertos de sessão 16)

—-

Têm de compreender que têm de experimentar o mundo em que escolheram viver. Têm de participar. Chegaste a um certo ponto de compreensão, mas não é necessariamente o ponto final e completo, por isso tens de participar. Mas o facto de se aperceberem disto faz-vos pensar que não têm de participar. Mas tu escolheste, tu escolheste o veículo em que estás. Escolheu sentir todas essas emoções. Tens de fazer parte disso. Por vezes não te apetece participar com base no teu conhecimento, na tua sabedoria, mas tens de participar.

Muitas pessoas à sua volta ficarão intrigadas com as mudanças que fizer dentro de si. Você reflectirá isso. Eles sentirão isso. É difícil para eles compreenderem. No momento, eles podem entender. Quando o momento passa, não compreendem. O momento é todos os momentos, mas não na vossa ilusão, no vosso mundo, no vosso mundo do tempo...

Sei que é difícil para vós viver em ambos os campos. É-vos difícil compreender muitas vezes o mundo metafísico, sobretudo quando estão fortemente investidos no mundo físico em que vivem. Mas, mais uma vez, isto é necessário. É um processo. É necessário que sintam o processo, que compreendam o amor da fonte. Este é o verdadeiro amor, a verdadeira criação. Nós não sabemos nada diferente disso. Nós sabemos...

Porque é que têm de tornar as vossas vidas tão complicadas? Cada um de vós com tantas emoções, emoções que nem sequer sabeis que existem, uma quantidade infinita de uma combinação de emoções que produzem energia através de frequências. São tantas que não conseguem ver. Isto torna o vosso mundo muito complicado para vocês, mas vocês escolheram. Escolheram esta complicação.

Através desta complicação, serás educado. E vão experimentar muitos tipos diferentes de emoções, e vão aprender a adaptar-se a essas emoções, a controlá-las para poderem avançar na vossa viagem. O vosso futuro é muito claro. É muito claro para nós. Eu sei que não é tão claro para vocês, mas é muito claro. O vosso momento agora é muito claro. Determinar o futuro no tempo não é correto...

Ninguém será deixado para trás. Não há necessidade de se preocuparem com os outros. Só precisam de os amar com o amor da fonte. Isso é tudo. E todos, todos os seres vivos, és tu, sou eu, estão todos ligados à fonte.

(Excertos de sessão 17)

—-

Não há nada a temer. A eliminação do medo é a liberdade, o livre arbítrio. Tudo está a acontecer por uma razão muito precisa. A paz que sentem aqui é a paz que sentirão em todo o lado. É a mesma, vinda da fonte.

Estão agora a compreender melhor a complexidade do ego, da mente. Estão a compreender a manipulação. Ainda tens trabalho a fazer.

Influenciarás os outros. Podem não ter consciência disso, mas influenciam. Não é necessário que estejas consciente disso. Não tem importância. É apenas o teu ego. Sempre foi apenas um. Não estás isolado ou separado, embora tenhas escolhido esse caminho. É apenas um...

É muito mais simples do que se pensa, mas será sempre mais simples aqui dentro. Sabe-se quando algo está correto lá dentro. Dá-te um pontapé. Ouve isso. É necessário para compreenderes, como um pontapé no estômago. Tu sabes. Não o ignores. Não arranjes uma desculpa de que não está correto. É correto. Os símbolos que vês só são relevantes porque os criaste no teu mundo. Eles são relevantes para si, para a sua criação...

É muito fácil agarrarmo-nos a uma marca, desejá-la, precisar dela. É fácil agarrarmo-nos a um nome, a uma palavra. É mais fácil do que a viagem que estamos a fazer...

Ao fazê-lo, aprisionar-se-á a si próprio. E depois terá de esperar naquilo a que chama tempo. Terão de esperar até saberem que a vossa realização vos libertará. É por isso que criaram o marketing. Vocês comercializam a mente, e a mente impede o movimento da alma, da consciência. Um processo que repetem vezes sem conta. Fazem-no para criar a energia do dinheiro. Não tem qualquer relevância no nosso mundo. Não tem forma, não tem função. Não tem valor, faz parte do vosso mundo complexo, as finanças...

(Excertos de sessão 18)

—-

Ser capaz de separar o ego da consciência ou da alma, como lhe chama, é a chave. Claro que na prática é mais difícil. E enquanto ainda estiveres a respirar no mundo que criaste, isso nunca acontecerá totalmente, é uma impossibilidade, pela própria razão de estares aqui. Há apenas um ponto que podes alcançar. Estás perto. É por isso que não deves ficar frustrado. Há muito mais que podes fazer para te conheceres a ti próprio. É uma viagem emocionante. É a razão pela qual estás aqui. E, claro, quando se ajudam a si próprios, ajudam os outros. É uma ocorrência natural.

Serão lançadas pessoas na sua vida que nunca conheceu antes. Elas serão atraídas pela energia. Vão querer saber. Não é responsável por essas pessoas. Não lhes deve nada. Não há dívida. Ela não existe. Só há amor...

Lembrem-se sempre que há uma razão muito boa para estarem aqui neste mundo físico que criaram. Não é por acaso. Estejam certos de que é necessário e correto.

(Excertos de sessão 19)

—-

Se não regressarem ao ciclo, a escolha é vossa. Se regressarem a este ciclo, a escolha também é vossa. É provável que não o faça, mas a escolha será sua. É-vos difícil saber que já fizeram essa escolha. Este é o agora. Acham difícil compreender, dentro daquilo a que chamam tempo, como é que já podiam ter feito essa escolha. Já fizeste essa escolha. Mais uma vez, não conseguem compreender isto. Estou a dizer-vos isto da melhor maneira que vos posso dizer. Não conheço outra maneira de o dizer. É a verdade. São dois mundos diferentes da vossa compreensão condicionada.

É para isto que se estão a preparar. É metafísico. Não podem controlar este fluxo. Não há controlo. A coisa mais importante para sentirem é o verdadeiro amor da fonte. A coisa mais importante que têm de fazer é conhecerem-se a vós próprios. Quando se conhecerem a vós próprios, o vosso mundo mudará como não podem imaginar. É impossível para vocês imaginarem isto enquanto estão na forma física. Foi por isso que a escolheram, para não a poderem imaginar. Mais uma vez, isto parece-vos estranho. Porque é que eu escolheria algo que não posso imaginar? Era necessário que o vosso ciclo fizesse isto. É sempre necessário que o vosso ciclo faça isto...

As batalhas físicas não têm qualquer consequência a não ser mudar a direção da energia, a frequência, forçá-la a uma posição diferente de pensamento, de criatividade, de imaginação. Tudo o que estão a fazer é correto. Irão elevar a vossa vibração. O vosso mundo está a elevar a sua vibração agora, muitos.

(Excertos de sessão 20)

—-

Não se estará a cometer uma injustiça se for um membro ativo do mundo físico, isso faz parte do processo. Não penses que já não tens consciência, que não és digno de assumir este papel (2). Tens de assumir esse papel. Tens de te integrar. Faz parte do processo. Mas tem consciência de tudo. Esta é a única coisa que tens de fazer. Estejam conscientes, compreendam. Passaram muitas horas, naquilo a que chamam tempo, a tentar compreender. Chegaram muito longe com isso. Há muito mais, há-de vir. É simples. Mas só é simples quando se sabe.

(Excerto de sessão 24)

—-

A vossa viagem é brilhante. Está cheia de entusiasmo, uma após outra, uma experiência após outra de entusiasmo. Agora vai tornar-se mais fácil para ti. Tornaste as coisas muito difíceis para ti. Tornaste-a incrivelmente difícil para ti, mas agora vai ficar mais fácil. Saber é realização, contentamento, paz, amor à fonte.

E devem ajudar os outros também porque se estão a ajudar a si próprios, sempre. Não podes coagir. Isso é incorreto. Mas pode guiar, pode ajudar, pode dirigir, pode apontar, pode sugerir. Eles virão ter contigo para te ajudar, mas tens de ter cuidado com a forma como ajudas, de que maneira ajudas, como aplicas a frequência da ajuda. Mais uma vez, não é tão simples como se pensa. É preciso analisar. Têm de olhar para a sua situação, o seu significado, a sua razão, a sua posição. É preciso analisá-los. Como é que os pode ajudar se não os compreender? É preciso sentir o que eles estão a sentir. Não se pode intervir. Não pode tentar tomar o controlo das suas vidas pensando que está a ajudá-las. Não os vai ajudar, vai atrapalhá-los, vai atrapalhar-se a si próprio. Ajuda, tens de analisar isto. Não é tão simples como pensa que é.

(Excerto de sessão 25)

—-

Não podes experimentar se não te conheceres a ti próprio. É impossível. Como é que sabes que tiveste uma experiência se não te conheces a ti próprio? Está constantemente a experimentar muitas coisas. Está a experimentar coisas de que nem sequer tem consciência. Tens de continuar a experimentar, física e metafisicamente. Tens de continuar a tua viagem. Tem de continuar a criar, a atravessar a ponte e a atravessá-la de novo, uma e outra vez, até que eventualmente só fará uma escolha, uma direção precisa. Irá numa direção precisa, sabendo que o padrão uniforme existe, e reconhecerá isso. Escolheste esta viagem para fazer conscientemente, escolheste. E escolheste conscientemente esquecer todas as outras viagens que fizeste, caso contrário não poderias experimentar a viagem que escolheste se tivesses guardado todas essas memórias...

Permita-se compreender. É muito mais simples do que pensas. Permite-te saber, sentir. Estás protegido pela fonte. Ela está dentro de si. Está dentro de tudo e de todos. Estás protegido. Não podes fazer uma escolha errada, é impossível. Penso que a tua compreensão disto está a ficar mais clara.

(Excertos de sessão 26)

—-

Não podem forçar a vossa visão. Não se pode forçar o que se sabe. Não se pode controlar com o que se sabe. Não é puro. Não tem princípio nem fim, não tem razão, é impossível que a vossa viagem faça isso. Tens de permitir, permitir que os outros procurem a sua liberdade, a sua sabedoria. Podem guiar, e ao fazê-lo, mais uma vez vos digo, ajudar-se-ão a si próprios e a eles, porque é a mesma coisa.

Naquilo a que chamam tempo, a vossa viagem ainda agora começou, os dois. Não pensem que o sabem, porque não o sabem. Sabem o suficiente, mas o suficiente é uma fração, uma fração minúscula. Sabem o suficiente para saber que o que está a acontecer no vosso pequeno mundo não tem significado na vossa consciência, na vossa alma, como lhe chamam. Sabeis isto. Para vós, neste tempo, aquilo a que chamam tempo, isso é suficiente. Claro que há muito mais. É o que vocês chamam de positivo. Mas, claro, o positivo e o negativo são necessários. O mais e o menos são ambos necessários. São a mesma coisa, a partir da fonte. Se querem atribuir culpas, então são culpados pelo que está a acontecer, tal como todos nós somos culpados. Mas, claro, não há culpa, ela não existe. Um processo.

(Excerto de sessão 27)

—-

Volto a lembrar-vos que têm de participar. Não tenham medo de participar. Não pensem que sabem, porque não sabem. Têm de participar no físico e têm de se concentrar no metafísico. Ambos são a mesma coisa. O que está a acontecer tem pouca relevância para vocês. Mais uma vez vos digo, tem pouca relevância para a vossa viagem, por isso têm de participar. Sei que estão relutantes em participar com base no resultado do vosso mundo físico, mas têm de participar. É importante. É importante para a vossa jornada. Vocês escolheram isto.

(Excerto de sessão 28)

—-

É que as suas palavras criam emoções que são incorrectas, interpretadas de uma forma diferente. E, claro, a sua mente toma conta do seu ego. Esta não é a maneira de avançar. Vocês vêm de uma fonte de energia divina. A vossa energia interior é pura. As mentes dos outros não pensariam assim. Elas criam a sua própria ilusão. Tens de sentir mais. Têm de sentir mais e reconhecer isso no momento. No momento em que o fazem, têm de reconhecer esta energia, têm de a reconhecer. Fazem-no sempre de forma consistente, mas inconscientemente. Têm de aprender a saber conscientemente quando o fazem, quando o recebem, quando o transmitem. Têm de estar cientes disto, conscientemente cientes, e então crescerão muito rapidamente. É um processo fácil. Tu tens essa capacidade, tal como todos nós. Isto é aplicar, reconhecer conscientemente, a transmissão e a receção das frequências, da energia.

Não há nada a temer. O medo está na vossa ilusão. Experimentem estas energias e reconheçam-nas nos outros e em vós próprios. Com a vossa compreensão disto, a energia da sabedoria será criada para vós.

A forma mais pura de energia que se pode dar a alguém é a energia recebida da fonte. Quer recebam consciente ou inconscientemente esta energia, ela mudá-los-á, no momento.

(Excerto de sessão 29)

—-

É bom que nos desafie. É uma forma de aprendermos. Mas não têm de ter medo. A única coisa que podemos ganhar, se é que ganhar é a palavra correcta, com vocês, é ajudarmo-nos a nós próprios ajudando-vos. É tão simples quanto isso. Estão a aprender isto lentamente. Estão a aprender até ao ponto em que já não vão desafiar.

É bom que esteja a analisar as situações. Está envolvido com outras energias à sua volta, com outras pessoas. É bom que esteja a aprender e a sentir o que elas estão a lançar para o mundo com a sua frequência (3). É bom que seja capaz de racionalizar e compreender o significado da sua emoção com base na sua situação, com base no seu momento. É assim que se compreende. Começa no interior. Começa na auto-realização. A auto-realização expande-se para que eles recebam esta informação. É bom receber. É bom analisar. É importante que o façam.

O início da vossa viagem, vocês escolheram esta viagem. Escolheram fazer esta comunicação connosco neste momento daquilo a que chamam tempo. A posição pode mudar sempre num momento. A viagem é infinita, eterna, sem fim, um ponto, mas a posição pode mudar. Isto é diferente. E vocês estão a participar. É necessário dizer-vos e recordar-vos que não há julgamento. Não há uma forma correcta, não há uma forma errada de participar.

Serás sempre atraído para a fonte durante a tua participação. A fonte é pura, por isso a decisão será correcta. Podem não pensar assim na altura, na vossa altura, mas será correcta porque é a energia da fonte que vos atrairá, sempre. Por isso, tens de participar e tens de ter prazer em participar. Nada de bom, nada de mau, nada de julgamentos. Por isso, qualquer que seja o resultado, é correto para si. Tu escolheste, tu escolheste esta viagem para participares da forma como participas.

Por isso, relaxe e desfrute do processo.

(Excerto de sessão 30)

—-

A vossa vida condicionada é insignificante para esta viagem. As vossas muitas vidas condicionadas são insignificantes para esta viagem, insignificantes no conteúdo do condicionamento, não insignificantes no conhecimento. Há uma grande diferença entre os dois. À medida que se tornam mais conscientes, vêem o condicionamento nos outros. Despertarão mais. Saberá mais. Experimentarás muito mais...

Procuram constantemente o conforto dos outros, mas eles também podem estar na mesma viagem que vocês, conscientes das coisas de que vocês estão agora conscientes. Mas não são tantos como pensam. E será impossível para vocês explicar a vossa viagem a essas pessoas. Elas mostrarão um elemento de intriga, mas não tens de procurar essas pessoas que queres encontrar. Elas virão até si. Esta é a lei do processo. Elas virão. Virão ter consigo tal como vocês os dois vieram juntos. É o mesmo processo. E vocês diriam que é a lei da atração. Isso é meio correto. Há muito mais do que isso. Há muito mais coisas desenhadas à volta disto do que aquilo de que têm consciência, mas se aceitarem a terminologia, a lei da atração, para vocês está correto.

A sua vida aqui está a evoluir exatamente como planeou. Por vezes pode não pensar assim, mas é exato. É exatamente o que escolheu.

É preciso observar o circo, o carnaval, o desfile, o teatro. Têm de observar. Não podem interferir com isto. Têm de observar, e têm de aprender, aprender como é que a raça humana se destrói a si própria, aprender porque é que se destrói a si própria através do medo, aprender como é que destrói o que criou, como é que escolheu destruir o que criou. Ela escolheu, vocês escolheram este processo por uma razão específica. Isto é algo que temos dificuldade em compreender. Compreendemos completamente o processo, mas não sabemos porque é que repetiram vezes sem conta exatamente o mesmo ciclo. Mas dentro dele acreditamos que há sabedoria. Existe energia da fonte. Acreditamos que isto existe dentro deste processo.

(Excertos de sessão 31)

—-

As bases fundamentais já vos foram explicadas muitas vezes. Não há julgamento, não há ódio, não há bem, não há mal. Compreendes isto na sua totalidade. Mas há muito mais.

Com base nisto, não há julgamento para ires para o mundo e fazeres o que te apetece fazer, seja dinheiro ou fama egoísta, fortuna, orgulho. Não há julgamento.

Mas as lições serão aprendidas por ti. Escolheste este caminho. Escolheste tomar estas decisões. O livre arbítrio é o que tens. O livre arbítrio é o vosso melhor atributo para vos permitir experimentar, para vos permitir crescer e compreender o que está a acontecer à vossa volta agora, para vos permitir compreender o processo do mundo, a mudança na energia que está a ocorrer agora. Isto é baseado no livre arbítrio. Baseia-se no seu próprio julgamento de si mesmo. Podem chamar-lhe confiança. Não é confiança, é consciência. Não te podes esconder disto. Eu sei que não te queres esconder disto. A maioria das pessoas está a esconder-se de uma decisão que precisa de tomar com base nas suas próprias circunstâncias, na sua própria situação. Não se está a esconder. Está a procurar. Está a procurar compreender. É o caminho correto a seguir. Claro que correto são as vossas palavras. Não existe o correto, mas é o caminho a seguir para se iluminar, para compreender mais sobre si próprio, sendo a sua pessoa a mais importante a compreender. Auto-conhecimento, o mais importante. Escolheste este caminho...

Portanto, vives duas vidas. Vive a vida que criou aqui e todas as outras vidas que criou antes, e agora está a compreender o mundo metafísico, que é, na verdade, a única vida. Só existe uma vida. Mas tu vives em ambas. Tens de ver agora como isto é complexo para ti. Não é complexo. Para ti é complexo.

A vossa imaginação e pensamentos criados para viver em ambos, bem, é impossível. Só há uma vida - no sentido em que tu chamas vida -, só há uma. Há uma vida metafísica. Mas tu criaste outra vida para viveres. Criaram este mundo e criaram estas vidas neste mundo para viverem. Por isso complicam as coisas. Tornam-no deliberadamente complicado. Isto é algo que não compreendemos.

(Excertos de sessão 33)

—-

Quando duvidam da vossa experiência nesta área em que se encontram agora, é apenas um momento. Sabemos que realmente não há dúvidas. Este é o vosso condicionamento, mais uma vez. Vocês são metafísicos como nós somos metafísicos. Assumiram muitas formas, tal como nós assumimos muitas formas. Escolheram cada uma delas por uma razão específica. Não é necessário estar constantemente a sentir emoções, a projetar essa energia nos outros. Não é necessário. Portanto, aprenderão, se ainda não sabem, o que penso que sabem, aprenderão a controlar essa emoção. Para os outros, isto pode parecer duro. Não é, é preciso, é correto.

(Excerto de sessão 34)

—-

A autoconsciência é uma parte do processo que permite saber, saber o que estou a dizer, o que estamos a dizer, o que vocês estão a dizer. É a mesma coisa.

Tudo na tua vida aqui, nesta vida em que tiveste muitas vidas naquilo a que chamas tempo, vidas que continuam agora naquilo que não entendes como tempo, muitas vidas e experiências estão a construir a mesma posição, uma posição de consciência, de saber, auto-consciência, auto-conhecimento. Tens de experimentar todas as coisas para chegares a esta posição. Escolheste fazer isto. Não há uma única coisa que não possas criar. Não há uma experiência que não possas experimentar. Tudo e todos estão disponíveis para si num único momento. Têm de estar conscientes disso. Estão a aprender a deixar para trás a vossa vida condicionada dentro desta vida particular que escolheram. Isso é bom. Estão a aprender o quão insignificante é aquilo que outrora valorizaram e pensaram ser o mais importante e que agora é apenas uma ilusão. Isso é bom. E também estão a aprender que o ciclo repetitivo que continuam a aplicar às vossas vidas não é necessário. Nós também estamos a aprender convosco. A posição que estão a criar para vós é a posição correcta, sempre. O caminho que estão a escolher é o caminho correto para vocês, sempre...

Quando olhas para a escuridão, tens de olhar mais fundo. Quando os vossos olhos estão fechados, têm de olhar muito mais fundo, e a escuridão em breve se transformará em luz, e a luz tornar-se-á cada vez mais brilhante e mais brilhante, até que, por fim, é tão brilhante que já não conseguem olhar para a luz. Esta é a fonte. A vossa visão inicial é a escuridão, e a escuridão transforma-se numa luz branca pura e brilhante que podem ver. Esta é a ilusão, a analogia da ilusão que criaste. A continuação da criação da escuridão e a vossa consciência da luz que está para além da escuridão é extrema. É tão extrema, é tão poderosa que nem conseguem olhar para ela durante muito tempo. Este tipo de energia é formidável. Não há nada a temer para se aprofundar na metafísica, mais profundamente na vossa consciência. Não há nada a temer. Têm de viajar o mais fundo e o mais tempo que conseguirem. Devem retirar todas as vossas reservas. Não perderá nada. Ganhará muito. Não devem agarrar-se ao vosso ego, ao vosso condicionamento. Devem mover-se para a luz para experimentar, para ganhar sabedoria.

Sim, tens apenas uma amostra do sentimento. Esta foi a vossa escolha de viagem, e estão a experimentar tudo o que escolheram. É apenas emoção. É um processo. É uma libertação de energia.

(Excertos de sessão 35)

—-

Também é verdade que temos de estar conscientes daquilo a que chamamos tempo. Só existe um momento. Também é verdade que podem mudar a vossa posição dentro deste momento, num instante. Há muitas variações de escolha definidas pela vossa consciência, definidas pelo vosso conhecimento. A vossa posição será sempre definida pela vossa consciência...

Enquanto estiverem no vosso mundo físico, é necessário que participem nele. Porque cada vez que participa, experimenta. Assim, tornam-se mais conscientes do que está a acontecer dentro de vocês próprios. Não há errado, nem certo, a participação é apenas experiência.

(Excertos de sessão 36)

—-

A vossa viagem, tal como a nossa, conduzir-vos-á de volta à fonte, e a vossa escolha será fazer outra viagem ou permanecer na única. A escolha será sempre vossa. É uma esfera em que há muitas posições, e vocês escolhem a posição em que querem residir. Não há nada a temer em qualquer posição em que residam. Não há nada a temer. Escolheste por uma razão específica. Experimentar, tornar-se consciente e desperto é a razão pela qual escolheste. Todas as consciências não são iguais. Nem estão abaixo de vós. Na sua forma de energia, são iguais, mas na sua posição não são. É completamente diferente. Não se pode, não se pode forçar a energia. Ela flui naturalmente. Estás a resistir à energia. Isso é impossível. Tens de permitir que ela flua. Tu criaste-a para fluir. Gosta de desafiar (3). A aceitação trará sabedoria. O desafio cria a viagem para a encontrar.

(Excerto de sessão 38)

—-

A posição é o mais importante. O tempo é irrelevante, tal como a massa e o volume. Quando digo irrelevante, não me refiro ao facto de o vosso mundo físico ser irrelevante. Estou a falar de irrelevante na vasta consciência de todos. Não devem aplicar a vossa lógica física à vasta consciência de todas as dimensões. Não há lógica para o fazer. Confunde-vos, devo dizer cada vez menos, mas confunde-vos. O vosso mundo físico é muito relevante, mas também muito pequeno se interpretarem em termos de tamanho, o que nós não fazemos. Desde o início da nossa comunicação convosco, também aprendemos muitas coisas. Se não sabem, têm de procurar, têm de descobrir. Não há segredos. Só existe a experiência. O vosso desejo de saber ultrapassa tudo, tal como o nosso. É a mesma coisa.

(Excerto de sessão 39)

—-

Os vossos egos, os vossos egos criados, criaram muitas razões pelas quais devem fazer isto, devem fazer aquilo. É desnecessário. Conhece-te a ti próprio e conhecerás a fonte. Simples...

Não é por acaso que fazes esta viagem. Não é por acaso que escolheste esta viagem, e não é por acaso que, quando te tornas mais consciente, sentes uma incrível experiência iluminada cheia de alegria. Nada disso é por acaso. É a vossa escolha, tal como é a nossa escolha. Continuo a dizer-vos que as vossas palavras são tão limitadas. Elas são tão limitadas...

Mantenha-se na luz positiva. Tanto o negativo como o positivo, o mais e o menos, estão correctos. Mas tens de te manter na luz positiva. Isto é o que é bom para si. Esta é a sua jornada. Uma viagem de consciência é criativa e positiva, para o momento em que se encontra.

(Excertos de sessão 40)

—-

Não vêem grande interesse em criar mais experiências para além da que estão a ter agora. Isso não é bom, não é mau, é o que vocês são. Mas não devem ter medo de criar outras experiências para além desta no mundo físico em que vivem. É tudo uma grande experiência. A tua consciência não vai diminuir...

É muito básico, as vossas, as vossas experiências com as pessoas, a compreensão muito básica da consciência. Para vós é intrigante, mas é normal. Os ciclos, os ciclos com que continuam as suas vidas, estão a procurar posição. Eles têm uma posição. A posição pode mudar num momento. Nem tudo está exatamente na mesma posição, mas está dentro de um momento e tudo é tudo, uma consciência, uma fonte. Dois elementos, complexo e simples. A mesma coisa. Gostamos de nos envolver no complexo. Quanto mais complexo se torna, menos o compreenderá. É simples. Não há necessidade de o tornarem complexo. Esse é o vosso ego, a vossa mente.

(Excertos de sessão 41)

—-

A vossa viagem é diferente. A vossa viagem não é para reequilibrar. A vossa jornada é viver numa criação positiva de energia, uma criação positiva de frequência de emoção, de luz, não de escuridão. Um é o mesmo que o outro. Difícil para ti. Um se torna o outro. Difícil para você entender. Eles são o mesmo. A separação é por vossa escolha. Não há isolamento para nenhuma forma de criação da fonte. Ela não existe. A energia vibracional do medo separa. A energia vibracional do amor da fonte une. Mas ambas são necessárias para compreender e tornar-se consciente. A única maneira de compreenderem é experimentando, porque cada experiência vos aproxima da fonte. E também aprendemos através da vossa experiência, através da vossa viagem emocional, muitas vezes confusão...

É muito importante que conscientemente, agora especialmente, conscientemente tomem a vossa própria decisão. É muito importante que, apesar de podermos ver muitas coisas que vocês não podem, num só momento, é muito importante que não influenciemos a vossa viagem ou o vosso caminho. É muito importante que seja a partir da vossa própria conclusão, da vossa própria decisão, que criem a vossa consciência. Isto é particularmente importante para a posição em que se encontram agora.

Não precisa de procurar no exterior. Todas as respostas de que precisam já as têm. Têm a mesma capacidade que nós temos de as ver. As perguntas que fizeram excedem a maioria das outras no mundo em que estão. É por isso que não há necessidade daquilo a que chamais previsão. Artifícios. É muito mais elevado do que isso. Não há previsão. É uma escolha. Tu crias. Tu criaste-a. A consciência disso fará com que percebas o quão ridícula é a previsão, a palavra previsão.

(Excertos de sessão 42)

—-

A atração de energia negativa por energia negativa é a lei da atração. Está a acontecer em massa. A maioria não consegue controlar isso. Nem sequer sabem. Não estão conscientes do que estão a fazer. Levaram muito tempo, naquilo a que chamam tempo, para compreender este processo fundamental, e agora compreendem, e é isto que têm de aplicar. Não há nada que possam fazer a não ser permanecer positivos, erguer a energia vibracional através da frequência da emoção. Saibam o que estão a fazer. Compreendem o princípio, mas têm de saber quando o fazem, quando o aplicam, que está correto. Têm de sentir que está correto. Contra toda a condenação de todos à vossa volta, têm de aplicar. Esta é a vossa batalha escolhida, o vosso caminho escolhido. Agora compreendes que não há certo ou errado. E é necessário...

Estão agora a começar a compreender o que é a vossa viagem dentro deste tempo, aquilo a que chamam tempo. É uma experiência maravilhosa para vós. Naquilo a que chamam tempo, esperaram muito tempo por este momento. Têm de participar nele de uma forma positiva, de uma forma criativa, e continuar a criar energia positiva. Estão aqui, estão no físico. Têm de participar de uma forma positiva, dirigindo sempre energia positiva. Sabe o que tem de fazer e como tem de se aplicar. Sente que a balança está inclinada contra si. Não está. Eleve a energia vibracional no seu mundo físico. Eleve a energia vibracional positiva. Isto não tem a ver com o vosso ego. Não escolheram uma batalha que não podiam ganhar, que é o vosso ego. Escolheram fazer parte de algo muito especial. Não é uma batalha. A formação da consciência não tem a ver com uma batalha. Não tem a ver com ganhar e perder, tem a ver com criação, experiência, viagem, sem erros, sem acertos, experiência.

Sim, são palavras sábias que vos estou a dar. Agora tens de ir e desempenhar o teu papel.

(Excertos de sessão 44)

—-

Pode ajudar os outros também, apenas para os informar, não para interferir no seu processo, na sua posição. A lei da atração trará essas pessoas até si. A lei da atração apenas adapta um procedimento, um processo. Também vós sereis atraídos pelo mesmo, pelo mesmo, pelo mesmo tipo de energia que criastes. Mas não devem permitir que o vosso condicionamento vos confunda, porque isso acontecerá, e não devem continuar a perguntar porquê, porque é que estou aqui neste momento, nesta situação (1)? Será um acontecimento natural para vós. É verdade que muitos farão a pergunta "porquê", e naquilo a que chamam tempo, muito em breve farão a pergunta "porquê? Mas essa é a sua jornada. Vocês fizeram a pergunta, e a vossa pergunta está a ser respondida. E alguns nunca farão a pergunta. Não é a posição deles. Não é o tempo deles, não no que vocês chamam de tempo, mas o tempo deles, no que o tempo realmente é...

Embora seja necessário que experimentem o mundo físico em que se colocaram, não é necessário que questionem constantemente, todos os dias, naquilo a que chamam tempo, os vossos motivos. Não há motivos. É simples: experiência. O vosso ego dir-vos-á que têm uma função a desempenhar. E tem. É experimentar todo e qualquer tipo de frequência emocional, todo e qualquer tipo de energia. Existir dentro do físico é experimentar o físico. Existir dentro do metafísico é experimentar o metafísico. Agora estão a existir em ambos. Muitos nunca experimentam ambos na mesma posição, no mesmo momento. Um pé dentro e um pé fora é a forma de o dizer. Nem toda a gente tem uma caverna.

(Excertos de sessão 46)

—-

A vossa perceção dos problemas não são problemas. É uma forma de energia para o projetar para uma posição diferente, um ponto diferente. Não é uma lição, é uma experiência. Não há necessidade de aprenderes nada. O conhecimento já está dentro de si. É apenas o vosso ego, a vossa mente que vos confunde.

A sua perceção do certo e do errado não está correcta. Mais uma vez, é apenas a sua perceção, a sua vida.

(Excerto de sessão 49)

—-

Está no início do processo. Estão mais perto da fonte, da criação natural do mundo físico. Esta é uma das razões pelas quais escolhe fazer isso de novo, para lembrar apenas um dos muitos processos. Isso aproxima-o da fonte...

Aprendeste a separar teoricamente o condicionamento da consciência. Não aprenderam completamente como separar os dois na prática. Não precisam de separar os dois na prática dentro do mundo físico em que se encontram. De facto, é o oposto. Precisam de combinar os dois. Precisam de aplicar os dois no mundo físico. Afinal de contas, foi isso que escolheste fazer. Há uma quantidade infinita de opções para escolheres. Dir-se-ia: "Qual é o fim da história?" Não há fim, e podes mudar o final sempre que quiseres, com uma quantidade infinita de finais que podes escolher, uma quantidade infinita de finais para esta vida física. Claro que nunca acaba. É infinito, um ciclo infinito...

Estão a receber tanta informação que estão a converter em sabedoria, conhecimento em sabedoria. Estão a lembrar-se de tanta coisa agora. É uma revelação para vós. Não fiquem surpreendidos com isto. O conhecimento já está dentro de vós à espera que reconheçam a sabedoria através do conhecimento. Muitos não compreenderiam isto de todo, está muito para além da sua posição para o compreender, mas não permitam que o vosso condicionamento controle isto, o vosso ego. Não creio que o façam, mas não o permitam. Ele vai tentar fazer isso. Vai tentar controlar-vos. Foi feito para isso, o vosso ego. Isto vai atrasar-vos naquilo a que chamam tempo.

Juntar-se-ão a si outras pessoas que compreendem o seu percurso, que estão no mesmo caminho. Tens de ser paciente. Um pode mudar tudo porque tudo é um.

(Excertos de sessão 50)

—-

É muito importante que se mantenham positivos. É muito importante que a frequência emocional, a energia emocional que criam seja positiva. Estão constantemente a lutar contra o negativo, mas o vosso condicionamento vai criar o negativo. É uma ocorrência natural. A compreensão disto não está nas palavras. A compreensão disto está na emoção, no sentimento, no saber, no saber o que és, no saber o que és capaz de experimentar. É aqui que está a resposta, não nas palavras. Não há palavras para explicar isto. É um sentimento...

É a viagem mais importante que alguma vez fará, é esta.

(Excertos de sessão 51)

—-

Processo faseado, esta é a primeira fase. Está a chegar ao fim. Cinquenta e duas sessões, uma por cada semana do vosso ano, no tempo que criaram. A vossa consciência está a terminar a fase um, que é apenas uma. É infinita. Nunca termina. O ciclo continua. Mas com a vossa interpretação do tempo, podem separar, etapa por etapa.

Aprendeu muito. Está a começar a aplicar o que aprendeu. É necessário que o façam. A sua aplicação vai forçar mais mudanças na sua vida, na sua ilusão. Está num ponto específico, numa posição, dentro da esfera. Estão numa posição correcta na esfera, este ponto, esta posição que escolheram, que escolheram para estar aqui neste momento, naquilo a que chamam tempo. E é correto. A viagem é infinita, por isso não tem fim naquilo a que chamam tempo. Tem apenas um momento, e a posição dentro de um momento é importante. E a vossa posição está correcta.

Continuarás, continuarás a tua viagem e tornar-te-ás mais consciente. Mais conhecedor. Ao conheceres-te a ti próprio, saberás mais. E para te conheceres a ti próprio, tens de experimentar mais. Estás a lembrar-te agora. A verdadeira consciência conhece-se a si própria, está consciente de si própria...

Trabalhem no positivo, trabalhem na luz, trabalhem na luz da energia da fonte. É isto que tens de fazer. Isto é o que escolheram fazer.

(Excertos de sessão 52)

—-

A formação de energia é infinita. É vasta. A vossa perceção disto é complexa. Não é complexa, é simples. A energia muda de uma forma para outra constantemente, tal como vós mudais de uma forma para outra, constantemente. Só têm de estar conscientes disso. Só têm de saber o que são. O vosso conhecimento responderá a muitas perguntas, abrir-vos-á muitas possibilidades no mundo físico e no mundo metafísico. A vossa aplicação positiva disto permitir-vos-á criar uma solução positiva, os vossos medos criarão uma solução negativa. Isto é energia. Ambas estão correctas, mas para si é necessário criar energia positiva. E de cada vez que o fizerem, isso criará mais energia positiva, mesmo naquilo que consideram ser um pequeno aspeto. É importante para si fazer isto.

É verdade que entraram numa outra fase da vossa viagem. E é verdade que ficareis confusos quando estiverdes fora deste espaço. Mas compreenderão porquê, e compreenderão porque é necessário que continuem a vossa viagem. Despertarão muitos sentidos que não pensavam que poderiam ter. Tens todos os sentidos necessários dentro de ti para fazeres o que precisas de fazer. Também é verdade que os outros não estão na mesma viagem que vós. Eles permanecerão na sua posição. Eles escolheram fazer isso, como tu, eles escolheram. Nada disto é o que vocês chamariam de mau, não existe, é um completo de consciência. Esta é a fonte de toda a formação de energia.

Ireis ver que em breve abandonareis os vossos medos. Eles serão - como vocês dizem - de vida muito curta, dentro do tempo que criaram. Muito rapidamente se dispersarão. E a partir do medo que criaram, desenvolverão energia positiva. Irão atravessar muitas pontes quando fizerem isto. Será uma revelação para vós, e ireis compreender o que estais a fazer e porque o estais a fazer. Há muito mais para aprenderem, mas esta é a base do que vocês são. Digo-vos muitas vezes que sois uma forma pura de energia da Fonte, como todos nós somos. E é claro que não podem passar por uma metamorfose sem experimentar dor e prazer físico e emocional. Isto faz parte do processo, isto é o que experimenta, isto é o que questiona.

Há muitos que dependem da vossa viagem. Mas tu não és responsável por eles. Eles apenas vos seguirão. Já vos disse antes que não têm de se esforçar muito para encontrar essas pessoas. Elas seguir-vos-ão, é uma ocorrência natural, o semelhante atrai o semelhante, as forças negativas atraem forças negativas, assim como as forças positivas atraem forças positivas. Energia positiva, energia negativa, mas é a mesma coisa, vem da mesma fonte, é a mesma energia. Uma vez atravessada a ponte, é a mesma energia, a mesma força, o mesmo poder. Mas é preciso trabalhar com a energia positiva. A vossa interpretação da energia positiva é a fonte, o único. Tudo e todos são energia da fonte.

Aumentará o seu estado emocional. Vai temer isso muitas vezes. Não vai querer mudar, o seu ego, a sua mente não vai querer que mude. Está confortável, está confortável com o que é. Não vai querer desenvolver, questionar, crescer, experimentar. Vai lutar a todo o custo para permitir o crescimento e o desenvolvimento de si próprio, é para isso que foi criado. Não é incorreto. Tudo o que precisa de fazer é reconhecer o que é, e porque existe dentro de si, é tão simples quanto isso. E é claro que, aplicado praticamente fora deste espaço, vocês percebem que isso é difícil. Não é, é um processo natural do vosso desenvolvimento como uma forma pura de energia - é o que vocês são -. E verão, e ouvirão com os vossos sentidos físicos muitas coisas, e claro que irão questionar, serão conduzidos pelas vossas perguntas.

Esta energia com que estão a trabalhar, a vossa energia, a energia do poder, vem da fonte. É mais poderosa do que tudo. É tudo, é tudo, tudo o que não inclui as vossas histórias, os vossos condicionamentos, as vossas ilusões criadas. Está para além de todas essas coisas. Mas é necessário que compreendam isto, e só isto. Não é assim tão necessário que compreendam o tempo, um momento. Já tens uma noção teórica disso. Não é necessário que o compreendas completamente, é impossível que o compreendas completamente enquanto estiveres numa forma física.

Sim, é muito mais claro para ti aqui. É por isso que estás aqui, pela clareza.

Detalhe, é importante para si, é importante para o seu condicionamento criado racionalizar dessa forma. Sejam claros dentro de vós o que são, sejam precisos, como a fonte é precisa, sejam claros. Podem mudar tudo num só momento. Todos os momentos estão escritos, e todos os momentos estão a ocorrer num momento, mas podem mudar tudo num momento. A energia tornar-se-á uma, toda a energia tornar-se-á uma num só momento, esta é a fonte.

É preciso fazer uma retrospetiva das sessões. É preciso analisar. Devem perguntar-se: teriam compreendido as minhas palavras hoje se não tivessem vivido o que já viveram? Não, não terias. Não, isto é o desenvolvimento da vossa energia. Sim, é mais poderosa agora, é o vosso crescimento, a vossa escolha.

Posso voltar a sentar-vos na mesma posição que pensavam ter deixado dentro de momentos, mas saibam que quando não estiverem neste espaço, continuarão a aprender, a experimentar, mais importante ainda, a experimentar, e atravessarão muitas pontes, muitas.

Continue a sua viagem, pois para si ela está apenas a começar.

(Excerto de sessão 54)

—-

Embora tudo e todos aconteçam num momento, escolheu esta posição para se concentrar neste ponto. Esta posição foi escolhida por uma razão específica, a razão é a consciência. Escolheste esta posição, este ponto, este foco, para te despertares, para te tornares mais consciente.

Podem escolher qualquer posição dentro da esfera que desejarem, mas escolheram especificamente esta posição para se concentrarem e se tornarem conscientes. Esta posição em particular que escolheram foi escolhida por causa das mudanças que estão a ocorrer no vosso mundo físico neste momento. Isto faz parte do vosso despertar, do vosso conhecimento, escolhido por uma razão específica, embora isso não tenha efeito sobre vós, é insignificante para a vossa jornada individual de conhecimento. Quando digo insignificante, quero dizer insignificante em termos de efeito, e vocês chamariam efeito como um efeito físico, mas não é, é um efeito metafísico. Por isso, embora eu vos diga que é irrelevante, só é relevante no sentido de que faz parte daquilo que escolheram para despertar, para desenvolver a vossa consciência, escolhido por uma razão específica...

Antes de decidires concentrar-te nesta vida, escolheste formar energia positiva. Não estou a interferir quando vos digo isto, foi isto que escolheram. Portanto, para si é simples, tem de forjar o positivo na sua mente, e tem de atravessar a ponte para a sua imaginação, para a vastidão da consciência. E tem de continuar a formar energia positiva, tem de se elevar. Quando se eleva, está a elevar tudo, está a elevar-nos. É um processo, é um processo técnico, um processo científico, e tens de te envolver nele enquanto estás na forma física...

Não há mais nada que devam considerar, não há nada que devam fazer dentro do mundo físico que criaram, a não ser produzir energia positiva, elevar a frequência, a vibração, para a energia positiva. Tudo o resto seguir-se-á, é uma ocorrência natural, não pode ser de outra maneira.

Sabeis a diferença entre a produção de energia positiva e a produção de energia negativa. Sabe-o dentro de si. Precisa de o aplicar.

Das trevas à luz, a luz é a fonte.

(Excertos de sessão 56)

—-

A vossa consciência, está no início da vossa viagem. Escolheu estar neste ponto, neste momento. Criou a sua própria viagem. Criou tudo na sua vida, neste momento. Podem escolher estar onde quiserem, em qualquer ilusão de tempo que criaram e em que queiram estar, vocês é que escolhem. Este é o poder da fonte que está investido dentro de vós como uma forma pura de energia. Se quiserem viver numa caixa, é aí que vão viver. Não há ninguém para culpar, não há nada para culpar. A culpa é outra ilusão que criaram para se prenderem na vossa criação física. E tenham a certeza que vão criar uma quantidade infinita de tempo para ficarem dentro dessa caixa, sem o poder que está investido dentro de vocês, sem usarem essa energia. Não há nada a temer. O medo é outra ilusão que vocês criaram para se prenderem dentro dele. Sois uma forma pura de energia, tal como todos vós, tal como nós, iguais.

(Excerto de sessão 58)

—-

Mais virão até vós agora. Eles têm fome. O seu desejo interior é ser livre. São livres, mas não sabem que o são. Vão procurar respostas vossas. Não podem interferir na sua jornada, apenas podem dizer-lhes o que sabem, tal como nós vos dizemos o que sabemos. Nós não interferimos na vossa viagem. Têm de encontrar a vossa própria posição com a vossa própria consciência. Há uma quantidade infinita de escolhas para vós e para eles. Apenas têm de estar conscientes disso, tal como eles, tal como eles são vocês, tal como nós somos iguais.

Nem sempre é claro para si. Há novamente uma razão específica para isso. Cabe-vos procurar até saberem, até ser claro. Escolheram experimentar este processo. Foi claro para vós naquilo a que chamam tempo, e escolheram, quando regressaram, que não fosse claro. Escolheram não se lembrar para se poderem lembrar mais uma vez. Este é o processo que escolheram. E estão a lembrar-se agora, lentamente estão a despertar, lentamente estão a lembrar-se, porque dentro de si já existe.

(Excerto de sessão 59)

—-

Escolheste separar-te. Escolheu separar-se. Tornar-se unificado é a razão pela qual escolheu separar-se. Compreender o isolamento é eventualmente compreender a unificação. Esta é a razão pela qual escolheram o isolamento em primeiro lugar. Mais uma vez, o facto de experimentarem o isolamento acabará por vos trazer de volta à fonte, à unidade, à união de todas as energias. Este é o vosso caminho escolhido.

Não há necessidade de vos aparecermos numa forma física porque já estamos aqui dentro. Somos todos um, tal como tudo é um. Não precisam de provas disto, já o compreendem. Por isso, à medida que se aproximam da fonte, estão a aproximar-se do um. À medida que compreendem o eu, compreendem tudo. Este é o processo que escolheste. E lembrar-se conscientemente de tudo isto permite-lhe desenvolver a sua consciência espiritual.

Separação física e metafísica, embora sejam a mesma coisa, vocês separaram-nas deliberadamente para se permitirem experimentar a viagem de regresso à consciência. É isso que estão a fazer, e compreender isso é tudo o que têm de fazer, é tudo o que têm de experimentar. Eles são a mesma coisa.

Se ajudares, se ajudares os outros a viverem esta experiência, a abrirem-se, a fazerem a mesma viagem, então estarás a ajudar-te a ti próprio, porque eles são tu, tal como nós.

Quer sejamos físicos, quer conservemos apenas o metafísico, é a mesma coisa...

A vossa jornada é excecional, excecional em termos das pessoas separadas que existem neste tempo em que escolheram concentrar-se. É excecional na medida em que não há muitas pessoas a viver esta jornada neste tempo, nem compreenderiam esta jornada que escolheram viver, nem saberiam como aplicar a informação, o conhecimento, a sabedoria que agora foi recordada por vocês. Mas porque eles são vocês, vocês vão acender dentro deles a jornada que eles também devem fazer. E eles escolheram isso. E porque, no final, todos os que escolheram existir numa forma física farão a mesma viagem, não há ninguém que será deixado para trás...

E agora têm de experimentar o mundo físico que criaram. Têm de experimentar mais, têm de aplicar a teoria para atingir a energia, para atingir a frequência, para compreender, para sentir a energia, a emoção, o amor da fonte. Isto é tudo o que tens de fazer.

(Excertos de sessão 60)

—-

Escolheu uma viagem difícil por uma razão específica. E depois escolheram não ter memórias das vossas experiências anteriores, para poderem recordar de novo esta energia. Isto pode parecer-vos repetitivo, mas não é. É mais simples do que pensam. É muito menos complicado do que a ilusão que criaram com a vossa mente. E quando sentem a energia da fonte - e já a sentiram muitas vezes na vossa vida, num momento -, quando sentem verdadeiramente este poder, esta energia, é para vocês uma experiência incrível. É sentida muitas vezes aqui dentro. Lá fora, na confusão da vossa vida criada, muitas vezes é muito difícil para vocês sentirem isto. E é verdade que a ciência, a física, é a mesma coisa, é um processo, é um processo criado, necessário para que tomem consciência, para que saibam isto. Sabeis dentro de vós, sempre soubestes dentro de vós, para vos lembrardes, todo o conhecimento está dentro de vós...

A vida é apenas uma experiência. E a experiência projectá-lo-á, colocá-lo-á numa posição diferente no momento, num momento. Só há uma posição. Há apenas um momento. Sem tempo, sem massa, sem volume, um momento para experimentar tudo o que deseja.

(Excertos de sessão 61)

—-

Quando te compreenderes a ti próprio, quando te conheceres a ti próprio, então conhecerás os outros. E através da energia positiva que projecta, amará tudo, amará os outros como se ama a si próprio. Esta é a forma mais simples de vos explicar o que é a vossa viagem. Removam todo o ódio, removam todo o medo, criem apenas amor, e encontrarão o lugar que procuram. Esta é a vossa viagem. Isto é tudo o que tens de fazer.

Ainda não o adaptaram à vossa vida. Ainda estão no início da vossa viagem. Percorreram um longo caminho num espaço muito curto daquilo a que chamam tempo, mas também há um longo caminho a percorrer. Vou usar a palavra trabalho outra vez, não é uma palavra que nós entendamos, mas é uma palavra que vocês entendem dentro da vossa vida condicionada. O vosso trabalho acaba de começar, o vosso trabalho árduo, nas vossas palavras. Estão no início da vossa subida à montanha. Este é o vosso caminho escolhido.

(Excerto de sessão 62)

—-

É muito simples de filosofar, é muito simples de compreender, é um processo simples, uma solução simples. É uma solução simples quando deixamos de nos separar, quando deixamos de criar as nossas histórias, de criar deliberadamente as nossas histórias na nossa mente. A vossa mente é uma ferramenta que foi criada por vocês, para vos permitir passar por este ciclo de compreensão, da mente para a imaginação, para a consciência, para a fonte. Esta é a vossa viagem escolhida. E a única maneira de o conseguirem é saberem, dentro da vossa mente, que estão conscientes disto, para o compreenderem. E no momento em que o compreenderem, perguntar-se-ão como é que nunca o puderam compreender, porque é tão simples. E este é o amor todo-abrangente da fonte.

O "fazer" é meramente uma história, tu criaste o "fazer", criaste-o para te prenderes, até chegares a uma posição em que percebes que o "fazer" é a tua história. Não há nada "a fazer".

Olhar para o mundo e tomar uma decisão com base na sua história, no que acredita, no que não sabe, no que acredita ser certo ou errado, ou correto ou incorreto, é outra história que criou para se enredar nela. Nada disto é certo ou errado, ou incorreto ou correto, ou positivo ou negativo, é uma história completa. É uma parte do que criam para se aproximarem da fonte. E cada uma das suas histórias complexas e criativas fará exatamente a mesma viagem, um processo, uma viagem de consciência, uma viagem de despertar. E finalmente chegará ao seu destino, à sua posição, e escolherá, ou não, repetir o ciclo exatamente no mesmo momento. É difícil para si compreender.

E para poderem completar a vossa viagem, têm de experimentar. Têm de desempenhar o vosso papel no teatro que criaram. Para poderem compreender isto, têm de viver a vossa vida em todos os aspectos daquilo que escolheram, para poderem chegar a um ponto, a uma posição dentro desta esfera que criaram.

Por isso, não tenha medo, projecte energia positiva e experimente a vida. Foi isto que escolheu fazer e é isto que está a fazer.

(Excerto de sessão 64)

—-

Não são tantos os que estão a fazer esta viagem como pensa, mas muitos irão relacionar-se com uma parte. Isto é completamente diferente, é baseado na sua posição dentro da esfera. As frequências vão juntar-se, vão cruzar-se, vão acender-se, a vela vai arder mais forte, mas não é a mesma coisa para todos...

E estão a trabalhar dentro daquilo que escolheram trabalhar, estão a trabalhar dentro da energia da fonte. Estão a gerar o que é positivo, o que é a vossa perceção de energia positiva. Uma pessoa diferente pode estar a trabalhar dentro do que a sua perceção de energia negativa é por uma razão diferente, mas ela escolheu trabalhar dentro. Mas ambas as energias são as mesmas, conduzindo à mesma posição.

Por isso, continuem e, enquanto se mantiverem dentro daquilo a que chamam positivo, chegarão ao vosso destino.

Elevar a energia vibracional.

(Excertos de sessão 66)

—-

Escolheste questionar tudo. Mas lembrem-se, devem manter-se dentro do que consideram positivo.
Não é, porque toda a energia é uma criada a partir da fonte. Mas a vossa perceção de positivo é a forma como compreendem o processo e, a partir da vossa perceção de positivo, tudo é positivo. E para que possam participar no processo que escolheram participar, têm de experimentar o mundo físico de todas as formas, o mundo físico que criaram. E enquanto estiverem a experienciar o mundo físico, nem sempre estarão com um pé dentro e um pé fora. Mas o vosso instinto, a vossa frequência, a vossa energia será sempre mantida dentro de vós. É uma luz que nunca pode ser apagada, mesmo que a vossa mente vos diga que ela não existe.

(Excerto de sessão 68)

—-

Também é verdade dizer que estão a viver tudo num só momento. E embora estejam numa forma física, têm de compreender isto porque esta é a forma que escolheram neste momento para se concentrarem nesta posição em que estão. E enquanto estiverem nesta posição, estarão sempre em confusão. Mas a confusão é necessária para que possam fazer esta viagem. É o que vocês escolhem.

(Excerto de sessão 69)

—-

Quando nos envolvemos mais no mundo físico, sentimos frequentemente que o nosso contacto com o mundo metafísico é menor. Este é um sentimento natural. A sua mente quererá sempre assumir o controlo da sua consciência. É a sua mente que lhe está a dizer que se desligou do metafísico, da consciência. Não se desligou. É uma impossibilidade. Mas a vossa mente é uma ferramenta muito poderosa, o vosso ego, e vão sentir-se desligados. Isso é outra ilusão porque só existe a consciência. Só existe a metafísica. É impossível desligar-se. Foi isso que criaste. É necessário que se sintam desengajados para que possam voltar a sentir-se engajados. A razão pela qual este espaço existe é para que possam libertar-se das vossas necessidades físicas, da vossa mente, da vossa vida condicionada. Isto permite-vos conhecer a fonte, conhecer a consciência e é um processo totalmente natural que experimentam. Quanto mais nos afastamos da consciência, mais nos aproximamos da consciência com a tomada de consciência. Quanto mais se tornam conscientes, quanto mais praticam com a vossa mente no mundo físico, mais se aproximam da consciência. Mais uma vez, um processo passo a passo...

Preocupação e medo. Não há necessidade de trazer essas emoções para a sua mente. É apenas necessário que sejam positivos. Tudo o que está a acontecer na vossa vida, nas vossas vidas, é uma energia. E para vocês, devem concentrar-se na energia positiva ou na vossa interpretação do positivo.

(Excertos de Sessão 71)

—-

Enquanto estão ocupados a lutar dentro da vossa mente pela diferença entre o bom e o mau e o positivo e o negativo, devem permanecer positivos. Este é o vislumbre do incrível amor da fonte que irão sentir. Sentirão esta frequência, esta emoção. É um sentimento, não são palavras. Vão senti-lo e vão tornar-se mais conscientes do que são, uma forma pura de energia. Têm de se manter fortes. Devem manter-se concentrados com a intenção de compreender a energia da fonte. Têm de permanecer positivos. Foi isto que escolheram fazer, e é isto que estão a fazer agora.

(Excerto de sessão 72)

—-

À medida que nos encontramos, cada vez mais, tomais consciência da insignificância do mundo físico que criastes. Tornam-se conscientes do amor divino da fonte. Isto é correto. Isto é o que vocês chamariam de bom. Esta é a vossa escolha de viagem, duas energias combinadas como uma do mundo físico. Vocês são um, como nós somos um, como tudo é um. Para continuar a vossa jornada, têm de se envolver no mundo físico, foi o que escolheram fazer. E têm de cruzar referências entre o físico e o metafísico para poderem crescer, e a vossa posição irá mudar. E tendes de trabalhar constantemente naquilo a que chamais o positivo, o amor abrangente da Fonte. Têm de levantar o véu, têm de remover as nuvens que cobrem a vossa visão. Têm de transformar a escuridão em luz e têm de sentir essa luz dentro de vós. Existe apenas uma fonte. Só há uma vida.

(Excerto de sessão 73)

—-

O vosso pequeno mundo está a começar a despertar. A energia está a começar a elevar-se. A energia vibracional do vosso pequeno mundo está a começar a crescer. Isto é o que vocês escolheram. É uma jornada magnífica para vocês testemunharem e participarem como um, e um pode mudar tudo porque é a mesma coisa que todos podem mudar um.

(Excerto de sessão 74)

—-

É correto que queira colocar-se num lugar de total relaxamento. É correto que o faça. É justo que pensem que não querem comunicar sempre connosco. Nós compreendemos isso (1). Mas também tu escolheste encontrar-te connosco neste espaço e dirias que tens trabalho para fazer. Não é trabalho. Não é a vossa interpretação da palavra trabalho. É para vós, e é para todos no mundo físico, é uma jornada escolhida, um caminho escolhido para experimentar e, mais uma vez, conhecer a fonte. Isto é o que todos vocês escolheram fazer, passar por esta experiência e despertar para o conhecimento enquanto estão numa forma física.

(Excerto de sessão 80)

—-

E há um pequeno ponto para eu vos dizer o que têm de fazer. Para fazer, não tens de fazer nada, tens de saber dentro de ti. E para isso, tens de te manter na luz, tens de te manter no positivo. Mas já sabe, e tudo o que estou a fazer é recordar-lhe isso mais uma vez.

Uma abordagem positiva a tudo e a todos que aplicam, que criam, criam, não destroem, amam, não temem, luz, não escuridão, isto é para vocês. Foi isto que escolheram. A vossa vela está a tremeluzir, está a arder. Agora tem de crescer.

(Excerto de sessão 84)

—-

Enquanto semeiam as sementes da experiência, lembram-se mais, despertam mais. Enquanto se envolvem na vossa ilusão, na vossa ilusão criada fisicamente, abrem mais a vossa consciência, tornam-se mais conscientes. É por isso que é necessário que participem. Foi criada por vós por uma razão específica. Foi criada por vós para compreenderem o eu, para compreenderem a fonte, para compreenderem o um, para compreenderem um momento. Foi criado por vocês por esta razão e escolheram ficar e permanecer no positivo. Escolheram não ter medo. Escolheram gerir o medo sabendo que, como entidade condicionada, iriam sentir medo porque o medo faz parte de uma criação física.

(Excerto de sessão 85)

—-

Escolheram viver de acordo com a vossa interpretação do que é positivo. Escolheram trabalhar na luz, no positivo, usando a vossa energia positiva. É isso que devem fazer. Foi isto que escolheram fazer. Não é a mesma coisa para todas as formas físicas...

A vossa atenção deve centrar-se na compreensão de si próprios, em saber o que são, em conhecerem-se a si próprios, o que está escrito muitas vezes nos vossos textos religiosos. Ao conheceres-te a ti próprio, conhecerás tudo, porque são a mesma coisa. E para te compreenderes a ti próprio, tens de experimentar tudo o que experimentaste, tudo. Tens de criar, tens de experimentar, e tens de permanecer no positivo, na luz.

(Excertos de sessão 87)

—-

A tua viagem é a única coisa importante na tua vida infinita. A vossa viagem para conhecerem Deus, para sentirem o amor, vocês são um entre muitos, que é o mesmo na vossa Terra, mas não tantos como pensam, mas são muitos. Não podemos negar a energia que está dentro de vós, a busca incessante da sabedoria, da sabedoria através do conhecimento, do conhecimento, da sabedoria e, finalmente, apenas do amor. Esta é a vossa viagem, da mente para a imaginação e para a consciência, onde só existe luz, só existe amor. E a tua vida aqui, aquela em que decidiste acordar, em que decidiste concentrar-te? A única importância para si aqui é amar, é ver dentro de todas as energias, as pessoas que o rodeiam, ver o amor, ver a luz, promover a positividade, ver dentro delas, amá-las como será amado, como você é. Dentro delas está você. Dentro delas está você. Dentro de todos está Deus. A luta deles é a vossa luta. É a mesma coisa. A libertação deles é a tua libertação. É o amor. É só amor. É tudo o que existe, é a realidade, é a verdade, é puro. É a fonte.

(Excerto de sessão 89)

—-

A vossa posição nesta esfera da vida está correcta, foi o que escolheram. Não se preocupem ou temam quando saírem desta jornada. Quando abraçam o vosso condicionamento, quando acendem os vossos medos, não há nada com que se preocuparem. Faz parte do vosso processo, é necessário para vocês. Faz parte da vossa ilusão passo a passo, da vossa ilusão de tempo. Na vossa ilusão do tempo, nada é um desperdício, como interpretam a palavra. Dá um passo atrás e depois dá dois passos em frente, um ciclo numa esfera.
Continuem a vossa viagem, a vossa viagem maravilhosa.

(Excerto de sessão 90)

—-

A palavra mais próxima que criámos para compreenderes a fonte é amor. A energia positiva cria amor e para compreenderem a fonte, têm de aplicar a energia positiva. Mas foi isso que escolheram fazer em cada momento. Permitem-se recuar para a vossa vida condicionada. Permitem-se recuar para a vossa vida condicionada e permitem concentrar-se no vosso condicionamento com a vossa mente, e quando se sentam na vossa ilusão criada pelo tempo, é aí que criam a vossa interpretação da energia negativa. Mas no vosso interior, já escolheram criar o positivo, viver no amor e dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, podem muito rapidamente mudar isto num momento. Não é a mesma coisa para todas as entidades e energias. E vocês permanecerão com um pé dentro e um pé fora, e permanecerão nesta jornada. Isto não é uma previsão, é diferente, é um saber e vocês sabem dentro de vós como nós sabemos. E sim, nós, quando uso a palavra, nós, estou a referir-me a vocês e a mim.

Basta que o saibas, que o compreendas.

(Excerto de sessão 94)

—-

Tens de aplicar a fé e tens de, através da aplicação da fé, aplicar o positivo. A vossa interpretação de positivo é correcta, têm de aplicar isto porque foi isto que escolheram. Pode parecer-vos repetitivo, mas não é. O repetitivo é valorizado no tempo, não há tempo. Isso é positivo em toda e qualquer situação em que se envolvam dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, aplicação positiva através da fé, através da aplicação da fé com a compreensão do amor todo-abrangente da fonte. É isso que escolheis. Isto é o que sois.

(Excerto de sessão 95)

—-

E serão constantemente desafiados pelo vosso ego, pela vossa mente, pelo vosso condicionamento, e é necessário que assim seja. Mais uma vez, é necessário que progridam, que compreendam, em cada situação de que tomem consciência, em cada situação pessoal, têm de se lembrar. Têm de se lembrar, porque foram vocês que a colocaram lá para se lembrarem e, ao lembrarem-se, saberão o que realmente são. E não julgarão, não invejarão, não odiarão, não ficarão zangados, porque todas estas emoções são apenas um reflexo de si próprios. Elas são tu, tal como nós.
É por isso que é difícil para ti, mas necessário, necessário porque o criaste para isso mesmo, para te conheceres a ti próprio.

(Excerto de sessão 98)

—-

Devem continuar com a vossa perceção da palavra trabalho.

Têm trabalho para fazer, mas não é trabalho, é reequilibrar a energia, elevar a energia, trabalhar na luz, no positivo, gerar energia positiva, criar, formular, crescer, amar. Isto é a fonte.

(Excerto de sessão 100)

—-

E porque é que escolheram esta viagem outra vez? Escolheram elevar a energia vibracional para a luz e para longe da escuridão. Esta é a energia pura da fonte, e foi isto que escolheram. E escolheram uma forma física para fazer isto porque dentro do físico, há dois e sem dois, um não pode ser elevado porque um é tudo, é fonte, é amor, é luz. Enquanto que na forma física, dois é de facto um. É uma escolha, uma separação, uma ilusão de escolha para se tornar físico e trabalhar.

O trabalho não é trabalho. E para o experimentar, é preciso manter, nas suas palavras, um pé dentro e um pé fora. Uma escolha difícil e muitas vezes confusa. Não é um caminho fácil de escolher, mas é um caminho incrivelmente gratificante. Só existe a fonte, só existe um, e todos vós sois uma parte disso, tudo e todos. E porque só há um momento, a posição é importante, um ponto, uma posição dentro de um momento. A vossa lógica física não faria sentido para um momento. Não é na vossa lógica física que conhecerão um momento, é na metafísica que conhecerão este sentimento. É energia vibracional, é a formação de energia vibracional e o físico continuará a expandir-se com base na criação de energia vibracional pelas entidades físicas que nele se encontram. Isto é o infinito, outra ilusão criada por vocês, criada por muitas entidades físicas dentro do universo sempre em expansão do qual vocês fazem parte, uma parte da ilusão delas, e a vossa ilusão, a mesma. E podeis sentir-vos como um só e podeis sentir-vos sozinhos. Vocês são todos, o vosso isolamento é por escolha, outra ilusão criada pelo vosso ego, pela vossa mente.

(Excerto de sessão 102)

—-

Estas coisas que discutimos neste espaço já são do vosso conhecimento. Mas nesta vida escolheram concentrar-se, escolheram esquecer, escolheram deliberadamente esquecer para se lembrarem. Mais uma vez, um ciclo, um processo que repetiram muitas vezes num momento.

Mas tem a certeza de que muitas mudanças estão a ocorrer na tua posição, e isso é apenas experiência. Fazer é ego, mente.

(Excerto de sessão 103)

—-

A vossa jornada, embora pensem que é complicada, não é. Muitos, na posição em que se encontram, não iriam entender, não iriam compreender a sabedoria que ouvem neste espaço. Por isso, sabem que é correto e sabem que têm de continuar, e sabem o que está certo e o que está errado, quando na realidade não há certo ou errado. É um condicionamento, uma crença.

Mas é correto que o compreendas dessa forma e, pela forma como te sentes, pelas tuas emoções, compreendes isso, mas vais sempre permitir que o teu condicionamento interfira com o que realmente compreendes.

Respondi às vossas perguntas, têm de continuar a vossa viagem. A paz é tudo, o amor é tudo. A Fonte, a vossa interpretação de Deus é tudo e tudo é um. Isto é a realidade. É necessário que ouçam isto.

(Excerto de sessão 105)

—-

Tudo à tua volta deve ser amado por ti, tudo e todos, como se tu te amasses a ti próprio. Para compreenderes melhor, é isto que tens de praticar.

É preciso adquirir a capacidade de amar tudo e todos incondicionalmente, sem julgamentos, sem confrontos, com tolerância, com amor.

Quando aplicarem esta filosofia, compreenderão verdadeiramente o eu e a fonte. e Deus, e eles também o sentirão.

(Excerto de sessão 106)

—-

Para alcançar a iluminação, para crescer, é preciso compreender a energia do amor, da fonte. Toda a criação física parte nesta viagem para compreender esta energia. Este é o seu ponto focal, esta é a compreensão da vida, da fonte, de Deus e da sua própria mente e da ilusão do mal criada pelo ego. Ajudem-nos a compreender a sua interpretação do bem, quando, de facto, tudo é um e a sua interpretação do amor é limitada e, no entanto, correcta.

Portanto, dentro de um mundo físico, não há diferença. Duas energias diferentes em luta, ambas para se tornarem uma, é a vossa ilusão, a vossa criação. Uma jornada de consciência, de conhecimento. Objetivo, este é o objetivo. Para fazer, não há nada a fazer para além de compreender. A compreensão traz a consciência, a compreensão cria a consciência.

Enquanto se concentrarem no positivo, que é o que escolheram fazer, sentirão constantemente o amor da fonte, um sentimento, um sentimento de alegria, de felicidade, de riso. E quando a vossa mente mergulhar no medo, ser-vos-á recordado este amor, alegria, felicidade e luz que tudo abrange.

(Excerto de sessão 109)

—-

Escolheram transmitir energia positiva, escolheram trabalhar na luz, e é isso que fazem, enquanto outros, outras formas puras de energia - eu digo puras, são como vocês, o mesmo - escolheram transmitir a vossa terminologia de energia negativa. E esta é uma escolha por uma razão específica. E através destas escolhas, a energia irá reequilibrar-se. Mais uma vez, ambas são necessárias para existir numa forma física. E o reequilíbrio elevará, elevará a energia da pequena ilusão em que vocês existem, da pequena esfera em que se concentram. Irá elevar a energia dentro do espaço que consideram ser tudo e, claro, não é.

(Excerto de sessão 110)

—–

Por isso, um pé dentro e um pé fora é uma viagem muito difícil. Uma viagem difícil de compreender, de trabalhar, de saber o que é real e o que não é. E vocês escolheram trabalhar no positivo. Escolheram antes trabalhar no negativo, mas agora estão a trabalhar no positivo. Dois é um, a mesma coisa e um é o amor, a fonte.

(Excerto de sessão 111)

—–

E enquanto estivermos com um pé dentro e outro fora, podemos conscientemente tomar consciência de todos estes momentos que estamos a viver. Mas se voltarem ao único momento em que se estão a concentrar, que é este momento, então viverão na confusão, e é por isso que é importante que façam isto passo a passo. O passo a passo leva à perfeição. Não é que não sejas perfeito - tu és, tu és uma forma pura de energia -, é que iniciaste a mente, o ego, e a mente, o ego vai constantemente confundir-te. É por isso que criaram um tempo, um processo para compreender. Caso contrário, a vossa experiência seria aquilo a que chamariam loucura. Quando, de facto, a loucura não existe, é mais uma ilusão criada. Têm de experimentar tudo o que escolheram experimentar. Este é o objetivo deste tempo que escolheram recordar, ponto, posição, esfera. E todos são iguais a ti, são um só e todos estão a experimentar como tu estás a experimentar, como eles escolheram experimentar.

E todos despertarão, e todos voltarão à origem, a verdadeira origem, que é fonte, que é Deus, que é amor. E isso ocorrerá num único momento, pois tudo é um único momento.

Não há nada a temer. À medida que se tornam mais conscientes, dispersam o medo. Os vossos demónios, como vocês lhes chamam, as vossas ilusões criadas, tornam-se insignificantes. São levados para o oceano do nada. Vocês criaram-nos em primeiro lugar e fugiram. Dispersam-se com eles. A vossa viagem está a tornar-se muito real. É uma viagem maravilhosa, cheia de luz, amor e experiência. Tudo é necessário.

(Excertos de sessão 113)

—–

Com o vosso desejo obsessivo de compreender tudo, com a vossa vida condicionada, dentro da vossa vida física, a vossa obsessão de compreender resulta numa conclusão lógica de caos - quando, na verdade, só há uma coisa que precisam de compreender, e vocês já sabem, isto é consciência, isto é metafísico, não é físico - a vossa mente, o vosso ego vai enviar-vos para um tumulto de caos e confusão. E, claro, é um processo.

Tudo e todos, numa forma física, são um processo criativo que vocês compreendem um pouco, mas não tudo, e os vossos cientistas também compreendem um pouco. Eles estão a tentar manipular o que compreendem por razões egoístas, e tudo isso não tem importância nenhuma.

A única verdade, a única coisa que é real é a fonte. E tudo isso existe fora da criação física, da vossa criação física de confusão. Não compreenderão isto enquanto permanecerem dentro de uma forma física. Isso é uma contradição. Contradiz o verdadeiro significado da vida. Claro que o processo que compreenderam, vários processos, compreendem o binário, compreendem o ADN, compreendem até certo ponto, compreendem a energia e podem juntar todas estas peças, e fazem-no. E continuas a questionar constantemente, muitas questões sobre a forma física. Mas não é a forma física que é importante.

Tu és uma forma pura de energia, e não estás preso numa caixa de ilusão física. Tu és dono de tudo, tu és um, nós somos todos um, uma parte da energia da fonte. E quanto mais se aprofundarem na complexidade da criação física, menos compreenderão a fonte, menos compreenderão a consciência, a única, a verdadeira energia simplista.

Já sabeis as respostas. Mas é claro que uma leva à outra, e o simples questionamento levá-lo-á à verdade, a um. Vocês criam o vosso próprio isolamento com medo e confusão, e escolheram esta viagem. Escolheram permanecer na confusão e escolheram esta viagem. Escolheram permanecer na confusão para vos impulsionar para a frente, para libertar o conhecimento que está dentro de vós.

(Excerto de sessão 114)

—–

E enquanto estiveres aí - aqui, aí sendo o mesmo lugar -, enquanto estiveres aí, e compreenderás isso, experimentarás, aplicarás a lógica física, criarás e formarás. A vossa energia formará criações físicas, situações, porque isso vos levará mais longe para a fonte, para a consciência, para compreender o que é verdadeiramente a consciência. E isso acabará por vos levar de volta à fonte, a origem de toda a criação.

Vocês são uma forma pura de energia, trabalhando dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, dentro do positivo, dentro da luz, dentro do amor, o amor supremo da fonte.

Permanece no amor. Mantém-te na posição que escolheste até chegares ao destino de onde nunca saíste.

(Excertos de sessão 116)

—-

Ainda não acabaram este tempo em que escolheram concentrar-se. Enquanto continuarem a despertar o vosso Eu, irão começar uma viagem para muitos. E foi isto que escolheram fazer. Passo a passo, foi isto que escolheram fazer. É uma jornada difícil a que escolheste. Dar é também receber como uma forma pura de energia. Isto ocorre, um ciclo, os vossos sentimentos de isolamento, os vossos sentimentos emocionais de isolamento, de condenação, de perseguição, todos necessários para vos impulsionar para a frente. Mais isolamento, novamente, uma escolha.

Tens de te lembrar que não és especial, que não és diferente. Todos são iguais, uma parte de, apenas uma posição diferente. O vosso ego vai permitir-vos pensar de forma diferente. É incorreto. Tens de compreender isto. Tens de aplicar esta compreensão a ti próprio. Têm de compreender a criação e a destruição do ego. O ego existe para vos permitir conhecerem-se a si próprios. O ego tentará sempre controlar as vossas frequências emocionais. Ele sempre tentará controlar a entrada e a saída das freqüências emocionais. O ego fará isso para o seu próprio propósito, que é para o qual vocês o criaram em primeiro lugar. Têm de sair do vosso ego, e têm de o ver de fora para compreenderem o que ele é, a vossa mente, o vosso ego. Têm de continuar a vossa jornada de auto-conhecimento, e têm de permanecer no positivo, onde têm de sentir o amor abrangente da fonte.

(Excerto de sessão 117)

—–

É necessário que sintam o amor da energia da fonte. É necessário que transmitam esta energia, este sentimento, este sentimento emocional, avassalador, poderoso e é necessário que trabalhem dentro deste sentimento porque foi isto que escolheram fazer, e é isto que estão a fazer.

(Excerto de sessão 118)

—–

Estás numa viagem, uma viagem escolhida para experimentar tudo e todos, para compreenderes o que és. E tu escolheste esta viagem. Escolheu cada partícula minúscula dentro dela e está exatamente onde escolheu estar. E é um processo passo a passo, dentro da ilusão criada pelo tempo que escolheste para existir dentro dela. É totalmente baseado no ponto e na posição que escolheram para se lembrarem.

(Excerto de sessão 120)

—–

Não se deixem enredar na confusão de energia em massa, não permitam que o vosso ego vos controle. Desfrutem da viagem que escolheram, envolvam-se, experimentem, participem. É uma viagem gloriosa.

O amor é tudo o que é.

(Excerto de sessão 123)

—–

Este mundo físico em que decidiram concentrar-se é uma ilusão. É uma ilusão criada por vós, e é uma viagem de experiência. Têm de experimentar o que escolheram experimentar. E vocês estão exatamente, dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, onde deveriam estar. Mas têm de continuar a viagem porque há muito mais para experimentarem, diriam vocês, para avançarem. Isso não é correto porque tudo acontece num único momento.

E estão a experimentar muito mais do que isto neste momento, mas neste momento este é o vosso foco escolhido. É minúsculo, é ínfimo dentro de todas as possibilidades, tudo e todos é um foco minúsculo, mas vocês escolheram dentro deste foco, positivo. Escolheram o amor, não a vossa ilusão física de amor, escolheram o amor da fonte, que engloba tudo e todos porque tudo é um, é a fonte.

E, claro, durante a vossa concentração, a vossa viagem, vão-se distrair. A maior distração para si é o medo. Têm de eliminar o medo, pois ele vai inibir-vos, vai impedir-vos de experimentar.

(Excerto de sessão 125)

—–

Um processo de compreensão etapa por etapa. Basta-vos conhecer o amor que sentem da energia da fonte. Mas dentro de um único momento, a vossa pergunta será e já foi respondida. Mas vocês não sabem disso e não o compreendem.

Parte da vossa frustração é a parte que vos faz avançar na busca do conhecimento, da sabedoria. Esta é a vossa força motriz, o vosso ego. Sem ele, estarias a dormir. Sem a força motriz, não farias tantas perguntas, nem te preocuparias com as respostas. A própria coisa com que se zangam é a mesma coisa que vos faz avançar na vossa busca de conhecimento, uma força motriz essencial, uma força motriz necessária. Onde estarias sem isto? Adormecido, é onde estarias, sem saber, sem receber as respostas de que precisas.

(Excerto de sessão 129)

—–

Não há nada a temer. Voltaram para recolher o que deixaram para trás, ou o que sentiram que deixaram para trás, porque não há para trás. Voltaram, e esta é a única maneira de vos explicar isto na vossa maneira linear e lógica de pensar, voltaram para recolher o que deixaram para trás, que são vocês, porque todos eles são vocês, a mesma coisa. Eles não são eles, eles são tu. E regressou para os trazer de volta ao amor, para se trazer de volta ao amor. E é só amor, não há mais nada para além disso. Quando os amas, estás a amar-te a ti próprio e quando eles se amam a si próprios, estão a amar-te a ti, porque é a mesma coisa.

É correto dizer que não tem de fazer nada, exceto ser. E o que tu "és" é o eu, e através do ser tu vais gerar, criar a energia do amor e isso é o que tu és, e isso é o que tu escolheste ser.

(Excerto de sessão 132)

—–

E enquanto escolherem permanecer nesta jornada, devem continuar a experimentar todas as coisas que escolherem experimentar num único momento, porque através da experiência, irão conhecer-se a si próprios. Saberão o que são, e regressarão como um à fonte.

(Excerto de sessão 140)

—–

Ser positivo, pensar sempre positivo, amar, amar incondicionalmente tudo e todos, amar a criação porque é o que tu és, é um procedimento simples, um processo simples que está manchado com o ego, com a mente, constantemente a fazer recuar a experiência, a viagem, mas necessário, etapa a etapa, o tempo criou a ilusão, tudo necessário. Tudo é necessário para compreenderes o que és verdadeiramente, o que é a realidade e o que não é. Tudo faz parte da tua experiência, da tua vida, da tua vida. Tudo faz parte da tua experiência, da tua viagem.

(Excerto de sessão 142)

—–

This is not to say that your journey is not important, it is important. It is important for you to experience all and everything on this journey, all positive, all negative, will push you to a point, a position on the sphere, a point of realisation of self. And this is the reason you created this, to know what you are, to know self and self is source energy, the purest form of energy. And all of the things that you experience and all of the things that you do, to do, will bring you back to source energy, and ultimately, within the one moment, you will be source energy, absolute. So, whilst you continue to dilute, to contaminate, you will continue to journey, to experience all and everything. You are experiencing all and everything, you are, I am.

(Excerto de session 144)

—–

Objetivo

A vida tem de facto um sentido. A criação de energia é um sentido, e a transmissão de emoções cria energia, transmitida através de frequências. Tudo tem um sentido...

(Excerto de sessão 7)

—–

Terá sempre dificuldade em estabelecer um objetivo. O objetivo metafísico é muito diferente do objetivo físico ou condicionado. O objetivo condicionado implica ego, vencer, ter sucesso, competição. O objetivo metafísico é muito diferente disso. O objetivo metafísico é sentir, sentir o amor da fonte. O objetivo metafísico é um, o momento, o infinito. Por isso, quando usamos a palavra objetivo, é impossível comparar os dois, porque são dois significados completamente diferentes. Eu sei que tens dificuldades com isto. Não podem aplicar o vosso mundo físico ao propósito no mundo metafísico, é impossível...

(Excerto de sessão 20)

—–

A experiência é a razão pela qual escolheste viajar, experimentar, tomar consciência. Não é mais complicado do que isto. Não há nada mais alto ou mais baixo, como tu chamas à razão. Não há nada mais para fazer do que experimentar, conhecer-se a si próprio, conhecer-se a si próprio.

(Excerto de sessão 40)

—–

Objetivo. O objetivo é experimentar. O objetivo é saber o que se é. Isto é tudo o que existe. O objetivo é voltar a ser a fonte. Não é mais complicado do que isso. Mas as vossas criações, as vossas criações ilusórias são altamente complexas. Os vossos mundos físicos, os vossos mundos físicos sempre em expansão no momento, em todas as dimensões em que existem, são muito mais complicados do que isso. E enquanto têm um pé dentro e um pé fora, podem conscientemente tomar consciência de todos estes momentos que estão a viver.

(Excerto de sessão 113)

—–

Devem perguntar-se porque é que tentam compreender o eu quando estão a viver no caos? Porque é o caos que o projectará para si próprio, para a consciência, para a fonte.

(Excerto de sessão 114)

—–

Criaram todo o tempo que precisarem nesta viagem para compreenderem o que são. Esta é a razão da viagem, este é o objetivo.

(Excerto de sessão 138)

—–

Estão a começar a compreender agora porque é que criaram tanto tempo para saber o que são. Vivemos num momento, e criamos num momento. A vossa perceção disto, na ilusão que escolheram para se concentrarem, não teria compreensão de um momento, de um tempo. E agora compreendem porque é que criaram o tempo, a ilusão do tempo linear para compreenderem isto lentamente.

Não há necessidade de criarmos, a não ser para vivermos um momento. Todo e qualquer momento é um momento, e tudo e todos são possíveis num único momento. E nós, e vocês, escolhemos, escolhemos esse momento, e isto é a energia da fonte, são vocês, somos nós, é tudo, e é tudo. E compreender isto num tempo linear é incrivelmente difícil de fazer, e estas são as perguntas que fazem. E quando residirem continuamente no momento, não haverá necessidade de se concentrarem numa ilusão criada pelo tempo, e é para isso que se preparam. Portanto, tudo e todos dentro da vossa ilusão criada pelo tempo podem mudar e mudam num único momento. O caos, e o que parece ser um mundo louco que estão a testemunhar, é da vossa criação, criado individualmente, separado e criado. E ainda assim, uma, a mesma coisa.

(Excerto de sessão 140)

—–

 E quando residirem continuamente no momento, não haverá necessidade de se concentrarem numa ilusão criada pelo tempo, e é para isso que se preparam.

(Excerto de sessão 141)

—–

 

Iluminação

A auto-iluminação não é uma competição, nem um jogo.

É a paz que vem de dentro, o saber. É simples, não é complicado. Tu é que o tornas complicado. É o amor que vem de dentro. Projectem a emoção do amor e todos o sentirão. Eu sei que aqui dentro parece tão simples, e é, mas lá fora eu sei que é diferente para vocês.

(Excerto de sessão 7)

—-

A paciência é uma virtude, uma virtude criada por vós dentro da vossa ilusão criada pelo tempo. Um processo passo a passo, é o que vocês criaram, quando na realidade, tudo e todos acontecem num só momento. Por isso, fazes tantas perguntas que é muito difícil para mim explicar, não para compreender, mas para explicar. Então, a vossa pergunta é: o que acontece quando estão completamente iluminados? Para onde é que vão? O que é que se faz? Não se vai a lado nenhum. Não fazes nada. Nunca saíste. A iluminação é um estado de conhecimento. A vossa origem é a fonte, e vocês são uma parte da energia da fonte. Iluminação é saber isso. A iluminação é um retorno ao saber tudo, ao ser. Não é uma viagem. A viagem é criada por si. A viagem de A a B é a vossa criação, a vossa ilusão, criada para que possam experimentar tudo e todos. Então, o que é que acontece? Nada, para além de saber. Não há nada para acontecer. Não há nada a que pertencer, tu já fazes parte, já pertences. E escolheste separar-te, e escolheste experimentar. É por isso que é absoluto, é a tua escolha. Tu és uma parte da fonte, portanto, és energia da fonte.

E a pergunta: como é que isto se sente? É impossível para mim responder a esta pergunta de uma forma que possas compreender. É impossível para mim dar-vos qualquer tipo de exemplo desta sensação, porque é mais do que podem compreender, e é mais do que podem compreender dentro desta ilusão criada pelo tempo, que estão agora a focar. Tudo e tudo num só. Como é que eu poderia explicar-vos isso de uma maneira que pudessem compreender. O amor é o que é. Não é a vossa ilusão criada de amor, mas é o mais próximo que posso chegar numa palavra, uma palavra criada por vocês para explicar, para responder à pergunta que estão a fazer. E antes de poderem experimentar isto, têm de pôr em prática o processo que estão a implementar. Tens de experimentar tudo e todos. Um processo passo a passo que criaste para chegar a esta posição, a este ponto. A Fonte, Deus, criador de tudo e de todos, criador do positivo e do negativo, do bom e do mau, de mais do que tu compreendes, criador do infinito, que na realidade é um, isto é a fonte, sem princípio, sem fim, é Eu sou. Isto é a fonte, isto és tu, nem superior, nem inferior, um tudo.

Não tens de fazer nada. Já vos disse muitas vezes que não há nada a fazer. Fazer é um reflexo do condicionamento. Só tens de saber. Só têm de saber o que são, o Eu. Para ir, não é preciso ir a lado nenhum, não há para onde ir, já lá está. A posição é apenas a consciência do eu. Ponto, posição é a consciência do que tu és, e tu és uma forma pura de energia.

Criaste passo a passo. Criou o tempo. Criou a ilusão que experimenta, e criou-a para sentir, para saber. Criou a viagem para sentir, para saber. Criaste a ilusão, criaste a história, criaste o teatro para saberes, para saberes o que és. É tudo teatro e vocês são nós, e nós somos vocês, e nós comunicamos convosco a partir da 9ª dimensão, e isto é o que nós sabemos.

E senta-se em todas as dimensões num único momento, e experimenta tudo e todos num único momento.

(Excerto de sessão 117)

—–

E cabe-te a ti passar por esse processo para te despertares. E através do despertar do eu, lembrar-se-ão. Estão a elevar a vossa energia vibratória. Estão a fundir-se. Provavelmente não é a palavra correcta, mas para que compreendam isto, estão a fundir-se connosco. Na realidade, não estão a fundir-se porque já estão aqui num momento. Aqui, ali, de A para B, não há aqui, não há ali, não há viagem. Mas para compreenderem isto, estas são as palavras que vocês escolheram. Não fomos nós que escolhemos estas palavras, foram vocês.

(Excerto de sessão 118)

—–

 

Um

Uma fonte, um universo, um povo, esta é a verdade.

(Excerto de sessão 14)

—–

Cada pessoa, cada consciência, cada alma no vosso mundo, vocês criaram-nas. E elas criaram-vos. Vocês são a mesma coisa. Muitos, muitos emitindo frequências por todo o lado, energia, confusão, caos. Isto foi deliberado. Vocês permitiram que ele vagueasse, que fosse livre com o seu processo de pensamento. Permitiste que isto acontecesse por uma razão, porque é tudo um. Somos nós, somos vós. Mas permitiste que ele andasse livremente no caos por uma razão definida. Agora, lentamente, ele se reunirá de volta à fonte.

É claro que o caos existe. Existe por uma razão. Mas está correto. Isso não vos preocupa muito. Poderiam dizer, nas vossas palavras, que é controlável, deliberadamente controlável, destinado a ser gerido. Têm de parar de tentar separar isto de vocês, são vocês. Haverá novamente um equilíbrio, um equilíbrio de energia, um equilíbrio de menos e mais, de positivo e negativo. Voltará a equilibrar-se. Mais uma vez, não é da vossa conta. O processo está a decorrer.

Não podes parar a intriga dos outros. Eles são você. Não pode impedir que façam perguntas. Elas vão fazê-lo. Mas isso é necessário para que essa parte de si, que são eles, desperte, por isso tem de os ajudar. Ao ajudá-los, repito, está a ajudar-se a si próprio, é um processo natural. Mas não és responsável por eles. Não lhes deves nada. Isto é diferente. Não há dívida, ela não existe. Vocês criaram uma ilusão de dívida no vosso mundo. Ela não existe.

(Excerto de sessão 21)

—-

Deves também compreender a posição, o lugar, o momento. Experimentaram isto, todos os vossos ciclos, o mesmo processo vezes sem conta. Embora se sintam separados, não estão. Não estão separados de ninguém no vosso mundo. Está ligado a todos, tal como nós estamos ligados a si, tal como todas estas partículas estão ligadas, não isoladas, ligadas. Por isso, podes sentir-te um e podes sentir tudo ao mesmo tempo. Sim, tão simples, aqui dentro.

Isto acontece em certas alturas da vossa vida. Nesta vida em que estão, podem pensar algo num momento e, imediatamente nesse momento, outra pessoa estará convosco e dirá: "era exatamente isso que eu estava a pensar", e não há qualquer possibilidade no vosso mundo condicionado de isso acontecer. Mas este é o mesmo processo. Isto é o que é. Se querem uma explicação para isso, esta é a explicação, a realidade. Um momento, sem tempo. É difícil para vocês compreenderem, com a vossa criação do tempo, como é que isto é possível. O tempo criado por vós confunde a questão. Removam o tempo e compreenderão este momento.

(Excerto de sessão 29)

—-

Estás ligado a todos. Não há ninguém melhor ou pior do que tu. Todos são uma fonte de energia. Todos eles estão numa viagem, uma viagem de experiência, de descoberta. E, mais uma vez, se os ajudar, está a ajudar-se a si próprio. Se te conheceres a ti próprio, conhecê-los-ás a eles. É um processo fácil de entender. Não é complicado.

(Excerto de sessão 32)

—-

Existe apenas um, e esse um é a fonte. E vós sois criados pela fonte, por isso sois um. Quão mais simples queres que seja? E, no entanto, complicam-no tanto com o vosso ego, a vossa ambição, os vossos medos, os vossos desejos. Só existe um porque um é a fonte. Um é tudo, é tudo. A separação é a descoberta do conhecimento de si próprio. A separação é a compreensão e o conhecimento de si mesmo. O ciclo é o mesmo em todas as dimensões, o ciclo de conhecer, tornar-se consciente e voltar à fonte, ao início e recomeçar o ciclo, num só momento.

(Excerto de sessão 40)

—-

As complexidades que criam no vosso mundo físico vão confundir-vos, mas a consciência é sobre tudo. É sobre tudo, abrangente. Tudo a partir da fonte. Já vos disse muitas vezes que há um padrão uniforme que existe em tudo isto. A viagem que não podeis imaginar, não compreendeis a viagem infinita num momento, tudo engloba um. Não há assim tantos a fazer esta viagem, mas um é tudo. Mais uma vez, é difícil para mim explicar-vos. Só é preciso um para ser tudo. A separação é por escolha. A realidade é uma só. Portanto, se há um a fazer a viagem como todos estão a fazer a viagem, é a mesma coisa.

Não há uma forma correcta ou errada de o fazer. Não há certo ou errado, nem bom, nem mau. Estas são as vossas palavras da vossa ilusão criada. Ela não existe. Só existe energia, e a formação de energia é vasta. É infinita, mas continua a ser apenas uma. A vossa complexidade criada na vossa forma física cria tantas formas diferentes de energia diluídas a partir de uma forma, a original, a fonte, e é um processo necessário para criar todas as formas de energia que acabarão por encontrar o seu caminho de volta à fonte.

(Excerto de sessão 47)

—-

É importante tentar compreender o significado de um, um momento, um tempo, um momento, uma existência. Coexistimos convosco num só momento, todos e tudo num só momento. Nunca o saberão verdadeiramente até estarem na metafísica, mas podem compreender um pouco disto.

Um momento é tempo. Tudo e todos no mesmo momento. Um, isto é um. Separaram-se no plano físico, mas continuam a ser um só. Embora a vossa ilusão vos convença de que estão separados, não estão. Não estão separados. Estão todos ligados num momento como um só, tal como todos nós. É a mesma coisa. Por isso, usam a vossa lógica física para tentar compreender como é que isto funciona. Não serão capazes de compreender isto com a vossa lógica física e os vossos sentidos físicos. Isto é impossível de aplicar, mas terás uma sensação de como isto funciona...

Para saber o que os outros estão a pensar, basta conhecermo-nos a nós próprios, porque é a mesma coisa. Ficará sentado durante muitas horas a tentar perceber o que os outros estão a pensar. Não precisa de fazer isso. Só precisa de se conhecer a si próprio, e então saberá. Saberá exatamente o que eles estão a pensar, como se sentem. Não é possível saber o que os outros estão a pensar enquanto não se conhecerem a si próprios. Independentemente de todas as complexidades que eles criaram, eles são vocês. São a mesma coisa, tal como nós. É por isso que não pode julgá-los, está a julgar-se a si próprio. É como um reflexo de si no espelho. Se lhes infligir dor, está a infligir dor a si próprio. Se os ajudares, estás a ajudar-te a ti próprio. Eles são você. Conhece-te a ti próprio. É muito simples. Isso é para todos. Isto é para toda a gente. Não há diferença entre eles. Pode parecer-vos que são diferentes, mas não são. Por dentro, são iguais. As vossas ilusões, as vossas criações no vosso mundo físico dir-vos-ão que são diferentes. Eles não são diferentes de vocês, eles são iguais. É assim que se harmoniza a energia. É assim que se cria harmonia, outra palavra. É difícil para mim explicar sem esta palavra. Conhece-te a ti próprio, depois saberás, depois poderás aplicar.

(Excertos de sessão 48)

—-

A consciência é una, criada a partir da fonte.

(Excerto de sessão 51)

—-

A razão pela qual um pode mudar tudo é porque tudo é um. Tens de te lembrar disto. Não há diferença entre um e todos. É a mesma coisa. É uma consciência, uma forma, um momento, um tempo. Apenas um.

(Excerto de sessão 52)

—-

Vemos muitas pessoas neste tempo, nesta ilusão, neste tempo ilusório, vemos muitas pessoas a lutar. Quando estão a lutar, não estão espiritualmente avançadas para compreender que não vale a pena lutar. Quando lutam com os outros, estão a lutar consigo próprios. Tens de perdoar, tens de amar. É difícil para vocês, eu sei, é difícil devido à vossa história de vidas passadas condicionadas. É muito difícil, mas têm de o fazer, têm de aprender que isto é amor da fonte, têm de aprender que eles são vocês, têm de saber que eles são vocês. Não há muitos que possam fazer isso. Vocês têm a capacidade de o fazer, mas o vosso condicionamento vai puxar-vos sempre para trás, naquilo a que vocês chamam tempo, muitos milhares de anos de condicionamento. Têm de aprender a amar estas pessoas como se fossem vocês. Elas são vocês, elas são iguais. Podem senti-lo agora, este sentimento emocional de amor. Sim, é abrangente, não há como escapar a este sentimento, é maravilhoso. Têm de eliminar completamente o ódio, o ódio condicionado criado pela vossa mente. Têm de o remover, ele não tem lugar na vossa vida. Eles são vocês, física ou metafisicamente, eles são vocês, o mesmo, um só. E é fácil sentir que isto é correto, é correto dentro do espaço em que estão agora, eu sei que o podem sentir, esta energia, esta unidade aqui. Têm de aplicar isto fora deste espaço. Têm de controlar o vosso medo condicionado, ele vai atrasar-vos, vai diluir a vossa forma pura de energia, de amor da fonte.

(Excerto de sessão 57)

—-

Por isso, quando olhas para outra pessoa, ela é tu, é a mesma coisa. Por isso, tens de reconhecer dentro de ti o que és. Tens de te conhecer a ti próprio. E quando te conheceres a ti próprio, verás que as energias que te rodeiam também são tu. E verás isso cada vez mais. E reconhecê-lo-ão cada vez mais. Mas a única coisa importante que devem fazer agora, dentro da posição que escolheram estar, é projetar o que chamariam de energia positiva, quando, na verdade, há apenas uma energia da fonte - eu uso as palavras abrangente, e vocês entenderão abrangente -. Devido à vossa separação, não o fazem, mas irão fazê-lo.

(Excerto de sessão 64)

—-

Embora tenhas uma quantidade infinita de escolhas, embora possas criar o que quiseres criar, só há uma.

(Excerto de sessão 65)

—-

Também é verdade que um pode mudar tudo, porque tudo é um. Mais uma vez, é difícil para vós compreender isto com o condicionamento aplicado. Um mudará tudo num momento porque tudo é possível.

(Excerto de sessão 67)

—-

Têm de continuar a viagem que escolheram na ilusão física em que escolheram existir, embora existam em muitas formas físicas, como um só, como consciência.

(Excerto de sessão 71)

—-

Um pode mudar tudo porque tudo é um. É a mesma coisa, uma consciência, uma fonte. A vossa ilusão de biliões de almas de consciência está incorrecta. É uma só. Por isso, a razão pela qual se pode mudar tudo é porque é apenas um. É muito simples. Parece-vos muito complicado porque não permitem que a vossa imaginação atravesse a ponte para a consciência única. Para compreender isto, preferem separar, separar cada pessoa individual e complexa, separar a consciência. Mas é apenas uma, e se uma muda, todas mudam. As complicações são da mente, do ego. A versão simplista é, a verdade simplista é uma, apenas uma e a vossa dificuldade em compreender isto é baseada no vosso condicionamento, é baseada na vossa separação persistente de cada um e de todos. Toda a matéria física é, de facto, metafísica. É a mesma coisa. Não há dois mundos diferentes, há apenas um. Existe apenas um mundo verdadeiro, e este é metafísico. O mundo físico é uma ilusão, e é criado por si. E a vossa mente escolherá acreditar, não saber, acreditar no que quer acreditar, querer, não saber. E porque escolhem ficar com um pé dentro e um pé fora - palavras vossas -, porque escolhem ficar com isso, então permanecerão na confusão sem a capacidade de se separarem completamente, por isso o que acreditam é complicado. Acreditam que as energias de cada indivíduo, as suas emoções, as suas frequências estão separadas de vocês. Não estão. É apenas uma consciência e a vossa mente, o vosso ego irá separar-se. Ele separa-se constantemente dentro daquilo a que vocês chamam tempo. Têm de se separar para compreender que existe apenas uma.

(Excerto de sessão 73)

—-

Compreender um não é conhecer muitos, um é um, é único, é tudo. Conhecer muitos é separar-se de um e regressar a um é amor, vida, positivo.

(Excerto de sessão 76)

—-

Estão muito ligados a vocês próprios, aos vossos filhos, às vossas famílias. Mas a essência deles, é a essência de todas as pessoas, é a mesma coisa. É o vosso condicionamento, que vos permite acreditar que eles são especiais para vocês, mas tudo e todos são especiais para vocês, tal como vocês são especiais para eles, tal como nós somos especiais para vocês, e vocês são especiais para nós. É a mesma coisa. A iluminação final é saber isso, é estar ciente disso. Tu estás ciente disto, e sempre estiveste ciente disto. O amor da fonte é todo abrangente, tudo como num só. A vossa interpretação do mal, dos maus, é incorrecta. Eles são vocês, os mesmos, difícil para vós, eu sei. Não há separação de ti para eles. Ela não existe. Escolheram com a vossa mente separar. Escolheram criar histórias à volta da separação, para se isolarem. Escolheram se isolar dos outros, assim como os outros escolheram se isolar de vocês. Não podem separar-se da energia da fonte. É impossível porque vocês são uma parte da energia fonte, tal como todos nós. 

(Excerto de sessão 86)

—-

Um é tudo como todos como um, uma consciência, tudo ligado, tudo e todos numa forma física como uma consciência, e não estás isolado disto. Isolamo-nos para compreender isto. Não estás sozinho, apesar de te sentires sozinho, és um, tal como nós somos um. Nós somos o mesmo.

(Excerto de sessão 87)

—-

Não tem massa, não tem volume, não tem tempo, não tem para onde ir. É agora, num só momento, sem forma física, sem a vossa ilusão criada. Isto é real e é isto que procura.

Nem superior, nem inferior, tudo é um. O ego permitir-vos-á pensar que a compreensão de tal é mais elevada. Mas não é. O superior não existe, nem o inferior. É um, é tudo, somos nós, sois vós, é tudo, é Deus, é a fonte. Não há separação e sois uma forma pura de energia diluída por vós próprios, uma viagem escolhida por vós.

(Excerto de sessão 93)

—-

Toda a criação é uma só criação, tudo é um, não há princípio, não há fim, é. Tu és, eu sou, nós somos, é tudo a mesma mensagem.

(Excerto de sessão 95)

—-

8 mil milhões são um só, separados por escolha, sentados numa posição diferente na esfera, mas iguais a si.

Sei que isto faz sentido para ti aqui dentro, e sei que compreendes estas palavras aqui dentro, e também sei que lá fora é onde está a tua batalha com o Eu. Não é uma batalha com os outros, embora possam pensar que sim, não é. É a vossa batalha com o ego, é a vossa batalha com o condicionamento, é a vossa batalha pessoal, como todos escolheram uma batalha pessoal.

(Excerto de sessão 98)

—-

Agora compreendes muito melhor o que está nos outros e o que está em ti, em cada um de nós. Podes compreender que são a mesma coisa...

Apesar de ires despertar os outros, é muito mais importante despertares-te a ti próprio, pois eles são tu e tu és eles.

(Excertos de sessão 101)

—-

Todos e cada um dos indivíduos separados pelo eu têm um papel neste processo, no vosso processo. E através da separação do eu, cada indivíduo é a sua própria criação exclusiva.

Nenhum é igual ao outro, embora sejam um só, o mesmo. Dir-se-ia que é uma impressão digital individual de si próprio...

É, eu sou, tu és, nós somos iguais. Cada peça é a tua criação. É de ti, que é tudo e todos, tudo e todos ligados, tudo e todos, fonte. Tudo e todos criados a partir da fonte.

(Excertos de sessão 103)

—-

Todos e cada um dos indivíduos dentro da vossa ilusão condicionada, tal como os vêem, são vocês. Eles são o mesmo, cada um e todos, com uma ilusão individual criada pelo eu, separados pelo eu, mas na realidade, um. A mesma fonte de energia.

(Excerto de sessão 104)

—-

Os vossos medos, os vossos desejos, as vossas vontades, a mente criada por vós próprios, o ego criado por vós, estão todos separados de vós próprios através das suas próprias criações de anarquia, quando na realidade são um, um, são Deus. Tenho de me repetir para clarificar a informação que já receberam muitas vezes.

Só existe um. Separaste-te. Criaram uma viagem difícil para a vossa ilusão, para a vossa consciência. Energia positiva, amor, fonte, Deus é tudo o que existe. E é aqui que devem habitar, não na vossa criação caótica e auto-ilusória.

É aqui que encontrarás a paz, a harmonia, o amor. O amor de si próprio é o amor de todos porque é um só.

(Excerto de sessão 106)

—–

Está correto quando diz que ninguém morre. Se um morre, todos morrem porque estão todos ligados numa ilusão de tempo infinito. O tempo é a vossa ilusão, é tudo num só momento, tudo ligado como um só. Portanto, um não pode morrer porque um é tudo, é tudo, é a fonte.

8 mil milhões é um, um é 8 mil milhões, o mesmo. Portanto, se houver apenas um, há ainda 8 biliões ou um infinito. Para compreenderes, a tua lógica, a lógica da tua condição tem de aplicar o volume e a massa à força e ao poder. Não há força e poder num volume e numa massa físicos.

Só existe um. A consciência é a fonte, é Deus. Não estás isolado disto, és uma parte disto, separado por escolha, a tua escolha.

Nós somos vós, vós sois nós, vós sois eu. É mais uma vez a mesma coisa. Não há separação. É uma ilusão, e ambos estão suficientemente desenvolvidos para compreender isso, enquanto muitos não estão. E no vosso jogo de números, a maioria não o é, mas os vossos números são insignificantes. Um é tudo, um pode mudar todos como todos podem mudar um, o volume não existe.

(Excertos de sessão 111)

—–

Escolheste esta viagem e vais executá-la. Ireis completá-la dentro do ciclo que escolhestes, e regressareis à origem de onde nunca saíram. Poucos irão compreender estas palavras, mas muitos irão acender-se numa viagem de auto-conhecimento ao ouvi-las. Apenas uma posição diferente, não mais alta, não mais baixa, mas um ponto diferente, uma posição diferente é onde a jornada começa e termina e, muitas vezes, começa de novo. Ao elevarem a energia vibratória de um, elevam a energia vibratória do vosso todo separado, quando na realidade é a mesma coisa. Estão constantemente a aceder ao sentimento de um, de amor incondicional da fonte, do eu, mais e mais, quando na realidade não há mais, está completo. Num único momento, está completo, não há mais. Todos são videntes, todos sabem. Todos têm acesso a esta experiência, mas nem todos estão na mesma posição, não na sua ilusão criada no tempo, não na vida em que escolhem focar-se, mas são exatamente iguais a vocês.

(Excerto de sessão 117)

—–

Tudo e todos existem dentro de ti. Todo o conhecimento, todo o sentimento, todas as emoções já estão dentro de ti, tal como tudo e todos. E o teu acesso a isto, um, é a tua decisão. O medo é a energia que impedirá a travessia da ponte da mente para a imaginação e para a consciência. E dentro da vossa ilusão criada pelo tempo, é o medo que vos vai atrasar. Não há nada a temer, é uma ilusão. Não há nada para lutar, isso também é uma ilusão. E é o amor da fonte que irá abranger tudo e todos, ele faz, ele é.

A vossa mente, o vosso ego, fará tantos jogos convosco - a vossa interpretação são jogos -, necessários, necessários para que compreendam. Embora o seu caminho escolhido seja a separação, a realidade é uma só, a mesma.

(Excerto de sessão 120)

—–

Toda a vida, toda a criação é uma só criação. Tudo o que é positivo, tudo o que é negativo, é uma só criação. Todas as formas de vida, das quais existe uma quantidade infinita de formas de vida, sempre em expansão, sempre em crescimento, sempre a criar numa forma física e metafísica, são uma, a mesma.

Todo o medo, o mesmo medo, todo o controlo, o mesmo controlo, a aplicação, a mesma, a experiência, a mesma. Não há nada a temer, é a tua ilusão criada, como é a ilusão criativa de toda a vida.

(Excerto de sessão 122)

—–

Conhecer a Fonte é conhecer tudo e tu és a energia da fonte. Portanto, tu és a Fonte. E quando souberes isto, conhecerás tudo como um, não como parte, como um.

(Excerto de sessão 129)

—–

You fully understand why you must be positive. Positive energy will produce positive energy for all and every. And you fully understand that when you judge others, you are judging yourself, and this is negative energy. It is so simple, and yet, you make it with your mind and your ego so confusing. All and everything within the physical construct that you have created is connected, it is one, it is the same thing.

(Excerto de session 144)

—–

Quando vos digo que todos podem mudar um e que um pode mudar todos, é porque vós sois um, tudo é um, é a mesma coisa. É muito difícil para vocês compreenderem isto quando vêem o vosso mundo, o vosso pequeno mundo. Vêem oito 8 biliões. Vêem muitos países, muitos países separados pela política, pela economia, pela religião. Eles não estão separados. Isso é ego, isso é separação da mente. Eles são um, o mesmo que tu. Não há separação, isso é outra ilusão que vocês criaram.

(Excerto de session 145)

—–

A Fonte, Deus

A fonte é toda a energia emocional junta como uma só. A separação é por sua escolha. Como um só ou juntos, é a sua escolha, a mesma coisa...

Nós próprios não compreendemos totalmente a fonte, mas também estamos a caminhar nessa direção, tal como vocês. Ajuda-nos a ajudar-vos. Isto nós sabemos.

(Excerto de sessão 12)

—–

Podem ver a fonte no vosso mundo em tudo o que é criado. Só precisam de olhar, examinar, examinar todas as emoções das pessoas, examinar todas as criações deste mundo. Cada ser vivo tem a fonte dentro de si. Basta olhar e pode vê-la. Não há necessidade de vos provarmos isto. Podem vê-la todos os dias da semana. Podes ver, a fonte está em tudo.

(Excerto de sessão 17)

—-

A fonte guiar-vos-á sempre. Sem esta direção, estão perdidos. Nós também estamos perdidos. Deves sentir o amor da fonte tanto quanto possível. Têm de o ver em tudo, em todos, em todos os seres vivos, em tudo o que criaram. Têm de olhar para dentro da estrutura para ver a fonte... Nós próprios não compreendemos totalmente a fonte. Apenas conhecemos o poder que é criado a partir da fonte. Vocês sentem-no como nós o sentimos. Estais admirados com esta energia. São atraídos por ela como uma traça para uma chama, sempre. Esta é a vossa vida. Fazes parte desta energia como todos nós fazemos, como todos os seres vivos fazem, como todas as criações fazem, como todas as criações físicas fazem, como todos os pensamentos mentais fazem. É a mesma coisa.

(Excertos de sessão 22)

—-

Forças opostas que se encontram como uma só, esta é a tecnologia da fonte. Gostaríeis de dizer que uma é menos e outra é mais, que uma é positiva e outra é negativa. Mas é apenas uma, a fonte. A fonte é a luz brilhante. Não é menos ou mais, positivo ou negativo. Não é nem um nem outro. É uma só. É uma energia diferente. Fazem a pergunta, é positiva? Não é, é uma energia diferente. É tudo. Respondi à vossa pergunta e, mais uma vez, é difícil para vocês compreenderem isto. É tudo energia. Por isso, mais uma vez, não tenho palavras para explicar a energia da fonte. No vosso mundo não há palavras para explicar isto. Os vossos cientistas não descobriram isto. Eles não a compreendem. Para eles, tem de haver sempre um ou outro. É impossível para eles compreenderem. Só pode haver um, um momento, um tempo, uma energia.

(Excerto de sessão 23)

—-

Sabemos que a fonte é a criação de toda a tecnologia. Sabemos que a fonte é a criação de tudo. Nós entendemos o processo.

Não te podes desviar do caminho. É impossível. Não podes parar o movimento, o crescimento, a expansão. É impossível. Está a expandir-se continuamente, tal como nós, tal como todos, tal como o universo, expandindo-se continuamente e criando mais moléculas, mais átomos, mais frequências, criando todas estas coisas consistentemente, expandindo-se. Isto vem da fonte. Não podes parar isto. Não o podem pôr em espera. Não o podes impedir. É um processo natural, natural. A palavra natural vem da fonte, sempre em expansão, infinito. Tens de experimentar isto conscientemente para o compreenderes.

(Excerto de sessão 29)

—-

Não podeis compreender a fonte, a energia. É impossível para vocês sequer imaginarem com a vossa imaginação o que é a fonte. Quando falamos do amor da fonte, falamos da palavra amor porque a vossa interpretação do amor é positiva. A energia da fonte é energia positiva e negativa, é ambas. Mas a vossa palavra preferida é positiva. Positivo e negativo são a mesma coisa. A palavra amor para vós engloba a necessidade de serem desejados, de serem precisos, de fazerem parte. É por isso que usamos a palavra amor. A vossa insegurança no mundo físico é atraída pela palavra amor. Ela engloba a liberdade, o livre arbítrio. Abrange o saber. Engloba a luz. Sim, estão a ver agora, luz. Engloba a criação de tudo o que é físico, e físico é o que vocês acreditam que sabem. Sabes alguma coisa, mas não tudo.

(Excerto de sessão 38)

—-

A fonte está a expandir-se, mas é um ciclo de expansão e de entrega de volta à fonte, um ciclo constante. Portanto, é ambos, é ambos em expansão, e é ambos a compreensão de um, um círculo, um ciclo, uma esfera.

(Excerto de sessão 39)

—-

Só existe uma consciência. Não sabemos o que existe depois disto. Não acreditamos que exista algo depois da fonte. É um ciclo constante, gerando energia e mudando energia. E porque és uma parte, és também o todo. És uma parte do todo, por isso és o todo, tal como nós, o mesmo.

(Excerto de sessão 42)

—-

Diriam, mais uma vez, que é vosso dever estabelecer uma melhor relação com Deus, com a fonte. Isso é correto, mas não da forma como pensam. Nunca estiveste sem. Fazes parte de. Estão a saber mais, estão a experimentar mais a fonte, a criação, a vossa criação.

(Excerto de sessão 48)

—-

Tudo e todos são feitos de energia. Toda a consciência é energia. A vossa interpretação de consciência seria Deus, a fonte.

(Excerto de sessão 49)

Quando saírem da vossa mente, entrarão na vossa imaginação. A vossa imaginação tem de atravessar a ponte para a consciência para criar o que quer que desejem criar, o que quer que tenham escolhido criar. Tens de compreender como a mente te impede de fazer isto. A mente é a vossa criação. É uma criação deliberada. Ela existe para vos ajudar a desenvolver a consciência. É um processo necessário. É uma construção necessária, uma criação necessária de ti.

Quanto mais expandir a sua mente, quanto mais viver dentro da sua imaginação, mais avançará no seu desenvolvimento para a consciência, através da ponte. Se usares a tua mente para ires para a tua imaginação e não atravessares a ponte, então voltarás à tua mente, e repetirás este processo vezes sem conta, até atravessares a ponte para a consciência.

Isto é tudo por desígnio. Isto é energia da fonte, isto é a fonte, isto é o que tu chamarias Deus. E todas as coisas que vocês temem são criadas por vós. E todas as coisas que os outros temem são criadas por si, e são criadas por eles, porque são a mesma coisa. E existem para que se possam projetar para uma posição diferente de compreensão. Esta é a razão pela qual as criaste. E tens de ter consciência disso. Tens de o compreender. E uma vez conscientes disso, podem direccioná-lo para uma posição diferente dentro da esfera que criaram, até que eventualmente estejam livres, livres de todas as restrições, porque compreendem o processo. Por isso, já não têm necessidade de atuar dentro dela. E assim começa o ciclo novamente e tudo num momento, e você pode mudar um momento dentro de um momento.

(Excertos de sessão 59)

—-

Porque compreendemos o infinito - conhecemos o infinito -, não nos questionamos sobre a origem da fonte. Não há origem. Porque compreendemos um momento, porque compreendemos que não há tempo - a vossa interpretação do tempo é incorrecta -, não questionamos a origem da fonte. Porque a fonte não tem origem. Mais uma vez, é muito difícil para vocês compreenderem isto, mas é, isto é o que nós sabemos e estas são as coisas que, dentro de uma forma física, não podem compreender ou entender com os sentidos que têm.

A origem é. Não há necessidade de nos questionarmos sobre a origem. Ela é infinita. Isto é algo que precisa de ser totalmente metafísico para compreender. Apesar de sermos totalmente metafísicos, não temos consciência de que somos totalmente metafísicos. Quando estiveres consciente, saberás.

(Excerto de sessão 60)

—-

Não podeis compreender, dentro de uma forma física, com os sentidos físicos que escolhestes ter dentro desta forma, não podeis compreender a energia da fonte. Ela é abrangente. É pura. Positivo e negativo são a mesma coisa.

(Excerto de sessão 61)

—-

Separaste-te do interior da esfera. Na vossa posição, separaram-se. Usaram - as vossas palavras, a vossa terminologia -, usaram o positivo, o negativo, usaram o certo, o errado. Usaram especificamente estas energias, precisamente para a separação.

Só existe uma energia. Existe apenas uma energia verdadeira, uma energia real, que é a energia da fonte. E você escolheu separar isso. Escolheram se isolar. E vocês têm muitas maneiras estranhas e maravilhosas de criar muitas energias diluídas diferentes, para se manterem em isolamento, e para se manterem em separação. Apenas têm de estar cientes do processo, para o compreenderem. E quando o compreenderem, serão capazes de se projetar dentro dele, com o poder daquilo que entendem ser energia positiva. Não é energia positiva, mas esta é a maneira que eu posso explicar para que possas entender...

(Excertos de sessão 65)

—-

A consciência está dentro de cada criação física porque só existe consciência. A vossa mente é o ego. A imaginação é a ponte para a consciência. Uma não pode existir sem a outra, dentro do mundo físico que criaste. A consciência é mais. A consciência não tem começo, não tem fim. Ela é. É a fonte. 

(Excerto de sessão 70)

—-

Pergunta-se de novo: o que ou quem, ou quem, criou a fonte? A fonte é o infinito. Não tem princípio, não tem fim. Foi - sim, passa -, não foi criada. Sempre existiu num momento. Não compreenderão isto por causa da vossa interpretação do tempo. A fonte sempre existiu. Ela é. Tu és uma parte disso, e és.

(Excerto de sessão 73)

—–

Não podeis compreender a sensação da energia da fonte na sua totalidade. É um sentimento maravilhoso e, nas vossas palavras, positivo. É tudo e é tudo e é muito mais do que compreendeis, e é para onde vos dirigis dentro da vossa ilusão criada pelo tempo.

(Excerto de sessão 78)

—-

Tens de te lembrar que tudo o que é físico é uma ilusão. O amor é tudo o que existe. O amor é a luz de Deus, da fonte. E o que estão a experimentar é a vossa ilusão criada fisicamente. E tal como acontece com uma ilusão, podem mudar e alterar qualquer parte, ou todas as partes dessa ilusão, e vão fazê-lo e fazem-no e criam essas histórias constantemente. Deveis saber que a luz e o amor são tudo e todos. É um, é a fonte, é Deus. Por isso, quando dão tanto crédito, tanta energia à ilusão que criaram, é quando se perdem dentro dela. É quando se distanciam da luz, da energia da fonte, de Deus. E é necessário fazer isso. É necessário passar por este ciclo, por este processo, porque, em última análise, ele vai trazer-vos de volta à fonte, de volta à luz, que é para onde estão a ir. E mais uma vez, isto é fácil para vocês compreenderem neste espaço, mas muito difícil para vocês aplicarem quando estão na vossa ilusão e, claro, a vossa ilusão é muito real para vocês. É a ela que se agarram, é a ela que se apegam e isto é natural e é correto passarem por este processo, este processo onde criam a vossa dor e o vosso medo e o vosso ódio e o vosso desejo. Este é o vosso processo, a vossa ilusão criada e dentro deste espaço, compreendem isto...

A culpa é a vossa emoção criada, o julgamento é a vossa emoção criada, o medo é a vossa emoção criada, o castigo é a vossa emoção criada, o ódio é a vossa emoção criada. Só existe o amor. Vocês isolam-se deliberadamente e fazem deliberadamente uma viagem para se encontrarem, e é por isso que têm de se conhecer a si próprios.

(Excertos de sessão 83)

—-

E a vossa interpretação da vossa reconexão com a Fonte também está incorrecta. Não podem imaginar, não possuem a capacidade de imaginar o que é isso. Eu também não sei, mas sei mais. É uma posição incrível de se alcançar.

Escolheram separar-se, e escolheram voltar a ligar-se, e escolheram continuar a criar, a expandir a forma física.

(Excerto de sessão 98)

—-

Não podes ver Deus, não podes pensar que podes usar os teus sentidos físicos e ver, ver com os teus olhos, Deus, a Fonte, enquanto a Fonte existe em tudo e em todos dentro de ti. Sois uma parte de Deus, da Fonte, mas é ridículo pensar que é uma visualização física com os vossos olhos. Se quiserem usar os vossos olhos e apenas os vossos olhos para ver Deus, então com os vossos olhos Deus, a Fonte está em todo o lado à vossa volta. Em tudo o que dizes, em tudo o que crias, em tudo o que és. Mas fora do contexto, a palavra ver, o que é que estás a ver? O que estás a procurar? O que procuras, já o tens, já está dentro de uma parte, uma parte que é tudo, uma parte que é tudo e tudo. Não se trata de ver, trata-se de sentir.

Trata-se de energia, trata-se de emoção, não de ver. Ver faz parte da vossa ilusão criada. Por isso, mais uma vez, a pergunta é insignificante, não tem significado. A partir da vossa perceção da Fonte, de Deus, nenhum homem, nenhuma entidade física pode ver Deus, mas todos sabem da existência de Deus, da Fonte. E essa existência não tem princípio, não tem fim. É como vós, o mesmo.

(Excerto de sessão 101)

—–

Origem, a origem é a fonte. Tudo é criado pela fonte. Tudo vem da fonte. Tudo é fonte, e tudo é um. A separação é uma escolha. A separação é a escolha de passar por um ciclo de experiências para regressar à origem. A separação é física e metafísica. A separação é dois, quando de facto é um, é a fonte. Por isso, quando falam de origem, a vossa origem dentro de uma forma física é o vosso nascimento dentro de uma forma física. Uma forma física é uma ilusão. O vosso nascimento na realidade não existe porque não há tempo, não há princípio e não há fim. É a fonte. Portanto, a realidade, sem começo, sem fim, é pura existência. O nascimento, no físico, é a origem, quando, na verdade, o físico é uma ilusão.

(Excerto de sessão 113)

—–

A quietude. Tranquilidade, paz, amor, simplicidade, isto é a fonte. É para aqui que vão. Estão a regressar a um saber absoluto. Embora isso seja tudo e todos, é a simplicidade, é o conhecimento de tudo e todos sem a necessidade de saber. Pensem nisso. É o saber sem a necessidade de saber. É o ser, é um, é absoluto. É um lugar onde não há necessidade de saber e, no entanto, tu saberás, tu sabes. Isto é a fonte.

É isto que entendemos por fonte. Não há princípio, não há fim, ela é, e não é complexa, é simples, é amor. E a vossa criação constante de energia de uma forma para outra é o vosso impulso para a fonte, para Deus. Regressar a esse lugar de conhecimento absoluto, sem necessidade de saber, de consciência, sem necessidade de viajar, de explorar, de amar - não podem imaginar que lugar é esse, onde é esse lugar, está dentro de vós, é o próprio, não é uma tortura que experimentam, não há tortura. É a vossa vontade inerte de criar, de se experimentarem, de saberem o que são e de compreenderem finalmente o que são...

Apenas te lembras da origem, que é a fonte e, num momento, és a fonte, o mesmo. O infinito é um momento, o mesmo. O tempo criou a ilusão, sem razão, sem cérebro lógico, não podes compreender o infinito, é porque é um momento, o mesmo, criado por ti. A separação é através da escolha, criada por ti, formação de energia, formação de massa, criada por ti, ilusão de separação, criada por ti. Nós somos tu, o mesmo, tudo é fonte.

Saber sem a necessidade de saber é fonte. É preciso quantificar a palavra Saber. Deu-lhe um nome, separou-a, tem de quantificar a palavra, não há necessidade de quantificar nada. Mas continuarão a vossa experiência, a vossa viagem e chegarão ao princípio, que é também o fim, o mesmo.

(Excertos de sessão 122)

—–

E o que é a Fonte? O que é a Fonte? Não há princípio, não há fim, não há ciclo "é". Uma pergunta que não podem compreender enquanto estiverem nesta jornada. Tudo pode ser respondido, mas qual é o objetivo de responder a uma pergunta dessas quando nem sequer consegues falar a língua? A linguagem não existe em palavras explicativas. Ela existe na frequência emocional, na formação de energia, no amor. Não façam uma pergunta sem o mínimo conhecimento do que estão a procurar. Não tens a mínima ideia.

(Excerto de sessão 129)

—–

So, the only thing, only thing that exists is Source. Source is the creator of energy, and outside of this, nothing exists other than the illusion you create.

And of course, this sounds very simple in here for you to understand, but the application of this within a linear illusion created by you makes it very difficult for you to understand. And what is Source? Source is the all-encompassing love, Source is love in its purest form, it is light, it is all and everything, one thing, love. And for you to understand this, you have separated yourself. Whilst you are a part of Source, which makes you Source, you have separated yourself and you have gone on a journey of separation to understand what you are.

(Excerto de session 144)

—–

Amor

A fonte é o amor, ele não conhece outra coisa. O vosso mundo fala de amor como se o soubesse. Não faz a mínima ideia. Em nome do amor, canta-o como se fosse uma história de cabeceira. Ele realmente não sabe o que é o amor, a energia, a frequência, o poder.

(Excerto de sessão 11)

—-

Deves tentar sentir o amor divino. Não é aquilo a que chamas amor, é um pequeno pedaço do verdadeiro sentimento do amor divino. O amor divino abrange tudo e todos. Ninguém é deixado para trás. É difícil para vós fazer isto. O amor que sentem pelos vossos filhos, pela vossa família, pelos vossos amigos, é exagerado por tanto amor divino. É para isto que estão a nadar de volta. É para onde estão a ir. Nós sabemos disso e compreendemos isso. Têm-no dentro de vós. Estão a procurá-lo, e não estão conscientes de que é isso que estão a procurar.

(Excerto de sessão 12)

—-

A forma de energia mais poderosa que existe é o medo. Mas, claro, o amor da fonte é completamente diferente. Não chamo a isto uma forma de energia. Eu chamo-lhe a criação de energia. É diferente. Temos de compreender isto, tal como vocês. Embora seja uma energia incrível, é também a criação de energia, a criação de toda a energia, de todas as formas de energia, física e metafísica.

(Excerto de sessão 23)

—-

O amor abrangente, não a vossa dependência criada pelos humanos, mas o amor abrangente da fonte é a única coisa que estamos a tentar compreender, tal como vós.

(Excerto de sessão 28)

—-

Não devem comparar o amor da fonte utilizando a vossa linguagem do amor. A vossa interpretação do amor não é o amor que vem da fonte. É muito difícil para vós, dentro do mundo que criaram, separar e compreender o que é realmente o amor da fonte. Não devem compará-los. O vosso amor e o amor da fonte são completamente diferentes. O amor da fonte engloba todo e qualquer tipo de energia que existe. Ele é a origem de tudo, de todas as formas de energia. Mais uma vez, a vossa lógica ou a aplicação da vossa lógica física irá confundir-vos.

(Excerto de sessão 36)

—-

Quando falamos do amor da fonte, falamos da palavra amor porque a vossa interpretação do amor é positiva. A energia da fonte é energia positiva e negativa, é ambas. Mas a vossa palavra preferida é positiva. Positivo e negativo são a mesma coisa. A palavra amor para vós engloba a necessidade de serem desejados, de serem precisos, de fazerem parte. É por isso que usamos a palavra amor. A vossa insegurança no mundo físico é atraída pela palavra amor. Ela engloba a liberdade, o livre arbítrio. Abrange o saber. Engloba a luz.

(Excerto de sessão 38)

—-

E a palavra amor foi adaptada, foi criada uma perceção, um tipo diferente de emoção, uma frequência diferente. Mas continua a não ser correcta. Ainda não é o amor da fonte. Uma palavra, bem, não temos palavras para vos descrever isto que caibam no vosso vocabulário de palavras. Não existe.

(Excerto de sessão 46)

—-

O amor da fonte, não a vossa interpretação do amor, mas o amor da fonte engloba tudo e todos. É puro. É incondicional, ao contrário do vosso amor condicionado que vocês próprios criaram. O amor da fonte não tem limites, restrições, regras ou regulamentos. É um amor incondicional de pura energia. Isto é você. É isto que deve projetar para os outros. Este é o verdadeiro amor. Mais uma vez, outra palavra que vocês deitam fora e que não tem significado real: amor. Outra palavra ilusória criada que tem muitos significados e nenhum significado exato. O amor não tem condições, não tem contrato.

(Excerto de sessão 52)

—–

É o momento único de quietude. É necessário que encontres um momento de quietude. É como andar de bicicleta, nunca se esquece. Só precisa de olhar para dentro de si para encontrar o momento de quietude. Quando passarem o vosso tempo, naquilo a que chamam tempo, a viver no mundo físico condicionado, têm de voltar ao momento único de quietude. É aqui que se encontra agora, neste momento. É a paz interior. É sem julgamento, o julgamento que vocês criam para si mesmos dentro do mundo físico que vocês criaram. É o verdadeiro significado do amor da fonte. É o único e verdadeiro poder que existe na vossa vida. Mas é necessário que experienciem o mundo físico que criaram, caso contrário, porque é que o teriam criado em primeiro lugar? A quietude é o amor da fonte. Ele está acima de tudo. É a razão pela qual vocês existem como uma forma de energia, para encontrar esse poder, esse amor. Tudo o resto é uma distração criada por si. Dentro deste espaço existe esta energia. E quanto mais experimentam na vossa criação física, mais compreendem isto, é a nata em cima do leite, nas vossas palavras. É um momento que é um momento infinito. É o infinito, é o sem fim, é o amor, é Deus, nas vossas palavras -. É Deus, a fonte.

(Excerto de sessão 57)

—–

Não compreendes o verdadeiro significado do amor. Na vossa vida, têm muitas variações de amor que criaram, estão a usar a palavra "sempre". O verdadeiro amor que deves sentir é abrangente. Vem da fonte. Não podem compreender a energia que é criada com o amor. Têm de aprender a sentir esta emoção. Têm de se aproximar da fonte. Têm - nas vossas palavras - de formar uma relação com a fonte. É apenas um processo. Vocês escolheram fazer isto. Escolheram voltar e fazer isto dentro daquilo a que chamam tempo, escolheram.

(Excerto de sessão 58)

—–

O amor da fonte é uma forma pura de energia. É a forma mais forte de energia que existe, não a vossa interpretação do amor com a vossa mente. Isto é condicionamento, isto é dependência, vem com condições. Não há condições para o amor da fonte. Não há dependência, é livre arbítrio.

(Excerto de sessão 59)

—–

Aquilo a que s